Metalinguagem – Dia dos Namorados


Uma das maiores reclamações que recebo é quanto à minha cabeça-dura. As beeshas discutem comigo nos comentários e ficam putas porque eu nunca admito que estou errado, lógico, eu nunca estou errado mesmo!

Exceto nesse post: clique AQUI para ler.

criticaSe teve uma coisa que eu aprendi depois que conheci o feminismo foi a não cagar regra sobre o corpo e a vida dos outros.

Esse post é especialmente cheio disso e, revolucionariamente (adoro advérbios de modo!), resolvi criticar a mim mesmo esse ano, em vez de aos outros. Que tal?

Então as partes acinzentadas são as frases do post, e o resto sou eu mesmo falando hoje, estamos entendidas?

Todas as gays solteiras da minha timeline estavam reclamando incessantemente sobre sua solteirice, mesmas gays que durante o resto do ano vangloriam-se da quantidade bofes que pegaram numa noite, ou do fim de semana promíscuo que tiveram.

Regras em todo lugar

Regras em todo lugar

Meu deus, que vergonha! Não ouçam nada disso que essa recalcada falou, gente!

Se você foi promíscuo a vida inteira e um dia resolveu ser monogâmico ninguém tem nada com isso. E se alguém não te quiser usando seu passado como argumento, mande-o chupar um canavial de rola, antes só que mal-acompanhado.

E aí eu pergunto, será que essa carência toda no dia 12 é de verdade ou a maioria dos gays são tão medíocres ao ponto de considerar status social ter alguém para passar o dia dos namorados, mesmo que seja só um pau amigo da agenda do celular?

fecha isso!

Além de tudo era homofóbica, que escrota. Na moral, como é que vocês conseguiam me ler nessa época?

Todo mundo, não só os gays, quer ter alguém para passar junto no dia dos namorados, é a sensação que o capitalismo entranhado nessa data passa pra nós.

O mesmo vale para ateus que comemoram o Natal: não comemoram porque é o aniversário de G-zuis, mas pelo que a data oferece de companhia, de festas, presentes, confraternização… ateus também são bonzinhos, tsá?

É, parece simplista, mas se você realmente está carente, quer um namorado, por que não faz por onde alguém lhe dar algum valor? E nem adianta falarem de mim, sou vadia meishmo, solteiro inveterado e não troco minha liberdade por nada, pelo menos por enquanto.

Entretanto, o dia que eu quiser deixar de sê-lo, com certeza o meu comportamento terá que mudar, não acham? Você só recebe confiança quando inspira confiança.

O quê?!

O quê?!

Essa é a pior parte! Alerta masculista pra essa frase! Merece o novíssimo Selo Clodovil de Homofobia Internalizada

14003286

Ops, caguei uma regrinha nas calças!

Nada de valor, nada de mudar! Quem tem valor é mercadoria!

Engraçado que quando essa versão babaca da Max fala de valor é sempre “fazer menos sexo”, né? Nunca que valor é fazer um mestrado, um curso de pompoarismo. Nada, é não foder, apenas.

Tá, todo mundo tem um passado, e ele pesa na hora de conseguir um namorado. Mas, minha gente, se a DÉ que tem o passado mais negro que a tinta da Wella que eu pinto meu cabelo, conseguiu um namorado, qualquer um também pode!

A bola representa o argumento

A bola representa o argumento

E mesmo a Dé não precisou se moldar ao seu padrão de comportamento machista pra conseguir isso, bêu abôr.

Você acha mesmo que choramingar o dia inteiro no Twitter/Facebook vai fazer aparecer magicamente um rapaz para te namorar? Diboua, posso ser sincerãm? Com esse comportamento você mais AFASTA que conquista.

hummmmA única parte que faz sentido nesse lixo de texto inteiro. Realmente, galerinha, isso eu preciso reiterar sempre: Consiga uma pessoa pela admiração que ela tem por você, pela sua força de vontade, pelo tamanho da sua neca, mas nunca por pena. Nunca sirva de estepe pra ninguém…

…exceto se for em comum acordo, aí você pode ser capacho de quem achar melhor. Eu não consigo imaginar alguém feliz assim, mas em terra de 50 tons de cinza, quem tem bofe é vassalo.

