Guest Post – As encubadas merecem respeito!


link-building-guest-post1 (1)

BAFÃÃÃÃÃO!

tumblr_mu7e09eP601qiq7h6o1_500

Esse post precisa de trilha sonora:

[youtube https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=sd_tWRq5uOI]

Antes de postar o e-mail da beesha, eu quero dizer que existe um problema de interpretação que ocorre toda vez que eu falo sobre encubados aqui no blog. Não, eu não tenho nada contra encubado, eu tenho contra quem pode deixar de ser encubado, mas permanece no armário por conveniência.

Não respeito essas pessoas, e não adianta pagar de ativista pro meu lado. Você é um parasita na luta LGBT, e usufrui dos direitos adquiridos por nós assumidos. Calado você já tá errado, impondo respeito você é uma piada.

tumblr_muf226AjJK1r4ybbgo1_250

Você vai ser respeitado quando admitir que ser discreto não acrescenta em nada na causa gay e que a não-expressão da sua sexualidade produz genocídios diariamente contra gays que a expressam.

Afinal, ser discreto retroalimenta o desejo da sociedade de tamponar a homossexualidade (lembrando que “discreto” aqui se refere APENAS a esconder sua sexualidade, dar pinta não é a única forma de expressão da sexualidade. Você pode ser masculino como o He-Man e ainda assim se expressar).

Você vai ser respeitado quando se tocar que ser “discreto” é uma coisa, mas ter orgulho de esconder sua sexualidade e de passar incólume sob os olhos da homofobia é um desrespeito aos anos de luta dos LGBT.

tumblr_mu73j7Arjr1sbzhteo1_250

Incólume jamais!

Porém, o texto do nosso amigo é sobre encubados que são encubados por obrigação, seja família, emprego, religião ou violência do bairro onde mora, são pessoas que queriam muito poder se assumir, mas não podem.

Por VOCÊS eu tenho o prazer de lutar por uma sociedade que estar armário nem seja uma possibilidade. Tá? ❤

Segue o texto:

Eu não sou assumido e também não sou efeminado. Percebi durante muitas postagens e também nos comentários, uma certa raiva com quem está no armário.

É sobre isso que eu queria falar, ASSUMIDOS VS ENRUSTIDOS. Se não me engano acho que até teve algum post sobre preconceito de gays contra gays (devo ter lido há muito tempo, se não foi no blog, me desculpe), mas do ponto de vista do preconceito que os assumidos/efeminados sofrem dos enrustidos/discretos. Eu concordo que essa discriminação existe, e que parece haver um abismo entre os dois grupos, mas eu não acho que quem é assumido vê o lado de quem tá no armário.

tumblr_mtbiewdgc11qg3q94o1_250

Um dos motivos que grande parte dos enrustidos não suportam assumidos/afeminados é o amor que eles tem de chutar pra fora quem tá no armário. Cada um tem seu tempo e suas circunstâncias. Não dá pra impor uma decisão que foi boa ou funcionou pra você pra todo mundo.

Cansei de ver assumidos entregando enrustidos em festas, no trabalho, na faculdade, em mesa de bar. Um ex-namorado meu foi expulso de casa, porque um vizinho assumido contou pros pais dele que ele era gay.

Não entendo porque fazer isso, às vezes até parece que quem é assumido esqueceu que um dia também esteve no armário. Como querer reclamar de uma sociedade que não te entende, se você não tá se dando o trabalho de querer entender quem é igual a você? Ou nem ao menos se por no lugar?

Engula, beesha!

Engula, beesha!

Eu sei, dá pra querer dizer que o inverso também é válido. Porque o enrustido também não entende quem é efeminado? Aí já é diferente. O enrustido está em negação e na maioria das vezes ele não aceita a condição que tem, quanto mais aceitar a de outro.

Poxa, dá pra realmente querer condenar alguém que está tentando fugir da rejeição, do sofrimento e do preconceito? Ainda que se diga que não dá pra fugir pra sempre, mas como já disse, cada um tem seu tempo e suas circunstâncias.

