Amor gay, amor político!


Antes de mais nada, ouçamos a canção Gayana, escrita por Rogério Duarte e gravada por Caetano Veloso (que está no último álbum do artista, o ‘Abraçaço’):

A canção é a expressão típica da paixão homossexual. Ainda que o amor de casais gays  “não tenha fim”,  seja maior que “terra, mar, céu e estrelas”, “maior que tudo que há”, como qualquer amor romântico, há sempre a chance de “alguém condenar”, já que, de certo modo, a expressão de amor entre pessoas do mesmo sexo é vista por alguns setores da sociedade, como bem sabemos, como errado, quase que proibido.

Quem ama ou já amou sabe, entretanto, como diz a canção, que  chega um momento em que “não dá mais para esconder”… O sujeito da relação fica então dividido: manter em segredo (muitas vezes em consideração ao outro da relação que é enrustido) ou gritar seu sentimento aos quatro ventos. Muitas vezes é em nome de um amor que pessoas deixam seus armários, para viverem suas paixões. E daí que começa o “problema”.

Ao escolher viver publicamente seu amor, o casal gay tem duas escolhas. Numa ele liga o foda-se, não importando-se com o que os outros pensam e passa, porém, a viver essa relação em ambientes de gueto, onde se relacionam apenas com pessoas que compartilham da mesma condição ou não se importa com ela, deixando assim de estar em certos espaços. Numa outra, para não abdicar de suas relações, ele tem que “negociar” com seus pares – amigos, família, colegas de trabalho – formas de estar junto, muitas vezes tendo que abrir mão de carícias e demonstrações de afeto públicas.

Infelizmente, nossas relações ainda não são vistas em todos os ambientes como a relação dominante e a necessidade de se fazer política é constante a fim de manter boas relações de convívio. E é por meio de diálogo e buscando coexistir que vamos ganhando afeto e, por conseguinte, liberdade.

Isso se deve muito ao fato de que a sociedade coloca o gay como metonímia de TODA a comunidade gay, ou seja, a parte representa o todo. Se alguém hétero trai, ele é safado. Se um gay trai TODOS os gays são promíscuos. O peso sobre nossas relações é maior, pois carregamos a imagem de milhões de outros conosco.

Porém, seja como for, nunca deixem de dizer aquele sentimento que tem àquela pessoas especial: “Eu amo muito você!”. Doa a quem doer, seja como for. O amor gay é, acima de tudo, um amor corajoso!

Vamos pensar um pouco


ditaSaiu no Facebook, um grupo de manifestantes católicos estava fazendo uma passeata contra o aborto e essa babaquice de ditadura homossexual (eu nunca ouvi falar de ditadura promovida pelos mais fracos, mas vão bora fazendo).

A tal “Cruzada pela Família” é famosa por correr o Brasil fazendo manifestações pacíficas e ordeiras (sic) contra, veja bem, os movimentos homossexuais, o kit gay, o casamento gay e a lei contra a homofobia.

Vocês leram o que eu li, não leram? Eles fazem manifestação PACÍFICA E ORDEIRA contra a dignidade humana e os direitos fundamentais que os homossexuais deveriam ter, mas não têm.

Será que realmente isso é pacífico? O que configura uma manifestação violenta? Será que só a violência física configura isso? Vamos acompanhar no vídeo abaixo:

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=zuxpaE759h8]
ku klux

Parece absurdo pra você? Crianças cristãs homofóbicas também são absurdas pra mim.

Tá, é tendencioso e cheio de passagens bíblicas nojentas, mas existem detalhes ali que devem ser discutidos: Violência moral justifica violência física?

Para ficar melhor de entender vamos pegar a Ku Klux Klan. Essa organização surgiu nos EUA para se opor à abolição da escravatura, lá em 1862, e cometeu inúmeras atrocidades contra os negros, até mesmo queimaram alguns vivos em praça pública, sem sofrerem nenhuma retaliação por isso.

Hoje ela ainda existe nos Estados Unidos, porque o país defende a Liberdade de Expressão, mas é secreta devido à grande perseguição popular que sofre.

Engraçado, essa historinha te lembra alguma coisa? Pois a mim lembra: Cruzadas e Santa Inquisição!

A mesma igreja católica que hoje reclama de ter sido agredida e ameaçada pelos manifestantes, é a igreja católica que lá trás matou, torturou e fez experiências científicas absurdas com jovens homossexuais.

Hoje, assim como a Ku Klux Klan, eles são contra a lei anti-homofobia porque, segundo eles, isso fere a “Liberdade de Expressão” dessa galera.

O mesmo argumento usado pela Ku Klux Klan para terem o direito de pregar que os brancos são superiores aos negros. Vai vendo…

pedradaOnde eu quero chegar com tudo isso: Eu jamais vou ser a favor de violência física numa manifestação ideológica.

Entretanto, ver um grupo de pessoas dizendo que você não merece os mesmos direitos que elas somente pelo fato de você apresentar uma condição que você não tem o poder de mudar dói mais que qualquer pedrada.

Movimentos são formados por pessoas diferentes, com personalidades diferentes e reações diferentes. Não podemos julgar todo o movimento pela atitude de um ou outro. Nosso discurso ainda é a favor da liberdade de expressão e da igualdade, enquanto o deles é repleto de ódio e segregação.

