Kooriosidades – Na Cama com Sarah [Tema: Preferências Trocadas]


sarah cama

 

Sim, o banner é provisório e feito no paint, porque eu não sou disáiner e tenho que depender da boa vontade da puta do Dé fazer outro pra mim com o nome trocado.

O tema de hoje é curioso porque pela primeira vez aconteceu algo que eu nunca vi: ambos os lados se mostraram interessados em mudar de papel.

Nós sabemos o quanto é complicado quando um ortodoxo namora um versátil. Uma hora o relacionamento sempre acaba com a parte versátil querendo comer ou dar e o outro lado cedendo, incomodado, e mandando e-mail pra trans aqui querendo saber como faz pra convencer o boy a parar de tentar virar o edi/meter a neca.

Cata o e-mail:

retorno

Clique para ampliar

 

Se eu tivesse acabado de injetar minha Perlutan e estivesse tomada pela progesterona, vulgo urina de satanás, eu diria pra beesha parar de show e comer o namorado logo, até aprender a virar um ativo de respeito.

Mas como estou praticamente um Ursinho Carinhoso depois de tanto estrogênio que tomei, eu vou dizer que esse é o momento perfeito pro casal reaprender a fazer sexo. Sério, gente, só eu acho romântico os dois parecerem dois virgens descobrindo como trepar?

Para começo de conversa: FAÇA UM CUZINHO DE BOLA

[youtube https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Gb-gHHsBcXk]

Pode parecer coisa de virjão, e é, MAS NÃO! O cuzinho de bola vai te dar tempo para treinar algo fundamental no sexo anal: ritmo.

Não existe na face da Terra uma beesha que consiga gozar com um boy que mete como se estivesse dançando Crazy in Love, da Beyoncé: Ó ô ó ô, ó ô, aí acelera, oh no no.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ViwtNLUqkMY]

E minha próstata assim:

tumblr_muoaxzCR0b1s49x9io1_400

O erro de todo homem ruim de cama é não manter o ritmo frequente e rápido, como Pump it de Black Eyed Peas:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=ZaI2IlHwmgQ]

ISSO É UM ORGASMO! E eu caminhando da cama pro banheiro:

cambaia

Outra dica é: Masturbação!

Yes! Descabele o palhaço, frequentemente! Isso vai te fazer aprender a segurar o gozo. Porque se tem uma coisa que um ativo inexperiente não sabe fazer é segurar o orgasmo, principalmente porque koo a gente sabe como é, justo como uma calça 36 da Zoomp.

Mas cuidado exagerar e terminar assim:

tumblr_mh4gs3cjUo1qjt5m8o4_250

E por fim, PRATIQUE!

MONTOU

Ninguém nasce sabendo fazer sexo. Se os dois sentem vontade de experimentar aquilo que não estão acostumados, nada mais sensato que pratiquem o máximo que puderem, sempre que tiverem oportunidade.

Enquete: Pegação na Praia


veraaaoAntes que digam que eu sumi porque fui botar peito, conto pra vocês que tirei essa semaninha de folga porque comecei a jogar um jogo novo, e aproveitei esses últimos dias de férias para aumentar meu level.

O tema de hoje tem tudo a ver com a época do ano: O verão!

Pois é, essa estação deliciosa, com muito sol, pouca roupa e sexualidade aflorada. Mas como os gays aqui de Vitorinha se comportam nessa época?

Eu confesso que fico uma bosta, não posso pegar sol, meu cabelo se fode, minha maquiagem não pára no rosto e meu humor fica péssimo .

Como disse a Vani dos Normais: Não entendo por que o verão tem esse apelo das pessoas serem felizes e saudáveis.

Relembre:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=NDPP2oZy9rE]

Um leitor, muito interessado em pegação, me mandou a seguinte pergunta:

Ola, Max. Me chamo F. tenho 25 anos, homo, ativo e gosto muito de praia, o verão taí e é época de curtir bastante o nosso litoral.

Quero muito saber em que lugares aqui da grande Vix acontece pegação na praia, ou pelo menos os points que mais lotam de bee’s. Adoro ver meninos de sunga, balançando le derière à beira mar, sejam estes discretos, deem pinta ou ate mesmo efeminados (tem muito cara que não gosta, melhor que sobra pra mim, rs).

Se souber de algum point praieiro de pegação gay, avisa, faça um post com o tema. É verão, calor demais, roupa de menos, as praias estão aí como terreno fértil para exercitarmos nossa sensualidade. Portanto é mais que válida uma publicação sobre azaração gay a beira mar.

