Toda visibilidade é válida ou “Como vocês são marias-vão-com-as-outras”


maria-vai-com-as-outras-sylvia-orthof_MLB-F-4174881254_042013

Às vezes vocês me decepcionam profundamente.

Por mais que eu canse de postar aqui que toda visibilidade é válida: desde um casal gay que anda de mãos dadas na rua até as travestis de peito de fora nas paradas, parece que vocês ignoram tudo quando o assunto é uma necessidade forçada de se verem 100% representados na TV brasileira.

Essa semana minha timeline foi tomada pelo vídeo abaixo:

0bey 4

Fiquei quieto, não comentei com ninguém, até a hora que vários leitores começaram a me mandar esse link pelo chat me pedindo incessantemente por um post ELOGIANDO a postura do rapaz.

E eu digo: Elogiar por quê?

Concordo que ele esteja certo quando diz que é frustrante ver um casal gay assexuado durante toda a novela, e quando um dos personagens resolve trepar com uma mulher ele adquire libido magicamente.

Mas daí a dizer que é melhor NÃO mostrar gay nenhum na novela é um absurdo!

Não vou nem entrar no mérito de quando ele diz que um homossexual nunca vai trair seu parceiro com alguém do sexo oposto, porque eu vou me estressar e fugir da temática do texto.

Qualquer um aqui sabe que isso é a maior asneira do mundo e que nossa sexualidade é plástica o suficiente para termos experiências com ambos os sexos sem que isso afete a nossa atração majoritária, que define a sexualidade.

Veja uma dica de texto clicando AQUI

Vamos abrir a Caixa de Pandora, então:

002154

Vocês acham que foi diferente com os negros, por exemplo? Foram anos de cinema e televisão nos quais os negros se limitavam a fazer papel de escravos e empregados também assexuados.

Entretanto, só em 1968, depois de muito tentarem fazer a população americana entender que negro não era inferior, aconteceu o primeiro beijo interracial da TV:

E se tivessem tirado todos os negros da TV porque a população negra não estava contente com a representação do grupo? Será que chegaríamos ao ponto de termos negros protagonizando novelas?

Outro exemplo é o casal lésbico de Vale Tudo (1989), Cecília e Laís:

cecilia-lala-deheinzelin-e-lais-cristina-prochaska-o-casal-gay-de-vale-tudo-1358204236375_615x300

Durante toda a novela o discurso dos personagens legitimava uma relação amorosa entre as duas, mas em nenhum momento as palavras “gay”, “lésbica” ou “homossexual” foram usadas.

E eu vos pergunto, se elas também não fossem colocadas na novela, mesmo da forma sutil que foram representadas, o assunto teria sido discutido e a população se atentaria para esse tipo de problema? Não, não teria.

A mudança é sempre paulatina.

0gret

identidade-gayO que eu quero dizer com tudo isso é que: Um gay assexuado que representa a nossa identidade, a nossa cultura, nossos valores e pelo menos a parte relacional e psicológica de um relacionamento gay AINDA É MELHOR que gay nenhum!

Pode não existir uma sexualidade nesse gay, mas já existe um discurso identitário, um discurso que segrega um grupo e o identifica nessa separação: “Eu sou isso, e não aquilo”. Discurso esse que não existia em Vale Tudo, mas existe hoje… olha o tamanho do passo que demos só nesse exemplo.

Porque mais importante que a sociedade aceitar como eu trepo é ela aceitar a minha existência, essa é a prioridade.

Vocês tem que entender que o nosso ato sexual é só um detalhe perto do que é ser gay (leia mais AQUI) e não podemos de forma alguma endossar um discurso que deslegitima a expressão da nossa cultura.

marcello-antony-e-thiago-frMas vou além e digo mais, a não-sexualização desses personagens gays tem também seu lado bom. Se esse casal tivesse a mesma lascívia dos casais héteros, a sociedade coxinha que nós vivemos jamais se atentaria para as outras informações que são passadas pelo casal, desligariam a tv de raiva e pronto, mensagem nenhuma seria recebida.

