“Sou versátil, mas prefiro ser passivo” – Já pode dar na cara?!


Bate na cama e vira

Eu nem queria escrever sobre versatilidade no Babado Certo, sou ortodoxa e acho que vocês versáteis estragam tudo com essa mania de se adaptar. Mas por outro lado, eu acho ótimo que as passivas quebrem as louças e diminuam a competição pelos ativos.

Diz a Dé que só quem discute esse assunto é passiva, o resto tá cagando pra tudo isso… mas vocês já sabem que se eu colocar no Google “Max versátil“, vai aparecer “Você quis dizer: Paseeeeeva!“… então, estou liberadãm.

O que eu mais vejo entre os comentadores do BC é a premissa “eu sou versátil, mas prefiro ser passivo”. Uhum, é muita Cláudia pra pouca cadeira, a bee come, com muito custo, um koo por semestre e quer falar pra mim que gosta dos dois? Não aceito!

Sou versátil, uso cabelo de lado, com franja, e até rastafari, Max!

O verdadeiro versátil é aquele que “tanto faz” se terá de ser passiva ou ativa na hora do cruzo, ele sente prazer das duas formas e o que vier é lucro. Essa é a verdadeira versatilidade. Não essas versáteis-passivas que sofrem com a dinâmica do mercado atual, falta de ativo e excesso de passiva tentando passar a perna.

Ela pega a gay, come, mas não sai da cama enquanto não for recompensada pelo esforço. Nada mais justo, mas não vem pra cima de moi com essa história de versatilidade. Você é passiva sim, inclusive, passivo também consegue comer, se quiser, bebês, a gente só não curte, mas ninguém perdeu parte do Sistema Nervoso Autônomo! Dizer que é passiva não vai fazer seu pênis cair!

O versátil mesmo nem especifica o que gosta na cama, no máximo ele vai perguntar o que você gosta pra poder estar preparado (afinal, versátil também faz a chuca, néam?). Esse babado de “sou versátil, maaaas…” é coisa de passiva mafiosa, SEMPRE. Pro versátil não tem porém, faz os dois e acabou!

O grande problema está no peso da palavra “passivo” e a discussão que se inicia quando uma bee revela sê-lo, muita gente não entende que a gay só não gosta de comer, mas ela usa a neca pra todas as outras coisas! Aliás, eu ACHO que usam, né, reza a lenda que algumas passivas não permitem nem que o boy encoste no pinto delas, se inventar de chupar então, elas te denunciam pro Supremo Tribunal Federal!

Já disse no vídeo e repito, quando é assim é melhor cortar logo, por mais feminina e transex que a senhora seja, se é pra te comer e nem poder encostar no seu pênis, é melhor comer mulher, que tem DOIS buracos e ainda tem peitos! So much funnier!

Ninguém é mais versátil que eu!

Já o “versátil que prefere ser ativo”, RÁ! Isso é tão inexistente quanto os ativos de Vitorinha, afinal, já tem pouco ativo por aqui, quem dirá encontrar vários o suficiente exigindo ser ativo cá senhora ao ponto de você criar um padrão de gosto na cama.Você é ativo, só não desperdiça o superpoder da sua próstata, quando solicitado.

Nesse caso eu aconselho que digam que são ativos logo, sabem por quê?

Primeiro que se você prefere ser ativo, não vai correr o risco de ter que dar, raramente uma gay vai parar na cama de alguém que diz ser ativo e pedir pra comê-lo. Se acontecer, beleza, dá e pronto, depois come a gay e tá tudo resolvido.

E outra! Vai que você, por uma ironia do destino, encontra um outro ativo, você diz ser versátil, ele te come e você se apaixona? Imagine que inferno astral, você só curtiu dar pra ele, e vai ter que dar pra sempre, ou provocar uma briga toda vez que quiser comer! Já recebi alguns e-mails de umas bee’s que disseram passar por isso e queriam minha ajuda, humpf, tem como ajudar? Não tem, o erro foi cometido lá no início. Foi inventar moda pra dar uma de moderna, e olha no que deu.

Portanto, PAREM de inventar subdivisões que só servem pra complicar a vida sexual de vocês! Prefere ser passivo, diga que é passivo, se prefere ser ativo, diga que é ativo… se na hora der aquela vontade louca, muito louca, de dar/comer, solicite o orgão sexual da gay e pronto. Se a outra não quiser, paciência, você não vai entrar em depressão porque não fez algo que você diz “não fazer questão de fazer”.

E nem me venham com essa conversa de “ah, mas quando estamos com quem amamos, vale tudo”. Meu koo, em 90% dos casos nós NÃO estamos com quem amamos, então o que vale meishmo é o nosso orgasmo.