O que é que Vila Velha tem?


Um mistério paira sobre nosso estado: por que, afinal de contas, Vila Velha bomba mais do que Vitória no quesito número de boates? O fato é que há alguns anos muitas boates gays brotam na cidade, enquanto a capital que deveria ser o centro de todas as atenções míngua com apenas uma.

Bichas de outras cidades lendo este post.

É sabido que, no passado, a situação era extremamente oposta: Vitoria tinha várias boates (a maioria no Centro) e Vila velha não tinha nada. O que mudou de lá para cá? Conversei com alguns amigos para tentarmos entender afinal o que Vila Velha tem que as outras cidades não tem.

O fato é que houve uma rixa histórica entre as bichas de Vitória e Vila Velha, especialmente entre as drag queens. Essa rixa só era colocada em suspenso quando a questão era a Serra, aí todo mundo se unia para falar da outra (leia mais sobre isso aqui).

Típica bicha de Vitória

A primeira resposta é que Vila Velha tem mais bicha numericamente, pois a cidade é mais populosa. Não sei se é assim, mas quando a  gente anda pelos terminais de lá, uns 60% das pessoas são gueis com os penteados mais bafoentos e os que mais desafiam as leis da física e do bom gosto. Segundo o IBGE, Vila Velha tem 90 mil pessoas a mais que Vitória. Mas será que isso é suficiente para dizer que há mais viado na terra dos canelas verdes? Mais gente quer dizer mais viado? Cadê os números do senso das guei de Vitorinha para tirar essa prova?

Típico morador de Vila Velha

Porém, entre os meus entrevistados a resposta mais comum é que a diferença entre os viados de Vila Velha e Vitória não é quantitativa, mas sim qualitativa. Entre as pessoas com quem falei houve unanimidade ao dizer que as viadas de Vila Velha são mais fervidas que as de Vitória, que por sua vez tendem a ser mais frescas e elitistas.

As (bichas) vilavelhenses são mais povo, as de Vitorinhas ficam fazendo carão, as de Vila Velha se jogam mais“, disse uma amiga. Uma guei falou: “Vitória é vitoriana, é sempre pelos bons costumes, Vila Velha é ferveção” e completou “sempre que pego ônibus verdinho de Vitória, logo noto a diferença, não é como o povo das outras cidades em torno, eles são mais bem vestidos, mais comportados, mais limpinhos e cheirosinhos, mas também são mais arrogantes e cara amarrada. Agora pega um transhca em Vila Velha! É babado confusão e gritaria. Tem o mendigo atacando no 507, tem a própria Max!”, riu.

Vila Velha Wins!

Houve ainda quem dissesse que Vila Velha tem uma infraestrutura melhor para este nicho de mercado. Max Pederzini, coautora deste blog, foi uma delas e comentou: “acho que é porque é tudo pertinho em Vila Velha, e tem muitas áreas escuras, isoladas, ótimas pra boate. As encubadas odeiam lugar iluminado“. O preço dos espaços e a especulação imobiliária também foram comentados como razão para o sucesso da cidade que foi nossa primeira capital. “Tem a questão do preço de venda e aluguel de imóveis que é muito alto em Vitória. Além disso, o povo de Vitória não gosta de ir longe para sair. Não vão nem ao Centro, onde seria possível conseguir um preço mais baixo. Mas realmente não sei se também não é falta simplesmente de abrirem mais estabelecimentos que sejam bons“, me disse um cafuçú magia.

Outro fator destacado foi a questão financeira. Alguns creem que em Vila Velha as casas noturnas conseguem fazer/fazem preços mais camaradas e os custos e logística de acesso, transporte e alimentação na cidade são mais em conta para os clientes.  “Vila Velha é uma cidade maior e o povo não gosta de pagar pedágio… Pessoas de cariacica, por exemplo, também preferem vir pra cá porque as coisas são mais baratas. Tanto que as boates que bombam em Vila Velha atraem um publico de poder aquisitivo menor que o das boates de Vitória“, argumentou uma bichinha vilavelhense.

