Cobertura da Parada Gay de Vitória [2013]


1488038_479498668836905_1953597293_n

Olha aqui! Eu quero dizer pra vocês que todas deveriam me amar MUITO depois do esforço que eu tive que fazer pra ir na Parada Gay com o calor diabólico que estava fazendo!

Nem acreditei que tive forças de sair, porque no dia anterior fui pra Nova Almeida (de novo, não me conformei com a péssima experiência da última vez).

Lá bebi tanto que, além de ter sido abordada por um cigano que em vez de tentar ler as pregas da minha mão me falou sobre uma nova técnica cigana de leitura de pregas do edi, acabei de madrugada numa cama de solteiro com um boy que nem faço ideia do nome, apenas me lembro da sensação de girar, girar, girar e ter três orgasmos. Nada. mais. me. lembro.

[youtube https://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=v396cL6lCqE#t=101]

Me arrumei toda por volta de 14 horas, e assim que botei o pé na rua cada fio da minha progressiva pediu arrego e num passe de mágica eu pulei de cosplay de Jessie J. para Gal Costa. Mas mesmo assim, fui, guerreira, prestigiar a luta LGBT.

Infelizmente

Por outro lado, o calor tem suas vantagens: A nudez é uma delas.

Absolutamente toda a Grande Vitória estava seminua, e se meus peitos de hormônio já estivessem grandes o suficiente com toda a certeza eu teria tirado a camisa e feito um protesto legislativo a la Indianara Siqueira.

Mas oportunidade é o que não vai faltar, APENAS ME AGUARDE, VITÓRIA, ME A-GUAR-DE.

trava

Eu em breve na Fernando Ferrari

Estava uma gracinha a parada, principalmente por causa da nova lei municipal aprovada em Vitorinha, que instaurou o dia contra a Homofobia e foi repetida o tempo todo em cima do palco.

Sim! O palestrante toda hora pegava o microfone e gritava: “A lei foi aprovada, se vocês sofrerem violência disquem 100”. Avisando aos homofóbicos que o bagulho ficou doido!

Como resultado, não vi violência, apenas uma correria louca na praia (e foi até poético ver aquela boiada estourando ao longe) que até agora não sei o motivo. Caso alguém saiba, favor me explicar nos comentários, pois eu vi uma fila de 20 policiais indo pra trás do palco e de repente o estouro de gente.

UPDATE: Informantes me disseram que havia um carro de som tocando funk atrás do palco e que a fila de 20 policiais foi, com toda a sua delicadeza, pedir pros meninos desligarem. Daí a confusão.

fat

Entretanto, também vi depoimentos de pessoas que passaram por isso:

“Gostaria de saber de fato qual esta sendo o objetivo dos Manifestos LGBT? Pois o que se viu em todas elas foi grupos de funkeiros reunidos e agindo de forma inadequada com algumas pessoas que simplesmente esbarravam neles.”

tumblr_inline_mw8vd2RlXV1qbiz5t

… os funkeiros me trataram muito bem…

Ah! Outro ponto interessante eram as frases faladas por um menino no trio, super nonsense, seguem algumas das quais me lembro:

“Gay vivo não dorme com o inimigo”

“Vitória é sapatão!”

“Quem é de Feu Rosa grita agora!”

Entre outras que a Brahma não me permite lembrar. Mas era visível o constrangimento das pessoas na rua.

Eu só olhava assim pro trio:

tumblr_mwc19keZ0b1qkremvo1_500

No mais, parabéns a todos os envolvidos. Nem tenho ideia do quanto deve ser desgastante promover um evento desse porte, e qualquer contratempo deve ser relevado diante do trabalho maravilhoso que eles fizeram. ❤

Dali eu fui pra Rua Sete, no Centro, pra ver o samba.

Mas os homens estavam muito atacados, um me perseguiu por toda a rua quando eu fui comer, dizendo que queria “me atravessar”. E outro que, quando eu passei, simplesmente meteu a mão no meu peito e apertou! Cadê o cavalheirismo, minha gente?

Os boys tavam assim no evento:

tumblr_m7dg2bpMDm1r35ipgo1_250

Seguem as fotos da cobertura. Mas antes de tudo, quero agradecer à Jéssica Telles pela maravilhosa homenagem ao desenho Pokémon, com seu cosplay de Cyndaquil!

professor

Separadas por um Professor Oak

1457678_614779805246687_128063760_n

1476165_710677105610734_1637603541_n 1374868_479500555503383_397934115_n

 

Cobertura completa no Moqueca Mídia, clique AQUI.

