Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Namorar Encubado]


01-banner-max1141

Hummm, polêmicaaaaa. Vou falar daquelas que fazem parte de um terço da quantidade de leitoras do Babado Certo: As encubadas.

Namorar uma encubada não é fácil, eu mesmo já tive um romance tórrido com um boy em Nárnia. Viajávamos, bebíamos em praias desertas, tivemos experiências sexuais fascinantes… tudo escondido.

e agora

E como vocês JÁ conhecem a Max, que tem A de Aparecer no nome, não aguentei muito tempo nessa lenga-lenga.

Esse é o caso do e-mail de hoje, uma beesha que (pasmem!) está envolvida com um policial: Não existe nada mais sensual que militar, talvez seja por causa da quantidade de militares na minha família, a gente meio que cria uma ideia de que aquilo é o ideal.

Vamos ler? (observem com atenção as passagens em negrito)

Olá querido Max! Boa tarde!
Estou com um enorme problema na minha vida amorosa. Vou contar desde o começo.

Meu pai e policial civil (investigador) e sempre teve muito orgulho de mim pelo fato de eu ser o filho exemplo dele: faço faculdade de odontologia e sempre sou muito responsável. Ele costumava me levava as festas do quartel, do final do ano… Enfim, numa dessas festas eu conheci o L.C  que também é policial. Ele e meu pai são super amigos, ele frequenta minha casa e tudo, tem uma namorada, mas estão terminando. Onde eu entro nessa história.

Nós fomos nos conhecendo melhor e ele sempre me dizia que tinha uma enorme ‘curiosidade’ de ficar com um gay (papo de hétero que quer pegação) e eu, como num sou fraca, matei a curiosidade dele (isso tem 1 ano quase). Desde então a gente vem ficando e se envolvendo cada vez mais. Já matei aula pra ficar com ele, ele já faltou serviço pra ficar comigo. Mas tudo sempre escondido

Ele fala que ta terminando com a namorada, mas nunca vai ser possível de a gente se assumir, porque ele é de uma familia muito tradicional de Vitorinha, e pelo fato da profissão dele, ele poderia se prejudicar. Mas eu sei que eu gosto dele.

Nos presenteamos, comemoramos datas festivas juntos, passamos o reveillon juntos no Rio, trocamos mensagens o tempo todo, ele me liga todos os dias… é  um príncipe.

Mas tudo escondido. Eu gosto muito dele e sei que ele também gosta muito de mim! Tenho medo que meu pai descubra e acabe com a amizade, mas sinto essa necessidade de ter alguém que possa sair comigo, que eu possa apresentar para os meus amigos…

Max conto com a sua ajuda para tentar resolver este dilema na minha vida!

enrolada

No cu da cobra

Oh, bee, sinto lhe informar, mas você é só o Personal Cu dele. Ele te tratar bem, te presentear, é mais uma amizade que um relacionamento amoroso, provavelmente o melhor amigo que ele já teve: quais dos colegas de trabalho dão o koo quando ele pede, né?

O interessante, minhas leitoras, é que em nenhum momento do texto ele diz se o cara disse que o ama, e a gente sabe que beesha quando ouve um “eu te amo”, faz questão de contar.

UM FUCKING ANO que vocês se pegam, UM FUCKING ANO dele dizendo que vai se separar namorada, UM FUCKING ANO te comendo e te usando como acompanhante de luxo, UM FUCKING ANO te enrolando.

Ele não vai se assumir, não nessa profissão, digo por experiência própria de quem nasceu em uma família composta por 90% de militares: Eles NÃO se assumem de jeito nenhum. Esse é um meio extremamente machista e com vários casos de abuso de poder, o militar para se assumir hoje tem que ter as bolas do tamanho da Jabulani da última Copa.

Antes e depois de se assumir

Antes e depois de se assumir

Ah, Max, mas teve o caso do casal de militares gays que se assumiram e casaram em Vitorinha

Tô sorrindo, mas minha vida amorosa é um cocozão

Tô sorrindo, mas minha vida amorosa é um cocozão

Um caso, um único caso, pautar sua vida em exceções é o mesmo que acreditar em filme com a Julia Roberts. Me mostre pelo menos 5 que eu acreditarei na hipótese dele também se assumir.

Portanto, bee, namoro de assumido com encubado dificilmente termina bem. São raras vezes que o encubado sai do armário, porque eles dizem que vão se assumir quando conseguirem sair da casa dos pais, depois só quando comprarem a própria casa, depois só quando tiverem um milhão na conta… e nisso você vai ficando velha e não viveu um relacionamento plenamente.

Quando no fundo pra muitos deles o que falta é apenas conquistar o amor-próprio e o orgulho que vão dar a coragem para falar.

