Chutando cachorro morto


felizGente, pelo menos eu acho que a graça de se zoar uma beesha por ser beesha é quando ela é encubada e homofóbica, estou certo?

Existe todo um sadismo em esfregar na cara da encubada a sexualidade que ela, e só ela mesmo, acha que não tem.

Não é correto promover bullying contra ninguém, mas eu não vou ser hipócrita e dizer que não faço isso. Todos temos defeitos, até eu que sou perfeita e praticamente uma semi-deusa grega.

Acontece que quando a beesha sabe que é beesha, essa brincadeira deixa de ser engraçada, e se torna uma homofobia barata e sem sentido.

Por que estou falando isso? Olha o vídeo abaixo:

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=-0hYkSo2nAg]

tumblr_m431dyhzJP1qgb02u

de olho

tumblr_inline_mknfauC3dW1qz4rgp

nJWJV

nojoooo

Ruim, tão ruim que um gif só não foi suficiente. Mas tá tudo bem, a música brasileira está caminhando para essa democratização de estilos, e eu sou o primeiro a defender o direito dele de cantar, apesar de achar que ele deveria escolher outra profissão.

Na época ele fez um show aqui em Vila Velha, na inauguração da Space Pub. As gays foram crueis, não batiam palma, vaiavam, viraram as costas (e isso uma beesha sabe fazer com primazia).

Até evitei comentar sobre o ocorrido no post da análise, mas não adiantou, elas foram nos comentários e babaram baldes de veneno.

Beleza, querem desqualificar o menino, que o desqualifiquem pelo seu trabalho, porque é o que ele oferece para ser criticado.

Agora, o Não Salvo, um dos blogs mais visitados do país (que eu admirava até ver isso), promoveu a seguinte campanha:

mhomofobia 3 homofobia 2

Veja o post clicando AQUI

julgas

Tanta coisa pra zoar, por que escolher logo a sexualidade dele, que não tem nada a ver com seu trabalho?

E pelo que eu conheço dessa panelinha de idiotas, esse mesmo texto vai rodar todos os 40 blogs sem talento que são afiliados a essa porcaria.

O coitado do menino, visivelmente afetado pelo bullying promovido, respondeu:

Eu posso ser uma bicha escrota nivel máximo como voce disse Cell Da Silva.. Mas pelo menos eu SEI quem eu sou, e sou forte o suficiente para andar de queixo erguido sem ter vergonha pois não sou uma pessoa PRECONCEITUOSA como você !!!

Pois é, mas a gente sabe que não adianta. Quando o alvo se mostra incomodado é aí que eles pioram a zoação.

E eu pergunto, pra quê, Não Salvo? Será que alguns milhões de visitas a mais valem o sofrimento de outra pessoa que não te fez mal algum?

41 comentários sobre “Chutando cachorro morto

  1. Pq quando um blog gonga um gordo fazendo gordice, uma periguete dançado toscamente, uma velha safada falando baixarias ou um cara que toma Whey e peida fedido na boate é engraçado, e quando zoa uma bichinha é preconceito? PQ?

    • Porque não se zoa o que alguém é, não se faz isso.

      Quando eu, ou outros blogs, zoamos as atitudes de alguém (como eu disse no post, zoar o trabalho dele está permitido, por exemplo) a gente zoa o que uma pessoa faz, não o que uma pessoa é.

      Zoar a gordice do gordo é diferente de zoar a gordura dele, zoar a baixaria da velha é diferente de zoar a velhice da velha, zoar o peido fedido da bombada, é diferente de zoar o corpo da bombada. compreende?