ATIVO?

content_Luta_Livre

533695_470388623012372_590535458_nSempre achei que pegação na praia fosse uma lenda urbana, que no máximo acontecesse pela restinga remota da Feira do Cu e do Final Feliz.

Mas não é possível que essas beeshas que vivem postando foto na praia só vão até lá por causa do sol. Viado não dá ponto sem nó, é certo que tem alguma possibilidade, mesmo que pequena, de piroca disponível.

No Rio de Janeiro eu sei que existe o Posto 9, aliás, um amigo meu arrumou um MARIDO naquele lugar, acreditam?

emdia7E o boy é magia, bem sucedido e tudo mais. Mas nem pelo Murilo Benício sacudindo o pau no calçadão eu me sujeitaria a sair do conforto da minha casa e ir até a praia.

Vocês podem me achar fresca, mas é questão de força maior mesmo, bee’s, eu posso usar gola rolê pra pegar sol, é botar o pé na areia que eu fico igual bunda de babuíno.

Enfim, vocês que são mais escoladas que eu, que tal ajudar nosso amigo ATIVO a conseguir koo? Não é todo dia que se vê um ativo, acho que vocês deveriam ser solidárias, depois não reclamem que só tem passiva na rua.

Mas é ajudar respondendo o que ele perguntou, tá? Não é ajudar me pedindo pra mandar o Facebook dele não, vadias!

Como se elas fossem me respeitar.

Como se elas fossem me respeitar.

Ativo ou Passivo?


Nas conversas virtuais ou na boate, vira e meche você se vê diante de uma pergunta tão indiscreta, quanto existencialista: “Ativo ou Passivo?”. Muitas vezes, a gente se vê numa sinuca de bico, porque as coisas nem sempre são tão simples assim e você não quer correr o risco de perder o boy magia que está na sua frente. “Ah, eu dou, mas por você eu me esforço… rs”.

Por isso, nós, sempre uns querido, fizemos uma escala Ativo/Passivo para elucidar algumas variações simples dessa classificação. Sofre cagente:

E você? É o que?

O peso da passividade


Que filosófico esse título, mas vai me dizer que não dá uma vontade louca de saber de qual assunto se trata?

Pois é, dá, e o assunto de hoje se parece muito com o formato dos posts do Kooriosidades, mas se eu não mudar a plataforma, eu vou acabar transformando todos os posts de discussão em posts do Kooriosidades. Elas me perguntam de um tudo!

Por isso, resolvi aproveitar a história de mais um leitor, não pra ajudá-lo (isso já fiz respondendo o e-mail individualmente), mas pra entrar numa discussão que me parece incomodar várias bee’s. Vamos ler:

Conheci um carinha de Vitória a pouco mais de um mês, estou morando a pouco em vitória.

Mas enfim, o cara sempre ficava falando que era ativo e tal, e eu dizendo que não iria dar certo porque só sinto excitação em ser ativo, já tentei ser passivo, mas não dá, não tenho tesão, sabe como?

Então saímos e no primeiro dia ele já queria transar, então fomos para meu apê, e descobri que ele é muito passivo! Estamos namorando agora, e com um mês de namoro ele fica se gabando para os amigos de ser o ativo da relação, e eu fico como o passivo, pois não tenho amigos na cidade e nunca namorei ninguém aqui.

Isso esta atrapalhando muito a relação, ele fala que por ser o fortão e ter cara de macho, “tenho que aceitar isso”

Penso naquela velha historia de gay passivo que não assume, ele diz: “Eu estou sendo passivo com você, nunca fiz isso com ninguém você é o 1º”.

Resumindo, o que devo fazer para essa criatura se aceitar, estou deixando de ter tesão na relação, não sei o que acontece com essas bichas que gostam de esconder a opção, “versátil mais passivo”, “versátil mais ativo”

Não entendo isso, ou você gosta de meter ou gosta de dar. Mas gosto muito dele, pois é um cara muito legal e não queria terminar por bobagens , não quero que ele fique gritando para todo mundo que é passivo, só queria fazer ele entender e aceitar.

O meu sentimento por essa pessoa é duvidoso, por um lado sinto um ódio eterno por ele ter convertido mais um ativo à passividade, por outro acho uma graça que bata o pé pela sua atividade num mundo dominado por edis nervosos.

