Tentei ir na Move!


Sobrevivendo a Move!

Sobrevivendo a Move!

Ainda sobre o efeito de uma ressaca prolongada, e acendendo um cigarro no outro (nunca fumem!), tento escrever o que foi a Move na sexta. Existem coisas na vida que não tem preço, e para outras existem Master Card.. Fico com essa máxima da propaganda quanto o assunto é diversão. Principalmente quando o assunto é buatchy, e nesse caso a move.

Primeiro uma parada no Triângulo para aquela concentração básica em um aniversario, o que já deixa os ânimos bastante alterados. Segundo chegar a Move as 1 e meia da madrugada e encontrar o juizado de menores multando a casa, pela presença de um menor com carteira de identidade falsificada. O que fudeu com um amigo meu que estava com documentos sem foto e teve que ficar até as 3 esperando a liberação da entrada. Tudo normal, respeitando a lei, se não fosse o fato que alguns entravam. Isso deve ser o efeito de um cartão de crédito citado no inicio do texto. Como fiquei com o meu amigo na espera, pude ter a prova que alguns entravam sem o documento exigido. Uma identidade no bolso de uma pessoa provava que o amigo dele tinha entrado sem a identificação. Se você freqüenta essas boates, sabe que menores sempre dão um jeito de entrar, seja de forma “lícita” ou falsificando aquele documento com ajuda da bee, mafiosa, amiga.

A informação dos promoters era que após a saída da fiscalização, entraríamos sem maiores problemas, noticia somente desmentida as 3 por uma Cacaw muito simpática e solicita. Nesse momento eu e meu amigo já estávamos com novos amigos, e fazendo um rock lá por fora mesmo. Nisso começou a chuva que lavou a rua, e parece que levou o meu bom humor com a situação. Como não sou um leitor do Babado(digo pelos comentários) que arrasam no loosho e ostentação, dependo do bom e velho transcol ou de carona. Como a minha carona já estava de saída da buatchy, foi hora de quebrar o pau mesmo e exigir a minha entrada e do meu amigo.Uma dica: Nunca se faça de vítima,e faça uso de uma boa capacidade argumentativa!

Entrei, e falar da Move me parece tão supérfluo comparado as conversas e diversão da porta! Lá dentro tudo o mesmo, e com a presença elevada ao cubo de ht’s. Muitos, vários, e organizados, eles estavam por toda parte. A única coisa que foi capaz de me trazer um sorriso no rosto, foi a presença de uma mulher com roupa de aspecto e gosto duvidoso, querendo dá uma carteirada na entrada , dizendo-se produtora e que tinha acabado se sair de um desfile e tinha levado uns modelos para diversão na casa.O que ela queria? VIP…me divirto com isso!Afinal, um bom carão é tudo, mesmo quando você é uma produtora de moda em um lugar como o Espírito Santo. Devo confessar que não me diverti nada, e o melhor da noite foi a Cacaw(uma simpatia por sinal!E nem estou sendo irônico) me achando no meio do povo e pedindo desculpas pelo constrangimento da entrada.Isso foi a minha ida a Move.E olha que estava super a fim de falar bem da casa, que por sinal adoro, mas, meu inferno astral e alguma lua mal colocada no zodíaco não permitiu. Adorei a indagação de uma beesha da porta.- “Quem é você na noite capixaba?”. Fica a dúvida se era isso que a Move queria.Ter alguém da noite capixaba!Claro que isso tudo não acabou sem um pequeno problema na comanda.Me chamem de barraqueiro , mas não me cobre a mais nunca!