  2. Li o post e fiquei pensando… Através de uma escuta reflexiva é possível identificar nesta canção muitos elementos musicais utilizados pelas “Divas Pop” estrangeiras que são ouvidas pelas gays deste nosso país – não quero aqui criar confusão e citar nenhuma delas, mas pensem a respeito 😉 . Não apenas a questão musical é comparável, as letras também o são. É sabido que a grande parte das gays que endeusam as divas pop não compreendem integralmente aquilo que está sendo cantado – não vou lançar números pois não tenho dados estatísticos o suficiente para tanto, porém, é certo que a barreira do idioma é um mal que afeta um contingente assustador (percebemos isso nas buatchy). Petter é ousado por cantar em português! Só isso! É essa a diferença. No entanto, é no mínimo curioso que as gays que ouvem músicas equiparáveis a “Vem cá” a critiquem com tanto fervor. Criticar o gosto musical de um determinado grupo de pessoas é perpetuar a intolerância ao próximo. Dizer que essa ou aquela música, um ou outro estilo musical é superior em detrimento ao outro – pela ótica do seu próprio gosto musical – é, a meu ver, uma manifestação de ignorância e desrespeito intolerável. Eu, particularmente, não gostei da música porque não aprecio esse estilo musical – assim como não ouço as divas pop (aliás, às vezes tenho raiva de mim mesmo por não “entrar no ritmo” dazamiga que cantam todas as músicas tocadas na balada) -, entretanto, não me sinto suficientemente dotado de faculdades que me permitam, parafraseando uma frase do post, desqualificar o trabalho do Petter.
    (O meu comentário restringe-se somente à questão musical do cantor, porque a idiotice feita pelo Não Salvo é merecedora de um texto digno de primeira página do O Folha).

    • Olha, Gaspar. Concordo com você com relação às letras, pois sim há muitas músicas em inglês que na tradução fala de algo tipo o que ele está cantando, sem poesia e etc, etc… Mas não tem como comparar com as músicas da diva pelo fato da composição geral da música ser extremamente ruim. Já que você está propondo uma análise da música em si, quero dizer que essa mesma letra poderia virar um hit sertanejo ou sei lá o quê, até mesmo uma diva pop poderia cantá-la em português mesmo e viraria hit. Elas trabalham com muita gente que as assessoram e dão qualidade artística nas músicas, e elas têm voz pra cantar, na maioria das vezes. Esse menino está cheio de boas intenções, mas está ruim sim, e eu continuo desconsiderando letra, estou falando de um produto musical. Hits piores já foram sucesso. Quer pior do que “Vou não, posso não”? Acho que independente de ser gay ou não, quando as pessoas não gostam, não tem jeito.

      • Brunno, acho pertinente questionar o (seu) fato de a “composição geral da música ser extremamente ruim”: é ruim pra quem? Sob que ótica? Repito: “Dizer que essa ou aquela música, um ou outro estilo musical é superior em detrimento ao outro – pela ótica do seu próprio gosto musical – é, a meu ver, uma manifestação de ignorância e desrespeito intolerável.”. Não há limites formais para uma música ser música. O próprio conceito de arte é indeterminado. É preciso ter a consciência que a(s) música(s) tem a sua importância no contexto onde está inserida, e que nesse contexto há um grupo de sujeitos que atribuem significado a essas práticas musicais. Do ponto de vista da sociologia da música, não faz sentido negligenciar determinadas práticas artísticas em favor de outra, por maior que seja a sua mais valia estética, acadêmica ou, nomeadamente, musical. Não compete a nós, que estamos fora dos outros contextos sociais, decidir qualitativamente qual música é ou não uma expressão daquilo que julgamos superior. (A título de exemplo, eu sou aluno de um curso de Graduação em Música, desde criança só ouço música de concerto e MPB e mesmo assim não me julgo capaz de avaliar nenhuma outra prática musical fora daquela do meu contexto). Citando Nattiez, da década de 70, “cada um reage a uma obra musical de acordo com as respectivas idiossincrasias, anteriores experiências e recordações”. No processo comunicativo da interação entre as pessoas é que surge o significado musical para aquele grupo, ou seja, não importa qual o estilo de música, sempre haverá uma comunidade que produz, distribui e consume todo o tipo de música. Nesse sentido, e por fim, quer você queira ou não, tem pessoas que não gostam e por outro lado pessoas que gostam (ou vão gostar) do Petter ou do Gustavo Lima ou do Bonde das Maravilhas ou do Chico Buarque, é preciso, contudo, respeitar cada um desses grupos.

        • Eu não delimitei em nenhum momento que alguma música é melhor do que outra. Você está distorcendo as coisas a favor de um ponto de vista seu. Temos um impasse, e pelo que vi, você não entendeu nada do que eu disse e escreveu todo um discurso baseado em uma leitura superficial sobre o que eu disse. É MUITO RUIM SIM a meu gosto, e eu não disse que era ruim pra todos por que eu estava dizendo. Se eu acho ruim, se encerra aí, pois você mesmo deveria ter percebido que era uma avaliação a partir do meu ponto de vista, não havia necessidade de você me lembrar isso. Que lindo, seu professor de Sociologia da Música deverá adorar ler essa sua defesa, mas para seu governo, eu sou graduado e pós-graduado em música. Vamos esperar mais uns quatro ou cinco anos, aí a gente conversa de novo, só que de igual pra igual.

