Mostra de filmes LGBT de graça na Ufes!


ES_cineclubeO ES Cineclube Diversidade completa um ano e realiza a 1ª Mostra ES Cineclube Diversidade. A mostra vai ocorrer nos dias 29, 30, 31 de maio, no Cineclube Metropolis, e termina com exibição de filmes no dia 1º de junho, durante a realização do Piquenique das Cores, na Parque Pedra da Cebola, Vitória. A entrada é gratuita.

Os objetivos do evento, que conta com a parceria da Secretaria de Cultura da Ufes e patrocínio do Funcultura, da Secretaria de Estado da Cultura (Secult/ES), são ocupar o Cine Metropolis e promover o acesso à produção audiovisual sobre o tema da diversidade sexual. Também visa criar um espaço para o encontro [presencial] do público e o debate em relação aos temas LGBTT-s.

filme1Além da exibição de produções cinematográficas do Estado e nacionais, serão realizados dois bate-papos com a participação de cineastas, militantes, representantes de ONGs, cineclubes e do governo estadual. O primeiro encontro será no dia 29 (quinta-feira), com o tema “A construção de políticas públicas para a diversidade sexual”. Já no dia 30 (sexta-feira), estará em foco o tema “Produção audiovisual sobre diversidade sexual”.

filme2No último dia (1º de junho, domingo), o ES Cineclube Diversidade une-se ao Grupo Cores –Consciência, Orgulho e Respeito no Espírito Santo, que realizará o 12º Piquenique das Cores, no Parque Pedra da Cebola, Vitória. Cerca de 300 pessoas são esperadas para uma tarde de vivência, rodas de conversa, trocas solidárias, arrecadação de alimentos para doação, além da exibição de três curtas-metragens ao ar livre, encerrando a mostra do cineclube.

Vai ser babado, tanto a mostra com um monte de filme bacana quanto as gays, as sapas, as trans e etc. tudo juntas e misturas. Ah, e dia 29 eu mediarei o debate depois do filme!!!

Para a programação e outras informações tem a página do evento no Facebook bem AQUI.

CAMPANHA – “Queremos ver UM ESTRANHO NO LAGO no Cine Jardins”


Cata a história:

“Em pleno verão, um lago é usado como praia nudista por vários homens homossexuais. Eles sentem-se à vontade no local e usam o bosque ao lado do lago para ter relações sexuais. Um dos frequentadores mais assíduos é Franck (Pierre Deladonchamps), que um dia faz amizade com Henri (Patrick d’Assumção), um homem solitário que vai ao lago em busca de paz, sem ter qualquer interesse em outros homens. Com o desenrolar dos dias e as conversas constantes, eles se tornam amigos. Só que Franck se apaixona por Michel (Christophe Paou), um novato no lago, sem saber que ele é uma pessoa perigosa.”

Essa é a sinopse do filme “Um Estranho no Lago”, filme francês dirigido por Alain Guiraudie e SIM, nós queremos muito ver ele nas telonas e no escurinho do cinema. Por isso, estamos organizando um movimento para pedir/implorar/obrigar que esse filme venha a Vitorinha, que, como sabemos, tem pouquíssimos espaços para exibição de filmes e menos ainda com essa delícia de temática. Ou seja, é entretenimento, mas também é político!!!

Assista ao trailer:

Quer participar e apoiar essa campanha do bem? É pelo Facebook, é só clicar aqui e participar!

ES Cineclube Diversidade, com participação do Dé do Babado Certo


reviravolta

Dentro da #2 Reviravolta Coletiva, acontecerá uma sessão do ES Cineclube Diversidade. A sessão acontece hoje (24/10), a partir das 19h30, no Titanic, na Praça Duque de Caxias no Centro de Vila Velha. Serão exibidos os curtas metragens ” Da Alegria, do Mar e de Outras Histórias”,  “Novembro Paralelo” e “Depois do Almoço”. Depois dos filmes acontecerá um bate-papo comigo, Dé, com o Luiz Claudio Kleiam, ativista dos direitos LGBT e membro dos grupos Plur@l e Gepss, e com o público presente. Confira as sinopses:

Da Alegria, do Mar e de Outras Histórias
Direção: Ceci Alves. Ano: 2012. Duração: 14min
Sinopse: O filme é livremente inspirado na história real dos travestis baianos Júnior da Silva Lago, 22 anos, a “Luana”, assassinado covardemente por policiais militares, e do sobrevivente da barbárie, Jocimar Oliveira do Carmo, a “Joice”.

