HOJE tem parada gay da Serra!


Mulheres, não fiquem putas com a minha falta de postagem, tá? Eu peguei 10 matérias esse semestre e ainda tenho que ler os artigos pro Gepss e escrever o meu TCC. PENSEM NA LOUCURA!

Mas eu tenho novidades. Este domingo terá o VI Manifesto da Serra, que acontecerá em Jacaraípe, além de várias programações durante a semana, cata:

1465183_10202417770987551_1122510746_n

Ebaaaaa, tudo que eu queria!

tumblr_mub44lTNTV1sannnio1_250

Infelizmente, eu não poderei ir porque vou “viajar” pra Nova Almeida sexta e, vocês bem sabem, minhas idas à Nova Almeida são sempre repletas de muito Babado, Confusão e Gritaria.

Não garanto nem que vou estar viva no domingo, quem dirá apta pra ir numa parada gay. Mas quero vocês TODAS lá, dando curso de hormonização e de auto-aplicação de Perlutan pras novinhas inexperientes.

Hay que endurecer, pero sin perder lo truque jamás


Parou o recalque que agora eu vou mandar o papo reto: tá dando pinta, tá fabulosa? Então manda um beijo pras travestis :***. Pode ser Candy Darling, a travesti que foi musa do Velvet Underground, grupo orquestrado pelo magnânimo Andy Warhol nos anos 60; para Mina Caputo que se aventurou no heavy metal dos anos 80; ou mesmo pra Micheline Mountreuil, primeira transgênero a se candidatar a um cargo político nas Américas.

Passada com o cisrecalque das bonitas

Seja travesti, seja herói. Chaz Bono, Rogéria, João W. Nery, Laerte, Thomas Beatie. Enquanto você estava aí achando que bastava colocar uma arroba ou um x para eliminar as diferenças, esse povo todo estava aí nas ruas, sangrando na própria carne isso aí mesmo que a gente chama de gênero. Não só eles, mas essa travesti que faz ponto na esquina da sua faculdade e que você tanto menospreza.

Saiba que boa parte dos seus direitos, meu amor, foi aberta na base de muita gilete na gengiva.

É ele que sente, na pele, a violência que você, com sorte, só vai conhecer nas manchetes de jornal. Poucas chances, marginalizadas, tendo quase como opção exclusiva a prostituição. Ser gay, meu amor, é mais que dar pinta: é fazer resistência. É ser a resistência. Ser travesti, ainda mais no Brasil, é fazer do próprio corpo uma revolução.

Então, meu amor, se pegue na coreografia e vá em frente: manda um beijo pras travestis. Mais que beijo, mande cidadania. Mande respeito, mande dignidade. Porque, meu amor, sem travesti, você não é ninguém.

Transbeijos transfeministas
Tchynna Turner.

Chuca – Guia definitivo em vídeo


Eu posso fazer 70 posts sobre chuca (enema) dizendo que vocês NÃO DEVEM DEIXAR entrar água no cólon sigmóide, que mesmo assim sempre vai aparecer uma gay nos comentários dizendo que limpou, limpou e passou aquele cheque líquido.

A chuca não está aqui pra te fazer sofrer, nem pra te incomodar, ela está aqui ao seu favor. Está aqui para deixar o seu Reto limpo e aumentar a sua tranquilidade e sensação de prazer.

Por esse motivo, trouxe um vídeo (do Xvideos, sim, mas não é pornô) com um passo-a-passo para uma chuca perfeita:

xhuca

Aprenderam de uma vez por todas? Espero que sim!

E, para verificar se está tudo correto, você pode fazer o teste da colonoscopia caseira, usando apenas um rolo de papel higiênico, uma webcam e um edi bem largo e sofrido:

edi

104 centímetros é o diâmetro da bunda ou do koo?