Cobertura da Parada Gay de Vila Velha


Olha que bafo o vídeo que saiu com a cobertura completa da parada.

Eu achei ótimo, principalmente porque eu deveria ter ido pra fazer a cobertura, mas estava com uma ressaca desgraçada e não consegui levantar da cama.

Vamos assistir?

[youtube https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=QZAuCUHRdUs]

Lindoooooo! Soube até que tinham umas gays usando a blusa do Babado Certo. Infelizmente não pude ir pra ver, mas sintam-se beijadas por mim, tá?

tumblr_muj6hpC6Yf1rjxoico3_400

Cobertura da Parada Gay de Vila Velha [2012]


Primeiro, quero dizer que estou chateadíssima, porque tiraram uma foto minha segurando a plaquinha do “Eu voto contra a homofobia”, mas não me incluíram no site.

Eu sei que eu tinha usado a base errada e meu rosto parecia aquela restauração da velhinha espanhola. Mas tudo bem, por mim todas as fotos da parada gay se resumiriam a ESSA:

Simplesmente a montação mais SENSACIONAL que já vi em toda a minha vida! E ela ainda dublou Set me Free, catem a referência, mulé maravilha, cordas, liberte-me, gays, parada, tudo conectado.

Qué dizê, um cérebro é um cérebro, né, minha gente?

E cérebro também não faltou na apresentação bem oitentista de I Will Survive, relembrando aquelas drags da época que se montavam com poucos recursos, com uma pitadinha de empreguetes:

Foram as duas apresentações que mais me marcaram, mas isso não desmerece o talento das outras que fizeram shows, o problema é que eu estava bebendo atrás do trio nas primeiras apresentações e acabei perdendo tudo. A beesha não pode ver trio que já acha que tá no Vital.

Mas vamos então seguir a ordem cronológica dos basfonds.

Uma pele é uma pele

Cheguei por volta de 15 horas porque demorei para me arrumar, achei que devido ao sol precisasse usar um pouco mais de maquiagem, ledo engano, fiz um reboco tão grosso que me perguntavam se eu tinha sido exposto à radiação e virado o Coisa do Quarteto Fantástico.

Enfim, o trio foi comandado mais um ano pela Ana da Band, com a maestria habitual. Claro que não poderia deixar de citar as aparições de Miss Linda comandando uma parte do evento, e o discurso empolgante de Deborah Sabará, que colocou um pouquinho de política na cabeça de algumas beeshas que foram pra lá atrás de outro tipo de cabeça.

Imagens exclusivas do boy que dirigia a ambulância atrás do trio

Ainda não sei o motivo de só ter aparecido um trio elétrico, afinal, havia informado a vocês AQUI que seriam dois, lembram-se? Pois é, não teve, mas bobagem, isso não alterou em nada a qualidade do evento. E pelo que eu ouvia na rua, não teve sequer uma ocorrência policial. Lindo, néam?

Será que os evangélicos sequestraram o trio? Não sabemos… mas em falar em evangélico, sempre tem uma galerinha distribuindo panfletinhos dizendo que G-zuis nos ama. Engraçado é que só distribuíam pra viado, não vi um hétero sendo parado na portinha de uma pequena igreja nas proximidades da passeata.

Passei pela portinha e veio uma moça me entregar um panfleto, disse: “Jesus te ama.”

Respondi: “Então manda ELE vir falar comigo” (ênfase no tom de voz do “ele”)

Ela: “E ele vai!”

Respondi: “Ele, não você, e se ficar me pressionando vou tomar nojo dele antes de conhecer.”

Eu e a irmã

E saí, com a marca da besta nas costas, provavelmente, pois ela deve ter praguejado tanto minha vida que fico até com medo do terraço daqui de casa despencar na minha cabeça.

Mas essa galera tem que ouvir umas verdades de vez em quando, vivem se baseando na premissa de “não julgue para não ser julgado”, mas é o que MAIS FAZEM quando entregam esses panfletinhos de “Jesus te ama” somente pras beeshas.

O quê faz ela pensar que eu já não saiba que o Jesus dela me ama? Sim, O PRECONCEITO.

