E que os jogos comecem!


Você aí sedentário na frente do computador/TV nem vem querer me dizer que está alegrão com os jogo olímpicos porque é “incentivo ao esporte”, é “união entre os povos” e blá blá blá. Todo mundo sabe que você assiste só pra ver as coreôs e, acima de tudo, ver os homi. Então, vamos ao que importa e ver os cafuçú e as necas voadoras, fia?

“Vamos!”

Somos nacionalistonas e vamos começar com um brasileiríssimo, ninguém mais, ninguém menos que…

Cesar Cielo – Aos 25 anos, é o nadador brasileiro mais bem-sucedido da história! Só não é mais porque não veio dar uma nadada aqui na caixa d’água da minha laje!

Max Hoff, 22 anos – É canoísta e representa a  Alemanha. Olha bem pra essa carinha e diz se ele é do tipo que mete fofo, hein?

Aaron Ramsey, 22 anos – Jogador de futebol da Inglaterra. Sou mais Neymar… ALOOOO(…)OOKA! rs

Teddy Riner, 23 anos – judoca francês. Gata, agora imagine esse cafuçú dum-dum,  2,04 m e 139 kg, de pura melanina e suor em cima de você? Até molhei o teclado…

Alessandro Fabian, 24 anos – Triatleta italiano. Tem um q de passiva, não curti não. Fiquem a vontade pra catar, eu deixo.

Leandro Guilheiro, 28 anos – judoca brasileiro. De largar a família, fia.

Rafael Nadal, 26 anos –  tenista espanhol. Se fizer piadinha com raquetada é muito óbvio? Se cortar o cabelo eu vou lindamente (sim, não curto homem de cabelo comprido)

Ryan Lochte, 27 anos – nadador americano. E esse olhar “corre, que vou te comer!”? Seria bom dar umas nadadas nesse peitoral, não?!

Tiago Splitter, 27 anos – jogador de basquete brasileiro. Sim, mais um brasileiro pra vocês sonharem que um dia é possível, bastaacreditarosonhossemprevempraquemsonhaaaaaaar… Gente, e como administrar 110 kg distribuídos em 2,13 m? E um sonho: que a neca seja proporcional!

E aí, gatãm? Qual é sua aposta pra essas Olimpíadas?

Pink money, trabalho e aceitação social: a hipocrisia capitalista


Pink Money!

Aprendi cedo uma lição não muito cidadã, mas que infelizmente se reafirma dia-a-dia. Logo que comecei a ensaiar a saída do armário, mas especificamente a primeira vez que fui a uma boate gay (a move), conheci um homem bastante interessante em vários aspectos. Ele era de certo modo até a figura caricata do “bom”: alto, loiro, olhos azuis, empresário, 40 anos, rico. Era também ativo e a neca era boa, foi o primeiro cara que fiz aquele caminho boate-cama, e chegamos até a começar um relacionamento mais sério, entretanto me apaixonei por outro cara que definitivamente não valeu a pena, mas isso tudo não vem ao caso. Conversando com esse sujetio ele me disse (fazia muito a linha conselheiro, talvez pela idade) que se eu trabalhasse e adquirisse uma renda, eu poderia me assumir e seria bem aceito. Citava  a própria história, trabalhava muito, tinha grana e posses e apesar de ser gay assumido numa pequena cidade do interior do estado ninguém o recriminava, ao contrário de outros gays da mesma cidade.

Enfim, o que quero discutr é que o capitalismo iguala a todos nós, enquanto potenciais consumidores. Ele cria essa linha de fuga para as minorias, de tal maneira que até se cria os chamados mercados de nichos e alguns deles nos tem como público alvo, mas a anistia a homofobia generalizada é restrita aos que são capitalizados. Apenas! Que realidade é essa que vivemos que privilegia e aceita apenas quem tem dinheiro e atira a obscuridade e a margem todo o resto que não seja macho-adulto-branco-saudável? Sentimos confortáveis em viver num mundo assim? Eu não.

Hoje foi aberta oficialmente as campanhas eleitorais. Este mês tem parada gay em Vitória. E nós o que estamos (estaremos) fazendo? Assistindo a tudo numa poltrona com a boca aberta escancarada esperando a morte chegar?

Promoção Chapeleiro Louco


Finalmente, chegou a Vitória o filme mais esperado do ano, Alice no País das Maravilhas, dirigido por Tim Burton (que, aliás, é um dos meus diretores preferidos), no Kinoplex e no Cinemark.

As bees fashionistas do blog Na Fila A estão fazendo a promoção Chapeleiro Louco. Está no blog:

Imagine que voce foi convidado para a o chá do Chapeleiro Louco e pra nao fazer feio, que chapeu  usaria pra impressionar  o anfitrião??

Voce só tem que criar um chapeu inspirado no filme ou não, mandar uma foto usando  o mesmo com uma breve descrição da inspiração e  seu  nome completo para filaablog@gmail.com e torcer pros outros concorrentes serem menos criativos que você.

Nós do BC apoiamos a idéia e eu vou bem participar, não que eu precise – já que eu ia ver o filme de qualquer forma – mas por puro, puro espírito de fechação e ladygaguismo burtoniano. Arrasa no chapéu!

Mais informações aqui.