Você já sofreu bullying na escola?


ahahahaha

maão na xoxotaLógico que já! Mas o título foi mais pra chamar a atenção, a minha pergunta nesse post é outra, e queria o feedback de vocês.

Não sei se vocês sabem, mas agora desbandei pro lado da Licenciatura em Biologia. Comecei as estudar sobre o assunto e me identifiquei demais, mas principalmente senti que como professor de Biologia eu teria o poder acabar com preconceitos lá no comecinho deles, fazendo uso de argumentos científicos e quebrando o caralho todo diante da discriminação… até levar um tiro no peito.

O que eu quero saber de vocês é: Como foi a experiência de vocês com o bullying?

NinfaDigo, eu tenho certeza que muitos aqui se sentiram desamparados diante do pau no cuzismo de um professor, que ficou calado enquanto a sala toda te chamava de viadinho ou Maria João toda vez que você abria a boca, certo?

Eu sofri bullying pra caralho na infância, afinal, era praticamente uma ninfa virgem e delicada que vivia num tronco de Carvalho. Cada movimento meu era seguido por um som de harpa, de tão feminina.

Mas meu cu, cresci e virei o satã, o saci de patinete.

Só que pra isso eu precisei desenvolver meus próprios argumentos, ler por mim mesmo, pesquisar formas de bater de frente com o preconceito.

Porque se eu fosse depender de professor, os alunos fariam uma fogueira no meio da sala pra queimar a bicha herege.

ai meu deus

Depois surgiu uma outra beesha, mais beesha que eu (se é que isso é possível!) e um pouco menos informada. Aí o foco foi voltado pra ela e saíram um pouco do meu pé.

O que não quer dizer que eu não dava bafão pra defendê-la, dava sim!

Quê qui éam que você tá falando da minha amiga?

Quê qui éam que você tá falando da minha amiga?

Baseado nisso, me respondam nos comentários: Como você fazia pra se defender do bullying? E seu professor, batia de frente com os alunos ou deixava você levar pau?

Respondam também a enquete abaixo (tudo pela ciência, bee!):

88 comentários sobre “Você já sofreu bullying na escola?

  1. eu subverti a porra toda e, mesmo sendo a nerd esquisita do fundão, pratiquei bullying contra uma patricinha pop. mas isso foi muito malvado (apesar de na época eu achar que tava tipo fazendo uma verdadeira cruzada contra O MAL) e eu não me orgulho. u_u

    • òtima lógica, Cristal, realmente já observei muitos gays que praticam o bullying contra outros grupos a fim de tirar a atenção de si.

  2. O pior do bullying, é vc sofrer chacota e ser humilhado por algo que é inerente a você, algo que vc ñ pode mudar. Sofri bullying durante anos no colégio, mas consegui extrair algo bom disso. É algo que noto na Max tb, vc conversa com ela, ela ñ deixa passar nada, ninguém tira onda com a cara dela, sério! Eu desenvolvi um lado irônico/sarcástico muito aguçado, sei captar quando estou ‘sob ataque’ e a resposta é imediata. Ñ sei se consegui explicar direitinho o que sinto, mas espero que me entendam.

    • A gente desenvolve esse senso de proteção mesmo, e fica até meio paranoico às vezes, né? Terrível, isso acaba com a nossa saúde mental hahah

  3. Max, confesso que quando passei por essa situação, lá pelos idos de 1973 (sim, sou uma balzaca), apelei para meus instintos mais baixos e bestiais: afinei a ponta bem cuidadosamente de uma lápis HB (aquele verdinho) e aproveitando que o guri se sentava à minha frente, enterrei o lápis bem no meio da cabeça dele (o grafite ficou enterrado e dava prá ver a pontinha preta no couro cabeludo). Pronto: fiquei conhecida como a assassina da sala. Mas confesso que valeu a pena, pois me recolheram à sala do diretor e tudo terminou em um boquete no próprio (horror dos horrores, hoje tenho cohecimento de que fui abusada aos treze anos de idade, pedofilia vivinha), mas o diretor valia a pena. Belíssimo!! Rsrsrs.

  4. Lógico, eu vivia dentro de uma armadura, oscilando entre uma pessoa engraçada e comediante e uma pessoa seca que humilhava a pessoa em questão, colocando a sexualidade dela a prova, se a pessoa me chamava de viado, eu virava e listava todos os defeitos da mesma, e claro andar fingindo que não era comigo, mas o mais difícil era suportar as agressões sexuais, da mesma forma que machistas acreditam que mulher de vestido curto quer pinto, viado também quer, e por isso muitas vezes ouvi gracinhas e ganhei fofadas na bunda e encoxadas, e como não presto gritava em alto e bom som que se ele queria encoxar teria que levar para jantar antes (ou coisas do tipo), e sobre professor FDP tive poucos, e quando esse não fazia nada eu logo fazia um barraco.

