Babado, Confusão & Gritaria [Edição LOUCOORA TOTAL]


PARTY HARD!

Sim, gatiras, eu sei que eu deixei de postar o tão amado post de fim de semana, mas esse merece ser comentado!

Como disse pra vocês, entrei em profundo estado de latência na sexta para suportar a maratona alcoólica de sábado (Calourada de Biologia + Festa Buatchy), e se não tivesse feito isso, com certeza não aguentaria.

Saí de casa às duas da tarde pra chegar em Vitorinha às 3 (moro em Vila Velha, e todas aqui sabem a viagem que é pra chegar lá), chegando lá já entrei nervosãm pra encher o caneco. Comecei a beber.

No começo tava uó, tocando Pitty e a irônica música “Get up, stand up” do Bob Marley, que pelo ritmo broxante a última vontade que você sente é de ficar em pé. Mas anoiteceu, e como diz a sábia Deid: “Depois da meia noite todo urubu vira frango”.

O lugar começou a encher, conheci umas bills fãs do blog (que inclusive me pintaram toda de caneta), e eu, bebendo desde 3 da tarde, já estava mais alta que as Torres Gêmeas (sim, foi uma piada sarcástica).

E precisa de legenda?

Enfim, iniciaram o tal “batizado dos calouros”. E a Max, como boa e amiga veterana, já armou duas navalhas pra defender as moças mais fracas que não aguentam beber e que acabariam sendo obrigadas a fazê-lo. Aí que teve o primeiro bafão: O menino só aguentou dar um pequeno gole e logo começaram a gritar “Viadinho, Viadinho!”. Me REVOLTAY e subi no palkoo!

Peguei o microfone e disse assim: “Não aceito chamarem de viadinho os que não aguentam beber, porque eu, na minha época de calouro, fui o que bebi o maior gole… e SOU viadinho!” *Gritos da plateia*

Depois de ter caído nas graças do povo, fechei com chave de ouro: “Nesse verão… eu resolvi fazer algo de diferentchy…” *Mais gritos e um coro de viados e rachas me acompanhou até o final da representação de Luisa Marilac*

Desci do palco como uma diva, por pouco não pulei nos braços do povo igual aqueles cantores de rock. Pensei no caso, mas sabem como viado não é confiável, certeza que elas me deixariam cair de cara no chão!

Saí da calourada e fui pra festa Buatchy lá no Platinum. Cheguei lá, maquiagem toda cagada, roupa cheia de pingo de suco gummy, falando alto e conversando com todas na fila. Bobagem, se preocupar com roupa é coisa de gente feia…

Max flagrada na porta da boate

Bee’s, a festa estava um LU-XO! Ar-condicionado glacial, decoração babadeira, banheiros enormes e limpos e a música… nem precisa falar, néam? Marcelo Menezes sempre quebra o caralho todo!

Como já estava pobre, bêbada e no fim do meu prazo de validade, catei um copo e fui usar minha beleza e simpatia pra conseguir bebida, resultado: Claro, fiquei mais louca do que já tava!

Aí a pomba encostou, e fazia tempo que ela não encostava; Max transtornada na pista, sumia de 5 em 5 minutos, conhecendo pessoalmente cada reservado daqueles banheiros. Mas é explicável, gentchy, sempre curti design de interiores, precisava analisar a vertente artística do arquiteto.

Fim da noite, já tinha tirado o sapato na pista… Heleninha Roitman teria vergoha alheia por mim. Resolvi me recolher e ir embora.

p.s.1: O banheiro estava limpíssimo, mas como sempre, teve uma gay que resolveu fazer a chuca dentro da boate, por pouco não interditaram e colocaram um símbolo de “Biohazard” na porta;

p.s.2: Se vocês tivessem visto minha cara no outro dia de manhã, eu juro que precisariam de uns 3 anos de terapia pra se recuperar do trauma, hahaha.

PROMOÇÃO! – Festa Buatchy


Sim! Ela está de volta, uma das festas mais bafônicas de Old Village, e o Babado Certo vai sortear TRÊS ingressos pra vocês, leitoras que tanto amamos! Cata o flyer:

Curtiu? Quer ganhar? Então envie um email para max_babadocerto@hotmail.com com o título “Esse finds eu quero fazer algo de diferente”, escreva seu nome completo no corpo da mensagem e cruze os dedchêenhos!

Se isso ajuda de alguma forma: a Max estará presente depois de encher o caneco na Calourada de Biologia… qué dizê, bafão e fofocas GARANTIDOS pro domingo!

PROMOÇÃO ENCERRADA! O E-MAILS JÁ FORAM ENVIADOS AOS GANHADORES. OBRIGADO PELA PARTICIPAÇÃO. Se você não ganhou, não fique triste, foram 124 concorrentes, um monte de gente também ficou sem. 

