Toda forma de amor vale a pena


PARADA_GAY_2010

Eu na parada quando passa uma sapa militante com essas bandeiras:

alo

sexoQuantas vezes vocês já ouviram esse discurso em Paradas Gays? De que a militância luta a favor do amor livre, que toda forma de amor é válida… mas nunca se fala sobre sexo.

Sexualidade para mim se baseia somente na atração sexual por outro indivíduo. Se você vai passar a amar a gay que você pegou é outra história.

Então, se 90% das nossas relações não contêm amor, por que é que se luta pelo direito de amor livre e nada se fala de sexo livre?

androgEu entendo esse esse discurso de amor é muito mais palatável para a nossa hiper moralista sociedade e pode também englobar o sexo, mas esse discurso sempre tende a ser assexuado. E isso é um tiro no pé quando se trata de fazê-los aceitar que nossa sexualidade implica em FAZER SEXO.

Basta observar casais gays em programa de TV. Parecem bonecos de cera que cumprimentam o marido com um abraço quando chegam em casa, enquanto o casal hétero fode profundamente em pelo menos 5 de cada 10 cenas.

O grande problema nisso tudo, e vocês podem observar clicando nos comentários DESSE post (clique na palavra para ler), é que há uma tendência à moralização dos gays. A maioria passou a não mais transgredir os valores morais, passou a dar mais valor à monogamia, e a desvalorizar o sexo casual, bem como quem o pratica…

…enquanto o resto da sociedade caminha rumo à liberdade sexual.

Você vai observar nos comentários diversos leitores afirmando que o viado que faz sexo casual, que chupa buraqueiro na balada hétero, não é uma boa imagem para a comunidade gay.

tumblr_lz41pySXdS1r53h4fo1_250

Epa! Como assim? Quem é você para determinar um padrão do que é certo e errado para a expressão da minha sexualidade? Aliás, não é contra essas amarras do sexo que a gente deveria lutar, pra começo de conversa?

Sabe qual o resultado? Mais segregação!

Cata a matéria abaixo:

dada

Leia o resto clicando AQUI.

Hétero... heterofrófico, né, meu amor?

Hétero… heterofrófico, né, meu amor?

Se existe a possibilidade mais que remota de alguém se considerar heterossexual, mesmo fazendo sexo com homem, é porque se justifica esse tipo de relação com a ideia de que “eu gosto de fazer sexo com homem, mas não teria um relacionamento com um. Sou hétero, namorar eu namoro com mulher”.

RÁ! E aí eu te pergunto, de quem é a culpa?

Lógico que é do discurso puritano dos militantes modernos, que apregoam esse amor assexuado e castram a sexualidade do gay, em detrimento de uma maior aceitação pela sociedade.

sexSer homossexual deixa de ser o indivíduo que sente atração sexual pelo mesmo sexo, e passa ser o indivíduo que namora pessoas do mesmo sexo.

Sendo gay é óbvio que eu vou procurar um relacionamento com alguém do mesmo sexo, mas isso é só porque, antes de tudo, eu me atraio sexualmente por eles.

E se eu só me interesso por sexo, sem amor, também deveria ser incluído nessa luta, porque o sexo é a única coisa que une todos os subgrupos e está presente tanto na relação monogâmica quanto na putaria.

O direito de amar quem quiser é só uma parte da minha luta, eu luto mesmo é pelo direito de TREPAR com quem eu quiser, porque é isso que me define homossexual. O resto é consequência.

46 comentários sobre “Toda forma de amor vale a pena

  1. “O direito de amar quem quiser é só uma parte da minha luta, eu luto mesmo é pelo direito de TREPAR com quem eu quiser, porque é isso que me define homossexual. O resto é consequência.” Meooo Deooos arrasou como sempre!Admirada como sempre e COMO SEMPRE muito tudo a ver com o q eu penso!!!