Mesmo que não mostrem o casal gay se pegando, estão mostrando o casal gay lutando pelo direito de ter um filho, estão mostrando a cumplicidade entre os dois, os problemas comuns a casais gays e héteros (aqui entra a traição e foge da ideia de que todo casal gay de novela vive num conto de fadas) e seus sofrimentos perante a sociedade.

Se você acha que tudo isso não é um avanço só porque as duas beeshas não trepam, você apenas é mais um amolador de facas que resume a expressão da nossa sexualidade ao sexo.

E pra vocês eu faço a Rihanna no VMA:

0kkjj

Dica de vídeo sobre o tema:

65 comentários sobre “Toda visibilidade é válida ou “Como vocês são marias-vão-com-as-outras”

  1. Ao contrário da maioria, eu gosto do fato do casal não estar na tv p/ transar.
    A ideia que a maioria das pessoas têm deste nosso mundo, é que nossa vida é feita SÓ de oba oba e trepadas(não que tb não seja rsrs), acho que é tb o que os gays novinhos pensam, pq a maioria dos que reclamam são jovens e ainda não chegaram no momento em que os personagens estão.
    O comportamento mais rotineiro, indica um casal de algum tempo, que sente prazer com o companheirismo, que quer permanecer mesmo que a paixão e o tesão tenham dado espaço ao sentimento de paternidade.
    No meu fantástico mundo de Didi, eles já fizeram muito sexo na mesa da cozinha, mas hj o foco é construir uma família, comprar um apt maior, roupinhas de bb, maternal, pediatra, etc…
    Muito me agrada este casal “papai e mamãe”.
    Acordar, beijar o marido, sair p/ trabalhar, sonhar com uma família. Não acho que eles pareçam assexuados, acho que este casal vai ajudar muitos pais e filhos no diálogo de que ser gay não é só fazer cosplay de diva, que não é só badalação e penetração anal, que nossa homossexualidade tb envolve homoafetividade.
    Com o casamento gay em alta, precisamos de uma representação do que seria este casamento, que é como qualquer outro, que tem crise, que pode ser chato, responsável e não um clip da Gaga.
    Seja gay ou Ht, todo casal passa por etapas, eles não acabaram de se conhecer ou estão em lua de mel. Representam um casal maduro/estável que está focado em algo maior e o sexo fica p/ depois, assim como ficaria tb se fosse com qualquer um de nós.

    Q viado transa, todo mundo sabe! O q este casal está mostrando, nossos pais e avós ainda não perceberam: que podemos formar família, que podemos amar, que podemos criar um ser humano, que podemos dar netos e sobrinhos.

    • É curioso pensar nisso também, porque todo casal hétero quando se casa no papel reclama que a vida sexual deles acaba, que o carinho fica mais esparso… por que com as bichas tem que ser diferente? hahaha

      • Não é? então! acho muito válido representarem um casal gay tal qual um HT. Quem tem dificuldade p/ conceber, seja ht ou homo, não vai ter tesão nem p/ bater uma.
        Quanto ao fato do cara ter transado com a mona, vejo isso como desespero e pena, não como tesão genuíno.
        A Felix representa o outro lado, a bicha que ainda trepa escondido e por isso trepa muito mais.

  2. Ele passou atestado de ignorante quando falou isso:
    “Um homossexual nunca vai trair seu parceiro com alguém do sexo oposto porque isso já descaracteriza sua homossexualidade”.
    Chega a arranhar os ouvidos.

    • Eu acho que careceu interpretação de sua parte Lucas, e é até lógico: um homossexual não vai trair seu parceiro com alguem do sexo oposto…mas não diz que não vai trair com alguem do mesmo sexo … e caso traia com alguem do sexo oposto, não é homossexual, mas sim bissexual…acho que foi isso que ele quis dizer, interpretação meramente semântica.

      • E é aí que eu digo que não, ele pode ser homossexual e trair com o sexo oposto sim. Sexualidade não é definida por um comportamento ortodoxo que se pisar fora da faixa se perde o direito de ser homossexual e se torna bissexual.

        É só pensar em quantos gays você conhece que já ficaram com o sexo oposto e gostaram. Se for pensar por essa lógica basicamente não existem gays “de verdade”. Mas não, ser homossexual é uma questão de atração majoritária pelo mesmo sexo, não uma atração obrigatória e invariável.

