Eu sou hétero, mas deixo você chupar


tumblr_mkxhgv8u961r539hzo1_500

E a beesha prontamente ajoelha, chupa e sai do cantinho realizada contando pra todas as amigas da mesa sobre o boy que ela “fez”.

Fez?

Como se dá esse processo? Por que gays passivos/versáteis tendem a se submeter a esse tipo de relação ‘sem troca’, só pelo prazer em fazer sexo oral?

Ontem no Gepss discutimos um texto de Michel Foucault que falava sobre um filme japonês que havia sofrido censura na França, por conter imagens pesadíssimas de coprofagia, castração e sanduíche de buceta, e a castração acontece porque a personagem acha que o homem não é digno de ter um pênis, pois não sabia se beneficiar do prazer que ele oferecia (pense na loucura hahaha).

Enfim, numa das passagens, ele diz:

“Para os franceses (e aí eu, Max, incluo aqui todo o Ocidente, já que a cultura europeia é a base das outras culturas ocidentais), o sexo do homem é literalmente atributo do homem: os homens se identificam com seu sexo, e mantém relações absolutamente privilegiadas com ele.

Assim, as mulheres se beneficiam do sexo masculino unicamente em que esse direito lhe é concedido pelos homens, seja porque eles o emprestam ou porque o impõem a elas: Daí a ideia de que o gozo masculino está em primeiro plnano e de que ele é essencial”

GÊNIO!

Como as relações homossexuais, na maioria das vezes, são uma cópia da dinâmica heterossexual, vamos observar essa relação de “beneficiador” e “beneficiado” entre o ativo e o passivo, ou entre o hétero e a beesha que ajoelha e chupa sem receber nem um afago.

Aliás, não se enganem achando que isso é um resultado da falta de ativos, muitas MESMO com um peguete marcado chupariam um hétero São Sebastião se ele aparecesse no meio do caminho.

tumblr_mkd1d1jJgq1qdlh1io1_r1_250

Inclusive, me lembro de um comentário antigo que uma gay postou aqui no blog. Ela disse que estava no terminal esperando para se encontrar com o peguete, mas apareceu um cobrador de pau duro perto dela e, num rompante, ela foi capaz de fazer o cobrador gozar ANTES de pegar o próximo Transcol.

Se não é falta de ativo, então é o quê?

Exatamente o que falou Foucault: não é preciso que o passivo ou a mulher sintam prazer físico numa relação com um homem para que seja considerado sexo, importa é que esse homem goze e, como resultado, inicie e finalize o sexo.

Afinal, se o pau descer acabou a trepada, certo? Mas não deveria ser assim…

Agora eu como você, amor

Agora eu como você, amor

Entre as mulheres isso se dá de forma diferente, devido ao sexismo influenciar bastante a vida sexual delas, mas com as beeshas, que também são homens e se beneficiam da liberdade sexual masculina, é clara a superioridade e a importância do gozo do ativo sobre o gozo do passivo.

Sim, importância também! Quantas de vocês já ouviram amigas contando que treparam, não gozaram, mas mesmo assim o sexo foi maravilhoso? Você não vê um ativo dizendo que uma beesha larga o suficiente pra não fazê-lo gozar tenha sido um bom sexo. E por que não fala?

Porque a relação gay, no auge da sua heteronormatividade, não considera completo o sexo que não termina com o penetrador ejaculando, mas considera sexo (e satisfatório) aquele em que só esse penetrador ejacula.

tumblr_mxgx8j3fav1rjxoico1_400

Tá na hora de vocês pararem de retroalimentar esses caras, meus amores, já passou da hora!

Sim... :'(

Sim… 😥

Exijam prazer recíproco, nem que seja um afago na sua cabeça, ou qualquer coisa além da famigerada mãozinha atrás do pescoço para evitar contato físico e não ferir a sua “heterossexualidade”.

Porra não é agradecimento.

Cunete está permitido!

ATENÇÃO! Cunete está permitido!

Guest Post: Você sabe o que é Gouinage?


pimentaOntem falei sobre a importância do sexo na vida das pessoas. A discussão foi gostosíssima nos comentários do blog e no Facebook.

Entretanto, um leitor me mandou um e-mail interessante sobre um subgrupo que eu não fazia ideia da existência: Os Gouine.

Não sabe o que é? Nem eu, então vamos deixar que o B., gouine confesso, nos ensine:

Hora de aprender!

Hora de aprender!

manual+preliminares+preco+promocional+aproveite+tamarana+pr+brasil__7554F1_2Querido Max venho através deste e-mail parabenizar seu trabalho e dedicação ao blog, sou seu fã e me divirto e me informo muito com suas postagens.