Que prateleiras desconfortáveis, né?

Que prateleiras desconfortáveis, né?

E isso não se conquista com salário ou casa própria, pois sempre vai ter um empecilho (e essa dica vai pros encubados que leem o blog, não se enganem com a ideia de independência financeira, o que você precisa pra se assumir está dentro da sua cabeça, não da sua carteira).

Se você está sentindo sinais de necessidade de sair de mãos dadas com seu namorado na rua, é porque já está na hora de parar antes que você se machuque, aliás, não necessariamente parar, mas mudar a situação: ou ele se assume ou você vaza.

Depois que estiver envolvido demais ao ponto de virar aquelas amantes de novela do Manoel Carlos, que esperam mais de 20 anos pelo divórcio do cara com a esposa, não diga que eu não avisei.

A pergunta que você tem que se responder é: Quanto tempo você quer e tem para gastar?

O tempo tá passando, Rabesh:

clock

125 comentários sobre “Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Namorar Encubado]

  1. Namorar encubado me dava depressão. É realmente essa sensação de não estar vivendo plenamente o amor, ou a vida. Parecia que eu estava sem liberdade, sem dignidade.

    Quanto antes se assumir: melhor. Com a vida financeira que tiver, ele nunca vai ter coragem se ficar adiando. Eu namorava um cara 20 anos mais velho, tinha casa própria, seu trabalho, sua vida… Os pais até moravam longe, irmãos também. Se ele tinha assumido? Não, e nem pensava em fazê-lo. Imagino que quando ele tinha a minha idade, ele tinha esse objetivo de conquistar a vida financeira e viver a vida fora do armário. Mas daí você vai se apegando mais aos pais, a essa ideia de que eles precisam te respeitar, se acostuma com o amor deles, eles ficam cada vez mais essenciais pra sua vida… E a vida acaba.

    Existe o risco dos pais te cuspirem pra fora da vida deles? Existe. Mas o risco de viver uma vida pela metade deve ser bem mais frustrante.

    Meu filho, sai dessa relação. Ou melhor: “relação”.

    • Nossa bee, vc me descreveu ai em cima, no caso sou parecido com seu ex, sou independente financeiramente, ganho bem, e são eles que precisam de mim financeiramente e não o contrário, tenho 30 anos, meus pais também moram no interior, e a maioria de meus familiares também, minha irmã que mora aqui em vix, mas ela sabe de mim e me apóia, todos os meus amigos e colegas tbm sabem, não escondo de ninguém, só que não consigo de forma alguma falar pra eles (pais) que sou gay, pois tenho mt medo de perdê-los, mas sei que este dia está chegando e mt próximo :/

  2. Se eu fosse a bee eu continuaria sendo o casinho o policial. Assumir o policial não vai e como a Max disse, eles nem podem. Eu saí com varios Pms e um deles me contou que se desconfiarem de uma bil eles torturam a bil até ele assumir, mandam embora e abrem um processo administrativo.
    Eu deixaria como está… eu tb sou encubado e nao pretendo desencubar jamais.
    Se vc gosta dele e sente que ele gosta de vc porque terminar com algo que está indo bem… só porque a senhora quer andar de mão dadas por aí? Esquece bil… os momentos que vcs passam juntinhos escondidinhos fazendo outras coisas (ou nao) compensam estes outros….

    • “só porque a senhora quer andar de mão dada” não, querido, só porque ELA QUER ser ela mesma. É muito maior que só andar de mão dada, é uma questão de identidade, de viver a plenitude do que você é.

  3. Então! Max, o que acho mais legal em seus posts é que a maioria deles, se não todos, você defende com muita veemência, e seu discurso é sempre muito bem organizado, fazendo, por vezes, pensarmos parecido com vc.
    Nesse caso, em questão, penso um pouco diferente.
    Acho muito bacana os caras se assumire, de verdade, mas discordo que isso deva ser uma obrigação, desde que não atrapalhe a vida amorosa dos dois.
    No meu caso, por exemplo, não sou completamente assumido em casa, mas viveria um romance sem o menor problema e tentaria ao máximo fazer quem eu amo feliz. Isso já aconteceu.
    Acabei de ser enrolado por um carinha que, pela segunda vez, depois de conseguir o que queria, através de mensagens e ligações, me deu um pé na bunda.
    Acho que tudo no diálogo se resolve. Minha mãe já mostrou que nao quer ouvir, então, não falo. Ninguém pode me exigir isso, a partir do momento que não é um empecilho para nossa felicidade.
    Para mim, quando se assumir passa de uma necessidade pessoal para uma obrigação, a conquista pela libertade não é mais “libertadora”.
    Ps: meus parabéns.
    ps(2) é simplesmente o que penso, ou um pouco disso.

