“Bitch, please!”, um outing em grande estilo


A trélíssima Jodie Foster, atriz que já ganhou 2 Oscars, e que tem 50 anos e está muito melhor que a maioria das senhoras que tem na faixa dos 20, arrasou na saída do armário. Ela fez seu outing em plena premiação do Globo de Ouro. Ao ser premiada!!! MUAH! (beijo no ombrinho). Jodie, até então, era xoxada pelos ativistas de direito LGBT por não se declarar publicamente como lésbica. De cara ela já deixou todo mundo passado ao dizer: “estou um pouco nervosa quanto a essa declaração. Não tão nervosa quanto minha agente, hein, Jennifer? Mas, você sabe, tenho de colocar isso para fora. Orgulhosamente e alto. Vou precisar da sua ajuda. Eu sou…”

a cara do mundo todo neste momento

Mas ela completou: “…solteira!”.

“Ai, Joo, sua palhaça! #morri”

Porém depois soltou a bomba. “Sério, espero que vocês não fiquem desapontados por não haver um grande discurso de saída do armário nesta noite”, disse, “porque já saí do armário uns mil anos atrás, na Idade da Pedra”. *BOOM* A atriz disse que sempre deixou sua orientação sexual clara para amigos íntimos e parentes. Veja o vídeo:

YES!

“Mas agora, aparentemente, me dizem que toda celebridade precisa honrar os detalhes sobre sua vida particular com uma entrevista coletiva… Essa simplesmente não sou eu”, ela diz. E virando para sua ex, de quem se separou recentemente, e aos dois filhos, que estavam na plateia, ainda disse: “Obrigada, Cyd, tenho muito orgulho da nossa família moderna, dos nossos filhos incríveis”.

OMG!

“Se você é uma figura pública desde bebê, se precisou lutar por uma vida que parecesse real e normal contra todas as probabilidades, então você também talvez quisesse valorizar a privacidade acima de todo o resto”, afirmou.

Lição de Moral do BC: Todos nós temos nossos armários. É difícil uma gay ou uma sapa que seja 100% assumido em todos os espaços. Tem gente que esconde que é gay em casa, da mãe ou do pai, tem gente que não se revela no trabalho, tem gente que não se abre na escola, etc, etc, etc. Todo mundo tem seus armários, quem somos nós pra julgar os dos outros, não é?! É!

Via Correio.

BABADO! Breve nova boate GLS em Vila Velha


Aparentemente, a noite gay capixaba ganhará mais uma opção de diversão.

As informações iniciais dizem que a nova casa noturna será uma boate que se chamará Rouge House Club e será na Praia da Costa, bairro nobre de Vila Velha, onde se localizava a antiga Heaven Brazil.

Também nos foi dito que os antigos promoters da boate Move Music, em sua lendária formação com Thiago Nunes, estaria envolvida nessa nova empreitada.

Ainda não há data de inauguração.

Não é demais? Se alguém souber de mais alguma coisa nos conte TUDO!

E a ansiedade para esperar, como faz?

“…eu preciso.”

A nova boate já tem perfil no Facebook, pode ser seguida aqui ó.

Via comentários.

ASSUNTO DA SEMANA: Entrevista da Xuxa no Fantástico


Maria da Graça Meneghel, a Xuxa, deu ontem uma entrevista ao Fantástico que caiu como uma bomba sobre a opinião pública brasileira, quiçá internacional. Só se fala nisso na imprensa e nas redes sociais. Veja logo pra ficar in, beesha. É bastante reveladora, sincera, surpreendente e emocionante:

Como eu fiquei ao final da entrevista:

xorando_monange.gif

Que babado, né?

EXCLUSIVO: Nova boate gay em Vitória!


Não, bee’s, esse post não é repetido! As produtoras de Vitorinha estão on fire abrindo casas noturnas pra sugar todo o nosso suado pink money!

Dessa vez a nova casa noturna será em Jardim da Penha, no Espaço Celebration, do lado da antiga Mahalo. Sim, bebês, lá mesmo onde a Massa Cult e a Antimofo estão produzindo festas babadeiras!

A casa se chamará Canal 505, como vocês viram aí na imagem, abrirá todas as sextas-feiras e contará com a produção de Diego Fiuza, Cacaw, Synthia Resende e Kirlia, promoters já bem conhecidos na noite de Vitória.

Segundo informações, o lugar será totalmente redecorado, com direito a ar-condicionado e iluminação inovadora. Então, anotem aí na agenda, dia 4 DE NOVEMBRO, inauguração da Canal 505.