        Aliás, sexualidade nenhuma é assim. Se tem uma coisa que nós não deveríamos herdar dos héteros é esse controle utópico da sexualidade do outro.

          • NÃO! A nossa sexualidade não é esse livro de regras ridículas que criaram não. É possível sentir prazer com qualquer sexo e ter sua sexualidade majoritária intocada. Porque prazer é algo plástico que depende muito mais de circunstância que de um órgão sexual no meio das pernas de alguém.

            E pensar pequeno dessa maneira só tem a gerar homofobia internalizada, como sofrem várias lésbicas e gays quando têm relacionamento com o sexo oposto e têm sua sexualidade desrespeitada e colocada em xeque pela comunidade. Disgusting, vocês estão agindo igualzinho homens héteros machistas.

            Gostar de ter tido uma experiência heterossexual não te torna menos gay, a homossexualidade não é um sacerdócio!

            p.s.: Sobre a DEFINIÇÃO dos termos, você deveria se informar mais, porque na definição dos termos é muito clara a distinção entre relacionamento restrito e relacionamento majoritário com determinado sexo. Nenhuma definição seria burra ao ponto de dizer que homossexual é só aquele que tem relacionamentos restritos com o mesmo sexo, porque assim 90% dos gays seriam considerados bissexuais.

          • Homossexualidade não é nojo ou ojeriza do sexo oposto não, é só não ter aquele sexo como objeto de desejo, mas isso não quer dizer que aquele objeto não tenha a capacidade de te dar prazer. Sentimos prazer com N coisas (até com aquele pornô bizarro de anão que a gente ri no começo, sente nojo na metade e se pega de neca dura no final), por que não com o sexo oposto?

            Eu hein, que povo fundamentalista! Depois querem reclamar de Feliciano

    • Lucas, Não chame o autor do vídeo de ignorante. Veja que ele teve ótimos argumentos e isso leva ao debate crítico. Concordo com o autor do vídeo, pois um gay não trairia o namorado com uma mulher, caso contrário ele seria bissexual.

  3. Acho que o comentário dele foi bem radical, mas não discordo totalmente.
    Não sei o que me irrita mais, se são os gays eunucos ou o péssimo texto do autor da novela.
    É interessante, que o Félix, sendo a bicha má, sai para caçar, fazer pegação. Já os gays que não possuem traços de vilania, estão na cama como dois “irmãozinhos” (texto de um dos personagens).
    E, sobre os negros na tv, muitas produções com atores negros, foram um desserviços para a população negra, reforçaram estereótipos e racismo, eu sendo negro, gostaria que elas não tivessem sido produzidas. O que mudou essa condição, foi a luta dos movimentos negros. Não se aceitando nos eternos papeis de bandidos e subalternos.
    Acho que isso vale para os gays também.

    • E nós também estamos lutando, é isso que você tem que entender, amoreco!

      Só que olha a diferença pro que as novelas passam, são super legais conosco, tanto é que toda bicha já ouviu da mãe “por que você não é como o gay da novela?”. Quer dizer, calma, primeiro deixa a sociedade engolir que nós não somos o anticristo, depois a gente começa a fazê-los entender que também fazemos sexo.

      • Concordo com você, Max.
        Mas acho que devemos estar atentos. E as cobranças (não precisam ser tão radicais como a do rapaz do vídeo) precisam ser feitas. Em alguns casos essas personagens, se não reforçam a imagem do anticristo que a sociedade tem gente, gera uma outra imagem que não deixa de ser errônea e cruel.
        Graças ao politicamente correto, vemos os gays sendo representados nas novelas com dignidade, na maioria das vezes. Mas há também o desserviço, que é o caso dessa novela (deste casal gay em especial).
        Talvez seja birra minha, mas não digeri na estreia da novela, os atores e autor dizendo que os personagens não levantariam bandeira.

        • Mas a Ingrid me falou algo interessante, o modelo heteronormativo de relacionamento deles (no caso do maridinho perfeito ser traído pelo cafajeste) gera uma empatia nas tias que assistem a novela, afinal, os modelos de casal dele são idênticos aos heterossexuais no que tange o fim da atividade sexual depois de uns anos de relacionamento somados a um relacionamento extra-conjugal.