    • Mas fofinho, se a bee me pediu ajuda é porque ela NÃO está satisfeita com a situação. Não tem o que pensar sobre ela se manter nessa relação se a dúvida dela gira exatamente em torno de se sentir incomodada com voltar pro armário por causa do boy.

      Tipo, o ponto de partida não é “aceitar a relação no armário ou não”, é aceitar o namorado no armário ou não, porque ela já está certíssima do que quer pro seu futuro. Ela só não está certa se deve se sacrificar ou não, e a gente sabe que sacrifícios nunca geram relacionamentos saudáveis (basta observar essa segunda vez que você foi enganado, sacrificou seu orgulho pelo sentimento e ganhou o quê em troca? Mais um pé na bunda)

    • Não acho que seja uma obrigação, mas quando há desconforto, há um problema e é bom que isso seja resolvido de alguma forma. No caso da autora do texto, ela está insatisfeita e desejaria algo mais de acordo com o que ela espera. Nesses casos, se o alibã não se assume, e ela quer isso, ou a bicha desencana ou resolve ser só o estepe mesmo do cara, é uma opção dele.

  4. Assunto bem instigante porque a gente está em uma época que ao mesmo tempo você tem situações que favorecem sua liberdade e as que te obrigam a se conter. Tirando um pouco o foco da autora do texto e partindo pra esse assunto “se assumir”, eu vejo muito isso e acho às vezes engraçado porque há alguns anos no Chat Bol ou Bate Papo Uol, uma das perguntas clássicas era essa: “você é assumido?”. Hoje em dia é mais raro (entro só de vez em quando, rs). Mas é engraçado que quando a pessoa diz que não é assumida, eu pergunto: “não é assumido pra quem?”. Porque muitos gays andam igual a Beyonce num show, fala igual a Lea T. e ainda diz que não é assumido. Em outros casos, a faculdade inteira sabe que ele é gay, todo mundo do trabalho, os primos sabem, mas ele jura que ninguém sabe só porque ele nunca falou isso abertamente com os pais. Ou seja, o se assumir hoje tem conotações diferentes. Até Silvio Santos saiu do armário: http://www.youtube.com/watch?v=7jizU5HIN2g

    • Eu sou o caso de alguns amigos da faculdade sabem, mas pouquíssimas pessoas abem, por causa de que antes eu saía bastante com garotas.
      Minha mãe se apega nessa esperança. rs

  5. Aa esse assunto e complicado mesmo… Não e tao fácil assim decidir pular fora ou continuar.. eu mesmo namoro a alguns meses com um cara. Temos a mesma idade mas grande parte da minha família sabe de mim e a da família dele ninguém sabe. Então vivemos meio que escondidos também. Certo dia estávamos no ponto de ônibus esperando o bus e quando o bus dele chegou ficamos 2 segundos(que mais pareceu uma eternidade) parados olhando um pro outro na vontade mesmo de se abraçar e se beijar mas nos despedimos apenas com um aperto de mão…
    E muito triste você ter que se privar de demonstrar seus sentimentos com pelo menos um simples abraco..
    Muito bom oque você escreveu aqui Max, mas quando você gosta mesmo da pessoa e difícil pensar na coisa mais correta a se fazer..
    bjao.

    • Ai, abraço pode, não? As vezes eu até abraço e dou um beijo no rosto do namorado nessas situações. E olha que sou meio encubado.

      • hahaha encubadaço você, imagino os hétero se cumprimentando com beijo na academia hahahah

        quando eu digo que elas, SÓ ELAS, acham que ninguém sabe, eu sou louca.

        • Na frança os amigos se cumprimentam com 2 beijos no rosto.. eu nao sabia disso quando fui pra lá, claro que quando vi a primeira vez, e foi justamente na academia, fiquei chocadãn. Mas lá é assim!!!!

          Pra vc ver néan? Eu adoraria viver um casinho que ninguém soubesse de nada e quando chegasse o bus eu apenas dava um aperto de mão no meu boy… sou do #encubadasteam

          Mas quero deixar registrado, que eu vejo muito preconceito contra as encubadas viu… como se quem é encubado nao é feliz… eu sei que cada um tem suas necessidades, mas eu sou encubado, pego horrores, faço besteiras, e continuo, linda e feliz!

          Beijo pras recalcadas

          • Você é o único. Pessoas equilibradas lutam pela sua autonomia de direitos.

            Se sentir feliz não quer dizer que você realmente esteja. O esquizofrênico é feliz durante algumas crises, o viciado em crack é feliz enquanto fuma, o psicopata é feliz enquanto comete seus crimes… e por aí vai. Se sentir feliz nessa situação não quer dizer que ela te faz bem como um todo.