E se não conseguir um namorado até o dia 12, paciência, pense pelo lado bom, pelo menos você não vai gastar dinheiro comprando presente. É só virar hétero e beber uma loira do bar… DROGA, fui machista de novo!

Deixa pro ano que vem agora…

Inauguração do Vila Velha Cineclube LGBT


dASDASD

Nesta quinta-feira (09/05) acontece a sessão inaugural do Vila Velha Cineclube LGBT. O evento ocorrerá na Academia de Letras Humberto de Campos, na Prainha, em Vila Velha.

18h30 – Quem Tem Medo de Cris Negão? (2012) – 25′ – O curta dirigido por René Guerra, conta a história de  Cristiane Jordan, ou Cris Negão, uma travesti cafetina do centro de São Paulo, conhecida por seus métodos violentos. Odiada e temida por uma legião, ela também tinha seus fãs, até ser tragicamente assassinada. O filme propõe um mergulho no universo marginal das travestis, a partir dessa figura lendária do submundo de São Paulo.

19h – O Céu Sobre os Ombros (2010) – 72′ – O filme dirigido por Sérgio Borges trata da solidão e das dificuldades da vida humana, mas também trata de como os homens criam suas saídas, suas respostas às dificuldades, sua felicidade. Ganhou 29º Festival Internacional de Cinema do Uruguay – Melhor filme documentário no 2011 e 3º Festival de Brasília de Cinema Brasileiro2010 – Melhor filme, melhor direção, melhor montagem, melhor roteiro e prêmio especial do júri (elenco).

20h20 – Bate-papo com o cineasta Rodrigo de Oliveira, de As Horas Vulgares, e com a transexual Deborah Sabará, coordenadora do Fórum Estadual LGBT do ES.

Confirme sua presença: Sessão Inaugural Cineclube Lgbt

Isso é coisa de viado


VEADO-NO-LAGO

O quê?!

Sei que prometi postar amanhã, mas não resisti!

No post anterior eu disse que ia usar o resultado da enquete para fazer esse post. Mas vocês são maravilhosas demais, e o resultado foi melhor do que eu esperava.

As opiniões foram diversas nos comentários, e eu adorei a divisão de pensamentos que se formou:

  • Por um lado, o time das “respeite para ser respeitado”. Afirmam que o rapaz não é gay, que só mostra o quanto o preconceito da sociedade também nos afeta. Preconceito esse que nos faz determinar a homossexualidade do outro sem nem mesmo saber se ele sente atração pelo mesmo sexo;
  • E o outro, o time da pinta. Afirmam que o rapaz é gay sim, porque se comporta da maneira típica que os gays atléticos se comportam: Egocêntricos, exibidos e vaidosos.

Agora, será mesmo que hoje em dia ter um comportamento típico de gay é suficiente para afirmar categoricamente que alguém é homossexual?

Don't

Don’t

man-purpleNós vivemos num momento histórico no qual a sociedade também cobra dos homens que se tenha boa aparência. Claro que não chega nem aos pés do peso que as mulheres devem carregar, mas ainda sim muito maior que no passado.

Por esse motivo, eu acho um retrocesso determinar a sexualidade de alguém se baseando nesses detalhes (salvo em caso de brincadeira ou de pegação em ambiente HT, óbvio).

precPorque fazendo isso estamos alimentando o mesmo separatismo dos homofóbicos, que nos colocam, e tudo aquilo relacionado a nós, como diferentes, alijados da sociedade padrão com o nosso comportamento transgressor.

Quando nós retaliamos esse comportamento num homem hétero, estamos indo de encontro a tudo que pregamos como ideal de sociedade: o fim do preconceito.

E o que é preconceito?

Se “pré” significa “antes”, a gente pode dizer que pré-conceituar é determinar um conceito ANTES de conhecer o que se classifica.

E isso inclui também elogios, como quando você conhece aquela beesha super gente boa e fala que seu santo bateu com o dela, isso é preconceito.