Já quero ver todas lá e podem ficar tranquilas que vou dar um jeitchêenho de conseguir uns vips pra sortear pras senhoras, okay?

Todas comemoram:

EXCLUSIVO: Entrevista com ex-Move Music!


Babado Exclusivo!

Babado Exclusivo!

O babado foi assunto nas rodinhas de todas as bees da Grande Vitória (e interior). Não se falou de outra coisa que não fosse a saída surpresa dos promoters da Move Music. O Babado Certo depois de confirmar a notícia e bater todos os recordes de visitas, trás hoje uma entrevista EXCLUSIVA e definitiva com Jorge Castro ex-responsável pela produção artística e promoção da Move junto com Gustavo Corteletti, Pedro Braga e Thiago Nunes. Via msn e na companhia dos outros ex-prometers, Jorge conta um pouco da puxada rotina para que a buathy funcionasse e principalmente, ele nós revela porque os quatro resolveram sair da Move. Queridinhas, o babado é certo e não deixem de ler uma só linha dessa entrevista bafoenta!

BABADO CERTO: Então, Jorge, primeiro queria que você falasse quem ficou e quem saiu da Move. Você saiu junto com os meninos?

JORGE CASTRO: Saímos os quatro. Na verdade fazemos quase tudo juntos e assim somos profissionalmente também. Se não está bom pra um, não está pra os quatro.

Há quanto tempo vocês estavam à frente da produção artística e promoção da Move, alias como começaram a trabalhar lá?

A Move foi inaugurada em 2004,  eu acho. Porém, faliu como boate HT. O Thiago foi convidado pelos proprietários em 2006 para tentar levantar a casa, pois estava fechada havia quase três  anos. A partir daí, Thiago assumiu com sua equipe de promoção que na época faziam parte da Next.

Você fazia parte da equipe do Thiago ou entrou depois?

Não fazia. Na época era quase impossível, pois estava terminando duas faculdades (artes visuais e design de produto) e ainda trabalhava.  Entrei 6 meses depois.

Vocês já namoravam ou isso foi bem depois?

Já sim. Quando a Move abriu, já estávamos juntos há quase 3 meses porque,  na verdade, a Next funcionou na Move por cinco meses. Ela  entrou em reforma e os donos alugaram a Move e foi lá q começamos a namorar. Então, quando os donos abriram a casa como (LGBT) por isso, porque sabiam que dava dinheiro.

Party Monster

Party Monster

Nem é preciso falar sobre o sucesso que a Move fez, se tornando a principal boate  cidade e do ES. Queria que você me falasse como era a rotina de vocês, os bastidores que ninguém nunca fica sabendo?

Bem, somos transparentes. Todos sabiam tudo. O que fazíamos. o tempo todo. Agora, sobre a criação de shows, de festas, contratação de djs, escolha de datas etc era feito em casa. Era feita uma reunião, onde tudo era decido. Se iríamos contratar um show de drag ou criar. os djs. Eles enviam sets quase q mensalmente, os melhores semanalmente e era feita a escolha por sets. Com relação aos Djs locais era feita uma escolha diferenciada. Shows com Drags do estado, grande parte deles era produzido pela equipe. Escolha de Musica, estilo era com algumas delas. Porém, quando era uma produção com mais de uma Drag, a equipe tinha a preferência de criar.

Vocês trabalhavam quais dias da semana, além dos dias que a casa abre?

Só não trabalhávamos na segunda-feira. O restante da semana, todos os dias. Criação de festas, arte de Flyer, Criação de shows, Divulgação entre outras coisas. Isso em semana q não havia ensaios para shows. Quando havia, segunda também.

O que você mais gostava nesse trabalho? Poderia citar algum show e evento que ficou marcado pra você?

Ter contato com as pessoas que na verdade é nosso único meio social, já que não havia tempo para mais nada. Vários eventos marcaram. Caraça! O Show Alegria, Divas, Party Monster…

Como era isso de viver praticamente em torno da boate. Não tinha hora que cansava? Como era ter que parecer sempre feliz, mesmo quando nem tudo ia bem?

Na verdade, quando isso aconteceu, saímos da Move. A saída foi um voto de amor. Preferimos estar juntos, pois a Move vai e nós sempre estaremos juntos, pois a continuação do trabalho quando não se está  bem, acarreta em perdas. Isso não… Somos “1” dividido em 4

Na ordem: Thiago, Jorge, Pedro e Gustavo

Na ordem: Thiago, Jorge, Pedro e Gustavo

Vamos então falar da saída de vocês. Qual foi o estopim para que vocês resolvessem não integrar mais o casting da Move e desde quando as coisas já não estavam tão bem para vocês?