          Talvez isso explicaria porque ele beija a amante, mas não beija o marido, a maioria dos casais heterossexuais são assim!

          • Isso seria uma leitura legal do casal, mas vejo diferente. O que fica implícito é a homossexualidade como uma opção sexual.
            O cara curte mulher, mas fica com o maridinho gay porque quer.
            Não vejo problema em um triângulo amoroso bi, mas sim da forma que ele é retratado,
            O marido cafajeste é o machinho, um buraqueiro estiloso, pode comer quem quer.
            O marido perfeito, é o gay sensível e feminino que quer um filho, é bicha por capricho.

          • Epa epa epa, não, é exatamente o contrário. A novela retratou que ele gosta de homem, mas também tem a capacidade de pegar mulher, tanto é que antes da trepada ele fica cheio de conflitos com a própria sexualidade.

            O que a gente não pode é achar um absurdo ele ser gay e pegar mulher enquanto 99% dos gays já fizeram o mesmo e não são menos gays por isso.

  4. Não, Max.
    O absurdo não é ele pegar mulher. O problema é o estereótipo de quem está pegando. Por que não pode ser o outro?
    Mas não, Tem que ser o gay “macho” (estou reforçando os estereótipos)?
    Fora, que essa trama reforça a ideia de ser homossexual por opção.
    Já que estamos falando, de gays que não podem ser representados para chocar, que estamos nos primórdios da temáticas na telenovelas, então que os autores, por sua responsabilidade social, faça isso de uma forma inteligente e criativa, com o fim de esclarecer e reduzir preconceitos.

    • Ué, tem que ser o gay macho porque, por coincidência o gay macho é o ativo. A passiva não vai comer mulher, ela não come nem homem hahaha

    • E eu não vejo essa história de opção que você vê. É esse o ponto chave, não sei porque ofende tanto um gay que não vive sua sexualidade de maneira ortodoxa, ninguém vive, agora, que é mais fácil um ativo comer uma mulher, isso é óbvio ululante.

      • Max, a questão da opção está relacionada com aquela situação que você exemplificou quando somos questionados: “Por que você não igual ao gay da novela”.

        Então, para a tia carola, que vê essa novela um homem gay, não precisa ser gay porque ele pode ser relacionar com uma mulher.

        Então, as mães e tias senso comum, continuarão te apresentando futuras pretendentes ou aceitando sua sexualidade na esperança de um dia encontrar a raxa da sua vida.

        Agora, é totalmente possível um gay ficar com uma mulher, um hétero em algum momento da vida ter experiências homossexuais. Porém, estamos falando de novela, uma ferramenta formadora de opinião que tem dificuldade em demonstrar manifestação de afeto entre um casal do mesmo sexo, por isso, acho difícil tratar de temas mais complexos.

        • Dá-se a ênfase que se quer, ué, por mais que você ache que a tia está errada, ela tem sua parcela de razão, qualquer um pode ter o comportamento do gay da novela, entender isso e aceitar que é o difícil.

          O negócio é que está BEM CLARO na novela que ele trai o marido com a mulher, mas ele não vê nela uma alternativa de relacionamento não, você está distorcendo a minha lógica.

          Aliás, sua tia vai ter é raiva do cafajeste que traiu o maridinho dedicado, assim como provavelmente o marido dela faz com ela. O relacionamento deles emula direitinho um casamento hétero, e sua tia carola vai compreender que nossos relacionamentos também têm crise, também pode ser frio e assexuado como qualquer casamento hétero desgastado e que fazer sexo com uma mulher pro personagem ali é só sexo, não é algo que ele deseja pra si.

          • Talvez eu esteja pré julgando a opinião do público, mas não vejo esse laço de empatia se formando com o marido gay traído.
            Ou talvez, até ocorra, mas não acredito que isso possa se estender ao relacionamento gay da vida real.
            Acho interessante a abordagem, mas repito, os autores dizem que o público não está pronto para troca de carícias de um casal gay, não acredito que ele esteja escrevendo uma trama tão complexa.
            Mas se for, ele está de parabéns, talvez seja uma forma de burlar a censura. Vamos ver como ele vai seguir com esse núcleo.