          • Enfim, mas diz a psicologia que em alguns casos existe prazer na opressão… talvez seja isso. Não vou julgar, apesar de seu discurso sempre me incomodar profundamente.

            É que fico irritado em ler você glamourizando uma vida que você tem que viver mentindo e escondendo quem você é. Não é esse mar de rosas que você descreve, aposto que você reforça isso é pra si mesmo, pra se convencer e se enganar de que está “bom do jeito que tá”.

            Como pode ser ‘bom’ não ter liberdade? Não existe benefício na opressão!

          • Maks, eu adoro vc e seus textos. Mas as vezes, vc é contraditório quanto à questão de liberdade. O que mais se prega aqui no blog é a liberdade, liberdade para que todo mundo faça o que quiser, como quiser, para se sentir bem e tals… e no entanto vc acabou de me chamar de desequilibrado pq eu nao me encaixo no perfil que estão tentando impor ao gays de que temos que nos revelarmos, que é a unica saída pra sermos felizes… #tôxatiada

          • Muito pelo contrário, você vive o extremo contrário de liberdade! É isso que me incomoda. Você glamouriza uma vida de mentira e quer que eu aceite isso como estilo de vida feliz, e não é, não existe felicidade na opressão!

          • Não se está tentando impor nada AOS GAYS, a única coisa que eu estou impondo a TODO MUNDO aqui é que você seja você mesmo, doa a quem doer. E você não faz isso, você se esconde, você vive a vida de outra pessoa e acha que é feliz assim… como pode alguém ser feliz tendo que fingir ser o que não é?

            Por isso que eu não engulo seu discurso. Eu discurso sobre liberdade mesmo e é por esse motivo que eu não consigo conceber uma pessoa preferir viver uma mentira sendo que ela pode ser livre, verdadeira, autêntica!

          • Mas me desculpa de novo, tô querendo te tirar o direito de viver uma mentira e não posso fazer isso. Por mais que me revolte, é um direito seu e eu não posso te ridicularizar por causa dele.

          • Nunca ninguém me perguntou se eu sou gay ou nao. Nem minha mãe, nem meus irmãos. Nunca eu falei pra alguém que eu gosto de mulher. Então por que eu to vivendo uma mentira? Eu saio, vou pra balada, volto, ninguém me pergunta: e aí, quantAs pegou? Na cademia nao falo com meus amigos coisas do tipo: nossa , essa daí é gostosa hein? E eu sei muito bem oque gosto e o que me dá prazer. Nao acho que minha vida seja uma mentira.

          • Você vive a vida de um homem heterossexual até o momento que você quebra essa linearidade e mostra (de qualquer forma, não só falando) a sua sexualidade, porque é isso que a sociedade te impõe desde o nascimento e é sua obrigação dizer NÃO, eu não sou isso, sou aquilo. É lógico que ninguém vai te perguntar se você é gay se você não demonstrar ser, não faz o menor sentido, porque já se espera que você não seja se você não diz, fala, age ou fode como gay.

            Sem contar o fato de ser constrangedor, ou você já perguntou pro seu pai se ele é gay? Não, né? Porque tudo indica que ele não seja (comportamento). Então, se tudo indica que você também não é (se comporta como um hétero ou um assexuado), pelo mesmo motivo ele não te pergunta.

            SE você vivesse essa verdade toda aí que diz viver não namoraria escondido, sairia na rua com o seu namorado como qualquer outra pessoa faz… se não faz isso, não vive a SUA vida, mas a vida que a sociedade disse ser sua (e essa vida não contém você saindo de mão dada com um homem na rua, por isso você não o faz)

          • a bee pode ser feliz do jeito que ela quiser. agora dizer que eu compreendo a felicidade de uma vida onde você se mascara e não expõe sua sexualidade e seus desejos… isso me traz uma pergunta: se você fosse hetero, você teria o mesmo comportamento?
            pq pela lógica, você então teria que se comportar como gay (estou julgando que você se esforça pra manter a imagem de hetero, mas posso estar errado).
            qué dizê, onde está o ponto da vida discreta? você também esconderia suas namoradas e sua vida sexual? daria apertos de mão na sua namorada quando vocês se despedissem no meio da rua ou daria um beijo nela? viado, se você disser não, aí a coisa complica e, posso estar sendo presunçoso, mas você também é preconceituoso e machista.

          • reformulando pq uma parte ali ficou confusa:
            viado, se você disser que não esconderia sua vida sexual, aí a coisa complica e, posso estar sendo presunçoso, mas você também é preconceituoso e machista.
            não te tira o direito de ser encubado, a vida é sua e só você sabe como sua felicidade funciona. mas também posso julgar um imenso MEDO, PAVOR de considerar a vida homossexual como natural.

