DENÚNCIA GRAVÍSSIMA: Homofobia na Vale do Rio Doce


Apenas vejam a imagem abaixo do jornal que está sendo veiculado pelo Sindicato dos trabalhadores da Vale do Rio Doce, o Sindifer, sobre uma denúncia feita dentro da Vale por um funcionário:

image

Clique para ampliar

Minha reação a esse tipo de notícia:

tumblr_mss6pasiKl1qzk469o1_400 veragif4 veragif10 epa-o

PORQUE UMA VERA VERÃO SÓ NÃO É SUFICIENTE PRA EXPRESSAR MINHA INDIGNAÇÃO!

Como pode um funcionário que está ali com o mesmo mérito que qualquer outro ser obrigado a ouvir uma agressão moral grave dessas? Não aceito!

Perdemos mais uma luta


Parem de dar importância pra Chorão no Facebook, algo muito mais importante morreu hoje: Os nossos direitos.

Infelizmente, o Pastor Marco Feliciano, com 11 de 18 votos, foi eleito o presidente da Comissão dos Direitos Humanos.

O presidente da Comissão, é a mesma pessoa que disse isso no Twitter:

285562_497121473656546_737058199_n

E fez isso no seu culto:

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=35bnmSimN9Y#!]

Vocês não ouviram errado, ele disse “É a última vez que eu falo. Samuel de Souza doou o cartão, mas não doou a senha. Aí não vale. Depois vai pedir o milagre para Deus e Deus não vai dar. E vai falar que Deus é ruim”.

E é presidente da Comissão dos DIREITOS HUMANOS!

Leia mais clicando AQUI e AQUI. E assinem a petição clicando AQUI.

Agora só falta colocarem o Goleiro Bruno para tratar dos Direitos da Mulher e Silas Malafaia para tratar de Ciência e Tecnologia

Aaaaaaaah, Linhares…


Mijódromo do Ferraço em Colatina!

Nos anos 90, em Cachoeiro foi implantado pela prefeitura o mijódromo, uma máquina que faz chover em sua praça central, mas que acabou sendo, alguns anos depois, removido, pois ao contrário de refrescar o ambiente, acabava por molhar todos que passavam pelas proximidades.

Parece que tem um cara em Linhares querendo implantar um sistema parecido…

Do Site de Linhares (é, o nome é esse mesmo):

gozou na cara!

Um fato inédito nos arquivos da Polícia Militar de Linhares ganha destaque no 12º Batalhão: um homem exibia o órgão genital em frente a uma residência, no bairro Conceição, e quando uma mulher, que mora no local, estava caminhando na via, ele começou a se masturbar e ejaculou no rosto dela.

Tem que ser ninja e desviar!

Horrorizada, a vítima chamou a polícia para registrar o caso e detalhou as características físicas e o traje do “tarado”, explicando aos militares que nunca o havia visto antes.

O fato aconteceu em plena luz do dia, na Avenida Hans Schmoger, e a vítima, que tem 38 anos, disse que quando caminhava pela referida via, por volta das 10h20min, viu o homem, de cor parda, porte físico forte, estatura mediana, aparentando ter entre 35 e 40 anos, com o órgão genital para fora da calça. Ele vestia camisa listrada e tinha um boné branco na cabeça.

Quando percebeu a presença da mulher, o estranho começou a se masturbar, chegando ao orgasmo e jogou o esperma no rosto da vítima. Em seguida ele fugiu e não foi encontrado durante rondas feitas pela polícia.

Registro de arquivo da jornalista:

Consta nos arquivos da jornalista Elida Oss que um fato de ejaculação em público foi registrado pela polícia há cerca de 06 anos, porém dentro de um supermercado, no bairro Shell, onde um homem se masturbou e ejaculou na perna de uma consumidora, que estava no setor de legumes e verduras.

Nota: O orgasmo é a conclusão do ciclo de resposta sexual que corresponde ao momento de maior prazer sexual. Pode ser experimentado por ambos os sexos e dura apenas breves segundos. É sentido durante o ato sexual ou a masturbação, que é o caso do relato policial em questão.

#xatiadíssima

Você agora não pode sair em Linhares com a make feita, cabelo escovado e com um look babadeiro pois corre o risco de ter um maluco que vai passar porra na sua face. Uó! E esse cara deve odiar mesmo as mulheres porque ele goza e faz questão de ir lá passar na cara das rachas. Misoginia pouca é bobagem, né?

Mas não sei se isso me indigna mais do que o fato do site ‘Site de Linhares’ (rs, num guento esse nome) realmente achar que as pessoas não sabem o que é orgasmo e explicar com textinho do Wikipedia.

