Terrível relato de misoginia contra lésbicas


5445

GENTE! NÃO ME CRUCIFIQUEM! Meu joguinho liberou mais 4 dungeons super legais e eu estou viciada nelas desde ontem, não consigo parar um minuto pra postar!

Porém, acabei de ler um relato absurdo nos comentários DESSE post e eu preciso dividir com vocês. Cata:

Nossa! Li e me senti no lugar da sua amiga que mandou o e-mail. E digo isto porque vivenciei coisas muito parecidas. Sou lésbica e tinha um grupo muito grande de amigos gays.

Com o passar dos anos, não suportei mais os comentários abomináveis sempre sobre mulher, chamando mulher de buceta, vagabunda, bacalhau, todas as vezes que nos encontrávamos. A coisa tomou uma proporção tão enorme que certo dia dois deles, os quais eu admirava tamanha sensibilidade, inteligência, etc… despejaram toda sua misoginia em uma conversa que me traumatizou.

Iniciaram a conversa com intuito de saber algumas curiosidades sobre a sexualidade feminina, porém foi desastroso. Ouvi de tudo que é terrível. Que o corpo da mulher é feio, sujo, que a vagina é muito mais suja que cu e pênis, que ser homem é muito melhor, criticaram minhas práticas sexuais, dizendo não ter graça nenhuma, quando citei o prazer sentido nos seios, fizeram piadas chulas, me perguntaram e continuaram insistindo se eu tinha vontade de ser homem ou se queria ter filhos porque então não me casava com homem e que eu era lésbica porque era traumatizada e não tive sorte com homens.

PRECISO POSTAR ESSA MENININHA PRA ILUSTRAR MINHA RAIVA!

PRECISO POSTAR ESSA MENININHA PRA ILUSTRAR MINHA RAIVA!

Fiquei péssima até hoje, lembro disto e me traz depressão. Ainda quando reclamei, escrevendo um texto parecido com este, e conversando pessoalmente, disseram que o problema estava em mim que absorvia tudo isto para o lado pessoal e devia ir num psicólogo. Isso tudo me deprime de tal forma que é realmente triste, pois sempre respeitei as práticas sexuais dos mesmos, nunca interferi de forma ofensiva nem critiquei o corpo masculino.

Me espantei com a forma que eles veem o corpo feminino, jamais esperava ouvir aquilo tudo, de forma pejorativa. Com imenso nojo e raiva. Porém nós mulheres ainda somos vítimas de tudo isto na própria sociedade, haja visto o furdunço gerado em torno de qualquer mulher bonita que pose nua sem ter se depilado totalmente ou quase totalmente (na mulher pelos é relacionado a sujeira, feiura, e no homem viril, normal). Alguém já viu versão masculina de certos tipos de piada, como “bacalhau”? Não é porque a falta de higiene de um homem não possa vir a ser igual a de uma mulher, porém o sexo feminino é relacionado ao feio e sujo para que a menina desde criança pense assim e não se toque, achei feio e nojento.

Eu mesma quando namorei com homem, tiro minhas próprias conclusões, falta de higiene masculina é tão terrível quanto uma mulher menstruada que não toma banho. Enfim, sem entrar nos detalhes para não traumatizar vocês, infelizmente as pessoas citadas não tomarão consciência do mal que fizeram e não mudarão.

Pois é… 01545]4

E a amapoa chegou a dizer que hoje evita conversar com homens gays porque passou a ter medo de sofrer misoginia. E vamos ser sinceras? VAI SOFRER SIM!

Quantas vezes não nos vimos numa mesa de bar criticando o órgão sexual feminino? Conheço gays que me dão asco de ouvir falando sobre vagina. Tem uma beesha no grupo do Babado Certo no Facebook que não consegue fazer um comentário sequer sem denegrir vagina e enaltecer o edi dela, como se fosse grande coisa… se bem que pelo que ela relata, deve ser ENORME mesmo. Hahahaha!

021651

Edicentrismo

Eles veem a perereca como um demônio, algo que lhes causa ânsia de vômito só de pensar… gente, PARE JÁ! Inclusive com a piada idiota do “tenho tanto nojo de buceta que nasci de cesárea pra não passar nem perto”. Isso ofende e retroalimenta uma cultura de que a mulher deve ter vergonha do próprio corpo.