Muitas vezes vejo pessoas que eu sei que são gays, sendo homofóbicos em adiantamento quando chega um efeminado, meio que como uma forma de defesa, ou pra tentar ao máximo disfarçar e o cara efeminado não sacar qual é a dele. Todo mundo sabe que é assim que funciona, aparece uma pintosa na beira dos enrustidos e eles todos ficam desestabilizados e em estado de choque.

Pode ter alguém que discorde, mas isso contribui muito para a homofobia (todo mundo sabe que a maior parte dos homofóbicos gosta da fruta). Eu acho que esse abismo entre assumidos e não assumidos é muito mais sério que o abismo entre a comunidade GLBT e a sociedade

Por que se os iguais não se põem uns nos lugares dos outros e se respeitam, como exigir que quem é diferente vá fazer?

É a mesma história de homofobia internalizada? É! Mas se vocês parassem com essa putaria eu não teria motivo pra falar, né?

tumblr_mm3llaRSMr1rw3rbdo1_250

41 comentários sobre “Guest Post – As encubadas merecem respeito!

  1. O texto tem um problema, usa efeminado como sinônimo de assumido. Tem muito assumido que é másculo e muita encubada que é mulher e só ela jura que não. Ou seja, nomes aos bois, galera, até porque são fenômenos diferentes, ainda que algumas vezes estejam conectados.

  2. Eu sou um criatura livre, assumi para amigos próximos e sinto-me confortável c/ eles, apesar que sou o único “especial”. Eu jamais tolero homofobia, principalmente quando tenho contacto c/ o homofóbico, até uma conversa liberalista e científica(oi?) tenho, para tentar mudar o pensamento de criaturas desprovidas de razão.

  3. No fim das contas a pessoa sofre dentro ou fora do armário. Esconder é uma luta e se assumir também é outra luta. Apesar de que, eu particularmente acho mais digno sofrer as consequências em se assumir…

  4. “Você vai ser respeitado quando se tocar que ser “discreto” é uma coisa, mas ter orgulho de esconder sua sexualidade e de passar incólume sob os olhos da homofobia é um desrespeito aos anos de luta dos LGBT.”

    FODA!

  5. Sou o autor do texto e eu sou grato pela luta da da comunidade LGBT. Muito já mudou em pouco tempo. Eu gostaria de poder assumir e casar com meu namorado, mas tenho um cargo alto na polícia civil e pais que já disseram que preferiam morrer do que ter um filho gay. Eu não tenho orgulho de estar no armário, mas é q sair dele me faria perder mais do que ganhar. Eu admiro quem tem a força de lutar contra tudo isso, mas eu não tenho.

    • Não te condeno por isso,mas deve ser triste viver uma vida dessas.Ainda bem,que consegui me livrar desses dilemas,viver em função da opinião alheia,é o pior destino do ser humano(pelo menos eu acho).É morrer em vida.Boa sorte.

    • Seu texto é mto bom. Acendeu uma faísca em mim e agora enxergo uma coisa q tentaava perceber mas não conseguia. Excelente!! Tb estou no armário. família mto religiosa e dependo financeiramente deles.. qdo nao depender mais vou sair do armario. apesar de mae seeeempre saber neh.

      • Penso que tem que se pensar e repensar muito antes de “sair do armario”. Pode ser um passo maior que a perna e não conseguir voltar ao que era – ou perto disso.

        Muitos familiares aceitam com o tempo, já outros excluem mesmo. Além disso, há a questão da vizinhança, trabalho e etc, o que entendo que processar a todos por discriminação traria vantagem alguma ou o respeito adquirido de volta.

        Parabéns pelo texto, Dante! Mesmo com o Max te chamando de “beeesha” e continuando a levantar a bandeira de que encubados são infelizes, castrados, adestrados e cia bela, me identifiquei e verifiquei que alguns também.

        Abraços.