Novembro Paralelo
Direção: Ivan Monteiro. Ano: 2011. Duração 12 min
Sinopse: Em 14 de novembro de 2010 um ato de intolerância chocou o Brasil, porém em novembro de um 2010 alternativo, na manhã daquele fatídico domingo os acontecimentos tomaram um rumo diferente.

Depois do Almoço
Direção: Rodrigo Diaz Diaz. Ano: 2010. Duração 13 min
Sinopse: Seria um típico almoço de domingo entre amigos: maridos entretidos com o futebol, pequenas discussões com os filhos, esposas levemente alteradas. Até que alguns segredinhos são revelados, entre eles um sonho erótico capaz de mudar o rumo dessa prosa.

Aguardo tod@s lá!

Serviço:

ES CINECLUBE DIVERSIDADE (#@ Reviravolta Cultural)
Local: Titanic, Praça Duque de Caxias, Vila Velha
Dia: 24/10/2013 (quinta-feira) – Horário: 19:30

Saiu o trailer “Meninos do Arco-Íris”


Está para ser lançado o aguardado filme capixaba com temática LGBT, “Meninos do Arco-Íris”, dirigido pelo meu amigo Herbert Bastos. Veja:

Meninos do Arco_íris

Clique sobre a imagem para assistir ao trailer.

Sinopse: Anita é uma menina que mora numa ilha repleta de passagens para mundos secretos. Ao encontrar a porta que a levará ao Arco Iris, universo mágico habitado por sete seres encantados, Anita finalmente realizará seu desejo de se transformar em menino.

O filme é um documentário de 23 minutos e como vocês podem supor a ilha mágica é Vitória, com seu “universo habitado por seres encantados”. Pelas imagens já deu para conferir que o filme está lindíssimo e parece estar bem interessante. E as participações especiais? Royce Luckessy, Labelle, Déborah Sabará, Markus Konka, Jurandi Gusmão,  Sabryna Borges e Thaylan Zanon Tolentino.

Promete, hein?

Meninos do Arco_íris

Aproveitem e curtam a página do filme para ficarem antenados com todas as novidades sobre a produção.

3ª Exibição do ES Cineclube da Diversidade


Sexta agora (12), acontecerá mais uma edição do ES Cineclube da Diversidade, projeto de exibição de filmes e vídeos com temática voltada para a diversidade sexual.

cine gay es

Veja a programação desta edição:

19h20: Desvelo

De Clarissa Rebouças. Ano: 2012. Duração: 15’10”, Salvador.

Sinopse: Luzia se apaixona por Léo, mas para viver esse amor precisa fugir da cidade em que vive e do ciúmes de seu ex namorado, Diogo . Durante o caminho, o casal passa por aventuras onde Luzia descobre a verdadeira identidade de Léo e conhece o amor.

19h40 – Transophia

De Ivan Ribeiro. Ano: 2013, Duração: 17′, São Paulo.

Sinopse: Gisele Almodóvar (Silvero Pereira) e Deydianne Piaf (Dênis Lacerda) filosofam sobre seus anseios e medos enquanto trabalham prostituindo-se nas ruas de São Paulo onde a noite é imprevisível, cheia de mistérios e seres interessantes.

20h – Da Alegria, do Mar e de Outras Histórias.

De Ceci Alves. Ano: 2012. Duração: 14′, Salvador.

Sinopse: O filme é livremente inspirado na história real dos travestis baianos Júnior da Silva Lago, 22 anos, a ‘Luana’, assassinado covardemente por policiais militares, e do sobrevivente da barbárie, Jocimar Oliveira do Carmo, a ‘Joice’.

Mais informações na página do evento no Facebook (confirme presença).

SERVIÇO

O que? 3ª Exibição do ES Cineclube da Diversidade.
Quando? Amanhã, sexta-feira, 12 de julho de 2013, a partir das 19 horas.
Onde? Academia de Letras Humberto de Campos (Rua 23 de Maio, 83 – Prainha, Vila Velha)
Quanto? DE GRAÇA!

“Flores Raras” conta a história entre Bishop e Lota


O Brasileiro Bruno Barreto está adaptando para o cinema a história de amor entre a poeta americana Elizabeth Bishop com a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares, ocorrida entre os anos 50 e 60. O relacionamento intenso e conturbado será contado de maneira forte e delicada no filme “Flores Raras”, baseado no livro de Carmem Lucia de Oliveira.