Pois bem, num balanço geral do evento, tivemos:

Boy Magia? Sim, tivemos:

Travesti de parar o trânsito? Sim, também tivemos:

Tivemos Ângela Jackson de, segundo ela, coroa de flores para o caixão da Hebe Camargo:

Entretanto, o mais divertido mesmo foi um coió em cima do palco. A apresentadora falando: “Vocês que têm Facebooks conhecidos, sites famosos, blogs, não vamos falar mal da parada gay não, vamos ser unidos. Vamos acabar com esse estigma de que toda beesha é fofoqueira e faz picuinha.

Nesse momento a parada inteira olhou PRA QUEM? Detalhe que estávamos eu, Iza e Dé juntos, pense nos olhares de reprovação… mas mal sabiam elas o que estava por vir.

No final, a apresentadora soltou: “Apoie os eventos voltados para o público LGBT, seja profissional, como o site Babado Certo, por exemplo, que está sempre conosco.

VRÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁU, se eu tivesse um leque batia na cara das 45 beeshas que me olhavam com aquele olhar de “agora a Max vai ser humilhadãm”, e muah, nosso trabalho foi mais uma vez reconhecido.

Dizem que naquele momento uma cadeira cadente passou pelo céu, mas são só boatos.

Agradecimentos especiais ao Renan Rilton (organizador do evento), à Ana da Band, ao site LGBT-ES por ter cedido as fotos (roubei sem pedir hahaha), e a todas as fofas que compareceram ao evento, coroando mais uma vez a Parada Gay de Vila Velha como uma das melhores do estado.

Só quero ver como Vitorinha (dia 2 de dezembro) vai bater de frente com essa parada, vamos acompanhar…

Tirou foto com a plaquinha e não sabe onde encontrá-la? Clique AQUI e procure por você 🙂

AVISO: Se qualquer pessoa que teve seu nome citado ou imagem postada aqui tenha se sentido ofendida, favor mandar um e-mail para max_babadocerto@hotmail.com e solicitar a retirada da imagem/comentário. Não temos a intenção de denegrir a imagem de ninguém.

Cobertura do Top Drag 2012


Rá, viados! O que foi a Cheeca ontem no Top Drag?!

Tinha tanta gente, mas tanta gente, naquele lugar, que se você tentasse dançar Beyoncé, dublando e abrindo os braços, corria o perigo de matar uns 5 viados de traumatismo craniano. Na moral, nunca vi aquele lugar tão cheio desde o Especial Whitney Houston, no começo do ano.

Os shows estavam maravilhosos, as produções impecáveis e o nível da disputa bastante elevado. Então vamos comentar um por um?

Mas antes… em nome de G-zuis, você, bee que SEMPRE caga no banheiro feminino: Dá pra me fazer o grande favor de fazer a chuca antes de sair de casa? Toda semana alguém interdita aquele banheiro, não aguento mais!

Sviper:

I'm gonna eat youSviper tava uma mistura de Hannibal, Sharon Needles e Papa-léguas. Juro que quando cheguei no camarim pra falar com a Chica (que diga-se de passagem estava deitada num divã de pernas pra cima) dei de cara com ela se montando e quase tive um filho pelo cu com aquela maquiagem em HD TV.

O show foi belíssimo, o bate-cabelo sem nenhum defeito e, até então, jurava que ela seria a queridinha pro título. Aliás, antes de sentar na mesa do júri, fiz uma pesquisa de campo com as bee’s fumantes e todas diziam que ela seria a vencedora, devido a qualidade da performance, que realmente foi impecável.

Em falar nisso, nada melhor pra fazer amizade com as fumantes que sair de casa sem isqueiro. A gente pega um cigarro, mexe nos bolsos, finge que tá procurando pelo isqueiro, avista a primeira gay fumando, pede fogo e ali já começa um papo como quem não quer nada… nessa brincadeira fumei uns dois maços de Hollywood vermelho.

Nick Strauffer:

Jujubeeandoãm

Nick tava magia e sedução, meio Jujubee, meio Miranda Priestly. Chegou de picumã armado, tirou o picumã, depois tirou o gorro e ainda TINHA OUTRO CABELO EMBAIXO! Não entendo como elas conseguem trucar tanta peruca uma embaixo da outra, gentchy!

O show foi bonito, a dublagem estava sincronizada, o bate-cabelo OK. Inclusive, as caras que ela fazia realmente mostravam que ela sabia o que a letra queria dizer, e vocês sabem que eu sou uó com esses pequenos detalhes da dublagem, não admito drag que fica mascando chiclete em cima do palco. Dá vontade de jogar um panfleto do CCAA na cara delãns.