  2. “Ser homossexual deixa de ser o indivíduo que sente atração sexual pelo mesmo sexo, e passa ser o indivíduo que namora pessoas do mesmo sexo.”

  3. E esse modelo de gay é reforçado nas mídias. Há uma série no canal Fox,The New Normal, em que o protagonistas são um casal de gay.
    Assisti alguns episódios e simplesmente não há nem troca de carícias.
    O máximo que eu vi, foi beijo na testa! : (

    Mas, acho que toda essa eugenização dos gays, passa sim pela questão da “aceitação” da sociedade. Mas tem relação também com a aids.
    Essa doença foi um freio em uma liberdade sexual que se vinha alcançando.

  4. Max… muito boa a matéria especialmente essa parte

    “A maioria passou a não mais transgredir os valores morais, passou a dar mais valor à monogamia, e a desvalorizar o sexo casual, bem como quem o pratica…enquanto o resto da sociedade caminha rumo à liberdade sexual. Você vai observar nos comentários diversos leitores afirmando que o viado que faz sexo casual, que chupa buraqueiro na balada hétero, não é uma boa imagem para a comunidade gay ” … excelente, parabéns.

  5. Olá, Max! Blz? Bem, na minha opinião/visão, o direito de “trepar” todos temos. Porque, se “trepar” em público é atentado ao puder ( = a crime), isso significa que cada um “trepa” em privado, correto? Assim sendo, o que há de se reinvindicar, se ninguém pode invadir o motel que vc vai com o(a) gato/gata que vc vai exclusivamente “trepar”. Agora, a reinvindicação de relacionamento é válida, porque visa o reconhecimento das uniões como casamento, o reconhecimento de famílias cujos pais/mães são homoafetivos. O direito à intimidade todos tem, como um dos princípios da Constituição brasileira, e o qual nem os ferrenhos fundamentalistas religiosos opoem-se, com seus discursinhos babaquinhas de “que façam entre quatro paredes…” e blá, blá, blá… E, na boa, Max, quando se fala em casais, é claro que se imagina que há sexo envolvido. Quem não quer pensar vai continuar não querendo pensar que há sexo, e não seremos nós a erguer cartazes dizendo: “Pelo meu direito de “trepar” com quem eu quiser, com quantos eu quiser e nas horas que eu quiser”, porque esse direito já existe. Enfatizar, creio eu, seria como levantar uma luta que não tem por que em existir, um vez que desde que o mundo é mundo, todos “treparam” com quem quiseram em seus mais recônditos lugares… 😉 Beijos, fofo! :*

    • Lógico que o trepar ali é uma metonímia para a demonstração de qualquer tipo de afeto, não só pau no koo. O que eu quero dizer é que os héteros, por mais que não trepem em locais públicos, expressam sua sexualidade e a sua promiscuidade publicamente, sem sofrer retaliações.

      Se um rapaz hétero entra numa boate e pega todo mundo, ele não vai sofrer nenhum tipo de represália. Do mesmo jeito que um casal gay monogâmico, porque eles estão ali, sozinhos, sendo assexuados na sua monogamia.

      Agora, se uma beesha vai nessa mesma boate e pega todo mundo (trepa com quem quiser, no sentido mais amplo da palavra, não só envolvendo sexo), acontece isso: http://www.rondoniaovivo.com.br/noticias/jovem-gay-diz-ter-sido-espancado-por-segurancas-de-boate-em-sc/99477#.UWSD4pOHs68

      Se ele estivesse lá só sendo viadinho e amando a todos, ninguém se incomodaria, quando esse viadinho deixa de só amar e faz SEXO, acontece isso.

