Não é só um rostinho bonito, é muita cuca no lance. Oi?


“Não acho que sou pegador. Mas vou te falar uma parada também, se você não tem fama de pegador e é solteiro, fica com fama de veado. Então, antes pegador que veado, né?”

A pergunta que não quer calar é: Quando as pessoas que estão lá, representando o povo ou que possuem o poder de influenciar a massa, vão continuar dando declarações ridículas como esta?

Caio Castro, mais conhecido como novo galã global, idolatrado por menininhas novinhas e muitos gays, inclusive, fez uma declaração infeliz. Porém, acredito que se você sabe que faz parte da mídia, que as pessoas escutam o que você diz, você deve se policiar melhor.

Concordo com Carlos Tufvesson, coordenador de Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio, sobre o ocorrido:  “As oficinas de interpretação da Globo deveriam ter uma aula de como não falar idiotices para a imprensa”.

O que podia ser evitado, foi jogado ao vento. Se você é famoso, você está na mira da imprensa. Qualquer coisa dita, vai ser julgada, discutida, debatida. Os artistas brasileiros tem que parar com essa “ingenuidade” e começar a refletir mais sobre suas afirmações perante jornalistas.

Segue abaixo o pedido de desculpas do ator:

“A declaração foi errônea e totalmente ao contrário do que eu quis passar. Ficou uma sensação de preconceito do público. Qualquer tipo de preconceito é um atraso. Eu não tenho preconceito algum com os homossexuais, tenho amigos gays. Foi totalmente errado e maldoso para vender reportagem. A gente tem um monte de imprensa marrom. E faz de tudo e colocar esse tipo de comentário idiota. Para vocês que acompanham, está na hora de acordar um pouco. O que a gente fala muitas vezes é editado e não é posto do jeito que a gente fala. Não sou uma pessoa preconceituosa e o comentário que fiz foi mal interpretado. Respondi uma porrada de critica, comentário, estão me bombardeando. A única coisa que posso dizer é que preconceituoso não sou. E peço desculpas se causei algum tipo de incômodo.”

Alguém manda este vídeo pro Kassab


Vocês devem saber que BIZARRAMENTE e VERGONHOSAMENTE a Câmara Municipal de São Paulo aprovou na terça-feira (2) o projeto de um vereador do DEM que cria no município o Dia do Orgulho Heterossexual. O projeto depende agora apenas de sanção do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, para virar lei.

Isso é tão absurdo, mas tão absurdo que se alguém me contasse eu acharia inverossímel demais pra acreditar. Mas infelizmente é verdade.

Olha, vou te contar, tô tão puto com isso que deixo esse boy falando exatamente o que penso:

E chega dessa merda! Chega desse mimimi, porra!

E eu também vou pro céu? Whatever…


Em resposta ao basfond que deu o post passado, venho esclarecer o ocorrido.

“O papa Bento XVI condenou o aborto e o casamento homossexual como “insidiosos e perigosos”, em discurso pronunciado nesta quinta-feira (13/05) no Santuário de Fátima, em Portugal – país que legalizou o aborto em 2007 e está para promulgar o matrimônio gay.”

Primeiramente: de que igreja católica estamos falando, a grande senhora feudal que chegou a vender indulgências e um pedacinho do céu para as pessoas menos informadas, a mesma que queimou Joana D’arc, e outros tantos, numa fogueira acusando-os de bruxaria? Ou ainda, que queimou tesouros literários por estes levarem as pessoas ao pensamento livre, ou quem sabe, aquela que se omitiu diante do nazismo e que agora condena a homossexualidade e a trata como uma perversão e depravação da psiquê humana?

Acredito em Deus, porém não na religião feita pelos homens, aquela que pode ser corrompida por pensamentos de uma minoria influente. Dizer que o Papa respeita os homossexuais seria uma grande ironia. Querer a ordem e propor mudanças é uma coisa, imposição por ódio e sangue é outra .

O Papa diz: “A homossexualidade é uma depravação e uma ameaça à família e à estabilidade da sociedade”. Mas depravação maior ainda é o que o clero anda fazendo com as crianças que frequentam e trabalham em suas igrejas, achando que estão contribuindo para o reino dos céus, quando na verdade estão satisfazendo os desejos da carne destes. Estabilidade da sociedade? E tem como a sociedade ficar mais instável do que como a vemos hoje? Biológica e óbviamente um casal homosexual não pode gerar uma criança. Fato. Mas muitos de nós tem condições (e querem) de cuidar de uma criança muito melhor do que vemos por aí pais jogando filhos das janelas ou deixando na miséria, abandonados a própria sorte na rua.

Todo mundo já deve ter ouvido ou até mesmo falado a respeito da situação de homossexual, não por escolha, mas por imposição, condição ou forças do destino. Lembra ali em cima, quando eu disse que acreditava em Deus? Pois bem, não acredito num Deus vingativo, um velhinho sentado num trono, mandando menininhos “bons” para o céu e “maus” para o inferno. Nem tão pouco acredito que esta nossa “condição” é por acaso, acredito num Deus benevolente, numa força acima do bem e do mal, que não está aqui para julgar ninguém, acredito que estamos aqui, para aprender e que a vida é a maior escola que podemos ter, e se Ele nos colocou nesta condição é porque alguma coisa temos que aprender dela.

Ser gay, lésbica, transeuxal, travesti, bisseuxal ou ainda transgênero, negro, pobre, deficiente, não importando a qual minoria você pertence, a aprovação, primeiramente, vem de si mesmo, a convivência pacífica é resultado do esforço conjunto.

Talvez, por tanta declarações errôneas de nossos líderes, aqueles que deveriam ser  exemplo haha, eu não possa ter a liberdade de sentar com minha avó (católica praticante) e conversar sobre meus desejos, sonhos e acima de tudo AMOR.

P.S: Agradecimento em especial ao Leo López que me ajudou a organizar os pensamentos…