Babado, Confusão & Gritaria [Viagem a Pontal de Areia]


Hey, babies! Voltay, bronzeada e com o fígado em pedaços depois de um fim de semana hardcore em Nova Almeida, que eu apelidei carinhosamente de Pontal de Areia, pois dessa vez saí da casa de Ariadna e conheci os novos horizontes daquele vilarejo com cheirinho de peixe.

Fui pra lá na sexta à noite, porque tinha show da Elba Ramalho na festa “do congo” e da fincada ou retirada do mastro, que eu nunca soube o que significa enfiar e tirar aquele pau todo mês. Interessante é que tem álcool, música e gente boni… é… tem gente.

Chegay na festa e já comecei a chapar, num deu duas horas recebi uma das minhas entidades, fomos buscar cerveja na casa de uma bee e eu vou te contar, minha gente, tivemos que subir uma escadaria tão longa, mas tão longa, que eu me senti subindo aquelas doze casas dos Cavaleiros do Zodíaco. Enfim, chegamos no palco, nos instalamos, me apaixonei pelo guitarrista da bandinha de forró e Elba entrou!

Bem bonita

A racha cantou, dançou, o show foi belíssimo, mas eu queria muito que ela cantasse “Amor com Café“, e gritava incessantemente pedindo isso, mas em vão, ela não me ouvia…

Resolvi mandar uma gay amiga minha ir pra perto do palco pedir a música, num deu meia hora eu vi o viado tentando pular a grade e subir no palco pra falar com a Elba, e quando não conseguiu, começou a gritar pra todo mundo ouvir: “Elba, sua racistaaaaaaaa”… lógico que ela estava possuída por alguma ministra, ELBA racista, gentchy? hahaha

Mas a sexta-feira não foi o dia mais conturbado, o babado foi sábado. Acordamos de ressaca e cagadíssimas, mas naquela manhã eu sabia: “A pomba estava encostada”.

Confesso que quase fui

Colocamos a sainha da Cyclone e descemos as quebradas pra beber no Bar da Sônia, pertinho da pracinha… cerveja vai, cerveja vem, surgiram umas gays diferentíssimas (uma muda, inclusive, mas que falava mal de TODO MUNDO, não me pergunte como)… anoiteceu, e aí o bicho pegou.

Primeiro parou um fusca com 5 negões ouvindo funk. Tava tocando “Minha vó tá maluca“, que eu ADORO. Pedi pro negão aumentar o som, aí pronto, foi a oportunidade pra ele começar a dar em cima. Eu me fazia de besta, claro, todo mundo aqui sabe o medo que eu tenho de negão, ainda mais CINCO.

Na hora que eles foram embora, me entram os 5 brutamontes no fusquinha, um deles me chama na porta e diz:

-“Então, vamos dar uma volta com a gente”

-“Mas não tem lugar pra mim”, respondi.

-“Nada, vem no meu colo…”

A sensualidade do homem Nova Almeidense

Vocês IMAGINEM o cagaço que eu senti! Cada prega do meu koo fez um B.O. na delegacia, prevendo os maus tratos que sofreriam. Eu, dessa finura, mais 5 negões, num lugar desconhecido, presa dentro de um fusquinha? Só iam depositar meus ossos na porta da casa de Ariadna no outro dia de manhã!

Sentei na minha mesa de novo, os negões tomaram seus rumos, e levantei pra pegar cerveja. Que eu volto, já tem mais dois sentados na mesa conversando com os meninos. Tá, fiquei na minha, pensando que fossem colegas deles… eis que um deles, BANGUELO, vira pra mim e fala:

-“Porra, tu é goxtosa, hein? Tô doido pra comer essa BOCETA” *pausa dramática*

Faz-me rir, né, a cacura só tinha 2 dentes na boca e teve a audácia de dizer que ia me comer, e como se não bastasse, ainda queria comer minha boceta, gente? Não dei confiança, falei que eu era sapatão e ele logo se afastou. Mas o outro ficou.