Veja em matéria do Globo News:

Globo News

Entenda um pouco sobre a história de amor entre a poeta e a arquiteta por trechos do relato do escritor americano Michael Sledge feito para a revista Bravo:

… senti-me compelido pela história pessoal da poeta e pelo seu grande amor pela ardente Lota de Macedo Soares. Os primeiros anos da vida de Elizabeth foram dolorosamente solitários – fugindo de uma infância órfã e desolada e em constante luta contra o alcoolismo, sua vida privada era um problema mesmo quando a sua poesia começou a atrair a atenção da crítica. Duas semanas após sua chegada ao Rio, Elizabeth correu com Lota para a casa que esta construía fora da cidade, encravada nas montanhas de Petrópolis. Na década seguinte, as duas viveram em um paraíso doméstico. Elizabeth começava o que provavelmente foi a fase mais produtiva de sua carreira como escritora, que acabou lhe dando o prêmio Pulitzer.

Bishop e LotaEntretanto, para quem não sabe o caso das duas termina de forma trágica, com o suicídio da brasileira. Porém a questão, segundo as críticas, é tratada de forma potente na película, Luciano Trigo escreveu:

O significado das vidas de Elizabeth Bishop e Lota de Macedo Soares não está no relacionamento intenso mas infeliz que tiveram. Cada qual em sua área, ambas foram responsáveis por importantes realizações. Em tempos de exaltação militante da homossexualidade, não deixa de ser um mérito que o filme ‘Flores raras’ evite a armadilha de exaltar o amor homoerótico como a experiência redentora que leva dá sentido á existência e leva à felicidade. Ao contrário: ele mostra que o amor, independente do gênero, pode ser uma força destrutiva e desestabilizadora. A arte de Bishop foi transformar essa força em poesia, em versos que sempre sublinham seu mal-estar existencial e seu permanente sentimento de ser uma estrangeira em qualquer parte. Foram pouco mais de 70 poemas publicados em vida, suficientes para consagrá-la como uma das principais poetas de língua inglesa do século 20.

Deu vontade de ver, né? Segue um trechinho pra deixar com mais água na boca:

A estreia está prevista para 16 de agosto deste ano.

Aos pedidos do leitor Hiago de Carvalho.

Dica de Cinema: In the Flesh


Nossa, faz mais de 2 anos que não dou uma dica de alguma série ou filmes pras senhoras assistirem, não é? Acho que o último que falei foi sobre o documentário das Bombadeiras, que nem poderia ser colocado numa categoria de filme legal pra assistir com a família.

Imagine só sua mãe vendo aquelas cenas, hahaha, não.

A dica é sobre um seriado de zumbi. CALMA VIADO, não pense que é mais um série dessas de matança e gente comendo gente. Cata o poster:

562567_605226932840344_1232768240_n

A série tem uma vibe super pós-apocalíptica e conta a história de um planeta que sofreu com o apocalipse zumbi, mas conseguiu se recuperar e hoje tem uma medicação capaz de controlar os impulsos dos chamados portadores da “Síndrome dos Parcialmente Falecidos”.

Tá, Max, mas o quê isso tem a ver com as beeshas?

tumblr_m6f85aCLBF1qjv5iyo1_500TUDO! O momento da inserção dos ex-zumbis na sociedade é marcado por muita dificuldade de aceitação, muito Cristianismo cagando regra e encontrando no livro sagrado deles passagens que justificam seus preconceitos (e também passagens que exaltam os zumbis, pra você ver a complacência da delícia) e todo um drama de “se assumir” zumbi num mundo de vivos.

Lógico que eu na hora fiz uma correlação com os portadores de HIV da década de 80, que sofriam rejeição da sociedade e dos próprios médicos, que por não conhecerem a doença, não tocavam nos pacientes e os mantinham em quarentena (vocês vão observar demais essa crítica à quarentena).

Não vou falar mais nada não, senão vou dar spoiler. Desligue esse Xvideos por uns minutinhos, assista os vídeos abaixo e me conte o que achou (Sim, a série completa só tem três episódios):

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=XKkcnt1e118] [youtube http://www.youtube.com/watch?v=m1GG45LxW0A] [youtube http://www.youtube.com/watch?v=rlS-8epe1yM]

Todo mundo se matou de chorar ou foi só eu?

Dica do Dave