        • Eu não vou nem te responder, porque isso é claramente um problema de educação básica, o texto está explícito e você entendeu o extremo contrário. Parece até piada, aliás.

          • alem disso, ha uma confusao entre os enrustidos e os que nao se assumem. desculpa mas essa distincao e basica e fundamental pra comentar o texto. esses dois grupos sao bem distintos.

          • haHahahah, com certeza, por isso fiz questão de separar os dois grupos no início do texto. Mas agora você catou porque eu TIVE que fazer essa introdução? Nem explicando tem gente que entende, quem dirá deixando implícito.

  6. nossa. axei excelente o texto! isso é uma grande verdade. jah vi dois caras masculinos q soh andavam juntos. pegavam mulher e tal mas pra q sabe enxergar ficava obvio q eles se pegavam escondido. na academia tinha um rapaz assumido e com trejeitos. eles eram muito agressivos com ele. mto mais q maioria q muitas vezes nao ligava. OUTRA COISA INTERESSANTE. Eu procurava trata-lo da maneira mais comum possível. Eles olhavam com uma cara: “Olha! Ele tah flando com ele! É viado tb! q bixinha!!” mas na minha opinião eles ñ sabiam mas todo mundo olhava para eles e pensava “qm se garante não se importa!” esse assunto deve ser muito explorado. mto interessante!!

  7. kem gosta de afeminado ke faça bom proveito, adoro socar um boyzim maxinho, de preferencia ke garra mulher, adóoooro

  8. max, responda ao email, nao precisa se defender pois ele mesmo comentou o que vc ja pensa e vc mesmo antes de comentar o email, vc ja havia falado su opiniao. entao, RESPONDA!

    quanto a quem escreveu o email, amigo, vc fez a pergunta pra pessoa errada, max nao e parametro pra esse tipo de duvida.

      • a mesma posicao que te leva a julgar as pessoa pela sua régua. nem sou encubado, mas respeito quem se mantem no armario, afinal a homofobia e o preconcieto sao realidades pro assumido e pro nao assumido. nem todo mundo esta num ambiente favoravel a saida do armario; ja imaginou se as mulheres que nao brigam pelos seus direitos nao poderem gozar dos direitos que as mulheres que deram a cara a tapa conquistaram? acho que nao e por ai. ha quem de a cara a tapa, ha quem se reprima, em todos os seguimentos. e como cobrar a fatura de quem nao se assume?. ok, eu me assumi, sofro preconceito e por isso vc nao e nada pois eu sofri e vc so ira usufruir das benesses que eu conquistei. forma mesquinha de se pensar. as mudancas sociais ocorrem quando pessoas estao dispostas a brigar, mas nem todos podem brigar ( por familia, trabalho grupo social onde estao inseridas). cair nesse jogo e fazer o jogo dos preconceituosos, e culpar o negro preconceituoso pelo preconceito, a mulher machista pelo machismo, por ai. se vc nao viveu a realidade de alguem que simplesmnete nao tem como se assumir, e nem procura entender, nao entendi pq se ofendeu quando disse que nao es parametro pra julgar esse assunto. apenas minha opiniao.

        • Não entendi nada do que você escreveu. 😦

          Mas pelo pouco que catei, você confirmou o que eu suspeitava: você não leu o texto. Eu não disse que precisa ser militante pra usufruir das lutas do passado, até porque eu não dei a cara a tapa no stonewall e usufruo dos direitos que eles conquistaram. Você pode usufruir sem fazer nada pela causa (como eu disse que luto pelos encubados que são encubados por obrigação social) eu disse que SE VOCÊ TEM ORGULHO DE SER ENCUBADO E É ENCUBADO POR CONVENIÊNCIA, você é um parasita e desrespeita os anos de luta LGBt (e isso está mais que claro, em negrito e caps lock no texto!), assim como as mulheres que debocham do feminismo e os mestiços de pele branca que são racistas com negros, ambos retroalimentam a cultura machista de comportamento feminino e a cultura racista do padrão de beleza europeizado e têm culpa na manutenção do preconceito, respectivamente.