  5. Nunca comentei aqui, mas esse post sim me chamou um bocado de atenção…

    Nessa época (se não um pouquin hoje, rs) tava em Nárnia… mas o preconceito já rondava contra mim na sala de aula por causa de certos “costumes” q tinha (q diria q já me fazia sair de Nárnia)…

    Mas o fato não é esse… sofria bullying sim (ainda mais que ficava lá atrás quieto estudando e fechando as provas, já que não tinha alguém com quem entreter..)… mas o pior é quando o professor percebe e ainda por cima não age. Não me sentia valorizado, sabe?

    Mas graças a Deus tudo hoje é diferente e eu que acabo gerando os barracos na facul, kkkkkkkk… Mas penso seriamente sobre as consequências que isso trouxe até mim… por incrível que pareça me trouxe mais força pra continuar olhando pra frente e ajudar aqueles que passam por isso nesse instante (que não conheço poucos…)…

  6. eu tenho 19 anos,vou começar a faculdade, nos anos do ensino médio (2009, 2010 e 2011) eu sofri muito bulling, os meninos chegavam em mim e perguntavam por quanto eu liberava o toim, toda vez q tinha trabalho em grupo eles se uniam em grupos de 3 e me mandavam perguntar pro professor se podia ficar de 4, o meu professor de biologia TINHA ORGULHO de se dizer homofóbico e ENCORAJAVA a homofobia, na crisma todos zombavam de mim, diziam “alá a bixa contagiosa” e eu ficava sozinho nos ultimos bancos da igreja, a irmã n dizia nada u_u,
    Mas eu dei a volta por cima, na escola fiz um amigo q era gay t bm, nos aproximamos pq ambos somos fãs da lady gaga, a gente só andava junto e a partir dai ninguém mexia com a gente, e olha q somos bem magrinhos com cara de doentes.
    Na crisma eu entrei prum grupo de meninas q n mexiam comigo e me protegiam qnd os meninos inventavam de encher o meu saco, em troca eu contava os bafos da semana pra elas.
    Foram anos relativamente felizes, pq eu fiz novas amizades em consequência do bulling.

    • Não acredito, o professor de biologia fazia isso? Quer vergonha! Ele é quem tem todas as armas pra acabar com o preconceito em sala de aula!

      • até hoje eu me arrependo de não ter filmado e jogado na internet sob o título “Professor de biologia incita homofobia em sala de áula” teria sido um escandalo e tanto, eu até imaginei a minha reportagem no fantástico huehuehue

  7. Olha a época da escola foi saco, na década de 90 ninguém comentava sobre bullying. Com o passar dos anos eu me isolei na escola.
    Mas os professores estavam cagando para qualquer problema que tínhamos em sala de aula.

  8. Sofri bullying desde que me entendo por gente. Mas as pessoas aprenderam a me respeitar (tiveram que me engolir) porque eu sempre estudei e me dediquei ao máximo pra ser o melhor. As pessoas me respeitaram pela minha inteligência, que além da pinta, sempre se destacou muito em mim.

    • Muito comum mesmo os gays se interessarem pelo estudo pra conseguirem respeito, infelizmente estudar aí deixa de ser um gosto pessoal e vira uma tática de sobrevivência

      • Sempre foi um gosto pessoal, mas acabou virando uma tática de sobrevivência também. É uma forma não hostil de impor o respeito.

  9. Adoro ler os comentários!
    Mas vamos ao meu depoimento:

    Sempre sofri bullying no ensino fundamental.Os meninos implicavam, raras vezes me batiam, e eu me sentia um lixo. Não estudava nada mas sempre me dava super bem nas provas. Depois da 7º série, o bullying de agressões verbais passou a ser um bullying de silêncio: as pessoas simplesmente não falavam comigo, se afastavam de mim. Acabei me apegando com um grupo de meninas, que até hoje são amigonas.

    As consequências do bullying foram muitas quando saí de lá para o ensino médio em outra escola: tive dificuldade enorme em fazer amizades, principalmente com homens (isso eu já resolvi); não consigo fazer apresentações de trabalho em grupos, nem conversar em grupos de amigos maiores que 4 pessoas (até hoje); não conseguia exercer minha sexualidade, nem me assumir (outra coisa que já passou); desenvolvi uma mania de perseguição, achando que toda hora estavam falando de mim ou me odiando; virei uma pessoa rancorosa, que guarda mágoas.