Mas o que mais me marcou foi o corpete vermelho, que me lembrou de uma vez que me montei…

E eu achando que tava bááásicãm.

Allanna Strauffer:

São da mesma família ou é impressão minha? Que lindo, a família inteira competindo no mesmo evento, tipo aqueles Quizz entre famílias que tinha no SBT.

Mas essa foi do caralho, ela tava fazendo Cosplay do Vingador da Caverna do Dragão! Assim que ela adentrou o palco, a energia foi tão intensa que uns 3 viados macumbeiros arrebataram na pista.

Não precisa nem dizer que o show foi lindo, né? E AI DE QUEM DISSESSE que não, diante de toda aquela pedraria, peles, chifres e bate-cabelo nervoso.

Bee’s! Ela dava umas rodadas tão rápidas que eu juro que se ela continuasse naquela velocidade, em poucos minutos acabaria abrindo um daqueles portais que levam as crianças da Caverna do Dragão pra casa.

Rayssa Sheiffer:

Úvula 100%

Dessa eu gostei DEMAIS da maquiagem! Ela fez uns desenhos em volta dos olhos e da sobrancelha que, junto com a roupa  super sensual de zebrinha, dava a impressão que ela era uma versão moderna high fashion daquelas deusas africanas… ou da Ororo do desenho dos X-men antes de ficar de cabelo branco.

O bate-cabelo tava luxo, mas pecou um pouco na dublagem. O que foi perdoável, gente, a música que ela pegou era tão rápida e difícil de dublar que se ela conseguisse fazer todos os movimentos da boca, aposto que a boca dela pularia da cara e pediria greve pelo trabalho compulsório.

Khyra Thammer:

Ganhei, garáleoããããm!

Agora, A VENCEDORA! E merecido, bee’s! Isso serviu, inclusive, pra dobrar a língua de quem diz que o concurso é máfia. Juro pra vocês que em momento algum fui ludibriado a votar em nenhuma das candidatas, não me influenciaram antes e nem durante da votação. Aliás, antes do show eu NEM sabia quem era essa Khyra… mas quando ela entrou…

Puta que me pariu, eu pensei que fossem derrubar a Chica Chiclete. Vocês já viajaram de Transcol pros confins de Viana em semana de Carnaval? Não?

Pois façam isso, esperem os funkeiros começarem a cantar dentro do ônibus. Eles vão bater nas paredes, cadeiras, chão, teto e até em você; a sensação é de que o ônibus vai virar! Imagine isso dentro da Chica?

Eu adorei a energia, mas confesso que saí de lá com 30% da minha audição comprometida, depois daquela gritaria… já posso mandar a intimação processando o estabelecimentoãm?

Leona Kiss:

Foi a última candidata, e nem por isso menos importante. Se bem que depois do furacão Khyra ficou complicado pra ela causar a mesma sensação na platéia.

A produção estava elaboradíssima, a dublagem flawless, mas, infelizmente, o bate-cabelo não convenceu. Foi bem devagar, às vezes fora de ritmo, mas nada que ela não possa aprimorar pra voltar no ano que vem quebrando tudo!

Sobre ela ser plus size, fiquei muito triste com os comentários preconceituosos que ouvi das gays na pista. O concurso não é de Miss Espírito Santo e não preza só pela magreza e perfeição do corpo das candidatas.  O vale ali é o talento, a dublagem, a produção, e isso ninguém poderia dizer que ela não tinha. Me decepcionei com as senhoras, humpf.

Por fim, o show seguiu com as já conhecidas Jéssica Telles, Mikaella e Rysllen. Que botaram a boate abaixo, como de costume.

Agradecimentos ao site LGBT-ES pelas fotos cedidas, ao produtor do Top Drag, Magno Procter, ao Renan Rilton e às fofinhas que me receberam muito bem na casa.

p.s.: Essa postagem é de humor satírico e irônico, caso qualquer uma das drag citadas aqui se sinta ofendida com qualquer piada, basta entrar em contato comigo pelo e-mail max_babadocerto@hotmail.com, que retirarei o que incomoda, okay? Mas espero que entendam que é apenas humor.