          • Brunno, pega muito mal pra um pós-graduado como você receber um “conselho” de um reles graduando como eu, mas lá vai: não tente atacar quando você não tem argumentos condizentes com uma discussão proposta; resguarde-se! Eu até poderia entrar no seu joguinho e te passar por aqui o link de acesso ao meu Lattes, mas não, prefiro manter a compostura – utilizo-me dessa estratégia como plano de fundo do meu argumento sobre a sua resposta. Voltarei a participar dos comentários assim que você expor a sua opinião de uma maneira menos arbitrária.

          • Brunno, pega muito mal para um pós-graduado como você receber um “conselho” de um reles graduando como eu, mas lá vai: tente não atacar quando você não tiver argumentos condizentes com uma discussão proposta, resguarde-se! Aliás, eu poderia até entrar no seu “joguinho” e postar aqui o link de acesso ao meu Lattes, mas não, prefiro manter a compostura – e utilizar-me disso como estratégia de argumento à sua última resposta. Voltarei a comentar assim que você expor a sua opinião de maneira menos arbitrária.

      • Sei ler e interpretar, aliás faço isso sempre qdo entro aqui e leio os posts, porém , nao tenho comentado a mto tempo, exatamente por isso, pq as opiniões aqui só são qualificadas e valorizadas qdo são favoráveis ao post… é assim que ficou , é assim que está sendo a mto tempo … aew ele rimou cu , aew ele fez bullyng , isso é frequente aqui em coments . e nao vejo indignação …

        • Frequente nos comentários, exatamente, agora sim você foi correto.

          Mas quanto aos comentários, não sei se você leu, com todo o seu alto nível de interpretação, o que está escrito na coluna direita do site:

          AVISO LEGAL
          1. Os comentários postados nos artigos desse blog são de inteira responsabilidade de seus autores. A opinião expressa por eles não necessariamente condiz com o que pensam os autores deste site. Se um desses comentários te ofendeu de alguma forma entre em contato conosco para remoção do mesmo.

        • E se você é tão observador assim, vai observar também que sempre que percebo qualquer tipo de preconceito nos comentários eu sou o primeiro a arrumar discussão. Aliás, fui inúmeras vezes taxado de ditador porque chego ao ponto de apagar alguns comentários.

          Acho que você está sendo injusto comigo.

  3. E nem estou dizendo se está certo ou errado, fui lá e no site , tb nao gostei , mas enfim , isso aqui tb é frequente e nem por isso vejo indignação, é só uma constatação minha, veja bem , não é uma crítica , pq quem sou eu pra ter capacidade em criticar o seu site, entenda como quiser Max.

  4. Quando as pessoas fazem essas rimas ofensivas eles estao atribuindo uma ma qualidade vocal (considerando um defeito) à um outro suposto defeito, a homossexualidade. Não esta sendo julgado o talento dele NESTA musica, mas sim o fato de ele ser ruim por ser GAY.

  5. Confesso que num primeiro momento eu ri. Mas vendo no blog, achei ofensivo ao extremo.

    Isso é engraçado(as rimas) qndo você fala com um amigo. Mas ver sua sexualidade ser ridicularizada por centenas de pessoas, fiquei com pena do rapaz.

    E, engraçado, sempre acusamos pessoas religiosas, envangélicos principalmente, de preconceituosas, homofóbicas e tudo mais. E, vemos, um blog, que é uma sátira aos movimentos religiosos, sendo totalmente homofóbico.

  6. Logo o Não Salvo 😦
    Admirava muito também, vou continuar acessando o site mas agora com um olhar mais atento para esses julgamentos. Eu nem tinha percebido isso quando vi esse post lá!

  7. Fui ouvir outra música dele “Here I Am” preparado para ficar surdo. Fiquei na realidade surpreso, ele até tem uma voz boa (quando canta com a sua e não imitando) e até que tem um inglês bom e a música tem uma batida boa. Acredito que algumas pessoas sempre irão julgá-lo (independente de gosto musical) pelo fato dele não ter a aparência comercial que costumam estar habituados.