Deu pau no calendário…


…E nós voltamos para a Idade Média?!

Como podem banalizar manifestações de ódio travestidas de liberdade de expressão dessa maneira? Dá uma olhada no que saiu no Jornal A Gazeta de HOJE:

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Quem lê e apoia isso, só pode ter a cabeça assim:

tumblr_mfilxv14k81qdlh1io1_400

liberdadeQuanto à distorção do que está escrito na Bíblia eu compreendo o pastor, tá mesmo muito claro lá que homoafetividade é abominação, e pouco me importa se aquelas passagens foram inseridas posteriormente por papas com interesse político. Quem faz uma religião são seus seguidores, e se eles dizem que tudo que está contido ali é palavra de Deus, então é. E acabou.

No final das contas o livro inteiro não vale nada pra mim, e estou cagando para o que esse deus genocida fala.

expreasãoEntretanto, o interessante é que se o pastor estivesse determinando que mulheres adúlteras, desvirginadas antes do casamento, e que foram estupradas devem ser apedrejadas em praça pública, ou ensinando como escravizar outros seres humanos, todas com passagens tão claras na Bíblia quanto a passagem sobre homossexualidade, eu duvido que o jornal publicaria.

Veja as passagens clicando AQUI e AQUI.

Levíticos 11:12

Levíticos 11:12

E esses são só poucos exemplos das inúmeras passagens de conteúdo preconceituoso ou violento contidas no Velho Testamento, e que são ignoradas pelos pastores evangélicos. E eu vos pergunto: Por que somente essa passagem é levada em consideração e todas as outras são consideradas obsoletas? 

O dia que puderem me responder isso mantendo a integridade moral do Cristianismo, eu me calarei.

Enquanto isso, fica aqui meu repúdio contra esse pastor e ao jornaleco que teve a audácia de dar aval para que esse texto repleto de homofobia seja publicado.

Se não existe limite entre liberdade de expressão e discurso de ódio, permitam então que sejam publicados textos a favor do Nazismo.

Câmara debate amanhã proposta que abre caminho para a “cura gay”


Duas resoluções do Conselho Federal de Psicologia, que orientam os profissionais da área, poderão ser derrubados durante a audiência pública na Câmara dos deputador, nesta quinta-feira, 28. O deputado João campos, líder da bancada evangélica na casa, apresentou projeto de lei que pode fazer com nós, lindinhos, voltemos a ser vistos como “DOENTES”.

“Entendo que a matéria não pode ser vista apenas sob a égide de uma única classe profissional, pois alcança a sociedade de uma forma geral. O tema requer um estudo e uma análise aprofundada, levando em consideração os aspectos científicos e também sociais que o envolvem” (…) Entendo que a matéria também deve ser submetida às pessoas que desejam buscar na psicologia ajuda em virtude de dúvidas quanto à orientação sexual”, declarou o parlamentar à Agência Câmara.

A sessão de debate será realizada às 9h30 pela Comissão de Seguridade Social e Família, da qual Campos é suplente. Não que isso influencie, é claro. Como, no ano de 2012, um absurdo desses pode ser pautado? Tenha santa paciência, Sr. Sociedade!

Como diria Robin Tyler: SE A HOMOSSEXUALIDADE É UMA DOENÇA, ENTÃO DEVERÍAMOS AVISAR DIARIAMENTE NO TRABALHO: OI, NÃO POSSO TRABALHAR HOJE, AINDA ESTOU GAY.

Fonte. 

Gazeta Online e a arte de manipular os fatos


Cata a matéria postada hoje no Gazeta Online. Prestem atenção nas partes grifadas de vermelho e pensem junto comigo:

Primeiro, se ele deu entrada no Hospital Dório Silva de MADRUGADA, como ele foi esfaqueado na Parada Gay, se esta aconteceu durante à tarde e início da noite? Foi todo machucado e ficou zanzando que nem Walking Dead até resolver ir pro hospital?

E outra, por qual motivo o título diz claramente que ele foi esfaqueado na Parada Gay, mas NINGUÉM soube informar se a vítima foi ferida durante o evento? Quer dizer, uma pessoa tem o pescoço e a mão cortados no meio da multidão e ninguém viu nada? Nem os inúmeros policiais que passavam o tempo todo na orla?

O que a falta de uma matéria de capa não faz, né?

Fonte: Gazeta Online

Bispo diz que estupro só é possível com o consentimento da mulher


Sei que esse assunto tem pouco a ver com o blog, mas acho válido tornar isso público e acessível pro maior número de pessoas possível.

