Tudo mentchyra, garáleo!


Atenção:  Apesar das fotos serem de domínio público, quaisquer envolvidos na postagem que se sentirem ofendidos por qualquer piada escrita aqui, basta enviar um e-mail para max_babadocerto@hotmail.com, que a postagem específica será retirada. Nossa intenção é somente a de fazer humor, mas é claro, com quem está disposto a rir.

Cata o que saiu no G1 sobre o Carone de Jardim da Penha, dia 17. Sim, eu esqueci de postar e já virou Old, apedrejem-me por isso.

Já começaram errado, qual capixaba usa a expressão “Ponto do Rock”? Mas nada se compara ao casal ter se conhecido na Seção de Frios, vamos descobrir porquê?

O casamento do Chão Frio com o Vento Sul

Com essas carinhas lindas não poderíamos esperar que eles tivessem se conhecido na seção de comidas exóticas e condimentadas, néam? Aposto que ela tava comprando champignons e ele aquelas salsichinhas vermelhas pra comer vendo jogo na animação do seu apartamenzzzzzzzZZZZZzzzzZzz…

Enfim, vamos à matéria:

Ai, gente, mas elas não têm nem vergonha na cara, néam? Abastecendo geladeira pro final de semana? Esbarram nos corredores de carne e bebidas? Fazem pegação?

Tudo mentchyra, elas vão mesmo é pra comprar Roskoff e Cantina das Trevas pra beber na Ufes! Eu mesma compro isso todo fim de semana e sei que se não chegar cedo as Cantinas acabam, as Roskoffs também, e só sobra vinho Canecão e vodca Balalaika.

Agora me diz: QUEM precisa abastecer a geladeira de bebida pro fim de semana? Por um acaso os supermercados não abrem no sábado? É o medo de algum apocalipse zumbi?

Nada disso, bebês, PUUURA MÁFIA pra não dizer que vai pra Ufes fumar orégano! Vejam vocês mesmos:

Ninguém diz!

Aí esses dois aí de cima disseram assim:

‘Ver o movimento e descobrir o que vão fazer’, quanta inocência do repórter em publicar isso. Ninguém tem tempo pra ficar bostando no supermercado atrás de rock e Vitória nem é tão grande assim pra precisar ir num local pra saber o que tem na cidade. Quem vê até pensa que é tipo aquelas ruas de Las Vegas, cheias de cassinos e opções.

Essas pessoas que ficam paradas no supermercado são as menores de idade que não conseguiram completar o combo Natasha + passagem de volta, e ficam lá pedindo moedas pros transeuntes, eu mesmo já fui abordada por eles, com seus olhos mal-maquiados e cheiro de Kriska Jeans, da Natura.

Mas aí vem a parte mais sensual da reportagem, as “bonitas” sobre as quais se comenta tanto no texto:

A da esquerda é idêntica à Edinéia Macedo

Então tá, mas pode saber que seu pão-de-alho vai ficar uma porcaria comprando o pão no dia anterior. Aliás, eu tenho até medo do estrago intestinal capaz de causar um churrasco que só tem Big Apple, Orloff, pão-de-alho e linguiça Toscana.

Segundo o repórter, Edinéia Macedo e sua amiga ‘figuram’ (jura que essa gíria babaca pegou?) entre as bonitas do Carone, mas elas revelam:

Claro claro, porque, mais uma vez, todo mundo abastece o seu mini-bar pessoal na sexta à noite, especificamente.

Por fim, fiquei triste que ninguém abordou as garotas da chuva, uma pena, não foi dessa vez, Edinéia…

Fonte: G1.com

Utilidade Pública – Bar da Rosa


Tenho recebido muitas críticas em relação ao Bar da Rosa, situado em Coqueiral de Itaparica, ao lado do supermercado Carone, em Vila Velha. 5 CASAIS vieram até mim reclamando da retaliação da dona do bar diante de demonstrações de homoafetividade.

O Bar da Rosa existe desde quando eu era criança, acho até que desde quando a Lúcifer era criança, e sempre foi famoso por ser um bar GLS, entretanto, também sempre foi famoso por não permitir demonstração de homoafetividade. Aí você pergunta: “Mas por que, Max?”.

Então, o Bar da Rosa fica na esquina, é bastante exposto e susceptível a qualquer ataque homofóbico. Impedir demonstrações de afeto entre pessoas do mesmo sexo é uma maneira de evitar possíveis “acidentes”, ainda mais agora que Vitorinha foi considerada a capital mais homofóbica do país.

Entretanto, as pessoas que vieram me procurar não reclamaram disso, mas sim do modo como ela aborda os clientes quando acontece, segundo eles, “de maneira rude e arrogante, como se ela fosse uma autoridade”.

Okay, não é defendendo a Rosa ou sendo parcial, mas TODO MUNDO que vai lá SABE que não pode e SABE o motivo, então por que insistem?

Já é senso comum: A Rosa é um bar que se tornou 100% GLS a partir do momento que ela pintou o orelhão de rosa. As pessoas relacionavam o orelhão rosa à feminilidade, as gays achavam um luxo e fizeram dali um point. Mas no fim das contas ela só pintou por causa do nome do bar. Até porque seria loucura criar um bar gay na CARA da sociedade.

Então, galerinha, não arrumem confusão por causa disso. Tá com seu namorado? Quer beijar? Vá pra outro bar mais afastado, mesmo hétero, eles não vão ligar. Se quiser permanecer, beleza, você não vai morrer se ficar 2 horas sem dar um beijo no seu boy, néam? E entendam, ela tem que avisar A MESMA coisa pra dezenas de pessoas que, diariamente, não compreendem o motivo da proibição e cometem o erro, daí a arrogância. Nem todo mundo é educado como você e tudo que é demais, cansa e estressa.

P.S.: Lembrando que não estou dizendo que o motivo desmerece os danos morais causados pelo comportamento arrogante, a repressão continua sendo crime. Apenas estou tentando mostrar uma alternativa para evitar a situação.

UPDATE: Diante do descontentamento de alguns sobre a minha opinião em relação ao assunto, e eu sabia que isso ia acontecer, explicarei melhor o motivo:

Eu sei que vocês esperavam que eu esbravejasse contra a Rosa, mas vocês têm que entender que o Max não pode falar pelo nome do blog.

A minha opinião todo mundo já sabe, adoro um bafão, sei meus direitos de cor e não estou esperando à toa meu processo na justiça. Mas, como disse em resposta ao Jeanzudo nos comentários, não é a minha função finalizar discussões, mas sim propô-las. Ainda mais com o poder de influência que o Babado Certo tem, temos que tomar muito cuidado.

A PRÓPRIA situação é um paradoxo, afinal, é um bar gay que não pode beijar, já é confuso e ilógico a partir daí. Imagine escolher um lado.

E NÃO, não é questão de coleguismo, é questão da responsabilidade que eu tenho caso promova “motins” contra alguém.

Então, espero que agora tenham entendido, e leiam post mais de uma vez pra observar que eu tanto critico a rispidez da proprietária quanto tento explicar o porquê. A gente tem que ser advogado do diabo de vez em quando e, mesmo a contragosto, propor maneiras de apaziguar brigas que estão isoladas ao fato, mas possuem uma longa história de luta contra a homofobia que na hora de discutir ninguém se lembra.