Um dia qualquer na orla de Cogayral de Itaparica.

Por fim, para alguns entrevistados a cidade de Vila Velha simplesmente tem uma estrutura e uma tradição junto ao público LGBT e chegaram a classificá-la como um grande point gay. Uma viada afirmou galhofeira: “tem a Feira do Cu e lá (Vila Velha), é onde a tradição do congo é mais forte, né? Porque tocar a casaca, esse instrumento fálico com uma cabeça esculpida transforma até o maior machão numa belíssima bill“. Outra também comentou brincando: “Todas as boates são só pra suportar a demanda de Cogayral, só tem viado nessa porra“.

E você? Por que você acha que Vila Velha é tão privilegiada de ambientes dedicados ao público gay?

Babado Certo Awards 2012


O ano termina depois de amanhã, mas vocês não acharam que eu fosse deixar de fazer um balanço geral de tudo que aconteceu aqui no bluóg no ano de 2012, né?

gay-film-festival-oscar-small-65141

Vamos às categorias:

Então votem! Que depois das festividades de Ano Novo eu dou o resultado. Sim, festividades, no plural, porque eu só vou parar de beber no dia 3.

Nova opção GLS na noite de Vila Velha


E elas acham que nosso pink money não vai acabar nunca, minha gente! Dessa vez estão trazendo uma atração LGBT para as noites de quarta-feira em Vila Velha. É a PLATINUM MIX CLUB:

Cata a descrição:

INAUGURAÇÃO DIA 08 DE FEVEREIRO DE 2012 (QUARTA-FEIRA), COM O INTUITO DE PROPORCIONAR DURANTE A SEMANA ENTRETENIMENTO E DIVERSÃO TRAZENDO MOLDES DE GRANDES FESTAS NACIONAIS, COM TEMÁTICAS E DECORAÇÕES OUSADAS, CANTORAS E DJS DE RENOME, MAS NÃO DEIXANDO DE VALORIZAR OS ARTISTAS LOCAIS!

A CASA ESTÁ ABERTA AO PÚBLICO, MAS COM ATRAÇÕES E FESTAS DIRECIONADAS AO PÚBLICO LGBT;

O DIA FUNCIONAMENTO SERÁ APENAS NAS QUARTAS-FEIRAS Á PARTIR DAS 20:30 HORAS

LOCAL: CERIMONIAL PLATINUM, Av Francisco Lacerda de Aguiar 1640 – Praia Itaparica, Vila Velha, ES | CEP: 29102-020 (PROXIMO AO POP MOTEL, NA ROD. SOL)

CONTATO: 3389-3369 (ESCRITÓRIO)”.

E aí? O quê vocês acharam dessa ideia?

Via Grupo Platinum Club Mix

Iguais e diferentes


Um dia fui convidado para fazer parte de uma mesa redonda, numa faculdade particular, para falar sobre o blog. Antes de mim, um dos alunos de lá fez uma apresentação sobre cultura LGBT e disse que ela era Madonna, Gaga e cia, bate-cabelo, boate, drag-queens etc. Ontem, dei uma entrevista e as pergunts sobre este tema iam de certa maneira ao encontro desde equívoco. Daí vi a necessidade de chamar vocês pra discussão deste tema.

Não há cultura LGBT. Há culturas e algumas delas são incorporadas por grupos com alguma determinada identidade sexual! Por exemplo, o homossexual masculino urbano classe média costuma ter um mesmo gosto devido a um comportamento de grupo próprio das tribos das grandes cidades, advindo muitas vezes dos lugares que frequentam (sim, boates, sim, falo de nós). Vão desde música eletrônica com remixes de divas pop, passando por danças como o bate-cabelo e até linguagens próprias como o bajubá.