Mas não é disso que eu quero falar, sempre tendo a falar de sexo, dessa vez quero falar de comportamento. O problema do rapaz é com o namorado que não se aceita passivo, mas o próprio ao ser taxado como tal se sente incomodado e até cogita terminar o relacionamento.

Como é que ele espera que o outro, sempre acostumado a ser ativo, aceite tão facilmente o novo rótulo se nem ele, com um rótulo de mentira, fica à vontade? E por que um rótulo de passivo incomoda tanto, se um depende do outro pra existir, afinal, se não tiver quem só dê, não tem quem só coma, certo?

Errado! Tem os “versáteis”, eles são a maneira que muitos gays machistas inventaram para se livrarem do estereótipo de passivo. Não que os versáteis verdadeiros não existam, existem sim e são muitos, mas em meio a eles você vai encontrar uma infinidade de gays como o namorado do rapaz do e-mail.

Eu disse que era ativo? Te enganei!

Sobre versatilidade, leia o meu outro post CLICANDO AQUI

Sempre que vemos um casal gay temos o hábito de determinar quem é o ativo e quem é o passivo da relação, é natural que façamos isso, e pouco importa se a mais feminina disser que é o ativo, na nossa cabeça ela será a passiva e ponto final.

Isso me lembra muito casais heterossexuais sobre os quais paira um tabu sobre o que fazem na cama, geralmente isso acontece quando a esposa faz fio-terra no marido. Só ele fala de sexo, e ai dela se fizer algum comentário envolvendo dedo, ânus ou diferença de potencial (ddp).

Sobre o casal do e-mail, observem o quanto ele quer que o outro assuma sua passividade, não só porque ele é o ativo, mas também porque, palavras do próprio texto: o outro “fica se GABANDO que é o ativo”.

Se gabando que é o ativo… por que se gabando e não apenas dizendo? Porque somos machistas, todos nós, não só os héteros. Pra todos os homens latinos o fato de parecer ou agir, o mínimo que seja, como uma mulher, é humilhante para a sua identidade masculina.

Até mesmo alguns homens muito masculinos, quando se assumem passivos, tentam o tempo inteiro se desvencilhar da ideia feminina do ato, usando as famosas gírias “Brow, Brother, Fera, professor Xavier, Jean Grey, entre outras”.

Tudo isso com a intenção de assumir a preferência passiva na cama, mas tentar dizer que ainda é ‘homem’. Uma grande besteira, como se ser homem se resumisse a usar o pênis como uma arma de dominação.

Já perceberam que quando uma mulher “age como homem” ou se veste com roupas masculinas ela é vista com respeito e sensualidade, mas quando um homem se veste com roupas femininas é visto mais como uma figura de humor? Ou vocês achavam mesmo que hétero tem tesão em lésbica só por causa do ménage à trois? Nada disso!

Isso acontece porque o homem, na nossa sociedade machista, é o exemplo de força e superioridade. E como todos os animais procuram como seu parceiro sexual aquele que demonstra ser o mais poderoso do bando, é de se esperar que a mulher com características masculinas seja a mais atraente, pois ela representa o que consideramos superior.

Em contrapartida, imaginem um homem no lugar da Dama de Ferro (Margaret Tatcher) tomando as mesmas atitudes dela, mas se perfazendo de características do universo feminino, assim como ela fazia com o universo masculino…

…vocês acham que ele teria o mesmo êxito em conquistar o respeito de uma nação?

Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Dominador e dominado]


O Kooriosidades dessa semana vai ser diferente.

Tenho recebido muitos e-mails de leitores e, como o Kooriosidades é uma coluna semanal, se eu fosse esperar para postar um por semana a bee que me enviou a cartinha hoje só teria sua resposta no ano que vem!

Então, pra poupar tempo e responder mais gente, vou mudar a frequência para dois posts por semana, okay?

A cartinha de hoje é de um boy que se diz ativo, mas que fica desconfortável quando o passivo é maior que ele, vamos acompanhar:

Max, estou com um dilema: curto ser ativo, mas não consigo quando o cara é maior do que eu. Tenho tesão por caras baixinhos, magrinhos e machos, quero ser ativo com eles.

Mas quando o cara é maior que eu e apresenta características de ativo dominante, às vezes broxo, me sinto impotente diante de um cara que é mais macho e mais dominante do que eu.

Será que tenho que continuar sendo ativo com caras menores, e passivo com caras maiores?

Ah, a eterna heterossexualização da relação gay. Nossa sociedade patriarcal e machista domina de tal maneira o koo alheio que um homem se sente menos masculino sempre que toma atitudes “tipicamente femininas” no sexo.

