“Sua noite começa agora!” ou “Que?! Tem baile funk gay em Vila Velha?”


Para ler ouvindo (clique na imagem)

Há muito mais coisas entre a Move Music e a Chica Chiclete do que sonha sua vã filosofia.

Faz algum tempo que vem-se falando sobre um possível baile funk no Ibes, em Vila Velha. “Dé é verdade que…”. Eu sempre respondendo “Não sei de nada!”. Mas agora é oficial, gente: SIM, HÁ UM BAILE FUNK GAY EM VILA VELHA! E nós, como amamos MUITO vocês, mandamos um correspondente até lá para conferir, fotografar e contar tudo pra gente (obrigado, Lucifer!).

"Desce e sobe/Desce e sobe/Agora quebra di ladinho"

A localização precisa não sabemos dizer, só que é MUITO perto do terminal do Ibes (“é só seguir em frente até a rua fazer uma curva”, foi o que me disseram). O lugar é mega discreto e não há nenhuma fachada ou placa marcante. O preço para entrar é 5 arô (R$). A revista é bastante meticulosa, afinal, mesmo sendo gay, não deixa de ser um baile funk, portanto, eles não estão querendo te seduzir, fia, é pra sua própria segurança.
Nosso correspondente, disse que ao chegar lá encontrou com um amigo que lhe disse que lá costuma lotar, mas que naquele dia (final de semana passado) estava vazio porque  estava rolando a Parada Gay de Porto Novo. Pára de fazer essa cara, vai dizer que não sabia que no findes passado rolou uma parada lá em Cariacica?

"♫All the single ladies (All the single ladies)♪"

Nosso correspondente relatou que o som estava melhor do que muitas boates por aí, mas que as bee se acabam mesmo é quando rola as clássicas pop. Inclusive ela presenciou aquele momento em que todas se juntam e fazem a coreô de Beyoncé. Houve uma comoção geral, o baile todo parou para acompanhar a performance. Bapho!

Assim como qualquer bom rock tinha desde casalzinho se amando na pista até as pegativas caçadoras. Boa parte do público faz aquela linha
bee-cara-de-marginal-toda-trabalhada-na-aba-reta. É fetiche!

Enfim, o lugar é bem simples, boa parte é coberta e tem um bar logo na entrada. Parece que eles agora abrirão também nas quintas-feiras.

Quem topa fazer uma caravana e lotar o local levanta a mão e grita:

\o/ – AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!