          • Jesse James eu vou deixar apenas o meu silêncio pra você (no bom sentido!) porque não quero mais discutir sobre isso.

            O que tá acontecendo aqui no blog é que a maiorias das pessoas tem essa posição: ENCUBADO = FRUSTRADO. O que é lamentável.

          • é, queria entender, ainda mais pq você frequenta o babado certo e com isso presumo que saiba muito sobre o mundo gay. mas sej a senhora está feliz, gatz…

        • Max, eu entendi o ponto de vista dele e acredite, ele e feliz assim, tem gente que nao precisa de muitas coisas para ser feliz, eu nao sou encubado, mas entendo ele e tenho amigos que consegue viver uma vida normalmente mesmo sendo encubado é uma escolha de vida, um estilo no qual a pessoa escolhe, quando nao tiver fazendo bem, a pessoa ira mudar, se adaptar, eu particularmente acredito que cada um deve viver e ser feliz, como lhe convem

    • Nossa Max adoro as coisas que você escreve e tiro algumas coisas daqui como base para formar alguns pensamento. Porque a alguns anos antraz nem iria me importar com o simples fato de não poder abraçar ou beijar meu namorado na rua. mas com o tempo ficamos mais maduras ne e com isso percebi que mundo e esse que vivemos que temos que esconder quem somos para so assim ser feliz?!
      Isso e muito triste pois o meio em que vivo e muito preconceituoso e tenho que abaixar a cabeça e concordar com certas coisas p n ser prejudicado…
      Mas e isso ai…sou um fã do babado certo..
      bjbjs

  6. ñ acho q podemos afirmar: ele está te usando. porque não temos nenhuma demonstração dos sentimentos dele mas acho que deveria partir para outra. sou encubado. nunca namorei. e acho q se fosse namorar um cara assumido pra todo mundo ia ser muito dificil. eu ñ ia querer ser visto com ele. e eu ia me sentir desrespeitoso com ele. COMO posso namorar alguém que me constrange em publico? se isso fosse na escola?? ele ia andar com as meninas e eu com os meninos heteros da sala? eu soh conseguiria namorar outro encubado. ia encubar juntos. mas poderiamos ter uma vida social. soh nao fazer caricias em publico. andar como amigo. axo q as pessoas ia desconfiar. maaaasss.

    • por mim esse continua encubado e sozinho…
      Três coisas que não sou: obrigado, hetero e ter nascido pra tirar gay do armário!

    • Tipicamente uma pessoa que ainda não se conhece. Nem sei se pode se chamar isso de machismo, deve ter outro nome. Você é gay, viado, bicha, baitola, boiola, puta… pra todo mundo! e é só você que acha que ninguém sabe. Você está querendo viver no mundo mágico de Nárnia, e quando você perceber que você é gay, você vai aprender a respeitar as pessoas, porque você se sentir envergonhado do lado de um gay é um desrespeito e a si mesmo. Posso até imaginar uma roda de colegas seus gongando um gay e você ajudando só pra poder se safar do gongo deles.

      • jah tinha te respondido mas acho q meu comentário nao foi.
        sou seguro da minha sexualidade. não será vc que só leu meia dúzia de palavras q escrevi q vai determinar quem eu sou e como as pessoas me enxergam.

    • sinto q vcs não entenderam o que eu disse. absorveram o constrangido e pronto. acho q o mais ideal seria eu ter escrito:

      e acho q se fosse namorar um cara assumido pra todo mundo ia ser muito dificil. eu ñ ia querer ser visto com ele. e EU IA ME SENTIR DESRESPEITOSO COM ELE. COMO posso namorar alguém que IRIA FAZER EU ME SENTIR CONSTRAGIDO em público?

      Ficar escondendo ele de todo mundo seria um desrespeito. Soa desrespeitoso para mim ñ se sentir confortável em público com meu namorado. É estranho pra mim dizer: olha eu te amo mas não vem me dar um beijo na frente de todo mundo ñ viu? qdo gosta de verdade é pra viver completo. mas namorando outro cara no armário. os DOIS iriam querer se esconder. ia ficar mais fácil

      Espero que ninguém tenha se sentido ofendido com meu comentário. acho q devemos sempre debater e não querer aparecer. se nao, não faz sentido.

      • Cara…vc so se complica, e melhor ficar quieto:

        “acho q se fosse namorar um cara assumido pra todo mundo ia ser muito dificil. eu ñ ia querer ser visto com ele. e EU IA ME SENTIR DESRESPEITOSO COM ELE. COMO posso namorar alguém que IRIA FAZER EU ME SENTIR CONSTRAGIDO em público?”