Bem, o motivo, acabei de falar. Agora quanto a saída, algo de um mês. A decisão surgiu a partir de uma proposta da casa não aceita pela equipe.

O que tinha nessa proposta que não agradou vocês?

Somos amigos, moramos juntos, viajamos juntos e até compramos juntos. A casa trabalha com a equipe há 3 anos e sabia a respeito disso. Estávamos sem férias há 3 anos e a casa teve a brilhante idéia de nos dar férias separadas. Claro que isso não foi “o” motivo, porém foi a gota d’água de um milhão de outras situações que não eram em  relação a promoção.

Pode citar algumas? Três, por exemplo?

Bem, não posso porque  casa continua. É outra filosofia, então isso não vem ao caso.

Mas, fazendo o papel de advogada do diabo, como seria possível dar aos quatro férias na mesma época?

Bem, fazendo o certo,  o que qualquer outra casa faz: fecha, reforma (porque faz parte ) e volta com outra energia. Todos ganham, principalmente, o cliente!

Jorge, as pessoas acham que a vida de vocês é bem glamourosa e que vocês ganhavam muito bem. O que tem de mito nisso?

Bem, quanto você cobraria para levantar uma boate fechada?

Ah sou uma diva, não lido com dinheiro em espécie.  Não tenho idéia, gato.

É uma pergunta, você pode responder?

Não tenho a menor idéia de como está o mercado na produção e promoção de eventos. Não tenho como responder.

Pois é, é fácil falar quando não se tem uma idéia. Ganhar bem? Em relação a quê? Quando um time está ganhando é mais fácil torcer!!

Você entendeu que não estamos afirmando que ganhavam bem ou coisa do tipo? Por isso o q “tem de mito”.

Então, isso é uma resposta!

Qual? Que era “um mito”?

Bem, para um promoters na Média, para produção abaixo!

Era verdade que rolava prostituição e tráfico de drogas na boate?

Bem, não sei se sabem, há quase um ano e meio paramos de fumar e beber. Então drogas pior ainda. Somos contra qualquer forma de tráfico de drogas. Prostituição nunca soube.

Qual era política da distribuição de vips?

Não havia política para Vips. Havia uma filosofia de trabalho.

Que era…

O segredo do sucesso. Não posso revelar.

Do que você mais vai sentir falta do trabalho na boate?

Hum… falta?!

Você ficou três anos lá, creio que teve muitas coisas boas. Dessas coisas do que sentirá falta?

Acho que nossos amigos, o contato semanal. Na verdade, isso é uma afirmação incorreta porque a amizade continua, o porem não na Move. A casa, pois o projeto atual da última reforma é meu. Acho que isso. Está muito no início para Saudades

Como foi o primeiro dia depois da saída de vocês, o que fizeram?

Ficamos juntos vendo filmes e filmes até a ficha cair!

E quando a ficha caiu, qual foi a sensação?

Inexplicável.

Esse é o primeiro fim de semana longe também, o que pretendem fazer?

Descansar, viajar…

Qual sua opinião sobre essa equipe que entrou, já que chegou a trabalhar com parte dela?

Bem, da equipe não conheço todos. Já trabalhei com a Cacaw.

Acha que um dia vai freqüentar a move como cliente?

Acho que não!

Muito se especula de vocês assumirem alguma das casas que já funcionam na cidade. Queria que falasse um pouco disso e se Já têm algum novo trabalho em vista?

Amiga,  estamos de férias. Muito se fala, mas ainda não assinamos com ninguém por enquanto.

A última pergunta, na verdade, é qual recadinho deixaria para nossos leitores?

Sou péssimo nisso. Engraçado falar para Todos, logo vem (Amigos) Todos são verdadeiramente nossos amigos. Chamamos todos pelo nome e vocês sabem disso. Foram anos de alegria. Vocês não tem noção o que é sair da porta da Move quando se iniciava uma noite depois de uma semana desgastante de divulgação e ver todos ali nos esperando. É muita adrenalina saber que gostavam da gente e estavam ali porque havíamos chamado. Era a melhor sensação do mundo. Uma energia que tomava conta de todos. Era tudo. Isso nos alimentava para sempre fazer o melhor para vocês e nossa saída, foi exatamente um pagamento por tudo isso. Porque estávamos lutando por vocês. Como não conseguimos, preferimos estar juntos para fazer uma melhor ainda.