CARNAVAL: a festa mais esperada da cidade!


"Vai começar, vengentchy!"

É ISSO AÍ COMUNIDADJEE BABADOCERTANA, VAMÔ NEEEEEEEESSA!!!

Gente, agora a porra ficou séria! Carnaval  tá aí na portinha – a senhora batendo a cabeça no teclado do sirviçú pra sexta chegar logo, sei como é, tô aqui também – e todas loka do bom koo querendo sair completamente endemoniadas pelas ruas de (DIGITE AQUI ONDE SERÁ SUA FOLIA) ao som de marchinhas, funks, sambas-enredo, bate-cabelo, meookoonamanteiga.

Mas calma, enquanto esses momentos de dias tão felizes – usem camisinhas, seus travestis – não chegam, tô aqui pra falar qeu esse ano faremos o nosso já tradicional post coletivo de carnaval.

"Vô lembrá de nada 'ssa porra... ic!"

Ou seja, todas as poucas lembranças da folia que restarem nesse seu cerebrozinho sambado (com trocadilho, please!) registre e traga pra nós. O objetivo é fazer um grande post do carnaval pras caBIXAbas de ponta-a-ponta do estado – e fora dele. Para tanto, mandem fotos, vídeos, textos que falem onde e como foi seu carnaval, beleza?

Relembrem o post do ano passado aqui.

Eu vou me jogar em Marata, quero nem saber. Se joguem e não façam nada que eu não faria, hein? Aloka!

MUAH.

PM capixaba é o primeiro do país a oficializar união homoafetiva


O policial militar, Darli Manoel Manenti de Souza, 48, é o primeiro policial militar do país a oficializar, perante a Justiça, uma união homoafetiva. Antes que a decisão do Supremo sobre a união estável entre pessoas do mesmo sexo fosse aprovada, conseguiu ter Antonio Pereira de Souza, 48 anos, como seu dependente.

Sobre o preconceito, o cabo conta que no início sofreu preconceito, mas hoje a frente do grupo de teatro da instituição e há 24 anos na corporação, diz que a situação é diferente.

“Todo mundo sempre soube da minha situação. As pessoas aprenderam a me respeitar porque, acima de tudo, sou policial e tenho orgulho da profissão que escolhi”.

O casal, promete uma festa com tapete vermelho e 300 convidados. No convite, as cores da bandeira gay. Arrasa, bee!

P.S: Juro que não sabia que a Polícia Militar tinha grupo de teatro.