Isso poderia ser também uma ótima alternativa pra usar quando aqueles boys ficam pedindo pra você aproximar o koo da câmera no Cam4, sabe? Só fazer isso que rapidinho a encheção de saco vai parar!

anigif_enhanced-buzz-7334-1357678026-1

Não, Max, tô bem assim

ES Cineclube Diversidade, com participação do Dé do Babado Certo


reviravolta

Dentro da #2 Reviravolta Coletiva, acontecerá uma sessão do ES Cineclube Diversidade. A sessão acontece hoje (24/10), a partir das 19h30, no Titanic, na Praça Duque de Caxias no Centro de Vila Velha. Serão exibidos os curtas metragens ” Da Alegria, do Mar e de Outras Histórias”,  “Novembro Paralelo” e “Depois do Almoço”. Depois dos filmes acontecerá um bate-papo comigo, Dé, com o Luiz Claudio Kleiam, ativista dos direitos LGBT e membro dos grupos Plur@l e Gepss, e com o público presente. Confira as sinopses:

Da Alegria, do Mar e de Outras Histórias
Direção: Ceci Alves. Ano: 2012. Duração: 14min
Sinopse: O filme é livremente inspirado na história real dos travestis baianos Júnior da Silva Lago, 22 anos, a “Luana”, assassinado covardemente por policiais militares, e do sobrevivente da barbárie, Jocimar Oliveira do Carmo, a “Joice”.

Novembro Paralelo
Direção: Ivan Monteiro. Ano: 2011. Duração 12 min
Sinopse: Em 14 de novembro de 2010 um ato de intolerância chocou o Brasil, porém em novembro de um 2010 alternativo, na manhã daquele fatídico domingo os acontecimentos tomaram um rumo diferente.

Depois do Almoço
Direção: Rodrigo Diaz Diaz. Ano: 2010. Duração 13 min
Sinopse: Seria um típico almoço de domingo entre amigos: maridos entretidos com o futebol, pequenas discussões com os filhos, esposas levemente alteradas. Até que alguns segredinhos são revelados, entre eles um sonho erótico capaz de mudar o rumo dessa prosa.

Aguardo tod@s lá!

Serviço:

ES CINECLUBE DIVERSIDADE (#@ Reviravolta Cultural)
Local: Titanic, Praça Duque de Caxias, Vila Velha
Dia: 24/10/2013 (quinta-feira) – Horário: 19:30

Cobertura da Parada Gay de Vila Velha


Olha que bafo o vídeo que saiu com a cobertura completa da parada.

Eu achei ótimo, principalmente porque eu deveria ter ido pra fazer a cobertura, mas estava com uma ressaca desgraçada e não consegui levantar da cama.

Vamos assistir?

[youtube https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=QZAuCUHRdUs]

Lindoooooo! Soube até que tinham umas gays usando a blusa do Babado Certo. Infelizmente não pude ir pra ver, mas sintam-se beijadas por mim, tá?

tumblr_muj6hpC6Yf1rjxoico3_400

Feliz dia dos erês!


#quemnunca

Então, datas temáticas a parte, vamos para a já tradicional programação do fim de semana da Grande Vitorinha (que paradoxal!):

Move Music – ESTARÁ FECHADA!

MOVE-FECHADA

Rouge House Club:

Rouge

Space Pub:

space

Black House:

Black

Balaio de Gatas (Cerimonial Reserva da Praia):

Balaio de Gatas

Antimofo:

antimofo

ON – Festa de Lançamento do II OFF – Mostra de teatro de grupo:
ON
Sexta-feira, 11/10/2013, a partir das 19 horas, na Má Companhia (Cidade Alta, Centro, Vitória). Show de Virgínia Diniz e Thiago Gomes, e exposição de livros. Couvert artístico = R$ 5,00.
Weekend White:
weekend

B.A.C.C.O 7 (Cerimonial Platinum):

baccoSábado na Ufes:

Sábado na UfesOutras informações e a programação na página do evento no Facebook.

Boate Loft:

Soft

 

Outras informações na página do evento no Facebook.

Parada Gay de Vila Velha:

A melhor parada gay do ES é domingo!


Isso mesmo, galera! Já é no próximo domingo que acontece a parada mais bombada deste estado!

parada gay vv

Cata:

7º Manifesto do Orgulho LGBT de Vila Velha

Tema: “PARA O ARMÁRIO NUNCA MAIS!”
União e conscientização na Luta contra a Homofobia.

Data: 13 de Outubro de 2013.

Horário: Início ás 13:00 horas.

Local: Avenida: Santa Leopoldina (em frente a faculdade Novo Milênio ) em Coqueiral de Itaparica – Vila

velha.