O outro não era feio não, meninës, juro que eu até pensei em fazer, mas ele começou a falar de me apresentar pra mãe dele, de ir num sei pra onde, melkoo, sei que terminamos a noite na casa de um quinto bofe que apareceu, bebemos até às 7 da manhã, fiz o boy e ainda dormimos lá!

Com o koo na mão, claro, porque esse negócio de “vai tomar dormindo” é moda em Nova Almeida, e pra me pegarem pra Monique no meio da noite, pouco custou.

Babado, Confusão & Gritaria [Edição Biocalourada]


Gentchy, acabei de crer que sou imortal, essa última noite me provou isso.

Ultimamente eu não estou postando o BCG porque eles estão cada vez mais pesados e eu tenho medo de acabar com a minha rePUTAção contando pra vocês. Esse eu vou contar porque tem suas partes engraçadas, mas nada que faça vocês me amarem menos.

Saí de casa lá pelas 15 horas e fui em direção à Ufes pra encontrar cá minha amiga sapatão às 16. Até aí tudo bem, fomos pra calourada, enchemos o koo de cerveja, dançamos, demos bafão, mas nada que interessa aconteceu na calourada.

Deu umas 20 horas e eu comecei a ficar tonto, sabe aquela sensação horrorosa de quando você bebeu demais e por mais que você se concentre, a porra do planeta não pára de girar? Pois é, eu tava assim.

Resolvi ir embora porque eu não sou obrigada a servir de assunto pras fofoqueiras da chatuba. Fui pro ponto de ônibus, acontece que eu tava tão chapada que em vez de ir pro ponto em direção à Vila Velha, fui parar em Jacaraípe! E o pior é que eu não tinha nenhuma noção disso, continuei andando pelas ruas achando que estava no Ibes.

Agora que vem a parte terrível da história: Comecei a sentir muito sono, simplesmente DEITEI dentro de uma moita numa pracinha e dormi! Inclusive, quem já dormiu bêbado em lugares inusitados sabe que aquele é sempre O MELHOR sono da vida da gente hahaha.

Não sei por quanto tempo eu dormi, mas de repente uns três caras começaram a tentar me acordar, educadamente, educados até demais, se é que me entendem. Acordei, e eles perguntaram pra onde eu tava indo, respondi que estava indo para Vila Velha, eles começaram a rir e me ofereceram uma carona.

Não tinha muita opção, né, bee’s, aceitei. Entretanto, o único lugar do Brasil onde as pessoas oferecem carona e realmente te levam pra onde você quer, é Viçosa! Óbvio que eles não me levaram pra Vila Velha, fui parar numa casa de praia num lugar que parecia ser aqueles lados de Praia Grande e Nova Almeida, sabe?

Nessa casa tinha bebidas, drogas, umas 4 pessoas, mas a única coisa que eu bati o olho e me joguei foi na cama! E como homem não vale nada, um dos caras achou que eu tivesse ido pra lá com a intenção de dar um cruzo, QUE AUDÁCIA! Eu mal conseguia falar, quem dirá sensualizar pra dar uns pegas em alguém!

Só que eu já tinha dormido um pouco, meu cérebro tava começando a voltar ao normal e eu perguntei onde eu tava, como fazia pra voltar pra casa e tal… o cara veio me falar que só ia me levar pra casa se eu… é… vocês sabem…

Cheguei assim, tava bem, até.

Ah, sem hipocrisia, bebês, tava bêbado, tinha feito a chuca, o cara não era feio, tinha camisinhas na bolsa… não custava nada fazer em troca de uma carona, tem gente que já fez por muito menos hahahah.

Fui chegar em casa às 7 da manhã, sem marcas de violência e totalmente sóbrio… mas sabem aquela sensação de ressaca moral que dá na gente essas horas? Aí vira e mexe a gente pensa no que fez no dia anterior e acorda sobressaltado, com aquele frio na barriga, e a sensação de “porra, tô fodido”!

E vocês, queridas, como se divertiram nesse fim de semana? Fiquei sabendo que o Open Bar da Canal 505 bombou, é verdade?