    E realmente: até hoje eu guardo uma raiva e uma mágoa enorme daquelas pessoas. Ás vezes eu quero que ela me peçam desculpas, ás vezes eu quero estragar a vida de todos aqueles. Mas uma coisa me chamou atenção: quando encontrei um deles de vista, numa pracinha de itaparica, eu comecei a ofegar, tranquei o corpo todo, não conseguia fazer nada. Pareceu que até hoje eu tenho medo dele. Que ódio daquela época.

  10. Me chamavam de gostosa e eu nem ligava… Kkkkkkkk’ Eles acabaram se cansando de praticar bullying comigo. No fim eu me tornei amigo deles e ajudei a acabar com parte do preconceito que eles tinham.

  11. Digo, eu tenho certeza que muitos aqui se sentiram desamparados diante do pau no cuzismo de um professor, que ficou calado enquanto a sala toda te chamava de viadinho ou Maria João toda vez que você abria a boca, certo?

    Definiu meu ensino médio. Mas tomei uma decisão, entrei pra federal e vou fazer licenciatura em letras-inglês, quero ser aquele professor que eu não tive, que enquanto me xingavam em plena aula, ele cruzava os braços como se nada estivesse acontecendo. Ain, odeio falar sobre isso ;-;

  12. só posso dizer, nunca fui de engolir sapo e sim ja tentaram me fazer bully… mas enfiei o lapis no braço de um menino da minha sala e ja dei porrada na cara de uns mlks e ja arremecei uma cadeira em um colega dentro de sala msm…

    Mas só sai do armario no meu ensino médio, falei ja mandando todo mundo tomar no edi…
    fui para na direçao e só respondia, não mandei falar besteira.

  13. Pior são os trocentos cursos de prevest com professores que tentam divertir a porra da aula com piadas ridiculas e ofensivas contra os homossexuais. Eu fiz o ano passado inteiro, e pqp, era cada professor escroto e cada merda que você ouvia que dava vontade de parar de estudar. Ainda bem que no prevest que eu fiz tinha um professor bee mega culto que calava a boca de TODOS os outros com argumentos lindjos ! só isso mesmo pra eu não mandar aquela escola ir tomar do edi ! (vo nem falar o nome do lugar pq não sou polemica rs )

    • Nussa, ameega, falou tudo! Prevest foi sofrível com piadas homofóbicas e, mais ainda, machistas. Não sei como as meninas não se revoltavam.
      Sobre seu pré: Darwin? Majeski (a bee “culta”)? kkkkkkkkk

        • KKKKKKKKKKKKKKK Mentira max! Meu sonho e ver você sendo professora de cursinho (ryca) quebrando a garáleo todo dentro da aula !

          • Nossa, meu sonho é dar aula lá, conheço uma bicha que foi pra lá. A aula do viado é um porre, mas eles amaram porque ela fala das gays. Deixe estar, deixa só eu terminar essa licenciatura pra você ver quem vai roubar o emprego dela.

  14. Então, eu me formei no ensino médio bem recentemente e onde eu morava as pessoas eram (e ainda são) bem mente fechadas. Tinha umas 2 professoras que me amavam, mas que depois que descobriram que eu era bi (curious) elas começaram a parar a aula pra sentar e conversar comigo perguntando porque eu fazia isso e uma delas até disse que eu sou assim porque não tive um pai na minha familia. Eu nunca fui de pegar no pé de professor, mas depois disso toda atitude das duas era bem vigiada por mim, e cada vez que cometiam um erro eu fazia elas passarem pelo mesmo constrangimento que eu passei quando elas paravam pra falar sobre minha sexualidade. Nunca mais elas falaram nada sobre mim.

    Sobre meu professor de biologia: o mesmo dizia que a Biblia era verdade absoluta e que a midia deveria parar de expor “viadagens”. Certos tipos de pessoas não valem uma discussão, então eu apenas estudava e rebatia o que ele falava diretamente pra mim, pois ele era algo da diretora e eu morria de medo de tomar no cu (no sentido ruim da coisa).

  15. Eu tive diversas reações, tive época de sair na porrada, com meninos e meninas pra tentar me impor, teve vezes que eu desviava a atenção de mim praticando Bullying com outros grupos e as vezes eu mesmo me gongava pra que todas as piadas fossem como apelidos e ficassem sem graça ao invés de pegar. Tive até um apelido: Sarita Vitti personagem de Floriano Peixoto na novela Explode Coração de 1995. Passado alguns anos apelidei os héteros mais gatinhos com nome das “quengas” da Indomada de 1997, Maribel, Grampola, Paraguaia e Dinorah! Ele ficavam sem graça, tentavam me zuar e levar na brincadeira… Hoje vejo que muitos, tentavam até me agarrar, hj com essa cabeça que tenho não perdia um! kkkkkkkk. Quando assumi perdi muitos desses colegas!