No post “Qual a importância do sexo na sua vida?” você como sempre deu show, mas não mencionou a galera que é Gouine. Eu sou gouine e sofro preconceito, porque no mundo sexual gay você tem que ser ativo, passivo ou versátil, e nós gouines não curtimos nenhum tipo de penetração.

amor_005_preliminares_tiras3Curtimos o que a maioria chama de “preliminar”: são os beijos, amassos, oral, carícias, lambidas, que se alternam ate o ápice final, o orgasmos. É muito prazeroso e não precisa desempenhar nenhum tipo  de papel (ativo ou passivo), basta ser você mesmo e curtir o corpo do parceiro. Inclusive, eu acredito que nós gouines somos mais carinhosos e priorizamos o prazer com carícias, beijos,  toques e etc, além de poder se relacionar com todo tipo de pessoa.

Para me relacionar sexualmente eu digo que só curto preliminares, porque não conheço mais nenhum gouine aqui do ES.

gouSó queria que você divulgasse o que vem a ser gouinage, tenho certeza que muitos dos seus leitores são como eu, e para se adequar ou se relacionar se camuflam ou se moldam como a maioria.

Por falta de informação e conhecimento do meu caso, até pouco tempo nem eu sabia que o que eu era tinha nome e muito menos praticantes. No Facebook e no extinto Orkut têm páginas que tratam do assunto, na internet tem alguns blogs que abordam e explicam o que é ser gouine.

“Não sei para vocês do grupo, mas para mim foi complicado entender o que realmente era, sabia que não era hétero, porque sentia atração por garotos e corpos masculinos, então tive uma identidade: eu era gay.

Mas ao chegar no mundo gay, não me enquadrei em nenhum posicionamento sexual praticado por eles, pois não era passivo, ativo e nem versátil, por um momento achei que era assexuado, mas isso logo caiu por terra porque sentia desejo sexual, libido, tinha ereção e me masturbava.

Comecei a pesquisar na net e descobri que não era único na terra, era gouine. Mas até hoje só conheci e namorei um cara que era igual a mim, há um tempo terminamos e eu continuo buscando alguém para dividir minha vida e ser parceiro no sentido literal da palavra. Enquanto isso não acontece, me relaciono dizendo que só curto as preliminares. Mas namorar fica complicado, pois a maioria quer penetração.”

E alguns links que gostaria que você divulgasse:
http://baphaoqueer.blogspot.com.br/2011/12/gouine-sexo-sem-penetracao-voce-curte.html

http://www.homorrealidade.com.br/2011/05/onda-gouinage-gays-que-preferem-outra.html

Desde já agradeço o seu carinho e tempo dedicados a nos gays capixabas, super beijo!

Comentários do Max: Tudo isso é, no mínimo, curioso. Uma vez saí com um rapaz que veio com essa história de só gostar de preliminares.

Achei aquilo muito estranho, confesso que não compreendi e até me senti incomodado, pensando que ele não estava satisfeito com meu corpo, por mais que ele fosse o parceiro que mais me tocou em toda a história da minha vida sexual.

Tenho certeza que alguns de vocês já passaram por essa situação, por isso, em vez de gritar pros quatro ventos: “Como assim você não quer sexo? Pessoas matariam pra colocar o pinto dentro deste corpo delicioso, bêu abor”, procurem conversar com essas pessoas sobre o tema acima.

body ody ody ody

body ody ody ody

Quem sabe você não ajuda uma alma perdida que não conhece o termo, e de quebra consegue um lugarzinho no Limbo?

Sim, no Limbo, porque no céu beesha não entra nem com nome na lista.

p.s.: Existe um grupo Gouine no Facebook, clique AQUI para entrar.

Bizarro onde, gente?!


Cata a notícia que saiu no Planeta Bizarro:

Bizarro? O que há de prejudicial em fazer um agrado de tão boas intenções como esse?

Eu, por exemplo, AMO fazer sexo oral nos meus peguetes enquanto eles dormem, o que tem de anormal nisso?!

E continua:

Rá! O primeiro caso é bizarro mesmo, tipo uma fada-do-dente dos boquetes, te chupa e deixa fintchy reais no seu travesseiro.

Agora, o segundo, “fez boquete após uma noite de festa”… aham, sei… buraqueiro bêbado, moralista sóbrio.

Enfim, eu acho que reclamar que alguém fez boquete enquanto você dormia é o mesmo que reclamar que passaram sua roupa enquanto você tomava banho. É um favor! ♥

Bizarro é isso:

Antes que as defensoras dos Direitos Humanos venham me apedrejar: Esse texto é de cunho humorístico, eu nem o Babado Certo apoiamos a ideia de abuso sexual, seja ele de qualquer tipo.

Dica da Looh, via Planeta Bizarro