Atrações:

✰Pocket Show’s:
Sheila Verissímo – Miss Gay Espírito Santo e Miss Gay Brasil 2013
Ava Simões – Miss Gay Espírito Santo e Miss Gay Brasil 2011
Fernanda Ferrari – Destaque LGBT do Espírito Santo 2013
Gizelly Summer – Destaque LGBT do Espírito Santo 2013
Akillah Oliveira
Isabelly Bennett
Angela Jackson
Jéssica Telles – Whitney Houston Capixaba (Balanço Geral)
Labelle Beauty (SP)

♫Cantora:
Vanessa Ferr

☼ Presenças:
Camilla Lima – Miss Rio de Janeiro
Miss Linda – Ativista LGBT

.lıllılı.ıllıDj’s:
André Klçada
Alex debossan

Quer saber mais? Acompanhe por aqui!

Já vai preparando o modelón que o fervo vai ser certo na canelaverdeolândia.

O Gepss está de volta!


gepss

Com o início do semestre 2013/2 da Ufes, recomeçam as atividades do Grupo de Estudo e Pesquisa em Sexualidades!

Que tal mexer os pauzinhos nas suas matérias pra fazer parte da grupo esse semestre? Seguem as informações:

Local: Ufes – IC 4 – Sala 10

Data: 09 de outubro

Horário: 18:30

O texto que vamos discutir foi extraído do livro “Da diáspora: identidades e mediações culturais” De Stuart Hall. O texto usado será “A questão multicultural”, que vai da página (51 a 94), caso você tenha o livro em casa.

Mas se não tiver, clique AQUI para baixar.

Caso você não tenha tempo de ler o texto, compareça mesmo assim, nós sempre fazemos uma introdução e damos uma pincelada geral no tema antes de iniciar a discussão 🙂

É hora de estudar!

É hora de estudar!

Audiência Pública: discutindo o nome social.


Nessa sexta-feira (30/08) acontece uma audiência pública para discutir o uso do nome social nas escolas do município de Vitória. Só pra lembrar, no dia 05/03, foi derrubado o veto a lei 120, de autoria do vereador Esmael Almeida, que proíbe o uso do nome social nas escolas municipais da cidade de Vitória.

O nome social é um recurso para que travestis e transexuais exerçam plenamente sua cidadania, as escolas da rede municipal de Vitória devem incluir o nome social de travestis e transexuais nos registros escolares – diários de classe, listas de divulgação pública no interior e na parte externa das escolas, crachás e outros registros similares – para garantir inclusão dessas (es) cidadãs (ãos) no processo de escolarização, de aprendizagem e de convivência no contexto escolar.

Então, sexta, antes do rock na Lama, a senhora dê uma passadinha na Câmara para apoiar-nos!

MARCHA DAS VADIAS – Vitória 2013 (SlutWalk)


Brasil. Espírito Santo. Vitória. 20 de julho de 2013. Na capital do estado que tem o maior índice de violência contra a mulher no país, cerca de 300 vadixs saíram às ruas em mais um edição da Marcha das Vadias (SlutWalk). Durante toda a caminhada, xs manifestantes fizeram batucada e utilizaram megafones para gritar palavras de ordem contra o machismo, o racismo e a homofobia. O grupo reforçou a oposição a projetos do Congresso, como a ‘cura gay,’ e também criticou a Igreja Católica, considerando a questão do aborto. A manifestação recebeu demonstrações de apoio durante o trajeto, como aplausos, buzinaços e acenos nas varandas.

Veja o vídeo que fiz registrando a marcha, com depoimento de várixs manifestantes dando suas razões para estarem na rua:

 Foi lindo!

Dia do homem? Dia da homofobia!


songweaverEu sumi, gente, eu sei, mas é porque o Aion lançou uma classe nova e vocês me conhecem, não consigo me segurar em jogar até chegar no level máximo.

Tava começando a escrever agorinha mesmo o post de análise do meu ponto de vista sobre a Rouge House, apesar do Dé já ter feito a dele, muitos leitores pediram também a minha opinião durante a festa de sábado.

Só que não tem a possibilidade de eu me concentrar em fazer um post sobre isso, enquanto a minha timeline inteira está tomada de postagens homofóbicas sobre o dia do homem e de gays tendo a pachorra de se vangloriar por ter essa tripa no meio das pernas.