Via Facebook:

O bispo Luiz Gonzaga Bergonzini disse que as mulheres mentem ao dizer que foram estupradas, e que  isso seria apenas uma maneira que elas arrumaram para conseguir a liberação do aborto.

Cata o que essa fofura disse:

“Vamos admitir até que a mulher tenha sido violentada, que foi vítima… É muito difícil uma violência sem o consentimento da mulher, é difícil”. Já vi muitos casos que não posso citar aqui. Tenho 52 anos de padre. Há os casos em que não é bem violência… [A mulher diz] ‘Não queria, não queria, mas aconteceu…'”.

“Então sabe o que eu fazia?” O bispo pega a tampa da caneta da repórter e mostra como conversava com mulheres. “Eu falava: bota aqui”, pedindo, em seguida, para a repórter encaixar o cilindro da caneta no orifício da tampa. O bispo começa a mexer a mão, evitando o encaixe. “Entendeu, né? Tem casos assim., do ‘ah, não queria, não queria, mas acabei deixando’. O BO é para não facilitar o aborto”.

Tá, Gonzaguinha, agora coloca um revólver na nuca da tampa da caneta pra você ver se ela “evita o encaixe”…

Adoro ver o Cristianismo Rolling on the River.

Caso de internação


Saiu na Época:

Jean X Jair

Desde a entrada do ex-BBB Jean Wyllys no Congresso os ânimos estão exaltados. Isso se deu devido a uma bancada antigay que se formou, diante da pressão do deputado para a aprovação de projetos como a União civil homossexual e a criminalização da homofobia.

A bancada homofóbica faz parte da Frente Evangélica (claro, sempre esse câncer da sociedade) e é liderada pelo deputado Jair Bolsonaro, sim, ele mesmo, o defensor da palmada e inimigo ferrenho da PL122 e do famoso “kit gay”.

Eu não vou comentar sobre porque estou com muito ódio no coração. Clique em “LEIA O RESTO DESTE ARTIGO” e veja alguns trechos da entrevista dele para a Revista Época:

Continuar lendo

Senta que a Boióloga vai falar!


Recebi e-mails, telefonemas, torpedos e até sinais de fumaça para comentar sobre a gafe postada no Século Diário pelo autor que se intitula ‘doutor’ Nazar.

O texto fala sobre uma mulher indignada porque descobriu que seu marido contraiu HIV, até aí tudo bem, qualquer uma ficaria poota na paulista. Mas, diante do pedido de ajuda, cata o que o tal doutor respondeu:

“[…]Não sei se você sabe realmente da vida sexual de seu marido fora de casa. Será que ele sai mesmo com outras mulheres? Isto é uma verdade, ou não seria apenas uma suposição sua para encobrir alguma coisa que você não quer ver, algo que possa lhe constranger? Por que você acredita que ele se infectou com mulheres? E se foi com homens? Você deve levar em conta esta possibilidade. Isto porque, o grande canal deste tipo de infecção é sangue com sangue e esperma com sangue, e a probabilidade de um homem ser infectado por uma mulher é rara, mínima. O homem, sim, infecta uma mulher muito mais facilmente.

Use o raciocínio lógico. A grande maioria de homens casados que se infectam com o vírus da Aids tiveram relações homossexuais passivas pela via anal. É muito difícil uma família admitir um fato como este. O imaginário social presta um grande beneficio para todos neste caso. Pelo simples fato de serem casados eles acreditam que podem passar a idéia de terem sido infetados por uma mulher. A probabilidade é menor. Acredito que seu marido é gay, certamente ele teve relações com homens. E não há que se ter vergonha desta situação. Acredito que seria indicado um bom tratamento analítico para ele, talvez ele seja mais humano nesta sua posição gay, menos rígido. […]”

De fato o doutor fez a linha “Dourado do BBB” ao afirmar que a probabilidade é mínima, quase nula. E isso não é verdade. Apesar da probabilidade do passivo (seja homem ou mulher, afinal, hétero também faz sexo anal) ser infectado pelo HIV ser muito maior, devido a maior laceração do tecido com o atrito, e consequentemente, maior quantidade de microlesões, tanto no pênis quanto no ânus, o ativo também têm boas chances de se contaminar.

A vagina possui maior lubrificação e maior resistência ao atrito, afinal, é a sua função abrigar o pênis durante o sexo, por esse motivo, é menos susceptível a infecções de contaminação via transfusão sanguínea. Bem como o pênis, que possui a pele também preparada para suportar o atrito.

