Pesquisa comprova: Sexualidade dos pais não afeta QI da criança.


Para jogar um pouco de luz sobre a polêmica treva de que pais gays não sabem educar direito seus filhos, pesquisadores dos Estados Unidos estudaram crianças adotadas por casais de mesmo sexo para saber se isso é realmente verdade.

Uma equipe de psicólogos da Universidade da Califórnia em Los Angeles (EUA) analisou casos de 82 crianças consideradas “de risco” que foram adotadas no Estado – 60 por pais heterossexuais, 22 por homossexuais (sendo 15 por homens e 7 por mulheres). A idade das crianças na época da adoção era de 4 meses a oito anos e a dos pais de 30 a 56.

Os estudioso fizeram avaliações com as crianças nos períodos de 2 meses, 1 ano e 2 anos depois da adoção. Elas foram analisadas por um psicólogo nos três momentos, e seus pais responderam a questionários. O resultado é que todas as crianças, filhas de gays ou não, tiveram um significativo desenvolvimento cognitivo, e os níveis de problemas comportamentais permaneceram estáveis.

Além disso, a pontuação delas em testes de QI subiram em média 10 pontos, o que é considerado um grande aumento. Antes da adoção, elas já tinham múltiplos fatores de risco, entre eles nascimento prematuro, exposição a drogas durante a gestação, abuso ou negligência e moradia inconstante.

“As crianças adotadas por gays e lésbicas tinham mais desafios antes da adoção e, ainda assim, chegaram ao mesmo ponto de desenvolvimento, o que é impressionante”, destaca a pesquisadora Letitia Anne Peplau. “Não há base científica para se discriminar pais gays e mães lésbicas”, completa ela.

Quando lhe perguntaram se as crianças precisavam de uma mãe e de um pai, o pesquisador Jill Waterman respondeu: “Crianças precisam de pessoas que as amem, independentemente do gênero de seus pais”.

Fonte: http://migre.me/bk376

Enquanto isso no primeiro mundo…


Não, não sou daqueles que diminui seu país diante de outros e mimimi. Mas, não há como negar que em muitos, as políticas aos homossexuais estão a anos-luz das nossas. Enquanto por aqui se discute se os homossexuais “merecem” uma legislação de proteção a violência e de união afetiva, e partidos bizarramente fazem campanha de Tv dizendo que família é constituída por homem e mulher, excluindo, assim, outras formações de casais, em Londres…

A Grã-Bretanha vai tirar as palavras “pai” e “mãe” dos documentos oficiais, substituindo-as por “progenitor 1” e “progenitor 2”, para evitar o constrangimento de casais homossexuais e de seus filhos. A BBC informou que a mudança vai começar pelo passaporte.

Outros países europeus deverão seguir o exemplo britânico.

Trata-se de uma tendência que já se verifica no Parlamento Europeu. No ano passado, a instituição recomendou aos seus integrantes que não usassem “Miss”, “Mademoiselle”, “Seniora and Seniorita” porque esses prenomes de tratamento indicam uma identidade sexual que pode ofender as pessoas.

Via Paulo Lopes.

Todas pras urnas!


Que tal aproveitar todo esse climinha de eleições para exercer seu direito ao voto, no site da Gazeta On-line, numa enquete sobre adoção por casais homossexuais no Espírito Santo?

A notícia que sugere a enquete aborda a relação da galerinha da Grande Vitória com a adoção por casais de bee’s e frogs, e afirma que nós estamos preparados para essa nova realidade.

Então, nada melhor que comprovar isso arregaçando os homofóbicos vencendo a enquete com louvor!

Vote clicando AQUI.

Conto com vocês!

Dica da Robercat

Efeito cascata: outra Vitória!


GayBaby Boom

Beeshosaaaas, olha que delícia: vou falar outra vez de um assunto na mesma semana. Depois do Supremo Tribunal Federal ter dado ganho de causa para a adoção de duas crianças para um casal de lésbicas no Rio Grande do Sul, é a vez do Tribunal de Justiça do Mato Grosso conceder por unanimidade a guarda de um criança para um casal de gays! Babado!!!E olha o que disse a desembargadora Maria Helena Gargaglione Póvoas quando deu seu voto: “De todas as discriminações de que são vítimas os homossexuais, a negativa de reconhecimento de direito de ter filhos é a mais cruel, por tornar inviável a realização pessoal do indivíduo que sonha em ter um filho, neto e transmitir e receber amor e carinho”.

Gente, eu fico muito feliz. Primeiro, porque é mais uma criança que não vai ficar mofando em um orfanato a espera de pais que nunca virão. Segundo, e tão importante quanto, é o fato de a justiça abrir mão do preconceito e ver que a orientação sexual em nada tem a ver com caráter e capacidade de dar uma boa educação! Estamos arrasando!!!

Mais uma Vitória para nós!!!


LGBT POWER!!!

Entonces beeshosas, para quem ainda não sabe a população lgbt brasileira teve mais uma vitória. Um casal de lésbicas conseguiu o direito de serem reconhecidas como mães de duas crianças. NUNCA na história desse país isso aconteceu e foi o Supremo Tribunal de Justiça que reconheceu a dupla maternidade por unanimidade – tem casos que Nelson Rodrigues estava errado! Para quem quiser saber mais, dá uma lida na matéria que saiu aqui ou outra que saiu aqui. É uma vitória sem tamanho, muito mais que o direito de entrar vip nas boates ou de arranjar um bofe escandalo para preencher a cama em uma noite! Beijoxxx!

Pela adoção homoparental


Iniciou-se uma campanha pela internet contra a lei-burra proposta pelo deputado Olavo Calheiros (PMDB/AL), que visa a proibir a adoção de crianças por casais homossexuais. Está na cara que essa lei possui finalidade eleitoreira, num país em que o eleitorado é majoritariamente heterossexual e boa parte homofóbica. É inconstitucional, gente!!! Para saber mais sobre esse absurdo numa análise especializada leia esse texto aqui, do Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos.

Então, TODOS OS LEITOTES DO BABADO CERTO não podem deixar de participar do abaixo-assinado CLICANDO AQUI!