Olhe a sua volta!


Tenho uma compilação de gifs desse vídeo, tenho que usar todos hahaha

Tenho uma compilação de gifs desse vídeo, tenho que usar todos

Como vocês sabem, amanhã tô partindo pro Rio de Janeiro e, portanto, esse será meu último post até segunda-feira. Mas antes de ir, eu queria deixar uma mensagem muito interessante pra vocês.

biólogaAgorinha pouco uma amiga minha postou ESSE LINK (clique para ler), que consiste numa história em quadrinhos muito legal sobre essa nossa geração Facebook.

Aí, conversando com ela e, enquanto pensava que por um lado foi bom meu smartphone ter caído no vaso (pois me livrei dessa praga), me lembrei de uma situação que passei no Transcol quarta-feira, indo pra aula.

Segue a história.

Peguei o 507 por volta de meio dia, aquele calor diabólico habitual e eu paradinha com meu fone tocando Whitney Houston, meu óculos de sol na cara e observando tudo enquanto dublava “Run to You” (porque bicha não resiste e sempre dubla quando ouve música no ônibus, né? hahaha).

Nisso entraram duas gays falando alto. Segue o diálogo:

– ” Ai, mona, como tá difícil arrumar um namorado! Tô solteira há 4 anos já, não consigo arranjar ninguém!”

-“Nossa, verdade, e o Grindr agora tá tomado de pão com ovo, não tem nem condições de fazer pegação lá!”

-“Pois é…”

*Silêncio*

fuxico-na-net-pula-pirataAs duas começaram a mexer nos seus celulares, provavelmente postando algo relacionado a esse PROJETO de conversa que elas iniciaram.

Nisso entrou um boy belíssimo no busão, daqueles que ninguém pode botar defeito, e começou a olhar fixamente pra uma das gays, lutando por uma retribuição.

A gay no celular se mexia, ria, ficava séria, digitava freneticamente, mas nada de levantar a cabeça nem pra ver se o ponto estava se aproximando.

O ponto chegou, a gay levantou (tudo isso com o boy olhando pra ela), desceu, quase esbarrou nele, mas não viu o rapaz.

Nessa hora fiquei pensando em como hoje parece ser mais fácil que muitos gays encontrem uma pessoa no Grindr que parado na frente deles.

Aff, Max só me deprime com essas verdades!

Aff, Max só me deprime com essas verdades!

Gente, pensem nas nossas gays antepassadas, no quanto elas batem na tecla de que esses locais aglomerados são ótimos para conhecer gente nova, trocar olhares e até elevar um pouquinho a sua auto-estima. Lembrem das histórias que elas contam sobre os ônibus. Já vi beesha que conheceu o marido no Transcol, acreditam?

O dia que vocês notarem o mundo à volta, vão perceber que um “like” ou uma cutucada insípida no Facebook nem se compara à sensação de ver um menino todo tímido tentando te paquerar e desviando o olhar quando você olha de volta.

Glossário pra quem não é de Vitorinha: “Transcol” se refere a uma empresa de ônibus daqui do Espírito Santo

Amo Vocês

0aamo

Dica: [youtube http://www.youtube.com/watch?v=OINa46HeWg8]

25 comentários sobre “Olhe a sua volta!

  1. nunca fiquei com ninguém que conheci no ônibus, alias,acho muito difícil socializar em um coletivo. as pessoas prestam atenção em tudo,não existe nem um pouco de intimidade,odeio até falar no telefone. contudo, sempre tem aquelas situações que você percebe que está sendo observado. é muito legal aquela troca de olhares enquanto passa por uma vitrine de uma loja e aquela pessoa sai pra te observar melhor e vice-versa. acredito que as pessoas estão mais receosas com o flerte devido a exposição exagerada que acontece hoje,qualquer coisa vai parar na internet,mas que é gostoso sentir que o boy se esforçou pra ficar perto de você é.

    • Eu também olho, mas nada. E não tenho dado muita bola para Internet, algumas pessoas querem um padrão exagerado de beleza que meus quilinhos a mais não oferecem rs

      É complicado sacar o olhar que estão te dando. Pode ser que esse cara aí só tenha olhado por curiosidade para os gays. Nunca dá para saber se a pessoa tá te olhando porque você tá olhando para ela também.

      É arriscar mesmo.