O ânus possui lubrificação natural, mas apenas interna e escassa, afinal, as fezes já vêm lubrificadas do intestino. Ou seja, ele é menos preparado para receber tais agressões, logo, mais propício permitir a troca sanguínea entre o ativo e o passivo, uma vez que o pênis também se “machuca”, tanto com a maior dificuldade na penetração, a menor lubrificação interna em relação à vagina e ao diâmetro do canal retal, menor que o canal vaginal.

Ou seja, o doutor não foi homofóbico, apenas extremista, e na ciência tudo é passível de correção. O autor está certo ao falar que a grande maioria dos HOMENS CASADOS se infectam dessa maneira. Ele especificou o grupo a fim de evitar erros de interpretação, afinal, as estatísticas comprovam que atualmente, na população total, o número de infectados é muito maior entre heterossexuais jovens.

O comentário infeliz do doutor foi o de dizer que “certamente” o marido adúltero é gay, e isso não é benquisto pela comunidade científica. Uma probabilidade, por mais que esteja 99% correta, NÃO deve determinar um diagnóstico.

Outro péssimo comentário foi o de afimar que o marido adúltero tem AIDS, e isso não está claro na carta que a esposa mandou. Ter Aids é diferente de ter HIV, estar infectado não implica em ter os sintomas que caracterizam a doença. Ele como “doutor” deveria saber disso.

No fim das contas, para José Nazar só se transmite HIV via relação homossexual, mas tentou mascarar sua opinião inserindo uma probabilidade que pra ele mesmo nunca existiu. Que vergonha! Tem que ver isso aí, gente!  É por isso que cada vez mais o grupo homossexual deixa de ser “de risco” e mais pessoas “casadas/de bem” aparecem com a “sopa de letrinhas” no sangue. Lamentável o desserviço do site, colocando em xeque décadas de campanha de ministérios, secretarias e organizações de saúde.

Nós do BC estamos indignadas e já vamos enviar e-mails com a fúria de Marimar para a redação do site. Se quiserem fazer o mesmo, basta clicar AQUI (ou diretamente para faleconosco@seculodiario.com.br) e enviar sua bronca.

Leia a matéria completa clicando AQUI

Cantinho da fé


Sei que alguns colegas não gostam dos deboches com assuntos de religião e fé. Então não vou fazer piadas, nem deboches, nem colocarei imagens engraçadas, deixo isso por conta do entendimento de vocês:

7º CONGRESSO EXODUS BRASIL
Vitória, 5 a 7 de Setembro de 2009
Sexualidade, Verdade e Graça

Vivemos um momento crucial para a Igreja Cristã, onde mais do que nunca é importante equilibrarmos a Sexualidade Humana com a Verdade e a Graça de Deus.
O propósito do 7º Congresso Nacional do Exodus Brasil é apresentar uma visão bíblica sobre a sexualidade humana, oferecendo esperança aos que buscam ajuda nesta área.

Alguns temas das plenárias:

•Quando Alguém que Você Ama está Envolvido na Homossexualidade;
•Raízes e Prevenção da Homossexualidade;
•O Papel da Família na Formação da Identidade;
•A Igreja e a Homossexualidade;
•Pornografia e Masturbação;
•Legislação, Homossexualidade, Pedofilia e Homofobia;
•Masculinidade e Feminilidade;

Dica do Diego por email.

Cursinhos pré-vestibular e homofobia


Atualmente, uma das pragas da educação na Grande Vitória (e acredito que em todo o país) são os cursos pré-vestibulares (sim, aqueles mesmos que fizeram um bizarro manifesto anti-cotas). Ainda bem que não tive que passar por esse processo de emburrecimento para entrar na universidade. Se não bastasse transformar todo o processo educativo em um amontoado de fórmulas acríticas a serem decoradas e a sala de aula num circo, esses antros das incoerências pós-modernas agora deram para ter uma postura homofóbica. Segundo amigos meus, que frequentam esses cursos, os “professores” adoram “zuar” com os alunos fazendo alguns tipos de “brincadeiras”. Assim, passam a utilizar todo tipo de comentário que tendem a marginalizar a figura do homossexual. Isso mostra o despreparo pedagógico desses profissionais e o quanto eles dão, dia-a-dia, a esses adolescentes uma lição de anti-cidadania. Não pensam naqueles jovens em formação que vivem o conflito de serem marginalizados por serem eles mesmos ao viver seus desejos como todos os outros e nem naqueles que acabarão sendo os homofóbicos de amanhã (num maldito ciclo vicioso).

É nosso dever lutar contra a homofobia para superar os muros ideológicos para construirmos uma sociedade mais justa, serena e pacífica. Alunos destes projetos resistam a esses comentários e denunciem. Não podemos deixar esses atos acontecerem! E vocês professores, atenção!