Qué dizê, se a gente julga os héteros quem somos nós para reclamar quando eles nos julgam?

dedaca

heteroEnquanto ser considerado gay ainda for interpretado como uma ofensa para um hétero, nunca vamos conseguir que eles nos respeitem se agirmos da maneira como agimos no post anterior.

Sempre que eles permitem uma abertura para uma relação mais fraternal nós somos os primeiros a apontar o dedo e desconfiar da sexualidade deles.

Sem contar as que alimentam uma paixão secreta pelo hétero só porque no jogo do Flamengo ele deu um abraço nela na hora do gol. E juram de pé junto que o abraço foi com segundas intenções.

Assim não dá! (em todos os sentidos que o “dar” pode adquirir nessa expressão).

Amiga da galera

Amiga da galera

Deveríamos, o quanto antes, aprender com as mulheres. Elas se tocam, falam sobre seus corpos, ficam nuas na frente umas das outras, se comparam e ali edificam uma relação muito mais livre que a nossa, que mal permitimos que um homem hétero seja vaidoso ao ponto de se deixar admirar por outro homem.

E esse separatismo existe até nos elogios! Se um homem é sensível com sua namorada, é viado. Se entende de moda, é viado. Se admira no espelho, é viado. Se manja rola no banheirão, é viado… OPA! Nesse caso é viado mesmo.

Se repara no que os outros vestem, é viado… NÃO!

Aprendam, de uma vez por todas: Coisa de viado é dar o cu, o resto é preconceito.

é a lei

p.s.: Dar o cu foi licença poética, todo mundo aqui sabe que ser homossexual se refere apenas a se atrair pelo mesmo sexo, ponto.

Etiqueta gay no Facebook


Me desculpem as “kkkkkkk”, mas curtir é fundamental

Glorinha Kalil já falou horrores sobre etiqueta no Facebook. Mas ela, apesar de uma eterna diva fashion brasileira, não tem 90% de amigos gays no Face e não sabe da missa um terço.

Entendo que cada um faz do seu Facebook o que quiser, mas temos que compreender que o Facebook é uma rede na qual tudo que você posta fica visível para os seus contatos.

Você pode escrever o que quiser, claro que pode, mas depois não venha dizer que está “fazendo faxina” porque as pessoas não comentam o que você posta. A culpa é toda sua.

Por isso, vamos fazer uma listinha de gafes que mais causam raiva nas bee’s?

1. Cutucar – Eu sei que cutucar é uma delícia, mas é preciso discernimento. Se você não é bonita não adianta tentar conquistar aquele boy magia só cutucando e esperar que ele te cutuque de volta.

Quando ele vê sua fotinha de perfil, se sente assim:

Bebê de Rosemary cutucou você

Ele é boy magia, sabe disso, e já recebe dezenas de cutucadas por dia, tente uma abordagem diferente, chame-o via inbox and WORK, bitch!

2. Anunciar depressão – Você está triste, solteira e forever alone, ok, isso é chatíssimo. Mas gata, ninguém dá a mínima para as suas reclamações sobre promiscuidade e o quão superficiais são as pessoas.

Todo mundo já tem a vida amorosa fodida o suficiente pra não se preocupar com o que você sofre.

3. Narração de programas de tv – Futebol, Carminha, Nina, Salve Jorge, ou seja lá o que você assista na Globo. A maioria absoluta dos brasileiros têm televisão em casa, e se estiverem interessados em saber de cada segundo do programa vão ligar a tv e assistir.

Se estão no Facebook é porque não estão nem aí pro gol que seu time fez ou pra quem matou o Max (Que aliás já estava me dando nos nervos ser marcado em tudo quanto era atualização sobre esse personagem).

Nem ela aguenta mais

4. Fotos “sensuais” – Precisa de explicação? A internet já está lotada de site pornô, a gente não quer abrir o Facebook em casa e correr o risco da nossa mãe passar atrás do computador e ver uma foto da senhora de cueca segurando a neca.

5. Memes – A regra é clara, se um meme já apareceu na sua timeline mais de 5 vezes, NÃO compartilhe! Vitorinha é um ovo e todos os viados têm amigos em comum, vai chegar uma hora que a timeline inteira estará tomada pelo seu meme e pelas beeshas reclamando dele. É uma praga, e faz mitose!