  5. Max sem dúvidas este foi um dos melhores e mais sensatos textos que eu já li aqui no blog, penso semelhante, acredito que toda visibilidade LGBT é positiva em todas as situações possíveis. Mesmo que esta situação fuja do senso comum, não acompanho novelas já faz muitos anos, sou ainda da época de Nazareth Tedesco ultima novela que eu assisti, mas de lá pra cá vejo que tem crescido o numero de personagens LGBT’s nas tramas, sei que ainda caminhamos em passos de formiga, mas aqui que não é contra nós é ao nosso favor. Parabéns pelo blog menin@s!

  6. Esse lance de novela formadora de opinião pra mim que é uó.
    formadora de opinião pra quem?
    pra sua tia carola, mas ninguem liga pra opinião dela mesmo.

    • Meu caro, novela forma sim opinião. E não apenas de tias, mas de toda uma massa que vai nas urnas votar.
      Há estudo que apontam que até mesmo os números de filhos de uma família foi determinado pelas novelas da globo.
      E não só novela, publicidade, propaganda.

    • E mais, conceitos como beleza, poder. Estão presentes nas novelas também.
      Daí quando nossas tias carolas forem votar, e escolher o candidato bonitinho ou quando você for barrado num processo seletivo por não se enquadrar no “boa aparência” aí você venha falar que ninguém liga para a opiniao de nossas tias.

  7. Concordo plenamente com Billy e em partes com rapaz do video. Estamos carecas de assistir em novelas da Globo um gay totalmente esteriótipo de afeminado no entanto como uma magica ele começa a se relacionar com mulheres, aí vem a pergunta qual a necessidade disso? Da mesma forma quando esse gay é mais discreto eles tem que coloca-lo com uma mulher. Sou gay assumido e digo que nunca nenhum gay das novelas me representou.

  8. Estou escrevendo tanto nesse post, que alguns comentários já caíram no spam..rs

    Mas só para esclarecer, não tenho nenhum problema com o gay feminino que aparece nas novelas. O discurso final da personagem Clô, novela do Aguinaldo Silva, foi uma linda bofetada na cara de muita gente. Inclusive a minha.

    Agora, não sei se toda visibilidade é bem-vinda. Os gay da década de 70 e 60 dificilmente concordariam com isso. Pois, os personagens das novela eram sempre marginalizados.

    Nossa geração é representada pelo gay eunuco, que eu julgo como algo positivo para suscitar uma discussão na sociedade, pois incomoda. Essa representação é melhor do que nenhuma.

    Mas o que vejo nessa novela, nesse casal especificamente, é a possibilidade de pensar a homossexualidade como opção.
    Claro, uma pessoa ao longo da vida pode se relacionar com vários tipos de pessoa do mesmo ou do sexo oposto. Mas em uma novela que tem dificuldade em mostra qualquer tipo de carícia entre duas pessoas do mesmo sexo, qualquer outra trama é muito avançada

    Sendo que, para mim, um gay que se relaciona com uma mulher, gera munição para assuntos como a cura gay, o discurso na igreja, as clínicas de tratamento para homossexuais.

    Então, um gay pode ficar mulher? Sim, pode. Mas se somos uma sociedade que irá entrar em colapso por simples beijo gay, não temos maturidade para entender qualquer outra manifestação sexual de um indivíduo homossexual.

    Mas realmente torço para que algo positivo possa sair dessa discussão. Que autor tenha sensibilidade em levar essa história e que avanços possam surgir.

  9. Comentando tanto nesse post , que meus post estão indo direto para o spam…rs

    Chega de falar de bicha na tv.

    Quero meu próprio programa:

  10. axo estranho pq são gays que não agem como gays,parecem mais amigos,a diferença é que no caso dos negros havia a exposição dos mesmos da forma como eles são,e não uma versão maquiada do que seria um negro,o que a Globo faz é representar gays amenizados pra reduzir o choque e agradar gregos e troianos,gays veem pq tem gays,e heteros preconceituosos veem sem precisar se chocar com o que de fato é um gay.

