Guest Post – Quem faz o passivo?


link-building-guest-post

Vocês são muito viciadas nesse site! A gente fica 20 horas sem postar e as beeshas já comentam cortando os pulsos, pedindo por post.

Calma, galerãm, nós também temos virilha pra depilar e boy pra aquendar!

Hoje o Retrato Falado vai contar a história do Brunno, um comentador ATIVO (em vários sentidos) que passou por uma situação bem interessante!

(Vale lembrar que esse post tratará de ativos, um grupo não ainda confirmado existente pela ciência, por esse motivo entrará na categoria de Lendas e Folclore Gay) 

Cata o texto do Brunno:

Desde que fui construindo minha identidade sexual de acordo com diversas experiências, notei sempre uma preferência maior sendo o ativo no sexo com homens, e na grande maioria dos casos, a atração era por gays mais novos, mas não deixava de observar mais velhos que sempre chamavam a atenção em algo, mas a atração sexual era mínima e insuficiente para uma investida, e quando eu era investido, a recusa era imediata, observando a preferência por mais novos.

Tô contigo

Tô contigo

Sempre me mantive aberto quanto à questão ativo/passivo/versátil, levando em conta um ideal que eu sempre carreguei de que o gay masculino pode sim ter uma relação sexual com outro homem e se satisfazer das duas formas.

Estamos nós acostumados com os velhos estereótipos de que a gay folclórica será sempre a passiva e o bombado será sempre o ativo, e eu sempre tive o perfil de cara sem muitos trejeitos femininos, de certa forma era um jeito inconsciente/consciente de tentar atrair gays com mais trejeitos femininos, como eu preferia, e eu imaginava assim eu afastaria também as gays mais masculinas.

Sou femininãm, topa?

Sou femininãm, topa?

Zorro

Luta de Espadas

Tudo mudou quando conheci um rapaz doze anos mais velho do que eu, que de cara não me atraiu justamente por isso e por ser masculinizado. Mas a partir de uma conversa passei a vê-lo de forma mais interessante.

Fui bastante relutante para não ficar, pois eu sabia que não ia dar em nada, no máximo beijos, mas acabei saindo com ele e aos poucos me envolvendo e aumentando a vontade de fazer sexo com ele.

Na primeira oportunidade de transarmos ele foi logo se declarando ativo, não me importei porque eu estava muito a fim, e na hora da transa acabei tendo atitudes que pudessem levar ao versatilismo de ambos, como tocar na bunda dele e simular uma penetração nele.

Mas ele se esquivou de tudo isso, até culminar na declaração de que ele não gostava de nada daquilo, inclusive não fazia sexo oral, apenas recebia, e dizia que ele preferia que o outro fosse uma mulher com ele.

fsfsdfsd

mghConfesso que fiquei bastante desapontado, mas acabei deixando naquele dia movido pelo tesão no corpo dele. Ao passar do tempo nos encontramos diversas vezes, saindo para passear e conversar, aumentando o envolvimento, mas sexo mesmo acontecia poucas vezes, mas quando acontecia, ele era sempre o ativo-nada-liberal.

Em dado momento percebi que eu tinha me tornado a passiva do pedaço, mas que eu gostava bastante de me relacionar assim com ele, sentia prazer de verdade, e que o que me causava desconforto algumas vezes, era por causa do possível julgamento alheio de que a passiva é submissa e usada.

Somente quando passei a me desprender desses estereótipos foi que passei a ter uma relação bem intensa e proveitosa com ele.

Infelizmente ele faleceu de forma trágica, e depois de me recuperar, voltei a me relacionar com gays mais novos do que eu, e prefiro ser o ativo com eles.

Comentários da Max:

quadradimTodo mundo já teve aquela pessoa, encostada pela Pomba Gira, com quem você faz tudo aquilo que nunca se imaginaria fazendo com mais ninguém. Só me cortou o coração ler a narração de um ativo se tornando versátil assim, sem nenhum aviso para pessoas com problemas cardíacos.

Esse tipo de heresia dá uma revolta dentro da gente, né? A gente que é passeeva lê uma porra dessas e fica pensando: Se eu estivesse lá já teria sentado na pica dos dois e ninguém discutiria mais nada além de quantos centímetros eu tenho de profundidade.

Por mim ele já ganhou um vale-quadradinho-de-8 por ser uma das poucas pessoas que fogem do clichê: “Não sou e não curto afeminados”.

Aliás, se ele escrevesse que gosta de qualquer outro grupo, ganharia o vale, porque eu valorizo gente exótica.

Enfim, nada me incomodou mais que a maneira que o falecido tratava ele. Quem nunca pegou aqueles ativos que querem te tratar como uma mulher, e o pior, como uma mulher machista e submissa?

Não é fácil de engolir, nessas horas bato meu pau na mesa e grito: Eu sou homem, garáleoããããm!

(Veja o vídeo abaixo pra dar mais ênfase ao discurso)

[youtube http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=0gNqCxaZUJU#t=6s]

28 comentários sobre “Guest Post – Quem faz o passivo?

  1. Li isso e me veio um pensamento que percebo entre amigos e que foi difícil pra mim mesmo, mulheres tem dificuldade pra dizerem que são ativonas e os homens não curtem dizer q são passivos pq parece que estão se colocando em posição de humilhação, ai muitas vezes os meninos preferem dizer que são versáteis mais não hora H só tem surra de bunda! Beijos sou Passivo

    • Separação de gênero e sexismo, meu amor. O passivo tem vergonha de dizer que é passivo porque tudo que é ligado à feminilidade é vergonhosos para um homem. Em contrapartida, a mulher, mesmo oprimida, sofre lavagem cerebral desde muito pequena a fim de colocar na cabeça dela que mulher de verdade é mulher feminina e elas, diante de uma possível relação com outra mulher que gosta de MULHER, tem medo de parecer muito masculina e deixar de ser atraente como MULHER para a possível parceira, já que no mundo lésbico ser só ativa está ligado a ser quase transex.