Vocês podem ter nojo, lésbicas também tem nojo de pau, mas às vezes o nojo de alguns gays beira o ódio.

A situação é tão absurda que nas nossas gírias chamamos mulher de “racha”, resumindo toda a pessoa ao seu órgão sexual, e na maioria das vezes a expressão de ojeriza acompanha o termo. Aliás, tendemos a usar “racha” quando vamos reclamar do comportamento de alguma mulher, já perceberam?

É como se quiséssemos usar o que ela tem de mais “horrível” no seu corpo para ofender.

Compreendo que no meio gay nossos órgãos sexuais (e por órgão sexual a gente também inclui o koo) são o centro das nossas categorizações, uma pessoa passa a ter sua personalidade classificada a partir do que tem por debaixo das calças: É a gay do cu largo ou apertado, é o boy do pau grande ou pequeno.

Todos tem um sentido no discurso e representam alguma coisa pra quem ouve. Dou meu cu pra um jegue se quando você ouve que fulana é larga, você não deduz TUDO sobre o comportamento da viado.

Mas eu não vejo ninguém chamando homem de “pica”, você vê? Minto! Vejo sim! Usamos “pica” quando o cara é muito bom em alguma coisa.

0000como

COMO ASSIM, GARÁLEO?

Nessas horas eu fico me perguntando… será que o motivo das lésbicas organizarem a própria Parada Gay, em São Paulo, não é também culpa dessa misoginia estimulada por homens gays?

Pensem a respeito, porque alimentando a aversão ao feminino vocês também alimentam, sem saber, a homofobia que vocês sofrem.

p.s.: Amanhã eu começarei uma coluna nova de “Teorias Polêmicas sobre a Homossexualidade”, e a primeira vai ser sobre Freud explicando o porquê dos homens gays terem tanto pavor de vagina. Aguardem…

46 comentários sobre “Terrível relato de misoginia contra lésbicas

  1. Oi Max, recentemente abandonei por vez os games, já que não controlo muito meu tempo com eles. Vejo que você joga.. qual sua opinião sobre a influência deles nas nossas vidas? Pensa em fazer algum post sobre gente que ainda não sabe que curso prestar vestibular?

    • hahahah Eita, que anacoluto LOUCO você fez aí!

      Você quer um post sobre jogos, vestibular ou sobre pessoas que não passam no vestibular por causa dos jogos? haha

      • max achei esse um tema bem bacana para um artigo de “entretenimento” das gays… Eu mesmo estou jogando league of legends há 2 meses e vira e mexe tem algum babaca chamando o outro de viado, mas ao menos lá se tem como denunciar, tem até um “anuncio” dentro do jogo que fala que casos de homofobia são avaliados e punidos com maior agilidade. Seria uma boa fazer uma matéria sobre gaymes friendly, ou onde a concentração de gays por MB² é mais acentuada. E viva as nerds gays \o/

        • Sei como é, eu milito ATÉ dentro dos jogos, beesha, você tem que ver. Feministona e militante até no world chat.

          Mas eu jogo em servidores internacionais, eles são infinitamente mais educados, e até me elogiam quando vêem minhas fotos. Jogar em servidor brasileiro é dor de cabeça na certa.

          Será que rola um post? SEMPRE QUIS ESCREVER SOBRE ISSO!

          • todo mundo fala que os servidores estrangeiros são melhores para o convívio mesmo. Olha max antes de ler o texto do amolador de facas eu falava só para o cara cuida da vida dele e ficava de boa, agora além de brigar só falta eu cata o endereço dos caras e da uma aula de prazer para eles verem o que é bom -q xD. agora serio max acho bem bacana fazer uma matéria sobre e the sims n pode faltar né, pq é tipo 95% dos jogadores são mulheres e gays, nunca vi nada parecido.