DESMENTINDO Boatos – A Fábrica


Vocês quase me cortaram na navalha por não postar nada sobre a inauguração da nova boate “A Fábrica”, localizada em Laranjeiras. Pois saibam as senhoras que eu estava rodando todas as mídias sociais atrás de informações e queria ter CERTEZA de tudo antes de falar alguma coisa.

Então vamosh lá, comeego?

A Fábrica, na minha opinião, é um ponto de luz em meio à escuridão da Serra. Segundo informações de amigas que foram na inauguração, a boate tem um preço salgado, mas vale a pena pagar. Os DJ’s são ótimos (dentro do limite que uma boate hétero pode alcançar) e as atrações sempre fazem parte do que tá mais em voga no circuito musical metropolitano.

Como toda buatchy de HT, o preço é diferente pras rachas. Cata:

Pista:

Homem R$40 normal e R$60 consumação. Mulher R$30 normal e R$40 consumação (Como se elas bebessem menos, seeeei).

Área VIP:

Homem R$60 normal e R$90 consumação. Mulher R$40 normal e R$60 consumação (E é aí que eles começam a rasgar as pregas das assalariadas).

Bobági, os bofes pagam sorrindo, afinal, na cabeça de um heterozinho, quanto mais caro o preço pra entrar, maior o nível das moças e travas que frequentam o local.

Enfim, melkoo, o que vocês querem saber mesmo é se são verdadeiras as especulações sobre a boate ter noites voltadas para o público LGBT. E, para isso, conversei diretamente com a produção da casa, eis a resposta:

Informo-lhe que nosso projeto inicial para A Fábrica Danceteria é promover festas às sextas-feiras e sábados.
Temos também a previsão de abertura aos domingos para By Teens (adolescentes de 14 a 17 anos).
Porém nenhuma programação LGBT foi planejada pela diretoria. Exatamente por isso, nossa Assessoria de Imprensa não realizou o contato com o blog Babado Certo.

A nossa danceteria não possui bandeiras, mas apesar de ser voltada para um público heterossexual, receberemos a todos com muito repeito e sem qualquer preconceito. Prezamos pelo bom atendimento sem distinção de pessoas.

Grato pelo contato, deixo convite em aberto para que venha conhecer A Fábrica.

Não dou pinta.

Não foi fofo o bofinho? Já posso pedir em casamento?

Entón, gatiras, o babado é esse, a nova boate em Larajeiras NÃO é GLS, mas é gay friendly. Portanto, pra quem for reeca, quiser ouvir música boa e fugir desse círculo vicioso de Vitorinha, fikdik pra bater-cabelo sem medo de levar coió. De lâmpada na cara você tá protegida, mas ir vestida de Restart pra uma boate HT e não querer ouvir comentário, é demais, tsá?

Mais informações:

“A Fábrica danceteria” fica na Av. Eudes Scherrer de Souza, 575/585 , Laranjeiras. Serra – ES.

Vejam os vídeos promocionais todos trabalhados na propaganda do Trombini espera ansiosa dos fãs pelos clipes de suas divas:

Spot II

Spot I

Já nasceu hit!


O zuzesso do momento é o riti “Eu não sou viado”, da Banda Katrina. Eles chegam a níveis tão altos de talento poético que agora vou me calar e deixar a senhora ouvir essa pérola da música popular paraense:

Faça logo sua xuca, porque a neca é odara e você pode checar” já é o novo “Oh-oh-oh-oh-oooh! Want your bad romance” na buatchy?

Tequinobrega é o futuro!

SaturdayNight’sBatHairy: A magia do dancefloor


A senhora tá aí no computador com o edí todo lambuzado de veet esperando dar o tempo pra poder passar a esponjinha ou o pano úmido pra poder ficar liseenha prosh bophesh, porque, né, a noite é uma criança e nunca se sabe o que pode acontecer e a senhora está sempre preparada. Arrasô! Enquanto isso, que tal ouvir nosso bate-cabelo de sábado, hein? A musicaqueenha de hoje é das antigas: Fashionista, do Jimmy James. Quando eu era aloca e frequentava a Move, em 2006, essa música bombava e eu dava close de travestchy horrores com ela… Calma, beesha, já já você vai tirar esse troço do koo, agora, aperta o play e se joga comeego!

Já repararam que há uma coisa mágica quando se está na pista de dança? A gente tem a sensação de estar num mundo paralelo de fantasia e sonho. Afora o fato de estarmos lindamente colocadas de qualquer coisa, toda estrutura da – de uma boa, claro – boate convergem para essa sensação de extase. Já repararam que quando você chega a boate está meio que uó, muita luz, música chata… Daí você vai se colocar – as que bebem, no caso – e aos poucos ao longo da noite as luzes começam a diminuir e os efeitos do strobo ficam cada vez mais intensos… De repente, as paredes da boate já não são mais perceptíveis e é como que você flutuasse numa câmara de isolamento espacial piscante, só se vê frames da realidade, as pessoas pulando (geralmente estão bonitas sob o efeito da luz intensa) alegres e tudo de ruim é esquecido e fica num lugar fora desse sítio maravilhoso que aos poucos se desfaz… É viciante! Alienante! E a gente adora!