Assim, a “cultura” individual pode variar pelos ciclos de relacionamento que sofrem fatores como classe social, idade e região onde vive. Vemos na internet que muitos gays do norte/nordeste frequetam – num sentido mais amplo – as músicas regionais como forró, tecnobrega etc. A personagem mas recente a Lohane V. S. S. B. H. H. H. R. L. B. Icekiss que é maranhense curte as chamadas música de boi, cultura típica da regiaõ onde vive. Outro exemplo: sabemos que há tribos de roqueiras que também são tomadas por pessoas como uma identidade sexual homossexual. Tem as gays do axé! Assim, no quesito ídolo, essa preferencia vai variar com o gosto das  diversos grupos em que se está inserido o índividuo e também seus próprios gostos pessoas (eu e meus amigos não gostamos de TODAS as mesmas músicas).

Reafirmo: a cultura independe da prática sexual. Se somos gays é porque fazemos sexo (no meu caso, amor) com pessoas de mesmo sexo e isso de forma alguma significa que frequentamos os mesmos lugares, ouvimos as mesmas músicas, nos comunicamos da mesma forma, temos as mesmas religiões ou filosofias…

Né, não?

Unfaithful


Dj Guto Neto

Este blog é mesmo uma mãe para vocês. Ontem, falávamos nos comentários sobre a inauguração da Ink Lounge e tal (é hoje!), e dentro da discussão postei o link do set mix do DJ Residente da boate. Daí que eu pensando em quem tem conexão sufrida e má vontade, subi para a net o arquivo de áudio (sem consideração alguma pela propriedade intelectual, mas fica os créditos pro Guto, até porque aposto que ele vai adorar essa divulgação) para que vocês ouçam e avaliem (e porque o que falarei tem a ver com isso). Ouçam:

Não sei vocês, mas eu achei o set PERFEITO (assim mesmo, em caixa alta): tem as músicas bombadas mais recentes, como Telephone e Stereo Love, pasmem, com letra (!), dá pra cantar junto e dançar, sem, no entanto, perder aquele clima de bate-estaca, tem coisas alternativas, uma coisa meio rocker e uma bem retrozona (mesmo!), tem músicas divertidas, mas não tão recentes, como Lorena Simpsom, e tem hot club remixes que só as antenadas na cena eletro conhecem. OU SEJA, vai agradar de A a Z.

"'Cause I know that it knows I'm unfaithful"

Me lembrou a época que o Dj residente da Move tinha paixão e botava o dancefloor abaixo, lembram (2007-2008)? Quero só ver as movets fiéis agora!

Aliás, os promoters da Ink me ligaram ontem e foram super fofos, se colocaram a disposição, disseram que lêem o blog e estão atentos as sugestões e críticas que vocês dão. Até falei que iria hoje, mas acho que não vai dar (sorry, honey!), mas serei muito bem representado por outros autores/colaboradores do blog.

Como eu disse, essa soma música fechante + espaço ótimo + bom atendimento (vamos ver), vai colocar em teste a fidelidade das movets. Já foi dito e redito aqui que há espaço sim para essas duas boates em Vitória, mas se o que for prometido for cumprido a Move vai dar uma abaladinha, né, não? As gueis de Vix não atravessam a ponte por nada (assim como muitas de Vila Velha também tem preguiça e indisposição para pagar tanto para fazer o mesmo), fato, tendo opção do lado de cá da 3ª Ponte está  declarda uma guerra pelo público GLS de Vix sem precedentes (nunca na história do ES… ALOKA!). Aqüenda!

E mais programação


Na Move Music:

move2 copy

Na The Pub:

dia6e71the pub

Na Bojangles:

boja1 copy

Na Chica Chiclete:

SEXTA. 06 – NOVEMBRO – 00:00H

“+ INNOVATION”
DRAG PERFORMANCE DE JÉSSICA TELLES (MG)
AO SOM DO DJ ANDRÉ K-LÇADA.

ÁREA PARA FUMANTES

INGRESSOS: R$ 7 (PREÇO UNICO)

_____________________________________________________

DOMINGO. 08 – NOVEMBRO – 21:00H

“PÓS PARADA GAY”
SHOWS DE DRAGS E
AO SOM DOS DJS ANDRÉ K-LÇADA E ALEX DEBOSSAN

ÁREA PARA FUMANTES

INGRESSOS: R$ 10 (PREÇO UNICO)

LOCAL: RUA ITAIPAVA, 131 – ITAPARICA – VILA VELHA/ES

INFORMAÇÕES: 98217590


Minha querida buatchy!