      Mas ainda acho MAIS fácil para as lésbicas. Esconder masculinidade é muito mais fácil que esconder feminilidade, os olhos da sociedade já estão treinados pra ver viadice, porque é o que ela mais abomina, uma vez que parecer uma mulher é degradante para o homem, mas um pouquinho de masculinidade é até edificante para a mulher.

  2. Interessante!

    Lí a postagem do “souloirasouburradiskputas” e noto que aqui na minha cidade (Uberlândia/MG) ocorre quase que o mesmo, mas tanto homens quanto mulheres se envergonham de assumir sua passividade,
    Sinceramente, acho ridículo este negócio de “gênero” para sexo, acho que na hora da “coisa quente” a gente faz é barba, cabelo e bigode (com neca e com o cool tb) e tem que tentar dar e receber prazer com uma boa intensidade (pelo menos é assim que faço!), mas existem as piadinhas, existem os preconceitos (desculpe, mas por exemplo, o ativo da história que nem na bunda pode se mexer, não me interessaria, tsá!) e as taxações.

    Acho isso chato, bobo e ridículo!
    Se quer dar ou comer, não interessa, o importante é ter sexo de qualidade e que os dois aproveitem tudo ao máximo.

    Sou versátil, mas tô mais pra 70% passiva nas minhas relações do que ativa.

    • Você pode não gostar e tal, mas não chame de “ridículo”, cada um tem que fazer na cama o que acha que deve e se sente melhor 😉

      • Calma, não acho as pessoas ridículas.
        Acho ridículo este “preconceito” em cima de que passivo tem que ser o feminino, a chacota que fazem [pelo menos aqui e em Goias] só porque o cara gosta de se satisfazer dando o cool.
        Isso é que acho ridículo… e que acho que não deixei bem esclarecido.
        Dicupa Max, num me dá coió…

  3. Por falar nisso, grata pela dica em uma postagem anterior onde a senhora me manda criar vergonha na cara e ter amor-próprio.

    Resolvi colocar em prática e senti melhorias, para mim e para relação com o bofe.

  4. São por por post como esse que não dá para ficar sem atualizar o blog. Poham!
    Eu curto o sexo que permite possibilidades, caras que se permitam experimentar.
    Me lembrou esse video:

    • Essa música é mó legal e mostra bastante a competição que existe entre as passivas. Eu prefiro vê-lo assim que um ode ao machismo

  5. Max, já existe algum estudo em andamento para comprovar que os que se dizem “versáteis” são sempre passivos? Vários já tentaram me dar o truque, porém, eu, como passiva sindicalizada, sinto cheiro de rosca queimada de longe. Pra cima de mim, beuamô, não rola.

  6. Os fãs da Gaga são chamados de Little Monsters, os da Rihanna de Rihanna Navy, os blackjacks das 2NE1, os britfans da Britney, os kitkats da Katy Perry e até os Moonchildren da Kerli. Qual apelido carinhoso nós os fãs das Max temos? Escolhe um nome pra gente Max.

  7. estava aqui eu sem fazer nada e lembrei de uma coisa:

    pq vcs não fazem mais aqueles videos (babado certo tv), Max?

  8. Nessa vida é tudo uma questão de preferência. Tem gente que gosta de jiló, tem gente que não gosta. Mas a maioria tem uma mania danada de acreditar que “não existe gente que não gosta de jiló, porra, é impossível!!!” baseado em seu gosto particular. Eu acho um estupro cerebral(!) obrigar um passivo a ser ativo. Ou vice-versa. Tem gente indecisa e não sabe o que quer da vida? Ah, tem sim, claro, mas eu não preciso de experimentar uma buceta pra ter certeza de que não gosto, por exemplo. Se estou na dúvida já é um sinal de que você está a fim de comer…

    Quando gostar de jiló ou não envolve cultura aí que os viado pira. Aquela velha história de que você vai ser inferiorizado ou cultuado por uma preferência (não escolha) que você tem. Logo, vai além de gostar ou não. E aí é mais um obstáculo.

    Mas a real é a seguinte: o que você prefere? Ser feliz ou ligar para o que os outros pensam. Não dá pra ter os dois.

  9. O Rio foi dominado pelas passivas,de norte a sul,principalmente nas terras do sul(será a proximidade do mar?).Ainda bem,que eu ultimamente não tenho me importado com sexo,não me faz falta.A coisa ta tão feia,que tem passivo se pegando com passivo.Graças a Deus,encontrei um novo substituto para o sexo:POWER PILATES.É maravilhoso,faz uma massagem na pelvis,que vale por um negão de 2 metros em cima da gente.

  10. Max, eu sou uma mulher ht fálica (pergunte para seu amigo psicólogo o que isso significa). Tomo iniciativa, gosto das putarias e não aceito que meu corpo seja so para satisfazer a vontade do macho, quero satisfazer as minhas vontades tb, por exemplo não aceito chupar ele sem que ele me chupe. O q isso significa? Que estou há 2 anos sem bom sexo, mas como eu costumo falar, tenho visto muitos pintos por ai, mas na hora da pratica, a maioria da vezes FAIL. A maioria dos homens não sabe o que fazer com os peitos, sexo oral na mulher, nem minimente onde estão os pontos que nos excitam, etc…so nos veem como um buraco quente. So quero dizer que não esta fácil para ninguém. Feminilidade, masculidade, submissão…..nao adianta, sempre iremos para a cama com os julgamentos! E a boa trepada fica somente na nossa imaginacao

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s