Cobertura Parada Gay de Vila Velha


Só consigo olhar pro cachamel ali embaixo

Bee’s! Essa parada quebrou o caralho todo! E não foi só porque citaram o nome do Babado Certo 682 vezes em cima do trio não (se bem que isso acariciou meu ego a tarde toda), a organização estava perfeita (diga-se de passagem, parabéns aos organizadores Renan Rilton e Ana da Band), a chuva não atrapalhou quase nada, a polícia muito atenta durante todo o evento e, finalmente, fecharam as caixas de Pandora e esconderam os monstros que estavam circulando na parada de Jacaraípe… Tá, que um ou outro escapava, mas aí a gente fingia que tava ainda na vibe Halloween e curtia o rock numa boa… ou atirava na cabeça, senão não morre.

Cheguei por volta de 16 horas, fui a pé porque moro ali pertinho, dei um beijo nas várias bee’s que vieram falar comigo, até que uma passa por mim e joga a seguinte bomba: “Gata, olha o vestido da Chica, ela tá parecendo a maçã da Tentação do Silvio Santos!”.

Porrãm! No momento que eu estava bebendo minha cerveja, óbvio que eu cuspi tudo e cai no chão de rir. Lembrando que eu nem acho isso, gente, só ri porque a lembrança de algo tão antigo me pegou de surpresa. Olhem e comparem vocês mesmas:

Não vi semelhança nenhuma, vocês é que são malditas.

Enfim, comecei a beber um cachamel, outro cachamel, um shot de big apple nos peitos de uma racha, um copo de Cantina das Trevas, tudo ao mesmo tempo! Juro que era tanta coisa que enfiavam na minha boca que eu me senti num pornô de Gang Bang, sabem? Daqueles que tem um monte de negão e só um branquinho no meio. hahaha

Resultado, fiquei louca do meu koo, a parada terminou e foram todas pro Platinum, babado e confusão na frente do Platinum e gritaria no Baile Funk que se formou do outro lado da Avenida, tipo aquele filme Gangues de Nova York, que dois grupos rivais vivem muito perto e vira e mexe rolam uns porradeiros na praça central.

Ali fiquei por um tempo e fui embora, já tinha dado pra mim.

Em resumo, na parada teve gente bonita:

Teve gente simpática:

Teve Gogoboy com um vidro de Rexona Teens na cueca:

E teve a Lola Batalhão captada no momento exato de se alimentar da sua última vítima pra finalmente digievoluir:

Agradecimento ao site LGBT-ES pelas fotos. Quer ver todas? Clique AQUI.

Conte-nos seu carnaval!


O carnaval celebra a quebra da ordem, da lógica do poder da maioria. Tudo é botado de cabeça pra baixo: os poderosos virão alvo de risada, velho vira criança, a mulher vira homem, o homem vira mulher, travesti! Plumas, paetês, brilho, montação. Xoxação. PEGAÇÃO! Tem festa mais gay que o carnaval, gente?

Ano passado, junto com nossos leitores fizemos uma cobertura babadeira do carnaval capixaba. Simplesmente cada um veio e contou sua experiencia de carnaval. Lembram? Tá aqui e aqui. Dessa forma, conseguimos estar onipresentes em vários blocos, festinhas e arruaças deste estado e de outros.

Este ano a proposta é repetirmos o modelo: vão, se joguem, sambem na cara das carudas, façam pegação, enfim, divirtam-se e depois, enquanto curtem uma ressaca babadeira na quarta-feira de cinzas, contem tudo o que viveram aqui mesmo neste post ou mandem textos, fotos e vídeos pro meu e-mail: el_de_seo@hotmail.com. Depois vamos organizar tudo num post!

Aproveitem o feriadão, monas, que nós vamos fazer o mesmo, aqui vai ficar num clima de recesso. E usem camisinhas, suas danadas.

Sobre o TOP DRAG 2010


Passada mais de uma semana do concurso de drag que parou a capital do Espírito Santo (aloka!), finalmente publico a cobertura comentada do que aconteceu no Top Drag 2010.

Fiz uma edição dos melhores momentos de todas as candidatas para aquelas que não foram, ou, mesmo pr’aquelas mais baixinhas e que ficaram lá atrás e não conseguiram enxergar muito bem, assistam:

No sábado, dia do concurso, eu e meu coiso lindo começamos a beber cedo e quando deu 22h já estávamos cagados. O que fizemos: fomos dormir, colocamos o relógio para despertar as 2h30 (pois os shows na Chica costumam iniciar por volta 3h20) e fomos quando já estava bem próximo do horário do concurso, totalmente renovados. No mundo real fazia frio e por isso colocamos um casaquinho. Bee, não tem esses lugares chamados de inferninho? Lá na Chica estava tão lotado, tão lotado, mas tão lotado que essa expressão poderia ser aplicada no caso quase que literalmente. E a debochada da Chica ainda começou o show dizendo que o calor não era ausência de ar-condicionado, era calor humano. Tá boua!

