Vamos pensar um pouco


ditaSaiu no Facebook, um grupo de manifestantes católicos estava fazendo uma passeata contra o aborto e essa babaquice de ditadura homossexual (eu nunca ouvi falar de ditadura promovida pelos mais fracos, mas vão bora fazendo).

A tal “Cruzada pela Família” é famosa por correr o Brasil fazendo manifestações pacíficas e ordeiras (sic) contra, veja bem, os movimentos homossexuais, o kit gay, o casamento gay e a lei contra a homofobia.

Vocês leram o que eu li, não leram? Eles fazem manifestação PACÍFICA E ORDEIRA contra a dignidade humana e os direitos fundamentais que os homossexuais deveriam ter, mas não têm.

Será que realmente isso é pacífico? O que configura uma manifestação violenta? Será que só a violência física configura isso? Vamos acompanhar no vídeo abaixo:

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=zuxpaE759h8]
ku klux

Parece absurdo pra você? Crianças cristãs homofóbicas também são absurdas pra mim.

Tá, é tendencioso e cheio de passagens bíblicas nojentas, mas existem detalhes ali que devem ser discutidos: Violência moral justifica violência física?

Para ficar melhor de entender vamos pegar a Ku Klux Klan. Essa organização surgiu nos EUA para se opor à abolição da escravatura, lá em 1862, e cometeu inúmeras atrocidades contra os negros, até mesmo queimaram alguns vivos em praça pública, sem sofrerem nenhuma retaliação por isso.

Hoje ela ainda existe nos Estados Unidos, porque o país defende a Liberdade de Expressão, mas é secreta devido à grande perseguição popular que sofre.

Engraçado, essa historinha te lembra alguma coisa? Pois a mim lembra: Cruzadas e Santa Inquisição!

A mesma igreja católica que hoje reclama de ter sido agredida e ameaçada pelos manifestantes, é a igreja católica que lá trás matou, torturou e fez experiências científicas absurdas com jovens homossexuais.

Hoje, assim como a Ku Klux Klan, eles são contra a lei anti-homofobia porque, segundo eles, isso fere a “Liberdade de Expressão” dessa galera.

O mesmo argumento usado pela Ku Klux Klan para terem o direito de pregar que os brancos são superiores aos negros. Vai vendo…

pedradaOnde eu quero chegar com tudo isso: Eu jamais vou ser a favor de violência física numa manifestação ideológica.

Entretanto, ver um grupo de pessoas dizendo que você não merece os mesmos direitos que elas somente pelo fato de você apresentar uma condição que você não tem o poder de mudar dói mais que qualquer pedrada.

Movimentos são formados por pessoas diferentes, com personalidades diferentes e reações diferentes. Não podemos julgar todo o movimento pela atitude de um ou outro. Nosso discurso ainda é a favor da liberdade de expressão e da igualdade, enquanto o deles é repleto de ódio e segregação.

Por isso que condeno a atitude dos manifestantes, mas no fundo, leitoras lindas, me perdoem, lá no fundo eu entendo perfeitamente essa atitude, são centenas de anos de brutalidade, ninguém tem sangue de barata.

Liberdade de expressão não é sinônimo de liberdade de agressão.