Por isso que condeno a atitude dos manifestantes, mas no fundo, leitoras lindas, me perdoem, lá no fundo eu entendo perfeitamente essa atitude, são centenas de anos de brutalidade, ninguém tem sangue de barata.

Liberdade de expressão não é sinônimo de liberdade de agressão.

Como tratar seu Pau Amigo


A dica de hoje é curtinha, porém, importantíssima!

Ai, como eu amo Open Bar, perder uma festa de bebida liberada me dói o coração tanto quanto dispensar aquele boy que você sempre quis pegar, só porque não fez a chuca.

Na sexta-feira saí de casa às nove porque marquei com um pau amigo de cinco anos. Aliás, a relação de pau amigo é uma das que mais duram, já observaram?

Peguei o pau amigo, fiz o que tinha que fazer e ele deu uma carona pra mim e pro meu amigo (que não é pau porque é paseeva) até o postinho do Triângulo… sou das que gostam de esquentar antes de chegar na festa. Bebemos na frente do Teacher’s Pub e partimos pra Canal 505, que diga-se de passagem, está cada vez melhor.

Todo mundo têm um pau amigo ou um edy amigo, se você for atchyva. Geralmente os paus amigos são aqueles peguetes que fazem sexo muito bem, mas um não sente nada pelo outro além da amizade. O grande segredo dessa relação duradoura é a sinceridade de que um só liga pro outro quando a intenção é trepar com a garantia do orgasmo, uma vez que a possibilidade disso acontecer com desconhecidos é infinitamente menor.

A dica é: NUNCA se apaixone pelo seu pau amigo, ainda mais as passivas, que mais parecem garotinhas virgens toda vez que dão pra alguém. Tão deslumbradas que durante a foda elas já planejam o nome dos dois filhos que vão ter e como será a casa no campo que vão morar quando se casarem. Não faça isso, a relação de pau amigo é uma relação puramente sexual.

Outra coisa, o pau amigo jamais deve ser comprometido. Ele deve ser solteiro, desimpedido e, de preferência, não ter nem mesmo uma paixão secreta por ninguém. Primeiro porque se ele for comprometido, pode sobrar pra senhora, afinal, a piranha nunca é o namorado delas, sempre é a amante. E segundo que fazer sexo com homem que ama outra pessoa é uó, corre o risco dele te usar como step e ficar meloso demais na cama, o que pode confundir sua cabeça ou até mesmo fazer você se apaixonar por ele.

E, por fim, a dica mais importante de todas: Não divida segredos com seu pau amigo, a relação de vocês não pode passar do orgasmo, por isso ele tem o “pau” antes do “amigo”, o pau dele é a única coisa que liga vocês dois. Se passar disso ele vira amigo, se virar amizade vira paixão, se virar paixão vira amor, e você vai ficar mais uma vez correndo atrás de quem não te quer, e de postagem de “não dou valor a quem não me dá” no Facebook todo mundo já está de saco cheio!

Observe a roda-viva abaixo:

Como é a sua relação com seu Pau Amigo?

Quem nunca…


…foi pego pela câmera falante da PMVV na Feira do Cu Praia das Garças, néam?! Cata as gueish que ficaram gongadas na noite pelas bee da Folha Vitória:

Matéria completa e  vídeo dosh doish pombeenhos aqui.

Leia este trecho:

“Os atos só foram interrompidos após alerta da chamada câmera tagarela, da central de videomonitoramento da prefeitura. O operador do equipamento orientou que os dois homens parassem com a atividade sexual na praia. Assustados, eles se vestiram e foram embora. “O que chama a atenção é a irresponsabilidade dessas pessoas que praticam sexo em um local público sabendo que isso não é legal”, comentou secretário de Ação Social de Vila Velha, Ledir Porto”.

Ledir, olha, não querendo te contrariar, que é autoridade e tal, mas sexo em praia é MUITO LEGAL! Eu gosto. O que não é legal é assustar a gente com a porra da câmera falante!

Festas de fim de ano na empresa


Acho engraçado a beça o constrangimento que as pessoas se permitem devido ao não trato com o tema da homossexualidade.

Ontem, no escritório da empresa onde trabalho, onde todos sabem e conversam abertamente sobre meu relacionamento chegou um funcionário de outro setor convidando para a festa de fim de ano. Daí veio me falar e tal e comemeçou balbuciar: “E você pode levar também seu companheiro… é… er… seu brother… aquele seu colega…” Daí ficou todo mundo olhando com aquela cara de riso pra ele cada vez se enrolando mais. Então o Felipe (chamemos assim) um dos que trabalham comigo – casado e tal – falou pro sujeito “Porque você não fala namorado logo?“. O cara ficou mais sem graça ainda. Sei lá, enfim pode levar ele também” completou deu mais umas disfarsados e saiu fora o mais rápido possivel. Agora me diz, precisava disso tudo?

De qualquer forma, estou indo pra lá já já e vou sim levar o cafuçú. E ainda por cima vou bem fazer a linha Ione jornalista no churrasco, porque não tô morta e adoro “imaginar loucuuuuuuras”. Apenas.