  7. Olá Max! Boa tarde!
    Sempre acompanho o blog e te acho muito inteligente. Vou contar um pouco da minha relação com um encubado. Bom, a quase um ano conheci o MP em um site de relacionamento, ele sempre muito misterioso não falava nada de sua vida pessoal, mas sempre muito simpático e atencioso me conquistou. Estava cansado de conhecer gente querendo apenas sexo. No início não sabia onde trabalhava, onde morava, com muito custo consegui que mostrasse o rosto. Conversávamos horas madrugada a dentro. Demorou 3 meses para sairmos a primeira vez para tomar um sorvete. Eu sempre cobrando uma proximidade maior e ele sempre com um pé atrás. Mas fui paciente, pois desta vez queria uma relação diferente. Com o tempo ele começou a adquirir uma confiança maior em mim. Contou que trabalhava em um orgão público e que conhecia muita gente, além de ser da igreja Maranata. Mora com os pais ainda. Ele com 40 e eu 27. No início do ano o ap dele ficou pronto e conseguimos nos ver toda sexta e sábado. Não saiu de casa pq a mãe é muito apegada a ele e ela quase entrou em depressão com a idéia do filho sair de casa. Ele raramente sai comigo, muito antisocial,cinema só se for em Vitória e praia em Guarapari. Nos relacionamentos passados eu sempre saia com meus companheiros para festas, barzinho. Hoje sinto um pouco de falta disso, mas não posso cobrar muito dele, pois quando o conheci sabia que ele era assim. Ele não me prende, posso sair com amigos para onde eu quiser, menos boate, claro. Ele mudou muito desde quando o conheci, melhorou muito a “paranóia” dele. E acho até bom ele ser desse jeito, menos chance de levar chifre.(rsrs) Sou feliz com ele. Em julho completamos um ano de namoro. Bjooo

  8. Max, seus textos são o máximo. Gosto muito das tuas ideias, da clareza delas. Quero te conhecer um dia com o patrocínio da Graneiro! bjos

  9. Em toda minha adolescência eu só namorei encubados :/ e realmente é muito ruim não poder desfrutar de um relacionamento por inteiro. Só quando entrei na fase adulta que conheci um cara também assumido, e posso dizer que é o melhor relacionamento da minha vida, não tem coisa melhor do que você conhecer e fazer parte do circulo de amigos do seu namorado, ser apresentado como namorado pra todo mundo, conhecer a família, dormir na casa dele e ele na sua, comemorar datas festivas em família. Ter planos pra um futuro melhor, tem um companheiro, casar e construir uma vida juntos ❤ fico todo emocionado ao falar dessas coisas ;-; o cara pode ser o mais gostoso do mundo, PM, bombeiro, salva-vidas, o caralho a 4! Não troco o cara que teve coragem de me assumir por nada nesse mundo <3! E MAX, VC É UMA DEUSA, UMA LOUCA, UMA FEITICEIRA! RAINHA.

    • Também andei pensando nisso, assumir soa como se o que você é fosse algo que prejudica alguém e por isso você deve ter a coragem de bater no peito e dizer que fez.

  10. Sabe o que eu achei o máximo nessa história? O pai policial que tem orgulho do filho gay… achei muito digno… Bêjo pra ele!

  11. Max, achei esse texto ótimo!! Concordo, inclusive, com o que você falou sobre carreira, dinheiro, carteira e independência financeira. Mesmo sendo rica eu demorei aaaaanos para me assumir para a minha família, mesmo sabendo que não haveria qualquer impacto sobre minha vida financeira (I´ve a trust fund, bichtes). Acho que o ato de se assumir tem muito mais a ver com autoconhecimento e autoaceitação. Eu demorei anos para “ficar em paz comigo mesmo” e saber/interiorizar que não havia nada de errado comigo, que eu merecia ser feliz e que o mundo é que estava errado. Quando atingi esse nível de autoconhecimento foi libertador, saí do armário jogando glitter pra cima e me senti super bem, leve e extremamente feliz, como nunca havia me sentido antes. Não me arrependo e recomendo a todos, faz muito bem para alma! bjos a todas!

    • achei uma delícia esse comentário, bicha rica 😀 é um processo muito difícil a quebra de preconceitos e a aceitação para reconhecimento da sua personalidade como um lgbt e ser super de boa com isso. mas quando a gente chega no ponto de se entender e aceitar, é puro amor, muito glitter mesmo.

