Decifraram os buraqueiros!


Bicha, você é apertadinha?

Bicha, você é apertadinha?

Tô adorando esses estudos modernos sobre sexualidade, que em vez de procurar a naturalidade só no comportamento homossexual, passam a ver a sexualidade sob um ângulo mais amplo.

Vocês lembram do termo criado por uma leitora do blog para designar aqueles héteros que pegam beeshas de vez em quando: O Buraqueiro?

Pois é, um sociólogo determinou que a heterossexualidade não é natural, mas sim construída socialmente, porque desde pequenos somos condicionados a acreditar que só existe a possibilidade de se atrair por um sexo (de preferência o oposto).

Cata a matéria:

compulsoria

sexoua

E agora, o que a gente faz?

13mar2013---durante-sessao-da-comissao-de-direitos-humanos-da-camara-o-deputado-jair-bolsonaro-pp-rj-mostra-cartaz-a-manifestantes-onde-esta-escrito-queimar-rosca-todo-o-dia-a-primeira-sessao-da-1363205848541_615x300

Boa ideia!

1184478575_f (1)

Andrógina

Ele atribui essa determinação à maneira como somos criados, desde pequenos treinados a gostar do sexo oposto.

E eu digo que isso faz muito sentido. Toda vez que saio para beber nos finais de semana, devido à minha androginia recebo cantadas de homens heterossexuais, mas quando eles descobrem que não sou mulher perdem o interesse.

Mas será que aquele interesse inicial, que os fez chegar até mim para conversar, pode ser perdido, ou ele sim representa a verdadeira sexualidade das pessoas?

É um caso a se pensar, aliás, vou além e posso dizer que a homossexualidade também é influenciada por esse adestramento social.

Mal ela sabe que fiz meinha com o Júnior ontem hahaha

Mal ela sabe que fiz meinha com o Júnior

Quando estamos nos descobrindo, a gente tende a namorar pessoas do sexo oposto, mesmo percebendo que não gostamos. Isso demonstra a influência da sociedade na nossa ideia de “relacionamento ideal”. Percebemos que aquilo não nos agrada tanto, mas mesmo assim somos capazes de nos relacionar com o sexo oposto.

Entretanto, quando nos determinamos “gay”, tendemos a evitar o sexo oposto e negar qualquer possível desejo por ele… isso também não é um resultado da dicotomia da sexualidade, que nos obriga a escolher só um lado?

Sempre pensei nisso, mas toda vez que falava pras beeshas só faltava quebrarem a garrafa de cerveja na minha cabeça, tamanha a revolta por eu cogitar a possibilidade delas comerem buceta. Mas se o nosso sexo deixou há muito tempo de servir só para a reprodução, é de se esperar que a busca do prazer seja o ‘natural’, que reprodução seja apenas a consequência, não a finalidade do sexo.

Será que lá no fundo não somos TODOS bissexuais, em menor ou maior grau?

dont

Leia mais da matéria clicando AQUI