“Deixa a Bicharada Dar!”


Se você é evangélico e se ofende fácil com profanações, recomendo que não assista ao vídeo abaixo. Agora se você é daquelas que gritam “MEOO KOO!” toda vez que um irmão crente convida para ir a igreja, dê as mãos aqui e vamos orar TODOS JUNTOOOOOOOOS:

A descrição do vídeo diz: “Irmão Micael lança seu primeiro Clipe Gospel Hétero Gay Transgenicamente Modificado. A música “O Sr. me penetrou enfim”, faz parte de CD UM RETO DE LUZ”.

Estão sentindo? É pura unção!!! Amém, irmãos?

Dica via Babado Certo Group.

É muita falta dele, isso sim…


Segue a campanha da deputada Myrian Risos:

Isso mesmo, a deputada Myrian Risos, como se não bastasse a gafe do ano passado tentando justificar o direito de demitir um empregado pelo fato de ser gay, agora veio com a ideia descabida de legislar sobre o koo alheio, promovendo um projeto de lei que PROIBIRÁ a prática do sexo anal no Braseel…

…Tá, é brincadeirinha, gentchy! Essa imagem, assim como tantas outras que você poderá encontrar no tumblr “Não é gay se…”, ironizam a homofobia dos deputados da bancada religiosa, que de tão descarada chega a ser cômica.

Via A Capa

Estuprofobia, coisa de hétero!


Um dos post mais acessados deste blog foi um que escrevi em em setembro de 2009 chamado “A dor de dar o cu é uma dor moral”, onde defendo a tese de que,

“de maneira geral, a dor no ato sexual homossexual passivo é uma dor muito mais imaginada, muito mais moral. Tantas vezes vinda também do medo e de histórias de violência do imaginário heteronormativo, onde existe aquela máxima “se me pedirem para escolher entre a morrer e dar o cu eu prefiro a morte”.

E não é que fizeram um curta sobre esse pavor dos héteros de serem estuprados… Chega a ser engraçado, cata:

Oi, gosto de abacaxi?!

Esse rapazes héteros, tem cada uma, néam? Relaxa, gente! Eu disse e repito: se dar o cu fosse tão ruim assim, não teria tanta gente dando. Beijos!

Mais Você (Dicas de Lubrificação)


Esse post possui conteúdo impróprio para menores de 18 anos, se você for menor de id… ah, melkoo, isso não vai fazer diferença nenhuma mesmo…

Vamos falar de sexo? Não de sexo com racha, deixa isso pra Izaaa contar. Vamos falar da paixão nacional: O futebol Dar o edí!

Dar o koo é simples, e só são necessárias três coisas em essência:

– Um KOO (de preferência limpo e desossado);
– Uma neca ou uma cinta-caralha (adicionar centímetros a gosto);
– Camisinhas (afinal, DST não é digno).

O modo de fazer todo mundo já nasceu sabendo, néam, mas será que basta só as três coisas? Para uma bill moderna e antenada isso é o básico, afinal, os bastidores não são novidade e queijinho só é bom no dia dos namorados, e no fondue!

Então, como o modo de preparo todas gay já sabem fazer, estou aqui pra para dar dicas de como “untar a fôrma para assar o Peru”, ou seja, uma lubrificação que garanta 100% de prazer com o mínimo de dor. Mas primeiro, falar de chuca é sempre bom, assim como falar de prevenção da dengue: A gente sabe como fazer, mas sabe aquela preguiça que dá de virar as garrafas depois do churrasco cabuloso do dia anterior?

Passar o Visa Electron na hora da movimentação NÃO é legal. A pessoa compreende, tudo bem, mas é broxante, tsá? Portanto, se tá sabendo que VAI passar o cheque, porque você SEMPRE sabe, despacha o exú no lugar onde ele deve ser despachado, o bofe agradece.

A lubrificação tem seus segredos, a maioria das beeshas phynas adoram usar KY porque é marca conhecida e custa 17 reais a bisnaga de 100g, mas no final nas contas é o literal “escorregar no quiabo”, você não sente nada, o negócio escorrega eternamente e você ainda fica com cheiro de Baygon.

Aconselharia o não tão famoso OLLA, mais barato e nem por isso com menos qualidade. Mas se você é uma beesha que vive na correria do dia-a-dia e nem sempre tem seu amiguinho lubrificante à mão, please, não use manteiga, margarina, vaselina ou outros desses lubrificantes menos comuns, isso é sexo, não a brincadeira do pau-de-sebo.

Use o hidratante que você ganha mais, e ainda fica com o edí cheirando a rosas (ou à essência de sua preferência). O interessante do hidratante é que com o tempo ele é absorvido pela pele, e olha que legal, isso só acontece quando o hole já foi arrombado, quer dizer, você hidrata suas pregas perdidas e ainda, de quebra, sente um prazer maior devido ao aumento do atrito.

Doer vai doer toooooooooda vez, a não ser que você seja uma estação de metrô que entram e saem milhares de pessoas/dia, aí é caso perdido, você é  quem deveria dar essa aula. Mas só dói quando entra, depois, assim como a racha, acostuma e fica tudo na paz.

Sejam espertas, fofuras, lubrifiquem sempre, e se o bofe vier pro seu lado cuspindo no seu edí, corra! Amilase salivar só digere amido, e já que você não é uma deliciosa batata gratinada, não vai lubrificar muito, a menos que ele babe um copo de saliva e… enfim… NÃO, né?