É sempre a mesma coisa: um post sobre boate, daí começa o babado e a confusão, longos diálogos de argumentos e contra-argumentos, muitos deles agressivos. Claro que nós do blog adoramos tudo isso, ontem mesmo com a história do Bojangles a audiência deu um duplo-twist-carpado e foi as picas. A passionalidade da participação é tanta que tô quase motivado a dizer que a relação bee-boate equivale a relação hetero-time de futebol.

Não vou mentir para vocês, já fui fascinado também por uma boate, a Move. Ia todo fim de semana e queria que todos meus amigos também fossem, principalmente os héteros. Participava ativamente da comunidade da boate no orkut, queria conhecer tudo e a todos e seria capaz de morrer por um vip (que pouquísismas vezes consegui). Por conseguinte falava mal e queria acabar com as boates concorrentes, na época, a Heaven e a Chica, pois inconcientemente achava que todos tinham que se obrigar a experiência Move Music. Tudo mudou quando comecei a namorar meu companheiro atual (com os anteriores ia na Move numa boa). Com meu coiso lindo, a Move não dava certo. Toda vez que eu iamos sempre tinha uma briga homérica, dessas de jogar aliança na cara, choro, agressão física… Na época, cheguei a falar com o promoter Thiago (lembram dele?) quando ele me perguntou via msn porque eu havia parado de ir a boate: “Não dá certo, Move com namorado não dá certo”. E ele concordou.

logos boatesDaí passei a frequentar a Chica, pois a boate da Chica sempre significou outra coisa para mim que foi a de ir, dançar e se divertir, o que na Move também existia, porém lá incluia dar close, fazer carão e flerte sexual (já fiz cada coisa que infartaria qualquer moralista). A Chica foi um lugar para rir e brincar com os amigos. Daí comecei a preferir a Chica, pois lá a coisa funcionava melhor, além de ser bem mais perto. Foi nesse contexto que surgiu o blog, para que se situem. Quando voltei na Move, quase um ano depois, achei a boate muito chata, as pessoas de quando eu frequentava já não eram as mesmas e a batida do dj era algo que especialmente me incomodava, a tal ponto que fiquei extremamente entediado. Nesse dia, oficialmente deixei de ser um movet. Entretanto, nunca deixo de dar todo o crédito àquele lugar que querendo ou não foi muito além de uma casa noturna, foi um espaço de convivência e de descoberta de mim e do outro.

Bem, essa história toda foi para discutir com vocês esta proximidade que as bees criam com a esse espaços que beiram em muitos casos ao fanatismo. Segundo o Wikipedia o fanatismo

é qualquer coisa extremista, muito exagerada. Uma pessoa fanática tem comportamentos excessivos, particularmente por uma causa religiosa ou idéia ou política ou até mesmo atos extremos, ou com um entusiasmo obsessivo para uma postura ou um passatempo.

Então, pode ser isso, ou pode ser também que quanto mais gente num lugar, mais opção pras pegações. Pode ser a idade também,  a imaturidade. Mas aí eu deixo que cada se expresse sobre o tema. Ou não.

E o fervo das buatchys?!


As casas noturnas do estado também vão fazer subir a temperatura do fim de semana (ui!). Confira:

Chica Chiclete:

cheeka

A programação da Chica está pouco agressiva e pouco atrativa essa semana, apesar de que a própria é sempre um show a parte, né? De repente, valha a pena.

The Pub:

the pub 5-8

Conversei com o pessoal do The Pub sobre a programação deles. Sobre a festa da Tequila na sexta eles comentaram:

Durante a noite nós faremos a brincadeirinha dos gogos jogarem tequila na boca dos convidados, mas também a serviremos em doses para os que tem “vergonha”.