  16. A solução para o bullying foi me tornar o mais masculinizado possível, machista e até preconceituoso.
    Depois do ensino médio deixei o preconceito de lado (aos poucos), o resto já faz parte de mim.

  17. Obviamente, você está falando do bullying por ser gay. Esse eu nunca sofri e, portanto, marquei na enquete como não. Acho que na escola, ao contrário de alguns amigos, nunca me associaram a gay. E mesmo que tivessem e eu nunca tenha tomado consciência disso, a resposta é a mesma. Não sou afeminado, reaja como quiser hahaha

    Mas já sofri bullying por ser gordo. Mas tudo deu certo, porque professora interviu junto com coordenação e não houve danos. Continuei gordo durante muitos anos, até o crescimento fazer as suas e distribuir tudo de forma justa.

  18. Eu sofri umas tentativas de bullying de uma menina uó no 2º ano do ensino médio, e eu não sou meio controlado, se é que me entendem, então… (dá até vergonha de contar)… um belo dia, antes de sair de casa, peguei uma tesoura das costuras de mamãe, levei pra escola, aguardei o recreio, cheguei por trás dela e cortei os seus cabelos, além de surrar sem parar, e não de tapas, socos mesmo, pontapés, até que nos separaram e blá, blá, blá. fizeram um BO contra mim, fiquei com fama de louco e fui forçado a ir na psicóloga 2 vezes por semana, mas e daí? foda-se. we’re all going to die…

  19. Na época do ensino fundamental, quando eu sofria bullying, era muito fraquinho emotivamente, pois era um evangélico com uma baixíssima auto-estima, por isso mais chorava do que confrontava. Mas eu tinha uma amiga caminhoneira agressiva, então não me agrediam fisicamente, ao menos isso néh.
    Já no Ensino Médio, com a libertação divina da opressão religiosa, a coisa mudou de vez. Os meninos eram meus amigos, talvez por medo da minha língua afiada, ou pela insegurança de suas sexualidades. Daí, eu não sofri tanto, muitas vezes até fazendo bullying com os pseudo-heteros.

  20. Até quase os 17 vivi na casa dos meus avós no interior e pensava ser hétero… só que quando criança eu só não sofria bullying na escola pq minha tia era a professora mais temida da escola e dava aula para todas as turmas XD… mas em compensação na rua… As pessoas que mais praticavam bullying comigo eram meu irmão mais velho e meu tio… Mas a partir do momento eu mudei para serra para começar a morar com minha mãe, foi quando eu “descobri” que era gay quando o boy da informatica da escola me “pegou”, a partir daí comecei a revidar as implicancias e pararam de tentar praticar bullying… Uma das poucas vez que tentaram no ensino médio a professora deu um corte gigantesco na pessoa que a sala toda parou para escutar XD

      • Não foi muita coisa… O boy era Narniano (e continua sendo ate hoje)… eu matava aula na sala de informatica para conversar com ele e vê-lo jogar… ai em um dia acabou que ficamos sozinho e ele aproveitou para dar em cima, nisso começamos a conversar coisas mais intimas, webcam, ficamos pela primeira vez e continuamos durante 2 meses, mas foi apenas sexo, o sentimento que tinha era unilateral e ele não queria nada serio… nesse meio minha mãe descobriu tb e deu maior B.O. pq eu estava mentindo para ela dizendo que ia para alguns lugares para ir para outros XD

  21. Na época do ensino fundamental, quando eu sofria bullying, era muito fraquinho emotivamente, pois era um evangélico com uma baixíssima auto-estima, por isso mais chorava do que confrontava. Mas eu tinha uma amiga caminhoneira agressiva, então não me agrediam fisicamente, ao menos isso néh.
    Já no Ensino Médio, com a libertação divina da opressão religiosa, a coisa mudou de vez. Os meninos eram meus amigos, talvez por medo da minha língua afiada, ou pela insegurança de suas sexualidades. Daí, eu não sofri tanto, muitas vezes até fazendo bullying com os pseudo-heteros.

  22. Sempre que sofria bullying ia reclamar nas altas instâncias da escola. Nem perdia tempo com os professores que não estavam nem aí… Daí os meninos levavam um dia ou 2 de suspensão mas depois de uma semana tudo recomeçava…. ficava nessa putaria…
    Só uma vez uma professora de história fez um discurso lindo defendendo a causa a então pararam de encher o saco pelo menos na aula dela…

  23. Tô lembrando aqui duma bicha agressiva do colégio. Era mexer com ela que levava uma surra daquelas. Ja vi nego sair em ambulância até. Eu morria de medo dela.