Quer uma prova? Quantas vezes você viu essa foto no seu Facebook no mês passado?

O suficiente pra sentir ódio da Luiza sem nem conhecê-la, num é?

6. Foto de comida – Por favor, parem de postar foto até do chiclete Big Big que você comprou na banca de jornal. Mas principalmente, ninguém aguenta mais foto de bolo arco-íris!

7. As Meteorologistas – “Calor do caralho”, “frio do caralho”… o tempo nunca está bom o suficiente pra essas malditas meteorologistas calarem a boca. (Que agressiva!)

8. Atualizações que só você entende – Existe comportamento que dê mais raiva que o daquelas bee’s que postam frases aleatórias, as quais só ela e a amiga entendem?

Pra isso existe o mural, a timeline serve para você compartilhar informações generalizadas, o seu lixinho pessoal ocupa o espaço de uma outra atualização que poderia ser interessante, e só dá mais trabalho pra quem tem que girar o scroll do mouse pra ignorar o que você escreveu.

9. Memes elogiando Rebeldes ou outros famosos coadjuvantes – Ninguém gosta dessa porcaria que você ouve, e compartilhar meme com 50 erros de português falando sobre as qualidades da sua “diva” não vai mudar isso.

10. Reclamar de block – O Facebook não vai te bloquear se você somente adicionar amigos em comum. Se você manda convite pra qualquer barriga de tanquinho que vê, interprete o block como uma dica de comportamento.

BÔNUS:  “Bom dia Faces”, “Boa Noite Faces” ou “Partiu boatera/praiana” – Nunca é demais dizer o quão insuportável isso é. Falando sério, meninas, as pessoas te julgam por causa disso!

Se vocês fazem uma ou duas coisinhas da lista, fiquem tranquilas, não tem problema.

Agora, se você comete mais de 5, pode saber que já tem gente te gongando pelas costas nas mensagens inbox. Vale lembrar que, no caso do “Bônus”, não importa se você não comete a lista inteira, “bom dia Faces” já te categoriza como UÓ automaticamente.

E vocês, leitoras mal-amadas (como eu nesse post), o que causa mais raiva na timeline das suas amigays?

Sexualidade sob o ponto de vista biológico


Pirulla, dono de um vlog no youtube, é famoso por discutir temas polêmicos nos seus vídeos. Dessa vez, esse fala da origem da sexualidade sob o ponto de vista científico, e aproveita para falar da formação do sexo e do comportamento sexual nos animais, desde os primórdios do processo evolutivo.

Vale a pena pegar uma pipoquinha e assistir:

Eu AMEI a maneira que ele tratou o tema, didática e 100% pautada em artigos científicos. Aliás, isso me lembrou de um texto meu que já mostrei aqui e que vale como leitura complementar. Clique AQUI para ler.

Mas nada foi mais mágico que ele ter citado os X-men numa analogia, e por isso vou aproveitar pra dar uma dica de vida pras senhoras:

Dica do leitor (muito obrigado, querido ;))

O que tem na sua bolsa?!


GATAS! Tô em polvorosa! Recebi uma dica ótima de uma amiga: “o que as sapas carregam na bolsa?”

Mas como a maioria das sapas nem carrega bolsa, e se carregam, daria pra citar todos os itens num post do Twitter, preferi unir todas as gays num texto só e analisar juntinho de vocês, vamosh lá?

Eu não vivo sem bolsa, se eu tiver que ir na vizinha pedir açúcar eu pego a bolsa e levo. Pra vocês entenderem o que eu sinto quando estou sem bolsa, se imaginem sendo uma mulher (o que não é muito difícil) que está sentindo cólica há dias, sabe que está pra menstruar, vai pra balada com um short branco e esquece de colocar o absorvente. PENSE na angústia!

Vou dividir em categorias porque eu ach… meu koo, porque categoria é a maneira mais didática do universo de analisar as coisas.

As sapas:

As sapas típicas só não usam pochete porque FINALMENTE elas entenderam que é a coisa mais cafona que já foi criada pela indústria da moda.