Basta observar o horror que os héteros têm ao “fio terra“, e a própria carta acima, na qual ele deixa de se sentir à vontade como ativo somente pelo fato de ser menos robusto que o parceiro.

Aquela situação que a racha coloca o dedo no edi do namorado:

Sim, afinal, como a relação sexual homossexual é, infelizmente, uma relação de dominação (assim como é a heterossexual), é de se esperar que o maior seja o dominador e o menor o dominado. Quando esse paradigma é quebrado, *BOOM*, temos um ativo confuso com relação a sua capacidade de dominação.

E com muitos passivos acontece o mesmo. Eu já fiz sexo com homens de todas as alturas e idades (todas mesmo), mas em todas as vezes nas quais eles eram mais novos ou mais baixos (porque mais magro é impossível, néam?) que eu, me sentia desconfortável… como se eles não fossem “homens o suficiente” para me dominar.

Vejam só a grande babaquice machista que afeta a todos nós, até mesmo uma bee como eu, que a última coisa que ostenta é a masculinidade.

Entretanto, pela carta do rapaz ele parece bastante flexível nessas situações, e mesmo quando “broxa” com os caras maiores que ele se sente confortável em ser passivo. Apesar de eu achar isso lamentável diante da escassez de ativos no país, o que interessa é gozar.

Portanto, em vez de seguir seu coração, siga sua neca. Se ela subir, ótimo, se não, use a próstata. 🙂

Tá com um dilema de natureza sexual, social, econômica ou médica? Mande sua dúvida para max_babadocerto@hotmail.com, e a Max consultará os universitários para tentar resolver o seu problema.

A neca do vizinho é sempre mais grossa…


Quem nunca namorou e percebeu que parece que o mundo inteiro quer te passar a peeca? É, façam um comparativo. Por mais que você seja uma prostiputa que pega um boy diferente cada dia da semana, é só namorar pra começar a chover ainda mais pinto na sua horta, tanto pinto, mas tanto pinto, que se você dormir de janela aberta acorda com o edi mais largo que a Linha do Equador.

Mas por que isso? Por que será que nós somos mais cobiçados quando estamos namorando?

A resposta está, mais uma vez, na linda da Biologia: Apesar de nós sermos inteligentonas, racionais e dominadorãns do ambiente terrestre, ainda carregamos características comportamentais dos primatas, uma delas é a tal Seleção Sexual. Quem nunca observou que todo mundo tem um “tipo” de homem que gosta mais? Tem aquelas que curtem os magros, outras os ursos, as bombadas… e até aquelas que comem o que tem pra hoje.

Selecionando sexualmente os boys

No fundo no fundo vocês não fazem ideia do porquê gostam mais desse tipo, só sabem que gostam, não é mesmo? Isso daí já são resquícios da Seleção Sexual se manifestando, na qual a sua vivência determina quais características são ideais para o seu parceiro.

E sobre a bee que tá namorando e, por isso, parece ter se tornado infinitamente mais interessante? Muito simples, quando essas mesmas macacas nascem já existe um macho que domina o bando. Ele é quem tem o direito de copular com todas as fêmeas, por ter os melhores genes, e é aquele macho que ela deseja.

Bolada nas coshtas

O mesmo acontece conosco, mas meio defeituoso, porque existe a questão da Psicologia falar sobre o famoso complexo da “grama do vizinho” (nesse caso sou obrigada a deitar pra vocês, Humanas). Parece que ver um macho ou fêmea com outro parceiro, nos dá a impressão de que ele já foi selecionado sexualmente, por estar com um parceiro, tornando-se um candidato também para nós, e dando um motivo para brigarmos por ele… por isso que tentar roubar o marido da outra não é de todo mal-caratismo, hahahaha.

Em mim os hormônios não agiram, queridãm

Lembrando que como somos gays, os papéis sexuais na busca por um parceiro muitas vezes se confundem, você vai ver também sapatão agindo como macho, ou seja, cortejando e buscando parceira, e gays agindo como fêmeas, selecionando o parceiro que chega.

Mas isso não é uma questão de masculinização/feminilização, apenas uma questão de “público alvo”, se o seu corpo sabe que você gosta de mulher, o seu comportamento de corte vai tender a se modificar para atrair mulher, o local e o quanto de hormônio sexual age em cada parte do cérebro dão as características comportamentais tipicamente masculinas ou femininas na hora do cruzo.

Dica do leitor