  12. Assumir realmente é um estado de liberdade e principalmente de bem estar, obviamente com suas consequencias…mas tudo tem um tempo…todo relacionamneto tem os pros e contras…a imagem mascula, viril e predadora de um policial instiga muitos que aderem a este gosto, pelo contrario em alguns casos só isto nao e suficiente, o chavao do ” interior” conta a longo prazo…ja passei por isto…estando do outro lado…a partir do momento que percebi que teria que expor a outra pessoa em lugares publicos recuei…e percebi q nao gostava tanto assim e terminei…quando se gosta se faz tudo, se ama verdadeiramente, idependente do que seja proposto! Max sou seu fã!!!!!!

  13. All T all shade. Quem n se assume projeta em si mesmo o preconceito da sociedade. Se enrustir eh um ataque à própria liberdade e à própria dignidade. Além de um puta desserviço pra sociedade.

    Maaas, cada um sabe do seu! hahahah

  14. Tenho perfil parecido com o seu e já me envolvi com três caras, ficando cerca de dois meses com cada um. Por ser “encubado”, não foi a frente, pois, apesar de discretos, eles queriam que eu fosse a boates, festas gay friendly e etc, o que não curto.

    A própsoito, quer deixar seu email para conversarmos fora daqui?

    Ps: aposto que colocarão pegação detected, porém, é raro encontrar quem seja discreto/encubado e queira continuar sendo

    • *Perfil parecido com o do Marcelo. Postei através do celular e a resposta não ficou abaixo da fala do Marcelo, mas sim após o último comentário.

      • tb penso assim, ‘marcelo’ e ‘praieiro ativo’… independente do que se propagandeie nos comentários, é bacana que aqui caiba todo tipo de opinião.

        e viver encubado não representa, em absoluto, anulação de sexualidade, desserviço social ou covardia.

        o que acaba se criando com esse pensamento é um processo de demonização de alguns gays, que por inúmeros motivos, não expõem claramente sua orientação sexual.

        sem querer parecer sentimental, é triste que haja uma perseguição tão vigorosa oriunda de um grupo que ainda é perseguido.

        eu sei que caras como eu tem uma dívida moral com cada gay que já se expôs a riscos – sociais, afetivos ou até mesmo físicos, pois, de uma certa forma, o exercício da minha sexualidade é possível hoje, também devido à postura deles.

        mas acho que cada gay desse, que lutou, foi porque sentiu uma necessidade de se posicionar, e não deliberadamente em benefício do movimento.

        o que sobra disso tudo, é ironicamente, o que todos os
        movimentos – inclusive o glbt (não sei se essa é a sigla atual…), que querem a concórdia pregam, não importando a causa que representem: seja feliz do seu jeito, desde que isso não venha a ferir os direitos dos outros.

        se houver mais felicidade além do armário, como alguns catequizadores aqui alardeam, ótimo! cada um tem
        seu tempo, afinal.

        parabéns pelo blog, à equipe toda, pq a discussão aqui sempre é produtiva e, de uma certa forma, até elegante. sempre encaro os comentários como um prolongamento dos posts. 🙂

        ps: max, vc se importa de, através de um e-mail, me colocar em contato com ‘marcelo’ e ‘ativo praieiro’, com quem tive afinidade? obrigado.

  15. estava eu lendo o conto erotico mais quando leio ate o “Personal Cu” parei , mas uma vez max resolveo o caso com 2 palavras kkkk

  16. Putz, ler 103 comentários foi dolorido, mas finalmente terminei, vamos ao meu que é bem grandinho!

    Sou policial civil, e devido a vai-saber-o-que não tenho trejeitos de voz ou qualquer coisa que me identifique como gay. Talvez por isso tenha conseguido me manter no armário até os 21, e aqui eu abro um parenteses.

    Algumas pessoas só estão no armário, outras estão realmente trancadas lá, mas a chave está sempre de posse da própria trancafiada. O Out do sujeito é uma decisão extremamente intima, alguns se mantem no armário porque moram com os pais (geralmente os amigos chegados já sabem), outros por estarem em profissões homofóbicas e a maioria se tranca la por internalizarem o preconceito da sociedade (meu caso até os 21) e isso inclui muitas vezes o medo do que virá esse “depois” do Outing.

    Depois que eu me libertei do preconceito interno simplesmente não fez mais sentido não contar para as pessoas com quem eu mais convivo (familiares e amigos) quem eu sou. Me sentiria envergonhado de apresentar meu namorado como amigo, além de saber que não estaria enganando ninguém. Detalhe que só consegui estabelecer um relacionamento depois que me aceitei, não queria nem olhar na cara das pessoas com quem eu ficava antes…

    Meu conselho pro leitor que enviou a carta: continue. A unica parte que me preocupa é essa namorada dele, ele não tem o direito de te pedir isso e você não pode se permitir aceitar isso. Sério!!