Aliás, a Chica arrasou na produção, estava be-lís-si-ma! Começou falando pouco e dando (calma!) a agenda dos próximos eventos que aconteceriam daqui pra frente, porém sem delongas anunciou o show de abertura da Top Drag 2009, Draken.

Draken decepcionou um pouco, pois fez a linha mulézinha dessa vez, mas manteve aquele ar de realeza. Bateu cabelo, esparcou. A roupa tinha um q de mestre de cerimônia. Como já era de se esperar da sua personalidade dificil, ao terminar o show, Draken munido do microfone fez inicialmente a humilde e disse que não era tão boa em bate-cabelo quanto Raysla Tempestade e Christinny Walker e depois gongou, em tom bastante provocativo, as participantes do ano anterior que segundo ele, diferente da sua pessoa, “precisavam das jóias de Ricardo Veira” para aparecer. Passado o basfond começou o concurso em si.

A primeira candidata foi Yohanna DeCanter que cometeu um dos maiores erros de todos que foi deixar a peeruca solta. A peruca de cima bambeava de tal maneira que ela deu o truque e tirou antes. Mas a gente percebeu, Yo! Que isso não volte a acontecer, tááá?! Logo em seguida veio Alice Sharman: sufriiida. Ela estava um pouquinho fora de forma e tinha pouca agilidade. A produ também esteve bem pobrinha.

A grande surpresa da noite foi, sem dúvida, a  candidata Ryslen. A drag apostou num visual com uma influência meio sadô, bem exótico, com três tufos de cabelo saindo de partes diferentes da cabeça. A performance também foi inovadora e não privilegiou o bate-cabelo (já que ficava difícil fazê-lo). Ryslen foi a primeira candidata a sair ovacionada com gritos de “Já ganhou!”. Um show a parte durante todas as apresentações eram as expressões de rosto da Chica e especialmente da top do ano anterior, a Draken. Ela fez uma cara de surpresa (sabe aquele beicinho?) com a apresentação da Ryslen, também denotando surpresa. Entretanto, riu gostoso e desvairadamente quando entrou a candidata seguinte, sua protegida, Christiny Walker.

Chrsitiny tinha toda a pressão sobre suas costas. No concurso anterior havia ficado em segundo lugar praticamente empatada com

Raysla Tempestade e era a grande promessa da noite. Ela não decepcionou, muito pelo contrário, mostrou que amadureceu e ganhou em qualidade. O show estava todo amarradinho e foi impecável ao mesmo tempo em que não deixou tornar-se óbvio. A apresentação começou com a candidata usando um traje

todo em imitação “couro” com dois grandes chifres espirais na mesma cor e material. A roupa de baixo era bem ousada em tons de rosa e possuía o recurso

de uma faixa simulando um chicote. Na hora do bate-cabelo a própria música trazia o som do estalar de chicote e a drag enquanto girava fingia que chicoteava. Um luxo! No finalzão ela ainda deu close e lambeu o dedo de forma bem lasciva. Eu que acompanhei a primeira apresentação de Christiny vi como ela

amadureceu e evoluiu como artista e por isso acho que ela está de parabéns pelo feito. Fiquei surpreso ao saber que Raysla Tempestade seria a próxima candidata. Ou seja, Christiny haveria sim de ter uma candidata a altura. Mas para posterior decepção o show de Raysla foi só um “para constar”, sem grandes surpresas ou emoções. Não que tenha sido ruim,  mas foi básico demais. No final ficamos sabendo que até pouquíssimo tempo ele estava engessada e com os movimentos prejudicados e isso a impediu de se preparar melhor o que foi uma pena, pois quem foi no concurso anterior (no qual venceu) sabe da enorme capacidade que tem.

A última candidata deve uma idéia ge-ni-al, mas que não soube usar, a truqueira implantou uma peruca no ombro, ou seja, quando ela batesse o cabelo ia dar um efeito MARA. Mas ela nem usou dessa forma, uó!

De qualquer forma, achei o concurso muito bom esse ano com um nível alto das concorrentes. Acho que nosso estado cada

vez mais se mostra um celeiro de talentos de top drags e muito a isso se deve a esses concursos que sempre possibilitam a descoberta de novos talentos. Arrasa, Chica!