      • Eu sei que esse blog é pra assuntos mais sérios e regionais, mas eu me vi pensando se não poderia falar um pouco de entretenimento. Tem vários filmes e livros gays bacanas..
        Desculpa a confusão, mas é sobre a influência dos games na nossa vida, contando com homofobia e problema academicos.
        Beijos sua linda

  2. Indepentente de preferências e práticas, orientação sexual.
    Todos merecemos respeito com nossas escolhas afinal a mulher é umser sublime que procria e povoa o mundo.Porém todos homens ,mulheres seres humanos somos provenientes da relação homem-mulher. passamos por uma vagina ou não e nos amentamos em seios.
    Concordo com vc mulhertem que ser valorizada e respeitada independente de sua escolha ou orientação sexual e identidade de genêro.
    Um toque pra vc escolhe melhor comquem vc anda, agindo assim evita de ouvir tantas merdas.
    Solidariamente eu.Bjsssssssss

  3. AI MAX, TÔ ANSIOSSÍSSIMA PARA A ESTREIA DA SUA NOVA COLUNA “Teorias Polêmicas sobre a Homossexualidade”. NO AGUARDO!!! 🙂

  4. Engraçado, isso foi ago que a mim (como gay) sempre me incomodou: a intolerância a chochoeta.
    Nunca consegui entender pq raios tem umas bee’s que parecem simplesmente ter um ódio mortal da moça como se ela tivesse destruído a vida dele. Graças a Deus meu círculo social discrimina esse tipo de comportamento, tanto eu quantos meus amigos e amigas (gays, heteros, bi e aliens), já tivemos desentendimentos passados com isso e sabemos como magoa. Acho que a beee tem que ser muito revoltada pra fazer esse tipo de comentário sem levar em compreensão os sentimentos das pessoas ao redor, até mesmo as próprias amigas 🙂

  5. Realmente, já presenciei cenas como essas no meio gay. Bem triste mesmo…. Típico tiro no pé. Ao categorizarmos negativamente as mulheres não percebemos que, automaticamente, categorizamos todos os demais grupos que não estejam situados no topo da pirâmide alimentar (homem, hétero, branco e bem sucedido para os padrôes capitalistas).

  6. Na minha adolescência não tive muitos amigos gays, e nem tive muito contato com cultura gay. Foi só mais tarde que descobri que existia uma “cultura da rixa com as lésbicas”. Como sempre tive muitas amigas lésbicas, quando eu descobri isso me senti como Mogli o menino lobo gay, que foi abandonado na sua infância gay e criado por lobos lésbicas.

    • Tem mesmo, já vi viado dizendo que não anda com lésbica porque lésbica (especificamente mulher LÉSBICA) não é confiável, não tem caráter.

      • Tb ocorre o contrario, ja fui discriminado por varias lesbicas por ser efeminado. Certa vez uma lewbica disse que sabia usar um pau (o pau imaginario dela) melhor que eu e que ia me ensinar a ser macho.

  7. Sim, pode publicar sim…. obrigada, espero que seu trabalho de divulgação ajude a sensibilizar mais as pessoas e que elas/eles realmente façam essa reflexão….comparando a misoginia com preconceito de raça, imagine alguém falando que não gosta de pele negra, mas que não é raiva da pessoa negra em si…. óbvio que é preconceito…mesma coisa denegrir alguma parte do corpo feminino… isso inferioriza e denigre a mulher, e quando vem de pessoas que gostamos e respeitamos realmente choca… me afastei mesmo, e hoje em dia mais madura, com 28 anos, me aproximo de quem percebo sensibilidade e se identifica comigo me respeitando! 🙂

  8. Penso que muitos gays criam essa aversão pela vagina, justamente para reforçar um posicionamento contrário ao homem hétero que diz ter uma adoração pelo órgão feminino.
    Porém, ambos os posicionamento são machista e preconceituoso, ou denegrimos uma parte feminina que é um forte símbolo ou a mulher é reduzida especificamente a sua vagina.

  9. Max não contente em estar viciadíssima no Tera, ainda joga uns links subliminares em seus posts pra disseminar o mal entre as leitoras ! kkkkkkkkkkkkk (a ideia lá de cima sobre um post com temas de entretenimento foi realmente muito boa! ia adorar ver você escrevendo suas jogatinas max! oq deve ter de beesha viciada nesse blog não é brincadeira)

    • Ai, vocês me convenceram, vou escrever! Meu maior sonho é escrever sobre MMO nesse blog, mas não sabia se teria receptividade

        • As principais perguntas que eu procurarei responder são: Por que há tão poucos gays e mulheres nos MMO”s e por que quando eles jogam, em sua maioria, são healers ou support classes?