          Eu não vou mais repetir isso, se você não entendeu agora, volta pro ensino médio.

          • ~orgulho encubado~ eu ri. so sei que nao da pra querer uma opiniao real de alguem que nao vive o mundo real fora do guetto. quem vive nessa realidade sabe das dificuldades e sabe quem nem sempre se pode sair do armario. como eu disse, ha quem nao possa de assumir e ha quem nege sua homossexualidade. nao da pra confundir.. vc nunca se viu como HOMEM e nem foi visto pela sociedade como homem,, da queira saber das angustias que vc nao sabe. assim como eu tb nao entendo os conflitos dos transex, pq por mais que leia e tente entender , nao vivi. reflita.

          • Você é um monstro, como consegue dormir a noite sendo tão execrável? Como consegue conviver consigo mesmo? Que prazer sádico você sente e que vida desgraçada é essa que você vive pra ser tão escroto com quem não conhece? Tenho o mais absoluto desprezo por você.

            Me faça um favor e suma desse site. Aliás, não precisa não, já vou bloquear seu IP.

  9. Vi no face estes dias um grupo de enrustidos orgulhoso e fiquei imaginando, caso a mesma rede social existisse no século 18, se seria possível um grupo de escravos orgulhosos, satisfeitos com as chibatadas diárias que levavam, com as humilhações que sofriam, com a segregação constante. Apenas parem, pessoal. Não há nada do que se orgulhar em viver mentindo e fingindo ser o que não é. Pelo contrário, é vergonhoso.

    Respeito e entendo enrustidos que não se assumem por perceber que vivem num ambiente ausente de respeito e afeto, mas que também não desrespeitam assumidos, criticando gays na tv, xingando travestis ou algo do tipo (perdi as contas de quantas vezes, dentro do armário, discuti com minha mãe sobre sua homofobia. não dava muito na cara pq fazia o mesmo em relação ao racismo, preconceito com gordos, com putas etc ). Como disse o Max, “Por VOCÊS eu tenho o prazer de lutar por uma sociedade que estar armário nem/não seja uma possibilidade”.

    No mais, deixem de ser orgulhar em viver num cômodo abjeto, mofado e pequeno que é o armário para enrustidos. Apesar de ser difícil, é muito melhor fora. Acho que todos podem concordar comigo. rs Por mais que soframos preconceitos, às vezes da própria família, lutar contra algo que se pode ver é bem mais fácil e garante maior resistência do que preso, acorrentado e de olhos vendados para si mesmo.

  10. Sei da minha vida e dos meus motivos para ficar quieto nessa escuridão do armário em que estou. A ninguém isso interessa.

    Mas… durante uma aula em que discutiram o casamento gay e os princípios morais e éticos, enquanto a sala inteira e até mesmo a professora mostrava o preconceito sob a armadura da religião, eu, que sempre sou quieto e tento ser discreto, chamei a todos de preconceituosos e os acusei de generalização para defender o seu ponto de vista contra os gays.

    Não sei se desconfiavam de mim antes daquela aula. Depois dela, dei todos os motivos para pensarem o que quiserem.

    Entendo você “desprezar” quem pode, mas não deixa de ser encubado. Eles têm o motivo deles e a gente não precisa concordar.

    Eu não sei se eu posso ou não posso. Quem decide isso? Mas sei que não vou, mas também não aceitarei ver preconceito de qualquer natureza e ficar calado. Mudei meu jeito de tratar algumas pessoas exatamente por conta de suas palavras naquele dia em sala de aula.

    O fato de estar tão rodeado de preconceito na comunidade em que vivo e saber que passaria sozinho por tanta coisa desprezível, como aquela ponta do iceberg que vi na sala de aula, é o que me “motiva” a continuar onde estou.

    E não adianta alguém chegar aqui e dizer que eu não passaria sozinho. Invejo as pessoas que têm amigos e família que os aceitam, assim como também invejo quem tem coragem de colocar a cara a tapa e militar todos os dias.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s