Por isso, vou fazer um apanhado geral e comentar cada uma delas.

Caso 1: Gays e o dia do homem

Eu ia postar o link de um blog que fez um texto sobre ser gay no dia do homem, mas o texto foi tão escroto e cheio de misoginia, que eu acho que ele se tocou e apagou aquela merdinha.

Que eu me lembro, era um texto repleto de clichês do tipo “Existem muito mais gays machos do que se imagina”, “nós também somos homens com H” e a máxima do final, “feliz dia do homem até pra você, afeminado, que apesar disso ainda é homem”.

Tchau, não quero mais militar por gente assim.

Tchau, não quero mais militar por essa gente

Nossa, me dá raiva de ler essas coisas. Macho, Homem com H, você é homem APESAR de afeminado? Que porra é essa?

Nós gays não temos que nos orgulhar de forma alguma de fazer parte da noção hegemônica ou heteronormativa do que é ser homem, aliás, temos é que ter vergonha.

Porque é por causa dessa dicotomia de gênero, dessa separação idiota baseada em leis vazias de comportamento (que ninguém sabe de onde veio, quem criou, mas todo mundo insiste em respeitar como se fossem naturais) que milhares de gays são agredidos nas ruas todos os dias, que travestis e transexuais não têm sua identidade de gênero respeitada, que mulheres lésbicas são humilhadas por não incluírem um pênis nos seus relacionamentos e que a diversidade da nossa classe fica cada vez mais limitada aos flyers de Parada Gay.

Eu, enquanto você fica toda dura tentando manter sua masculinidade

Eu, enquanto você fica toda dura tentando manter sua masculinidade

Ser gay e se orgulhar de ser homem, é se orgulhar de fazer parte de uma instituição falida, opressora e genocida, responsável pela homofobia que você sofre.

Caso 2: Ariadna e a transfobia

Lógico, alguma trans eles iam pegar pra Judas. E quem melhor pra sofrer que ela, a mais conhecida trans do Brasil?

Muitos brasileiros tem um particular ódio da Ariadna porque ela é bonita, não tem características do sexo masculino e com certeza alimenta um recalque extremo nos homens transfóbicos que sabem que pegariam ela.

Como resultado, sempre que chega esse maldito dia do homem, é o dia da transfobia na página dela. Cata a última:

76548_210231299133076_477400269_n

Deram “feliz dia do homem” pra ela, já dá pra imaginar. Até aí tudo bem, não esperava menos desse Facebook cheio de gente calhorda.

O que me incomodou é que ela fez um texto gigante dizendo o “quão homem ela teve de ser” pra chegar onde chegou:

“Bom dia. Ontem, devido a tantas ofensas retruquei me igualando a certas pessoas. Não e fácil ser ofendida e atacada e ficar quieta. Meu instinto defensor falou mais alto que eu.

Então, decidi deixar uma mensagem a todos que me desejaram e que vão me desejar feliz Dia do Homem. Eles me dizem: Feliz Dia do Homem. Sim, muito obrigada.

Fui muito homem pra realizar meus sonhos e chegar aonde cheguei. Fui homem demais pra comprar duas casas. Homem demais pra ter meu carro. Pra ajudar minha família. Homem demais pra ir pro outro lado do mundo fazer uma cirurgia arriscando minha vida pra me tornar uma mulher. Fui homem demais pra ganhar o direito de ser reconhecida por lei como mulher. Homem demais pra continuar sonhando. Homem demais pra perceber o quão infelizes são vocês, que com suas brincadeiras imorais e irracionais tentam me ferir e me denegrir. Homem demais pra saber que vocês sempre serão esses seres infelizes e mal amados.

É uma pena que você que se julga tão mulher, não tenha caráter e força de vontade nem pra ter uma vida mais digna, perdendo tempo, me ofendendo. É uma pena que você que se julga tão homem foi menos homem que eu. Pois somente um homem mal resolvido, é capaz de ofender e maltratar.