    • Mas todo casal casado hétero depois de um tempo também não passa a viver como irmãos, cat? Principalmente quando uma das partes chega ao ponto de trair, a relação já está desgastada o suficiente pra não rolar nem toque.

      • é mas ali são gays longe dessa fase né? por favor….se querem retratar gays que retratem realmente como são,não uma versão maquiada que não ofenda a politicamente correta “família brasileira”,seria a mesma coisa que colocar negros num elenco e jogar pó de arroz pra não chocar os senhores do café…que gay em um café da manhã dentro da sua casa não dá pelo menos um selinho no companheiro….bem enfim…..concordo com o motivo da crítica do vídeo,mas não concorda com…elimine gays das novelas…já que até hoje só O SBT teve a coragem de retratar lésbicas sendo lésbicas,com beijo,amasso e tudo mais….não existe esse pudor ao se retratar os heteros,pq com gays seriam diferente?

        • eu ainda acho que está muito bem representado o casal como um casal desgastado que está prestes a rolar uma traição (como rolou), é a realidade da maioria dos casais.

          • é,mas note a diferença de grau que existe….quando o bissexual vai dar uns “catas” na peituda siliconada,mostra beijo,amasso e tudo mais,quando é com gay rola no máximo um abraço..coisa que faço até com amigos heterossexuais meus em frente todo mundo sem vergonha alguma…enfim como eu disse…axo válido se ter personagens gays,o problema é que a mídia tem problemas pra se retratar os mesmo,e ainda tá longe de haver uma representação à nível de um Queer as folk ou um Brokeback Mountain,representações que efetivamente combatem preconceito e colocam homossexuais como uam realidade do cotidiano de todos,não uma meres retratação genérica pra entretenimento do povo,aliás gays caricatos faz a diversão do povo…vide o tal do Félix,que não mostra nada,a única graça dele é o tal do “humor bixa má” que só serve pra reforçar esteriótipos.

    • PERA AÍ!! Exposição dos negros como eles são? E como seria isso?? Batendo tambor, usando cordão com dente de animal e falando “Cacilds”???
      Até onde eu sei, pra expôr um negro como ele é, basta que seja visível sua cor de pele. E antigamente os negros eram apenas empregadas e escravos. Este era o problema!

      • Então, toda essa “reprodução” do que seria o negro na tv, apenas reforçou o racismo no Brasil.
        Como negro, sempre me senti incomodado com essa representação.
        Daí fica a pergunta, será que a visibilidade que há dos gays também não é prejudicial?
        Não tenho resposta para essa pergunta.
        Estou buscando mais informações, lendo alguns artigos e vendo alguns documentários que falam sobre o assunto.
        Curti esse post!

        • Mas o gay não é representado de forma negativa, é até boa demais a forma que nos colocam. A única coisa que não temos nas novelas é sexualidade.

          • Isso eu não sei. Há dignidade nos papéis, mas essa falta de sexualidade é algo muito prejudicial.
            Acho que dita uma regra de como ser gay. Ou como o autor da novela disse, não levantar bandeira.

          • Por que é tão prejudicial assim, Billy? É isso que eu não entendo. Se mostrassem uma sexualidade voltada pra parafilia ou algo ruim vinculado aos gays eu até entenderia. Eles apenas omitem a sexualidade, só omitem, mas a sociedade sabe que eles trepam, aliás, a sociedade acha que a gente vive trepando… tem até um lado bom nisso, em mostrar um lado menos sexual da identidade gay, na qual você é capaz de identificar o personagem como gay sem que ele esteja pegando homem, olha o que há de identitário nisso, olha o que há de além da homossexualidade significar “homem que trepa com homem”.

          • Max, acho prejudicial porque é melhor ser taxado de puto do que ter alguém ditando regra de como eu devo me comportar para ser aceito.

            O que eu vejo são autores fazendo coro com aqueles que dizem “quer ser gay? Então faço isso num quarto”.

            Posso até estar vendo esse momento de maneira errada. Mas o ambiente GLBT é tão diverso, poderia ser representado de tantas maneiras, mas o que eu vejo é uma padronização. Ou é gay feminino (uma anedota) ou é o gay sem pinto.