          • Ai gata, se pudesse eu baixava o TERA só pra te stalkear, mas minha placa de vídeo é uó, acho que vou testar Aion.
            Escreva meixmo

          • Nem sempre Max, mas uma coisa é certa, as gueis sempre buscam as classes mais femininas e babadeiras, então geralmente são magas e healers. Talvez isso tenha algo a ver com aquele post do sacerdócio…

  10. Preconceito é aquela coisa,todos temos contra alguém ou alguma coisa,e todos um dia seremos vítimas de um,Aliás de vários.O negócio é aprender a se blindar contra essas coisas,para minimizar os danos,em nossa auto estima.Tipo,selecionando melhor os amigos que tem.

  11. A subcultura gay costumava ser mesmo mais favorável às mulheres do que hoje em dia. Acho que com a liberação sexual dos gays e tal essa subcultura está se organizando mais em torno da sexualidade propriamente dita, ou seja, da preferência compartilhada por homens (daí estar se tornando irrelevante), enquanto antes ela se organizava em torno da sua identificação com as mulheres. Da mesma forma, o feminismo vem se tornando cada dia mais lésbico (o que não é mau) e truculento (o que é péssimo). À medida que a sociedade muda, essas afinidades e identificações também mudam, e uma vez liberadas de sua “opressão” (ou sua percepção de opressão), a solidariedade das ditas minorias tende a se desfazer e seus membros se reagrupam em novas configurações. É por isso que eu acho essa cultura da afirmação das identidades míope e passageira. No fim das contas, só o que existe é o indivíduo e as categorias só existem na medida em que servem a conveniências do momento e logo se dissipam e são substituídas.
    Falar nisso, Max, tem um livro que eu acabei de ler e que iria te fazer muito bem; uma espécie de detox de Guacira Lopes haha. É de um crítico literário americano, liberal, gay assumido e farto de tanta “teoria queer” e manipulação.

    http://www.amazon.com/gp/product/B00D9TDONO/ref=ox_sc_act_image_3?ie=UTF8&psc=1&smid=A2Z2CSK1PH6GOI

  12. Sapatona é a raça mais despresível da terra. E ainda ficam levando mulheres heteros., que poderiam ser felizes, em sapatas.

  13. Please tell me that youre going to keep this up! Its so superior and so important. I cant wait to read far more from you. I just really feel like you know so substantially and know how to make people listen to what you’ve to say. This weblog is just as well cool to be missed. Excellent things, genuinely. Please, PLEASE keep it up!

  14. Ingenuidade de vocês eh pensar que gays masculinos acham vaginas bonitas e desejáveis. Os mais educados e gentis evitam fazer comentários depreciativos sobre mulheres e, especialmente, sobre a genitália feminina, na presença delas – lésbicas, bissexuais ou hetero – por uma simples e louvável questão de respeito. Mas no FUNDO (epa!) tem a mesma opiniao.
    Interessante eh que esses mesmos grosseiros e mal-educados sentem-se ofendidos quando ouvem qualquer piadinha sobre gays e denunciam em altos brados a “homofobia”.

  15. Sou autor do comentário acima. Defino-me como bissexual masculino e procuro combater todo o tipo de preconceito, inclusive os existentes nas comunidades e subcomunidades do universo LGBTT.
    OBS: Desculpem-me a falta de acentos em algumas palavras. Sou perfeccionista e sempre uso os acentos, mas ainda não me habituei com o teclado do meu tablet.

  16. Falando mal de mulher, mas se pudessem nasceriam mulher, porque eles sao aberraçoes que tentam ser femininas.
    Se ser mulher fosse ruim eles nao iriam tentar copiar nossa classe elegancia.
    Isso nao é ser homem. Esses sao seres que nao sao nem um nem o outro, sao coisas dispersas na vida e que estarao sempre em busca de algum genero ao qual se possam encaixar.
    Sou hetero, nao tenho preconceito, mas que é ridiculo, isso é verdade.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s