Seja homem igual a mim e enfrente a vida seriamente. Não desista como eu não desisti. Falar de mim, me ofender é fácil. Difícil é realizar tudo o que eu já realizei sem medo de ninguém. Sem dar satisfações a ninguém”

Discurso libertador e tal, okay. Mas foi só eu ou todo mundo aqui também percebeu que ela teve de abdicar da sua identidade de gênero para adquirir o respeito que desejava?

E isso é muito comum entre as mulheres trans, sempre que é necessário se defender, fazem o uso da ideia machista de que ser homem é sinônimo de ser corajoso, bravo, trabalhador… por que ela não disse que foi muito mulher pra conseguir tudo que conseguiu?

Caso 3: Filho do Ronaldo e a capacidade de relação de fatos

Filho do Ronaldo e seu amigo esperam o pai no aeroporto pra fazer um monte de coisa que não me interessa.

Seguem as fotos:

ronaldo4 ronaldo8

Muita pinta, muita ferveção e toda aquela juventude beesha que acabou de se descobrir e quer mostrar pro universo (não só pro mundo) o tamanho do seu amor pelo sexo masculino.

Elas, quando se descobrem, só falta andar assim no chão da balada:

00f

Até aí foda-se, todo mundo já passou por isso e não é porque a bee é filha do Ronaldo que é mais especial pra merecer uma matéria no jornal relatando a magnitude da sua pinta.

Isso se ele for gay, né? Porque ser afeminado não é garantia de homossexualidade.

O negócio é que os homofóbicos conseguiram relacionar isso com o caso do Ronaldo ter pegado a trava, VOCÊS ACREDITAM nesse absurdo?

Inúmeros comentários dizendo que ele era o “fruto do amor” do Ronaldo com a travesti, que um pai que pega travesti não poderia ter um filho diferente disso e até evangélico cagando pela boca dizendo que esse menino era um castigo de G-zuis pelo Ronaldo ter saído com uma travesti.

Um nojo, um horror! O menino só tem 13 anos, está sendo feliz tendo a coragem de ser autêntico, mesmo sendo filho de quem é. E as pessoas, que se auto-denominam de bem, parecem que têm o prazer em traumatizar e desqualificar o garoto.

Lembram do caso da menininha atriz filha de pais gays?

E pra fechar com chave de ouro, o Caso 4: Mister Catra feminista (o Word até sublinhou esse feminista de vermelho, hahaha)

Não vou comentar nada, apenas postarei dois títulos.

homossexual 2

Hum…

homossexual

Boa noite

000bye

Androginofobia?


000000

Estou em Vitória desde domingo, vocês devem ter percebido pela minha presença nos comentários. Não postei nada ainda, mas tenho uma boa razão pra isso.

androginia 5Acho que nunca peguei para falar desse assunto aqui no site. Provavelmente porque sempre achei que não interessaria a ninguém, uma vez que é um assunto que envolve um grupo tão pequeno de pessoas que poucos leitores se disporiam a ler sobre.

Mas recentemente estive conversando com uma grande fã do site e ela me sugeriu falar desse tema, pra ajudar esse grupo que, mesmo pequeno, precisa saber que existe gente boa por aí que não nos vê apenas como aberrações de gênero.

Só que vocês devem estar se perguntando:

Por que só agora, depois de 4 anos de blog, Max resolveu falar do que ele tem de mais marcante?

Justifico com a minha viagem a BH que fiz nessa sexta-feira. Como disse NESSE post, não vou mais postar os Babados, confusões & gritarias, e não vou mesmo. Só que dessa viagem eu preciso selecionar uma coisinha pra discutir com vocês.

androginia 3Não tenho essa aparência à toa, e muito menos forço para construí-la. Tenho um probleminha na minha gônada chamado hipogonadismo (você pode clicar aqui pra ler mais) e, por esse motivo, produzo metade da quantidade normal de testosterona de um homem adulto. Daí, não desenvolvi totalmente as características sexuais secundárias masculinas.

Voltando a falar sobre a viagem…

Como estava bem longe da minha cidade, resolvi fazer uma coisa que sempre tive vontade, mas nunca tive coragem: vestir um short pra sair na noite!

Só isso?

Só isso?

androginia 4Hahahaha, calma! Não me julguem ainda! Eu sempre morri de vergonha de vestir shorts, minhas pernas são muito brancas e morro de medo de me desviar da androginia, pelo medo do preconceito e também porque não me identifico como trans. Então, se o máximo que posso chegar é na imagem de uma sapa masculina, tento me manter assim.