    • Digo isto em questão da aparência já que escutei primeiro só a música e gostei, quando vi o clipe já estava armando minhas pedradas. Fui preconceituoso estou ciente mas não me achei correto.

  8. Musica boa é musica boa,podemos e devemos julgar sim a qualidade de uma musica.Nao existe essa de contexto,nem grupos sociais nao.Isso ai é uma porcaria,e esta falado.

  9. Não deu para responder a resposta da resposta de um comentário… Então envio como um novo comentário uma mensagem direcionada ao “brunnobagunceiro”. Só quero dizer que pega muito mal para um pós-graduado receber um “conselho” de um reles graduando como eu, mas lá vai: não tente atacar quando você não tem argumentos condizentes com uma discussão proposta; resguarde-se! Aliás, eu poderia muito bem entrar nesse teu “joguinho” e postar aqui o link de acesso ao meu Lattes, mas não, prefiro manter a compostura – e utilizar-me disso como estratégia de argumento à sua última resposta. Voltarei a comentar assim que você expor a sua opinião de maneira menos arbitrária.

    • Bom, Gaspar, vamos lá: quando você me aconselha a não atacar quando eu não tenho argumentos condizentes, o que você está fazendo é uma alegação, e alegações precisam de evidências. Você se utiliza de premissas falsas querendo impor a seu interlocutor exatamente o que você mesmo apontou, a partir de um ângulo seu. E era pra você ter enviado sua plataforma lattes pra eu dar uma olhadinha, eu ia gostar de conhecer sua vasta experiência. O que você tenta fazer é típico dos graduandos que tentam mudar o mundo. Eu aconselho você a ler mais um pouco, conviver mais a realidade, porque a academia não é tudo, ela te dá diretrizes, mas estas são passíveis de entendimento e questionamento também, e seu papel é esse, não acreditar em apenas uma verdade. Estou falando tudo isso porque você não sabe nem do que eu estou falando, e pra você saber disso, você deveria ter uns anos a mais de estrada, é por isso que eu digo que é melhor adiar esse papo pra quando você tiver formado e vivido mais um pouquinho, tá, meu bem? Pensamento eclesiástico já ruiu há séculos. Cuidado com essa compostura sua, porque parece que pra área musical aqui no ES é um béu-prazer só, mas as coisas estão mudando, e eu principalmente estou de olho em pessoas como você que saem por aí se achando o supra-sumo da música só porque há bastante leigos que confiam plenamente em alguém que sabe o que é uma clave de sol. Eu sinto muito que ainda se formam pessoas assim como você, que só porque sabem algo de música sentem-se poderosos assim, tenha um pouco mais de calma.

  10. O pior de ser tratado assim , é ser agredido por outro gay né. estive olhando os comentários dia desses no youtube sobre o vídeo das “Gang das Bonecas”( aquelas bixas engraçadíssimas dançando funk e colocando as rachas sem graças no chinelo) e boa parte dos comentários agredindo as bixas partiam de outros gays( pq um gay conhece outro só pela foto :-o), então fiquei pensando, qual a diferença entre as bixas do funk e as que falavam mal? Ambas dão o c# e chupam Pau( não nessa mesma ordem, é claro) e na maioria das vezes são vistas pelos héteros exatamente assim, não importa se vc é ativo ou passivo, barbie, faz a linha olívia palito, Emo ou sei lá o que, todaaaaas e sem exceção são vistas pela maioria hétero como chupadoras e passivas. ou seja no caso dos gays a sexualidade é o defeito que vem antes de qualquer um outro, se você rouba , vc é uma bixa -ladrona, se faz fofoca, é uma bixa -fofoqueira a assim vaaaai…
    Então acho que para isso ter um inverso é preciso partir dos gays essa atitude, como vão nos respeitar se nos mesmos não fazemos?

    • Uma opressão só domina uma sociedade quando os próprios oprimidos criam uma hierarquia ilusória para oprimirem seus semelhantes. Com as mulheres é do mesmo jeito.

  11. Nossa ele realmente canta muito mallllllllllllllllll pooooot’z,
    com certeza ele tem que ser zoado pela voz! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    A mulher da empadinha da novela das 8 (Salve Jorge) canta muito mais que ele, pelamour !

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s