  24. Eu sofria bullying, mas estudei os meus agressores e me tornei melhor amigo do cara que liderava todos os maus elementos da escola, so pq eu andava e conversava com todas as garotas da escola e fiz ela namorar com a mais bonita, e a partir dai ganhei confiança e estava sempre do lado do casal mais pop da escola, ganhei fama e notoriedade e todos me respeitavam, inclusive os que me xingavam, ate peguei alguns escondido !

  25. Como a besha acima, eu fazia parte do círculo dos “pops” da escola – mas às vezes não escapava tb. A sorte é que as amapoas me defendiam e aí paravam.
    Só que nunca liguei tanto pra isso..apenas fazia meu bom carão. A sorte é que sempre fui rica e inteligente..isso destroía TODAXxx.
    As coisas mudam quando você se aceita e encara os outros. Já não vêem mais a graça em humilhar a bicha, afinal nao tem nenhum “mistério”.

    • É verdade. quando a gente se aceita a gente tem força pra encarar os outros. Minha vida ficou muito mais tranquila quando me assumi!

  26. Sofreu?? querida ainda sofro e muito!
    Todo dia alguém vem fazer uma piadinha sobre mim , me empurram, me batem na hora da saída .(quebraram meu nariz uma vez)não tenho amigos na escola ,e desde que isso começou não consigo falar com nenhum homem hétero.
    Tentei me matar duas vezes a primeira usei uma gillette mas, cortei no lugar errado e infelizmente não deu em nada,mais já planejo minha próxima tentativa.

      • Que triste!!!! Converse com alguém que você confia sobre isso, não desista da vida, procure ajuda de alguém, de um psicólogo!!!

    • Menino fique calmo. Não vale a pena perder a sua vida. é jovem e tem muita coisa para aproveitar. Eles não merecem isso.

      • será mesmo que isso vai passar? me sinto a escoria da sociedade
        Não sou bonito,não sou inteligente ,não sou engraçado ,não sou nada.
        para melhorar minha situação pertenço a 3 minorias: sou gay,pobre e negro.
        Se minha vida continuar estarei limpando chão e engolindo sapo atrás de sapo,nessa caso a morte é a melhor opção.

  27. É engraçado, pelo meu jeito afeminado de ser, sempre fui vítima de muito bullying, e isso meio que me alienou em relação a minha própria sexualidade, tanto que quando eu tinha uns 14/15 anos eu me considerava totalmente assexuado (olha o grau de repressão)… foi aí que um advindo maravilho apareceu: a internet… desde então eu comecei a mudar meus pensamentos em relação a mim… eu me lembro de entrar em sites pornôs héteros e me indagar do porquê o homem me chamava mais atenção, até que comecei a ver os vídeos gays, o que me causou muita estranheza no inicio e um sentimento terrível de culpa… hoje, olhando pra trás vejo como o bullying prejudicou minha vida social e até mental, era horrível aquela sensação de sempre se perguntar os que os outros estavam pensando, se estavam observando os seus trejeitos etc… essas coisas, felizmente foi melhorando com o tempo e hoje sou assumido e muito satisfeito com a pessoa que me tornei, mas o bullying tirou um tempo precioso da minha vida que eu poderia estar explorando outros aspectos….

  28. Eu sofria bullying na infância, desde bem pequeno mesmo e isso afetou a minha vida toda. Lembro de ter meus, acho que 5 ou 6 anos, e um dos filhos da minha Avó de criação me chamar de Lafond (Jorge Lafond – Vera Verão). Eu sempre fui meio delicado, meigo, vivia com meninas. Certa vez, eu brincando de queimada na rua com um bando de meninas – o que, os caras (outros) fizeram piadinha comigo, me chamaram de algo – fazendo gestos efeminados exagerados – que não me lembro mas devia ser “bichinha”, “viadinho” algum desses, e eu vi, pois eles tavam me zuando entre si. Isso fez com que eu nem saísse mais de casa por longos anos e até hoje, eu com meus 27 anos tenho problema com isso. Acho que todos estão apontando pra mim, ou falando de mim, fazendo piadinha ou qualquer coisa do tipo. Na escola eu fingia não ser comigo, ficava quieto, recluso. Não tive a cabeça que vocês tiveram de meter a cara nos livros para que isso me fizesse sobressair dos demais e parassem de mexer comigo. Também não era perseguição diária nem nada. Sou aquele tipo que todo mundo sabe ou desconfia mas ninguém chega junto e fala ou pergunta logo se sou ou não. Eles preferem piadinhas internas, ou então jogar pra colher maduro. Enfim, referente a professores homofóbicos tive uma em um curso, mas nunca cheguei a debater, pois eu estava em Nárnia e preferi me calar. Eu não tinha/tenho conhecimento suficiente pra debater o assunto com ninguém que venha a discutir comigo. Porque gosto de enfrentar e calar logo todo mundo. Mas também dou umas cortadas pra sentirem que não sou um completo idiota. Meu Deus, eu escrevi demais. Meu primeiro comentário aqui, amo demais esse blog (aqui em São Luis – MA, tem um blog fuleiro que, a meu ver, tenta copiar o Babado certo. Cheio de vícios de linguagem, erros de escrita, Enfim, Odeio!!!!!) Obrigado pelo espaço, Max!