Acontece que onde eu ia recebia elogios, inclusive dos meus colegas de sala que viajaram comigo. Desde a padaria onde fui comprar uma cerveja pra começar a esquentar, até os cachaceiros do bar que, mesmo de forma vulgar, não viam a minha imagem como algo ruim.

Entretanto, quando cheguei em Vitória dei de cara com esse comentário na caixa de spam:

coment

Clique para ampliar

Eu, enquanto sou criticada:

0000amor

androginia 2Esqueça a parte que ela viaja na maionese e fala em me processar porque comentei sobre a boate nova que vai abrir em Vila Velha (que amanhã vou postar mais informações quentíssimas) e se foquem no “SER INDEFINIDO” que ela usou pra me categorizar.

De todos os ambientes que já frequentei, e por ambiente você pode incluir até mesmo puteiros, os únicos nos quais sofri preconceito quanto a minha aparência foram nos meios GLS.

androginia 1Por alguma razão, que eu não sei qual é, a maioria dos gays afeminados tem o mais absoluto ódio de andróginos. Digo gays afeminados porque somente sofri esse tipo de preconceito de um único gay masculinizado, que depois fiquei sabendo que ele se arrependeu do que falou e disse aquilo porque era encubado e eu representava a liberdade que ele queria ter, mas não podia (foi perdoado).

E eu pergunto pra vocês, por que todo esse preconceito? Pra vocês terem noção, eu mal posso ter a auto-estima de valorizar a minha própria aparência sem ser criticado por essas pessoas, como se fosse um crime ideológico se sentir bonito tendo a aparência de ambos os gêneros.

De cara muitos podem pensar:

“Max, é lógico, tá muito claro que é recalque, principalmente porque advém de beeshas afeminadas que matariam pra ter sua aparência”

Não! Não podemos ser tão simplistas assim, até porque tem beesha afeminada bombada que ama ser bombada. Acho que isso vai muito mais além.

Tenho duas teorias, uma pensada por mim e outra pensada em conjunto com um amigo meu psicólogo, mas elas não são opostas.

A minha teoria, depois de tantos anos ouvindo críticas, é a de que o gay andrógino representa para esses gays preconceituosos a imagem que eles deveriam ter para que a pinta que eles dão fosse condizente com a aparência.

0000como

Por exemplo, dificilmente sou ridicularizado em ambientes heteronormativos por ser feminino. Isso porque, para essas pessoas, espera-se que alguém com a minha aparência tenha um nível de feminilidade.

Aliás, sou ridicularizado sim quando tento masculinizar meus trejeitos.

Credo, Max, você falou que nem homem agora! Tomei até um susto!

androginia 7Em contrapartida, esses gays que são “apenas” afeminados sofrem muito mais que eu por serem afeminados, e a situação é ainda pior se eles são altos, fortes ou têm uma aparência bem masculina.

Enquanto essa galera é considerada caricata, vide Vera Verão, eu passo despercebido aos olhares machistas porque soa “natural” que alguém com o meu rosto e corpo não seja “macho”, mas não soa natural que um homem com corpo e cara de homem saia desmunhecando por aí.

E indo mais profundamente nesse babado, podemos perceber também um problema com a questão da “identidade” da bicha dentro do seu universo.

Assim como o gay desconstrói a ideia do homem normal e o homossexual desconstrói a lógica da heterossexualidade ser a norma… o andrógino desconstrói e INdefine a afeminada, porque ele vai além e quase toca na linha finíssima que separa a pintosa da transexual. Linha essa que elas lutam o tempo todo pra manter em pé, separando, definindo, categorizando.

00ff

E se o “ser” se define a partir da negação do outro (eu sou isso porque não sou aquilo), o andrógino entra aí como um outro que “é e não é” e, portanto, não pode ser incluído nem execrado, daí tamanha confusão e rejeição.

O andrógino não se encaixa nos padrões estabelecidos e perturba a noção de identidade que demorou tanto tempo para ser construída. Por isso gera tanto transtorno.

Compreendem a lógica? O que pensam sobre esse tema?