  2. Lembrou de um menino que conheci lá no nordeste, foi dentro do ônibus, um olhando sem graça para o outro… Até que então, pah! Vem um convite dele pelo face… Segundo ele, ficou três semanas pra tentar descobrir meu nome e me achar no face depois do ocorrido hauhahahua até que os quatros meses de ficava com ele, valeram a pena hauhaha

  3. Passado com as bichas que deixaram escapar um flerte.
    Eu fico de olho a tudo que está a minha volta e ainda acesso a internet. Um olho no gato e o outro no peixe…rs

  4. Dica pra você que está procurando namorado no Grindr: PARE! Sério, não vou nem entrar no mérito olhe ao seu redor, saia da internet blablabla, particularmente acho irritante quem fica o tempo todo olhando pra tela do celular e eu me vigio bastante para não ficar assim mas é uma questão de opinião mesmo. Agora usar aplicativos como esses para procurar um namorado vai te frustar de várias maneiras diferentes, porque dão a impressão muito falsa de ter várias possibilidades, e tanto pra você quanto pros outros isso é um veneno. Se fora da internet a coisa mais difícil do mundo é você gostar de alguém e essa pessoa também gostar de você (no geral ou você gosta sozinho, ou gostam de você mas você não) imagina quando você coloca como possibilidade no dedo da pessoa um app que tem uma gay a cada milimetro (pelo menos aqui em são paulo é mais ou menos assim) não da tempo de nada, você tem que se fazer interessante em uma, foto uma descrição e das linhas de conversa ou já era, já vi amigos dispensando porque recebeu “Oieee” e isso bastou para concluir que era um “viadinho” e portanto não rolava. Fala sério, são conclusões demais pra fatos de menos…

  5. O dia que vocês notarem o mundo à volta, vão perceber que um “like” ou uma cutucada insípida no Facebook nem se compara à sensação de ver um menino todo tímido tentando te paquerar e desviando o olhar quando você olha de volta.

    Que lindo!!! É ótchymoãn ser paquerada! O problema Max, no tête-a-tête, é uma das gays tomar a iniciativa e puxar um papo e tals… ainda mais se ambas forem tímidas.

  6. Há 3 anos, quando nem todo mundo tinha Iphone (só as ricahs), eu fui num show aqui no Rio e tinha um ursinho lindo na minha frente, que ficou o show INTEIRO no Grindr. Eu ali, na cara do gol, e tão longe dele. Se tivesse Iphone na época ia entrar só pra falar pra ele olhar pro lado hahaha
    Hoje tenho um smartphone e tirei todos estes aplicativos de pegação pelo simples motivo de: falta de paciência. Só tem gente chata, brega e moralista. Quando colocava que só queria sexo era um tal de aparecer sermão pra cima de mim! Eu tb acho que estes apps todos acabaram com a pegação. Aqui no Rio era tão legal uma época, em todo lugar rolava flerte, paquera e pegação, hoje ninguém para mais pra falar com ninguém, acho muito estranho. Vc conhece alguém e uma das primeiras coisas é perguntar se vc tem whatsapp. Mas eu não tô na tua frente, criatura?!? No Growlr é assim tb, eu começava a falar com alguém e já perguntava se eu tinha Skype. É uma ansiedade e inquietação insuportáveis, não tenho saco!

  7. max, lembra que uma vez comentei que barzinho era bem melhor para pegação do que boate? e é nessa perspectiva que seu texto tbm vai! tp.. o ser humano tem que sempre aceitar cada vez mais sua condição de ser humano. que naturalmente se relaciona diretamente com pessoas. A VIDA IA FIKAR BEMM MAIS FELIZ E LEVE!! e que isso deveria ser bem mais natural do que é. vc disse que uma troca de olhar mexe com a gente. e MEXE MESMO! eu faço duas matérias em uma turma de quarta e quinta-feira onde eu e um menino trocamos olhares inesquecíveis. desde o período passado. e foi td mto lindo, começou cmg no meio da explicação cutucando ele para perguntar uma coisa da aula q eu nao tinha entendido. sem maldade nenhuma. ele eh mto bonito. mas nunk tinha reparado nele. cutuquei, ele olhou pro lado com o olhinho brilhando e com cara “nossa ele finalmente falou cmg” e eu fikei assim moh sem graça e até hj a gente troca muitos olhares. ñ aconteceu nd prq ele nunk tah sozinho pra eu chegar nele. mas enfim.. fiko DOIDO pra chegar quarta e quinta soh pra gente trocar olhares. *.*.

  8. Tive que apagar meu facebook para conseguir terminar meu TCC. Hoje minha única rede social é o Babado Certo, por causa dos comments e do feedback do autor. Muito legal =)

  9. Quando descobri os gatos que pegam o ônibus que liga meu bairro (que tem duas universidades privadas) ao centro, eu passei a ir trabalhar de transporte público (mentira, foi porque o estacionamento no Centro tá um roubo). Mas sério, tem hora que nem eu acredito nos gatos que eu encontro no ônibus. BH é tudo de bom!

  10. Eu nem olho pros lados quando to na rua,quando ouso fazer isso,é cada demonio me paquerando,mas gatinhos mesmo,nenhum.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s