  29. Na infância eu era praticamente uma menina travestida de menino. Tentava proteger as minhas amigas daqueles moleques mais abusados, mas ficava indignada com as meninas que permitiam que eles ficassem passando a mão ou falando besteiras pra elas. Na escola nunca sofri bullyng pq impunha respeito pelo meu porte e condicionamento físico e discurso de lutadora de artes marciais. Na rua sofria alguns insultos de uns moleques pq brincava com meu irmão e imitava o comportamento dos meninos, como cuspir e segurar o saco kkkkkkkk… Mas o pior preconceito que sofri foi por parte das mães de algumas amigas que permitiam, mas, nitidamente demonstravam que não gostavam que suas princesas ficassem em minha companhia. Foi muito TENSO perceber isso ainda criança, pois não tinha malícia alguma, apenas era diferente delas. O pior predicado que recebi foi o de “macho e fêmea”, por parte da mãe de uma “amiga”.

  30. Veja, em primeiro lugar, é difícil para o professor pois ele pode ser crucificado pelos outros alunos e pelos dirigentes da escola. Em segundo local, estava eu na sala de aula e o professor falando sobre a deficiência da vitamina A que causa pelagra, que é não conseguir ver bem na penumbra. Ai um rapaz gay fala “quem mais vê bem na penumbra sou eu!”. isso gerou bullying. Agora eu pergunto: para quer falar isso? Se atitudes provocam bullying então porque fazer tais coisas?

    • Ué, gente, acho que ele fez chacota de si mesmo, vários gays fazem isso pra tentar se mostrar mais tranquilos em relação à própria sexualidade.

      Sobre ser difícil pro professor, ninguém disse que seria fácil, agora, se formos deixar de lutar por causa dificuldade enfrentada, não conseguiremos alcançar absolutamente nada em prol dos nossos direitos.

  31. Bom, vamos lá, eu era do interior do estado e estudei até a oitava série em uma escola e fiz o ensino médio em outra, o meu maior problema era com minha altura, era o mais novo e o mais baixo da turma e o bullying que sofria por isso era pior mas não me incomodava tanto quanto as poucas vezes que insinuaram algo sobre minha sexualidade. Sempre fui de revidar as agressões verbais com outras piores e muitas vezes fisicamente, lembro que eu utilizava o compasso, lápis, caneta, e uma espécie de estilete fabricado em casa (eu tirava a lâmina do apontador e colava na caneta com fogo que derretia o plástico, dizia que era pra fazer ponta no lápis), depois de algum tempo e muito garoto machucado eu conquistei o respeito ou pelo menos intimidei quem olhava pro meu lado, apesar das brigas eu sempre fui um bom aluno, tirava excelentes notas, era líder de turma e pegava algumas das garotas mais populares do colégio e tinha vários amigos.
    Quando mudei de colégio e fui para ensino médio começou tudo de novo, tive problemas durante 3 semanas na turma nova que só tinha uns 4 garotos que eu conhecia e que não eram amigos meus, e tinha nesta turma dois alunos que cometiam bullying com todo mundo e resolveram pegar no meu pé. Certo dia quando deu 3 semanas aproximadamente que estudava lá, em uma aula de português eram 2 aulas seguidas e eles estavam mexendo comigo e a professora nem ligando pra nada, um deles resolveu se aproximar de mim e dar um beijo na minha nuca, pensa no CAPETA, fiquei possesso por todas as entidades já vistas na face da terra, já levantei dando porrada na cara dele que caiu, peguei a cadeira e dei umas cadeiradas nele e umas quatro cadeiradas no outro e que também caiu, achei que não estava bom e lancei a cadeira na professora que estava lá na frente da sala, xingando todos os palavrões que se possa imaginar e dizendo que ela também era culpada por não fazer nada, chutei mesas e fiz o caralho a quatro, só parei quando quis, totalmente fora de mim, parei toda a escola, fui para a sala do diretor que era meu vizinho, chorei e contei tudo o que tinha acontecido e ele ainda ficou do meu lado e me transferiu de turma a meu pedido, fiquei com fama de bravo e louco e ninguém nunca mais neste colégio mexeu comigo…