    As polícias de modo geral são o ambiente mais homofóbico em que estive (isso porque nunca fui num estádio de futebol). Ele não vai se assumir lá e você não poderia pedir tamanho sacrifício dele. Tudo muda se souberem que ele é gay, e qualquer deslize é motivo pra jogarem o coitado pro interior do estado. Tenho três amigos na PC que sabem da minha vida, uma sapa e dois hts… graças a Odin eu não me arrependi, mas é que é imensa a necessidade de partilhar das minhas felicidades e tristezas com as pessoas que eu confio. Voltar ao armário depois de sair é uma das piores coisas da minha vida, mas é necessário. Agora eu realmente estudo para passar em outro concurso, num cargo onde as pessoas sejam mais normais.

    Quanto ao debate que rolou aí sobre ser feliz dentro do armário: é claro que é possível. Depende da pessoa e desde que ela deixe essa “ferida” quieta, porque quando mexer vai doer. Não poder desabafar sobre algo tão importante e que ocupa tanto espaço é complicado e no meu caso, era angustiante. Se eu ficaria com alguém que está no armário por preconceito interno? Jamais! Como eu disse a chave deste armário está com a outra pessoa e só depende dela decidir se e quando sair…

    UFFA!! Esse coment vai pro spam pelo tamanho.. beijos!

  17. Venho acompanhando sempre o site e vocês estão de parabéns. É engraçado, é tão fácil se assumir pra todo mundo, mas quando isso chega ao âmbito familiar, complica tudo, principalmente se for mãe e pai… queria entender isso…

    • vivo nesse conflito diariamente comigo mesmo, minha família acho q me expulsaria de casa, quem dera se fosse fácil,simplesmente se assumir como se fosse a coisa mais fácil do mundo como alguns ai disseram. eh difícil, sofro demais mas no momento não tenho escolha infelizmente

      • amigo, no começo pode ser dificílimo, como é pra muitas, mas depois os pais vão amansando e começam a ficar curiosos e abertos à novas informações. aí será hora da senhora agir, com seu conhecimento sobre homossexualidade e tentar descontruir todo o preconceito que eles carregam.
        não é fácil, mas alivia e tira um peso imenso das nossas costas.

        ou então seus pais podem ter uma reação super tranquila. uma amiga minha foi pega dormindo com um peguete de conchinha na cama dele, e o pai depois perguntou pra ele: “você está namorando o (nome do peguete)? porque eu gostaria muito que isso acontecesse, ele é um bom garoto”. meu amigo, claro, ficou em choque, e depois foi só alegria. história fofíssima T_T

        enfim, gata, tome coragem!

        • Admiro esse pai que agiu dessa forma, quem dera se todos os pais agissem assim, inclusive o meu. Vocês falam facilmente pq já passaram por isso, e de alguma forma pode ser mais “facil” para os pais de alguns lidarem com isso, mas como já disse ainda não estou preparado. e não é comodismo não viu Max (<3), cada um sabe a família que tem e só EU sei que to passando.

          • Você leu a palavra comodismo com maus olhos. No final das contas é mais cômodo sim pra você se manter encubado em vez de enfrentar o preconceito.

      • Você, e só você sabe a família que tem. Pessoas maravilhosas em algumas questões podem esconder (ou não) homofobia dentro delas. Se você realmente acha que seria expulso, deixa quieto, estuda pra um concurso, ganha sua independência e vai viver sua vida…

        é super fofo quando o pai tem uma reação como a do coment de cima, mas nem todos eles são assim!

  18. Eu vou falar por mim, sou casado ha 5 anos com uma mulher, e tenho um “namoradinho” ha 1 ano e meio, sou encubado e ele tbm é, ele tem uma namorada tbm, por alguns motivos andamos dando umas brigadinhas e acabei conhecendo um outro cara, bem mais velho, 56 anos, eu tenho 29, meu namoradinho tem 18, hoje eu e meu namoradinho estamos bem novamente, de vez em quando traio ele com o coroa e me sinto bem assim, nao quero me revelar pq sei q meu namoradinho tbm nao irá, entao continuamos assim, até pq eu sei que em time que está ganhando, nao se mexe

      • ah eu nao vejo mal nisso, to vivendo minha vida, fazendo as coisas que eu gosto, com as pessoas que eu gosto, o importante é a gente ser feliz, nao concorda?

        • Não se essa felicidade for às custas de enganação.

          Aliás, você não parece gostar de ninguém nessa história, se gostasse não teria o comportamento absurdo de trair sua namorada com um homem e trair esse homem com OUTRO homem.

          Eu até entenderia se você traísse a namorada com outro homem por você ser encubado. Mas trair esse outro homem com um segundo homem, não tem justificativa.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s