Cobertura da Parada Gay de Vila Velha [2012]


Primeiro, quero dizer que estou chateadíssima, porque tiraram uma foto minha segurando a plaquinha do “Eu voto contra a homofobia”, mas não me incluíram no site.

Eu sei que eu tinha usado a base errada e meu rosto parecia aquela restauração da velhinha espanhola. Mas tudo bem, por mim todas as fotos da parada gay se resumiriam a ESSA:

Simplesmente a montação mais SENSACIONAL que já vi em toda a minha vida! E ela ainda dublou Set me Free, catem a referência, mulé maravilha, cordas, liberte-me, gays, parada, tudo conectado.

Qué dizê, um cérebro é um cérebro, né, minha gente?

E cérebro também não faltou na apresentação bem oitentista de I Will Survive, relembrando aquelas drags da época que se montavam com poucos recursos, com uma pitadinha de empreguetes:

Foram as duas apresentações que mais me marcaram, mas isso não desmerece o talento das outras que fizeram shows, o problema é que eu estava bebendo atrás do trio nas primeiras apresentações e acabei perdendo tudo. A beesha não pode ver trio que já acha que tá no Vital.

Mas vamos então seguir a ordem cronológica dos basfonds.

Uma pele é uma pele

Cheguei por volta de 15 horas porque demorei para me arrumar, achei que devido ao sol precisasse usar um pouco mais de maquiagem, ledo engano, fiz um reboco tão grosso que me perguntavam se eu tinha sido exposto à radiação e virado o Coisa do Quarteto Fantástico.

Enfim, o trio foi comandado mais um ano pela Ana da Band, com a maestria habitual. Claro que não poderia deixar de citar as aparições de Miss Linda comandando uma parte do evento, e o discurso empolgante de Deborah Sabará, que colocou um pouquinho de política na cabeça de algumas beeshas que foram pra lá atrás de outro tipo de cabeça.

Imagens exclusivas do boy que dirigia a ambulância atrás do trio

Ainda não sei o motivo de só ter aparecido um trio elétrico, afinal, havia informado a vocês AQUI que seriam dois, lembram-se? Pois é, não teve, mas bobagem, isso não alterou em nada a qualidade do evento. E pelo que eu ouvia na rua, não teve sequer uma ocorrência policial. Lindo, néam?

Será que os evangélicos sequestraram o trio? Não sabemos… mas em falar em evangélico, sempre tem uma galerinha distribuindo panfletinhos dizendo que G-zuis nos ama. Engraçado é que só distribuíam pra viado, não vi um hétero sendo parado na portinha de uma pequena igreja nas proximidades da passeata.

Passei pela portinha e veio uma moça me entregar um panfleto, disse: “Jesus te ama.”

Respondi: “Então manda ELE vir falar comigo” (ênfase no tom de voz do “ele”)

Ela: “E ele vai!”

Respondi: “Ele, não você, e se ficar me pressionando vou tomar nojo dele antes de conhecer.”

Eu e a irmã

E saí, com a marca da besta nas costas, provavelmente, pois ela deve ter praguejado tanto minha vida que fico até com medo do terraço daqui de casa despencar na minha cabeça.

Mas essa galera tem que ouvir umas verdades de vez em quando, vivem se baseando na premissa de “não julgue para não ser julgado”, mas é o que MAIS FAZEM quando entregam esses panfletinhos de “Jesus te ama” somente pras beeshas.

O quê faz ela pensar que eu já não saiba que o Jesus dela me ama? Sim, O PRECONCEITO.

Pois bem, num balanço geral do evento, tivemos:

Boy Magia? Sim, tivemos:

Travesti de parar o trânsito? Sim, também tivemos:

Tivemos Ângela Jackson de, segundo ela, coroa de flores para o caixão da Hebe Camargo:

Entretanto, o mais divertido mesmo foi um coió em cima do palco. A apresentadora falando: “Vocês que têm Facebooks conhecidos, sites famosos, blogs, não vamos falar mal da parada gay não, vamos ser unidos. Vamos acabar com esse estigma de que toda beesha é fofoqueira e faz picuinha.

Nesse momento a parada inteira olhou PRA QUEM? Detalhe que estávamos eu, Iza e Dé juntos, pense nos olhares de reprovação… mas mal sabiam elas o que estava por vir.

No final, a apresentadora soltou: “Apoie os eventos voltados para o público LGBT, seja profissional, como o site Babado Certo, por exemplo, que está sempre conosco.

VRÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁU, se eu tivesse um leque batia na cara das 45 beeshas que me olhavam com aquele olhar de “agora a Max vai ser humilhadãm”, e muah, nosso trabalho foi mais uma vez reconhecido.

Dizem que naquele momento uma cadeira cadente passou pelo céu, mas são só boatos.

Agradecimentos especiais ao Renan Rilton (organizador do evento), à Ana da Band, ao site LGBT-ES por ter cedido as fotos (roubei sem pedir hahaha), e a todas as fofas que compareceram ao evento, coroando mais uma vez a Parada Gay de Vila Velha como uma das melhores do estado.

Só quero ver como Vitorinha (dia 2 de dezembro) vai bater de frente com essa parada, vamos acompanhar…

Tirou foto com a plaquinha e não sabe onde encontrá-la? Clique AQUI e procure por você 🙂

AVISO: Se qualquer pessoa que teve seu nome citado ou imagem postada aqui tenha se sentido ofendida, favor mandar um e-mail para max_babadocerto@hotmail.com e solicitar a retirada da imagem/comentário. Não temos a intenção de denegrir a imagem de ninguém.