  32. Eu nunca sofri um bullying grave, só os meninos (um já se declarou pra mim), eu era e sou uma das pessoas mais inteligentes da minha sala atualmente, e o pessoal me respeita e me zoam, assim como eu fico brincando com eles.
    Eu sempre fui o queridinho dos professores, tenho muitos amigos e as pessoas que um dia me xingaram para me ofender são todos meus amigos. (Antigamente eu ficava amigo das pessoas para listar os defeitos delas, e as deixarem sem argumentos) hoje em dia isso é passado. Sem falar que esse menino que se declarou pra mim, estuda na minha sala, gosta de mim e tals, mas pra se passar de Hétero ele ficou burro e começou a andar com más companhias, é um daqueles playboyzinhos populares (e que playboyzinho hein, se fosse hoje em dia eu pegava), ele namora meninas como um disfarce mas everbody sabe que ele é gay. kkkkk’

  33. Caraca, li todos os comentários até agora, puxei na memória muito e não lembro de ser sofrido bullying.
    Fiquei no armário boa parte da minha vida, só voltei de narnia depois que acabei a faculdade, detalhe virgem até lá XD..
    Acho que sou um gay estranho XD.
    Durante toda minha vida eu sempre tive mais amigos que amigas.
    Para que vcs tenham ideia o meus melhores amigos no colégio eram, o garoto brigão que todos tinham medo e o tarado nojento que as meninas odiavam.
    Certa vez meu amigo brigão falou que os outros meninos me achavam que eu era gay, mas ficou só nisso…
    No ensino médio minha nerdice chegou a nivel 1000. acho que isso passou a confundir as pessoas, e nunca fui indagado se era gay ou não durante todo o ensino médio.
    Durante a faculdade é que a coisa retornou uma amiga bem mais velha que eu, já escolada na coisa toda virou para mim e começou jogar indiretas para descobrir se eu era gay ou não negava sempre é claro narnia ainda me agarrava XD…
    Outro dia vendo uns videos antigos que meu pai fazia em festas, eu me vendo no tape, pensava: como essa pintosa não sofria bullying… pqp eu era quase uma moça vei XD
    Acho devo ser menos afeminado hoje que antigamente, a quantidade bee que fala que não pareço gay é incrível O.o

  34. Nossa,quem nunca? KKK mais eu tive uma professora muito diva de História que me defendeu! Uma menina disse que não queria fazer trabalho em grupo com um viado.Minha professora disse que era melhor mesmo porque eu sou muito inteligente e tenho capacidade pra fazer sozinho e terminou dizendo o quanto ela perde com todo o preconceito dela porque além de se tornar uma mal amada ela não sabe como é bom ter um amigo gay!
    Simplesmente arrasou e eu adorei porque eu não precisei dar um show com ela e me defender.
    Ela foi a unica que me defendeu,os outros nem ligavam,os meninos me chamavam de viado e esses “professores” só falavam “Não liga,sã os hormônios” Eu: Oi??

  35. Eu me encontrei um pouquinho em cada comentário, na meiguice na infância, no senso distorcido de realidade sobre como homens agem visto que fui criado somente por mulheres, eram seis na casa e se eu contasse seriam sete, a casa das sete mulheres literalmente, só que não, faltava uma vagina nessa história, descobri que eu era ” estranho” quando entrei na escola de fato e era sempre separado do resto, tive um amiguinho até a terceira série que sempre me protegeu, mudei de escola e de cidade para a cidade grande, tudo foi muito pior, as gozações com termos chulos começaram ai eu simplesmente ignorava e esfregava meu destaque em atividades escolares e notas na cara de todos até a oitava série foi assim, sobrevivi, mudei de escola para o ensino médio, o 1 ano, o de sempre, claro, mas no fim do ano os 3 caras que mais me zoaram no ultima dia me disseram que gostariam de ter falado mais comigo ao longo do ano pq estavam vendo que eu era um cara muito bacana e nada do que todo mundo estava acostumado a ver em gays, não me senti excessão, só senti que fazia algo certo agindo como agia, não me escondendo, mudei de escola, de novo, saco eu sei, e foi bem razoavel pq o núcleo gay desse novo colegio ja tinha suas estrelas, literalmente estrelas, eram badalados, popularérrimos, e eu consegui me formar sem aborrecimento algum, na faculdade os bullyings de sempre, nunca me calo, levanto e desfio meus inumeros e infaliveis argumentos, e pronto, tudo volta pro lugar, parece até que é mágico vc falar de rótulo, de olhar para si mesmo com franqueza antes de julgar alguem, dizer que a cada 10 homens 3 sao gays em Vitória, então simplesmente contem pq mais alguem aqui esconde um segredinho do tipo ” eu e meu primo naquele dia fizemos…”, ( eu vi essa informação de 3 em 10 em algum lugar ou simplesmente inventei em prol de mim mesmo, não sei ao certo) todos se calam, e olham para os lados, isso em meio as aulas, e um professor , nesse periodo inclusive, gaucho, leciona Física Ii, disse o seguinte numa ocasião dessa, ” viu o que dá usar argumentos pobres e ultrapassados contra quem a vida ensina todo dia a ganhar uma guerra por dia usando como arma o amor próprio e o argumento, somente?” juro que foi algo bem próximo disso, e acho que nunca vou esquecer desse gesto desse professor. resultado: não esconde de um santo ninguém sequer minha orientação sexual, sou amado por muitos e odiados por alguns, e o Bullying só me ajudou a firmar meu carater e personalidade. Max Obrigado, adorei essa enquete, é meio que um desabafo para todos.