          • Mas ainda é um gay, é isso que eu tô dizendo no texto, ainda é um gay, mesmo que assexuado, ou pintosa maléfica, temos pelo menos duas representações diferentes de gay exercendo sua identidade, nunca se viu antes numa mesma novela, isso não pode ser prejudicial de forma alguma.

            Claro que não é o ideal, mas por isso que eu traço um paradoxo com as novelas do passado, olha o quanto evoluímos, não podemos reclamar e jogar tudo pro alto agora, não agora que a coisa começou a engrenar.

            Mais do que nunca você precisa ver o vídeo que eu postei aqui nos comentários.

          • Sim, assisti o vídeo.
            E acho que essas representações são bons campos de estudos, lendo alguns artigos bacanas aqui.
            Mas tenho medo da padronização: regras de como ser gay, como “aceitar” o gay.
            Vejo uma certa doutrinação nisso tudo.

          • Mas o mais que Guacira faz o é CONTRÁRIO disso! Ela luta por uma noção pós-identitária do que é ser gay, porque denuncia exatamente o que você fala: Essas fórmulas de como ser bicha.

            “Luto pela diferença quando nossa igualdade me descaracteriza, e luto pela igualdade quando a nossa diferença me subjuga”

            So easy.

          • É neste momento que eu discordo de você, Honorável Max. O problema não é apenas a sexualidade, na verdade eu concordei com a “alma” do vídeo do menino velho e achei que você entendeu uma parte do que ele deixou entender ao brincar de um “radicalismo”.

            O maior problema dos gays é a “finalfelização”, na qual nos acostumamos a ver gays levando na cara todos os dias na novela e sendo felizes e conquistando direitos apenas em um último capítulo. Lembrando aquela máxima do Hitler de que uma mentira repetida várias vezes vira verdade, a repercussão dos gays se torna absurdamente negativa graças a isso. Afinal, a repercussão de uma novela se dá durante a sua exibição – que dura cerca de oito meses, e não do último capítulo – que dura, no máximo, três dias (o tempo de chegar a segunda-feira e começar a próxima).

            Da mesma maneira é com os negros em novelas de época. São oito meses de negro no quilombo, na senzala, da negra sendo estuprada pelo sinhôzinho e do negro apanhando no tronco. Tudo isso para, no último capítulo, a escravatura ser abolida pela milésima vez e acreditarmos em um final feliz. Mas que final feliz é esse que, nas nossas cabeças, dura menos que um vídeo da Porta dos Fundos, enquanto o preconceito foi talhado em nossas mentes dia após dia, durante quase um ano?

      • bem não ponha palavras na minha boca,em momento algum disse que expor negros como eles são,seja relacionado a escravidão,aliás pra nível de informação no começo,quando negros iam representar no teatro,pintavam eles de branco,pra justamente não chocar a sociedade racista da época,o que existe hoje é exatamente a mesma coisa,colocar versões maquiadas na mídia que contribuem em nada e em muitos casos são mais um desfavor a causa,com certeza não foram com os negros pintados de branco que houve a quebra do racismo.

  11. Não concordei com quase nada deste texto. Nem toda visibilidade é válida. Concordo bem mais, muito mais, com o vídeo do garoto do que este texto do Max. Para começar ele adota uma postura de alguns teóricos queer, que dizem que a sexualidade é totalmente fluida, que não existem identidades fixas. Isso é um engodo. É o mesmo que dizer que não existe gays nem héteros. Em alguns períodos da vida de grande parte das pessoas, geralmente na adolescência, as experiências sexuais são bem mais flexíveis, mas na grande maioria das pessoas elas caminham para um comportamento mais estável em relação as preferências sexuais, gerando identidades sexuais: hétero, bissexual, ou homossexual. Obviamente, isso não significa 10% dos casos, mas também não significa que todos passaram por estes processos. Há muitos gays e lésbicas que nunca sentiram atração, ou nem ficaram com pessoas de sexo diferente do seu.

    Ele adota esta visão, que nem é de todos os teóricos queer, no trecho: “Não vou nem entrar no mérito de quando ele diz que um homossexual nunca vai trair seu parceiro com alguém do sexo oposto, porque eu vou me estressar e fugir da temática do texto.”