Itsbritneybitch a três


Já ouviram a nova música da Britney, né?! 3:

Será que esse finde já vai estar bombando nas pishtas?! Espero que sim. Amo a Britney porque ano a ano ela fica mais baixa e mais babadeira, quase uma Copélia do Toma lá dá cá. Vamos lá aprender a letra para cantar todas juntas dublando na buatch fazendo coreô:

REFRÃO

1, 2, 3/1, 2, 3
Not only you and me/Não só você e eu
Got one eighty degrees/Estamos em cento e oitenta graus
And I’m caught in between/E estou presa no meio disso
Countin’/Contando
1, 2, 3/1, 2, 3
Peter, Paul & Mary/Peter, Paul e Mary
Gettin’ down with 3P/Fazendo a 3
Everybody loves ***/Todo mundo ama *** {GEME}
Countin’/Contando

Babe, pick a night/Querido, escolha uma noite
To come out and play/Para sair e jogar
If it’s alright/Se estiver tudo certo
What do you say?/O que você diz?

Merrier the more/Quanto mais melhor
Triple fun that way/Diversão a três é o que há
Twister on the floor/Arrasando na pista
What do you say?/O que você diz?

Are – you in/Você está dentro?
Livin’ in sin is the new thing (yeah)/Viver no pecado é a nova tendência (sim)
Are – you in/Você está dentro?
I am countin’!/Estou contando!

REFRÃO (repete)

Three is a charm/Três é um fetiche
Two is not the same/Dois não é a mesma coisa
I don’t see the harm/Eu não vejo problema
So are you game?/Então, você está dentro?

Lets’ make a team/Vamos fazer um time
Make ‘em say my name/Faça eles gritarem meu nome
Lovin’ the extreme/Amando ao extremo
Now are you game?/Agora você está dentro?

Are – you in/Você está dentro?
Livin’ in sin is the new thing/Viver no pecado é a nova tendência
Are – you in/Você está dentro?
I am countin’!/Estou contando!

REFRÃO

What we do is innocent/O que nós fazemos é inocente
Just for fun and nothin’ meant/Apenas por diversão e nada mais
If you don’t like the company/Se você não gosta da companhia
Let’s just do it you and me/Vamos fazer só você e eu
You and me…/Você e eu…
Or three…./ou três…
Or four…./Ou quatro…
On the floor!/No chão!

Britney é beesha baixa, Britney é pão-com-ovo e por isso é tão amada. Qual foi seu verso preferido da música (e consequentemente o mais moralmente quetionável), hein ?!

Antifumo


Faltando um mês para entrar em vigor a Lei Antifumo. Entre discussões de quem vai fiscalizar, e opiniões de quem acha a lei uma afronta aos direitos individuais, já ouvi de tudo sobre a polêmica lei.

No Gazeta OnLine:cigarro

Já ouvi reclamações de amigos que não fumam, que a fumaça de cigarro é o que mais incomoda em buatchys.  Além de queimaduras acidentais na pista, sempre brindam as bees com aquele cheirinho que costuma ficar até na cueca.
Acredito que a lei será mais rígida em lugares como buachys, e vale destacar que a criação de ambientes para um caretinha é imprescindível para o funcionamento de qualquer casa.  A reforma da Move já deve pensar em um lugarzinho!

Como fumante, espero que realmente as pessoas respeitem os espaços destinados ao fumo, e não desrespeitem as leis. Só não entendo um governo que não atende as demandas nas áreas de educação e saúde pública , mobilizar pessoal para fazer a “lei pegar”. Essas ações do governo pelo “politicamente saudável” beiram (?) a hipocrisia!

E ai viado! O que acha da nova lei? Vai pegar?

Eu gosto assim!


Como o povo adora uma crítica à estrutura, decoração, som, bebidas, gastronomia e até ao papel higiênico usado no banheiro das casas noturnas (basta ver o basfond que foi o post da The Pub), bate cabelo dos sonhosvamos realizar de graça, sem custos, uma pesquisa mercadológica para as buatchys, bares e lugares de pinta do estado!

Qual a sua dica, conselho, vontades, fantasias sexuais ou sonhos mais profundos!? Mostre que as suas dicas de beleza, ostentação e serviços, seriam capazes de transformar até o Náutico Brasil, em noite de baile funk, em uma agradável réplica da The Week no estado!

Lembrete 1: A ideia de duchas para chuca no banheiro pode ser de extremo mal gosto.
Lembrete 2: Vamos concentrar em “o que esperamos “e não usar lugares reais como exemplo. Abstração queridas!

Sonhe alto nos comentários!