Sou feminina e uso pochete, Max

E também não usam bolsa, no bolso delas cabe tudo que é necessário: Chave da casa/carro, uma palheta (nunca se sabe quando terá que impressionar uma gatchêenha com seus dotes musicais), celular, fichas de cerveja do rock da Antimofo que ela vai toda semana, identidade, carteira de saúde, papéis avulsos, mas observem que os últimos itens podem ser todos resumidos pela palavra “carteira”. E maquiagem… “MAQUIAGEM, MAX?”… sim, maquiagem, assim como comentaram uma vez aqui no Babado Certo: “Maquiagem de sapa é, no máximo, manteiga de cacau”.

Não uso bolsa de mulézinha

Entretanto, as sapas são diversas, e têm também aquelas que usam bolsa e se produzem, mas nunca que a bolsa delas é igual bolsa de mulher hétero… as sapas, por sorte, herdaram dos homens uma organização sobrenatural em compartimentos pequenos. Então ali você vai encontrar rolo de papel higiênico, caneta, papel, carteira, cortador de unha (por motivos óbvios), talvez um rímel, um lápis, um pó (compacto ou padê), coisa básica, se ela precisar de algo extraordinário, o amigo pintosa dela vai ter pra emprestar, certeza.

Obs.: No caso das sapas que não usam bolsa, mas que aparecem com elas uma vez por mês, pode saber, tá carregando absorvente.

Mas e as bee’s?! Ah, as bee’s são criativas quando o assunto é arrumar tranqueira pra carregar.

Minha bolsa é UNISSEX, tsá?

Existem as gays que se vestem como os HT’s, então aí nem tem o que falar, inclusive, se eu fosse depender dessas bee’s normais pra escrever no Babado Certo, não ia sair um texto com mais de 3 linhas. Pega o conteúdo das sapas que não usam bolsa, adiciona camisinha e, muito dificilmente, um sachê de KY. Pronto, é o que elas carregam.

Mas tem as bee’s mestre de obras, que toda noite rebocam a cara inteira pra ir pra balada, essas sim precisam de manutenção, e essa manutenção exige uma bolsa preparada. Vamos pegar a bee completa, que pinta os olhos e usa pancake pra esconder a barba:

Exalando masculinidade com meu pé de coelho

No dia a dia você vai encontrar um kit básico de make, com lápis, pó e base, um hidratante pra não ficar com mãos calejadas, caneta e papéis, camisinhas, carteira, pinça, lubrificante e talvez uma garrafinha de Coca-Cola 600ml pra fazer uma chuca de garrafa pet na hora do desespero. Afinal, ninguém sabe se você vai encontrar o seu príncipe encantado na fila do Transcol, né?

Na noite, quando ela se produz, e vai ter que ficar 6 horas na rua, você só adiciona mais uns 5 potinhos de argamassa. Porque o que importa é a pele ficar intacta, olho borrado depois das 3 da manhã é visual displicente, é sexy, é verão, é… ah, fashionistas, inventem aí mais um adjetivo pra justificar o relaxo.

E vocês, bebês, o que carregam em suas bolsas? Cliquem na enquete abaixo em todas as coisas que vocês carregam quando saem:

(Clique no link abaixo ou abra a página do post pra ver a enquete)

Continuar lendo

É que eu olho mesmo pra beleza interior…


Pesquisadores do Centro de Neurociência Comportamental de Atlanta, descobriram que, os homens olham primeiro para o rosto das mulheres do que para seus genitais, já as mulheres costumam olhar para os genitais masculinos logo de cara. Ao contrário do que muita gente pensa por aí, né!?

Você deve estar se perguntando, a Izaaa pirou de vez, por que ela postaria uma pesquisa sobre casais hts aqui? Calma vinhádo, para de show!! Eu só postei isso aqui, porque eu quero saber de você. Sinceramente? Eu não olho nem pra cara, nem pros brinquedinhos, se for parar pra analisar eu olho mesmo é o contorno da barriga ou o desenho das costas… Viaaaaaaaaajo nisso!

E vocês ativas, passivas e relativas deste humilde blog, pra onde você olha primeiro??