  36. Parabéns, Max.
    Já sou professor formado. Não tive coragem de enfrentar o sistema. Não duvido da sua capacidade e da sua coragem. E admito que pessoas como você são necessárias no ambiente escolar. Se pudessem haver uma em cada escola, seria o ideal. Abraços e sucesso na docência.

  37. quando tinha uns 10 anos sofri bullying na escola e fora dela, ja que as mesmas pessoas moravam perto, tipo, o bairro todo me chamavam de apelidos por conta de eu ter o cabelo volumoso…parece besteira, mas isso me mudou tanto, e não para melhor, pois agora alem de auto-estima baixa tenho transtorno de personalidade, sou alguem raivosa, não consigo fazer amizades…eu daria qualquer coisa para ver aquelas pessoas mortas, isso não da pra negar, espero que tenham uma morte lenta e dolorosa
    hue

  38. Bom eu tenho 15 anos e já sofri bullying muito recentemente , eu sempre fui bem timida , todos me viam como uma menina que sempre fazia tudo certinho, porem quando fui para o primeiro ano do ensino medio eu tive que mudar o periodo da minhas aulas e tive que começar a estudar de noite , como tive que mudar de periodo tive que mudar de sala também e cai bem na sala de algumas meninas que não gostavam de mim por algum motivo que até hoje eu não sei , elas começaram a inventar coisas sobre mim me defamar para a escola inteira inventaram falsos boatos e todos da escola acreditavam ! todos os meninos da escola começaram a achar que eu era facil , que ficava com qualquer um , todos riam de mim e me achavam nogenta, pelomenos era assim que eu me sentia , por alguns tempos eu parei de ir pra escola comecei a matar aula , ou quando ia pra escola passava a maioria das aulas dentro do banheiro chorando , e até isso era motivo para todos zombarem de mim , até que passou um tempo e minha mãe notou que eu estava estranha e me perguntou o que estava acontecendo e eu falei que nao estava acontecendo nada por vergonha pois nunca tinha passado por nada do tipo ! mais minha mae não acreditou e marcou uma consulta com uma psicologa para ver o que estava acontecendo , e eu agradeço muito ela pois foi a melhor coisa que ela me fez sem duvidas ! foi lá onde tudo melhorou contei tudo para minha psicologa desabafei chorei muito e ela me confortou , falou que eu não divia ligar para o que os outros pensam ! que tudo aquilo era mentira e que eu sempre soube disso e que eu nao devia me importar e que tinha coisas muito mais importantes na minha vida do que esse tipo de besteira , e que uma hora eles vão cansar de me encher , é só eu parar de me importar ! Hoje já estou muito melhor é claro que ainda tem gente que fala mal de mim mais eu não me importo ! eu mudei de sala na escola e hoje estou começando uma vida nova ! e deixo a dica para todos que sofrem bullying não se importarem , se caso for na escola proucurar mudar de escola ou sei la mudar de sala , faça novos amigos , conheça novas pessoas , saia mais , converse com alguem sobre seus problemas sem duvidas vai ajudar muito , hoje eu tenho o sonho de ser psicologa ! para ajudar e confortar todos que sofrem tipos de problemas psicologicos !

  39. Eu não sofri bullying na escola primeiro que na cidade que eu moro tudo é mais liberal e segundo todos me amavam meu bem e terceiro se fissece algo contra mim minha família matava :).

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s