A boate parece estar investindo mesmo em Djs de fora, especialmente os cariocas. Contaram-me que semana que vem vai ter todo um mis en cene, umas vechações decorativas e artistas cariocas. Vamos ver o que nos aguarda. Ah, vou lá dar um close na sexta para conhecer…

A boate Move Music, como todos já devem saber, estará fechada para reformas até dia 22.

O que vai rolar em seu fim de semana


Na Boate da Chica Chiclete:

Gente, eu adoro o trabalho da Eletrika, especialmente umas performances mega futuristas com umas luzes piscantes. Arrasa!

No The Pub:

thepub 31-1-7-8

Dá para ver que a The Pub está de fato investindo em Djs! Dessa vez trouxe um Dj da Le Boy do Rio. Vale a pena conferir. Ah, infelizmente nãos erá esse fim de semana que irei na The Pub . Ainda atolado de trabalho, sorry!

Na Move Music:

dejavu1A Move Music promete fechar com chave de ouro a temporada, já que é o último fim de semana antes da reforma que dura até o finzinho de agosto, com uma festa after njo domingo pela manhã. Será no segundo andar, boate decorada e umas bees fervidas (é, porque tem que ter muuuita disposição, néam?!):

DelayAdorei o título da festinha! Parece que enfim, a Move tá começando a se acertar. Bons ventos?!

Opções para seu fim de semana!


Esse fim de semana vai ser aniversário do Dj Alex Brazil da Planet Pub. Vão fechar o bar, aumentar o som no último e o babado vai ser certo:babadocertoO Dj pediu para avisar que vai ter Deco Fluor. Deve ser ótimo apesar de eu não fazer idéia do que seja isso. Só me passa na cabeça aquelas aplicações que os dentistas faziam em nós na infância… Vão pro próximo.

Perguntei para a galera da Heaven e disseram-me que a boate ainda é gay sim e está firme, forte e lotada. Nesse fim de semana, vai rolar:

heaven(click para ver ampliado)

Vai ter sorteio de uma garrafa de Salton, dose dupla de Ice e a fadinha do Vick. Sim, ela. Acho que todos conehcem a fadinha do Vick: é aquela senhora de meia idade super malhada que anda de boate em boate vestida de fada colocando padê vick (?) no nariz da gente. Bem, conhecer eu conheço, só nunca entendi. Próxima.

Na Chica vai ser a tão esperada inauguração do ‘Dry Drink Bar‘. Para quem não sabe é aquela obra que estava sendo feito do ladinho da boate e que chamava a atenção de todos. A Chica é empreendedora e quer dominar o mundo!

Lembro que numa noite ela disse que estava fazendo isso especialmente para as fanchas, já que, segundo ela, as fanchas amam bar. Pra elas e pra mim, Chica, tambem amo! Passando…

A Move Music vem querendo parar tudo com o show de Amannda. Que é uma suuuper famosa cantora de dance. Fui na Move sexta passada e ao longo da noite ficava passando a vinheta do show que os promoters dizem ser imperdível. Eu que sou super fora das tendências da música eletrônica (ainda mais da música eletrônica indie?), pra mim música eletrônica é remix de Britney, Madonna, Rihanna (atoro o périgon dela), Lady Gaga e etc, pedi para Cacaw me explicar quem é Amannda. Ela me mandou esse release aqui:

Após o grande sucesso dos seus primeiros hits, Away From Me e Listen Listen, Amannda incendiou as pistas do mundo inteiro com “Sound of your Voice”. Já se apresentou no Spirti of London, Hot Mix, White Party, Revolution, Cine Ideal, The Week entre outras. Acabando de chegar de uma turnê no México, se apresentou a bordo do cruzeiro GLBT Island Scape. E antes de retornar ao Canadá e EUA, Amannda solta a voz na Boate Move Music.

Além disso me mandou esse vídeo aqui também:

Ah, como é show phynno e caro não vai ter vip, tám, gente, só consumação! Geral está super empolgada com Amannda-Amannda-anda-anda-nda (com eco)!