    Não diria que TODOS os homossexuais NUNCA vão trair seus parceiros com uma pessoa do outro sexo, mas a grande maioria nunca vai mesmo. É muito mais comum gays traírem seus parceiros com outros homens (gays ou não), e lésbicas traírem suas parceiras com outra mulheres (lésbicas ou não). Bissexuais, sim, podem trair com um ou com outro. Mas, para falar a verdade, acho muito improvável que um bissexual vá casar com uma pessoa do mesmo sexo e querer adotar um filho. Por causa do preconceito e de tudo o mais, homens bissexuais costumam transar com gays e namorar mulheres. Sendo assim a novela retrata uma situação muito improvável de acontecer, em um contexto de homofobia, de propostas de “cura gay”, e se para qualquer gay, mesmo um de um casal que está querendo adotar um filho, de uma hora para outra ele tem um desejo incontrolável por uma mulher, só porque ela o cantou e investiu nele, não sei qual o lucro desta visibilidade.

    O reforço da linha queer que segue está no próximo trecho: “Qualquer um aqui sabe que isso é a maior asneira do mundo e que nossa sexualidade é plástica o suficiente para termos experiências com ambos os sexos sem que isso afete a nossa atração majoritária, que define a sexualidade.”

    Eu já tive experiência com mulheres, quando eu era muito novo, e digo que nem foi por desejo. Foi mais uma imposição social. Mas conheço dezenas de gays que nunca ficaram e juram de pés juntos que não ficariam com uma mulher e que não vão ficar nunca. Eu, por exemplo, não tenho desejo sexual nenhum por mulheres. Aí vem o cara dizer que todos nós podemos ter experiências sexuais com pessoas do outro sexo a qualquer momento. Se ele é bi, ou ainda está em alguma fase da vida onde não tem bem definida seus desejos, está considerando todos por ele mesmo, o que é uma inverdade.

    Por fim, o ultimo trecho mais absurdo do texto:

    “Mesmo que não mostrem o casal gay se pegando, estão mostrando o casal gay lutando pelo direito de ter um filho, estão mostrando a cumplicidade entre os dois, os problemas comuns a casais gays e héteros (aqui entra a traição e foge da ideia de que todo casal gay de novela vive num conto de fadas) e seus sofrimentos perante a sociedade.” Sem mais o que falar.

    Que cumplicidade há entre o casal. O que se vê é um cara que trai o outro, mente, transa na cama dos dois com uma “amiga”. Isso é cumplicidade onde?

    • Seu texto é tão repleto de senso comum que nem vou me dar o trabalho de replicar. Vamos concordar em discordar 🙂

      Dica: Releia a teoria Queer, tudo, absolutamente tudo, que você falou sobre ela está equivocado.

  12. Leio esse blog diariamente, as vezes vejo uns texto bem bacana a inteligencia do Max, Dê e cia é algo que não se discute, acompanhei a confusão do vestido, o perfil do medico com aids enfim varias polemicas e sempre do lado de vcs. Agora esse post Toda visibilidade é válida ou “Como vocês são marias-vão-com-as-outras” gente não há o que discuti Max a impressão que vc passa em discordar do video do rapaz e de alguns pontos de vista aqui nos comentários é que vc se contenta com migalhas da Globo por colocar os gays da forma que não existe. Não precisamos de migalhas pois sabemos da nossa existência, sabemos que sem demagogia nenhuma se colocar na ponta do lápis somos grande parte população mundial. Então tanto Billy quanto Mateus estão “No meu ponto de vista” corretos em suas colocações. De qualquer forma seu texto foi bom, pois nos permite discutir esse assunto de forma inteligente.

    Ps: Eu sou o anonimo do Aceita que doí menos Rs!

    • Mais do mesmo defeito de interpretação, não disse pra contentar com migalha nenhuma, eu continuo achando que não está ideal e eu repeti isso 90 mil vezes nesse cacete. O que eu estou dizendo é que não é porque está ruim que tem que tirar tudo! Ainda é melhor um gay… ah, não vou repetir mais isso não, tá lá no texto.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s