      • Hum…sei não…concordo com o Lyndy Luca…é como vc pegasse um caso específico e generalizasse…e vc mesmo sempre defende o de não julgar o todo por algo específico…de argumentos pra argumentos, me convenceu o Lyndy. Ps: sou gouine bb, vc tem o direito de trepar com quem vc kiser, mas isso já está subentendido na relação…

        • Esse caso é só um exemplo. Se fosse subentendido assim o principal argumentos dos héteros não seria: “Eu aceito os gays, eles podem namorar quem quiser, só não acho que eles devem ficar de beijando na frente dos meus filhos”. Aceitam seu amor, mas não aceitam sua sexualidade.

          Percebeu agora a separação de sexualidade e amor?

  6. Sei como é… as pessoas suportam no máximo ouvir que vc é gay (e fazendo cara feia) mas se falar de sexo já são reprimidos pq é nojento, imoral, Deus não gosta e blá blá blá…

  7. Muito legal o post. Sou a favor da liberdade com responsabilidade pois assim vc pode amar, trepar e o garáleo pq é responsável pelos métodos que utiliza.

  8. É a sociedade patriarcal tentando heteronormatizar tudo. Em minha opinião a monogamia não é natural. Instintivamente o ser humano não é um ser monogâmico. Lontras e ursos pardos sim. O homem? NUNCA! A traição é uma prova disso. E o sexo não dá prazer atoa. O prazer sexual é uma ferramenta natural para haver a procriação. Conscientemente, se não houvesse o prazer ninguém (humanos ou animais) faria sexo. E nós, homossexuais, que naturalmente não temos obrigação com a prole, deveríamos ser os primeiros a levantar a bandeira da TREPADA LIVRE!!!
    Essa é minha humilde opinião.

    • Exatamente, sempre falei isso aqui no blog, é ótimo ver que mais gente concorda.

      Adorei a abordagem do prazer, e adiciono naquela parte do “prazer sexual é uma ferramenta para haver procriação”… para compensar o desgaste energético do próprio ato sexual. Se não desse prazer, com certeza, nenhum animal faria sexo.

        • E é por isso que o sexo deles não é “voluntário” e sempre acaba em briga. Como o macho não tem desgaste nenhum na produção de espermatozoide ou espermatóforo, ou na geração e cuidado dos filhotes, ele procura a fêmea e faz de tudo pra fecundá-la, que faz de tudo pra NÃO deixar… mas é vencida pelo cansaço, ou pela esperteza do macho. Afinal, se cansa muito mais quem corre do que quem cerca, não é verdade?

          • Mas existe uma corrente científica que afirma que invertebrados mais apicais sentem prazer sexual também, principalmente Artrópodes. Tanto que é neles que começa o cuidado parental e o sexo pela vontade da fêmea.

            E isso explicaria por que invertebrados mais basais tendem a ter o corpo basicamente formado de gônadas, ou seja, eles VIVEM para a reprodução, então não tem relação de recompensa com prazer, a vida deles se resume a comer e foder (o sonho de todos nós hahaha)

  9. Poligamia é ryqueza!!! Quem disse que você não poder ter um relacionamento com um e transar com vários? Sei não, é igual falar que tem que escolher entre Prada e Versace… why not both??

  10. ” E aí eu te pergunto, de quem é a culpa?

    Lógico que é do discurso puritano dos militantes modernos, que apregoam esse amor assexuado e castram a sexualidade do gay, em detrimento de uma maior aceitação pela sociedade.”

    ———–
    Não te conheço, mas GARANTO que vc sabe muito pouco sobre o movimento LGBT.

    Vc está muito equivocado ao atribuir a militância LGBT algum tipo de restrição da sua sexualidade.
    Não sei em que documento vc leu esse posicionamento do movimento social, mas aviso: é falso.
    O movimento luta pela liberdade afetivo-sexual. Não estabelecemos nenhum modelo afetivo-sexual.
    Entendemos e lutamos para que cada sujeito, responsável pelas suas atitudes, possa vivenciar sua sexualidade e explorar seu corpo da forma que entenda necessária.
    Por favor, não nos coloque neste lugar, é injusto.

    A sua crítica brilhante para nós não é nenhuma novidade: a sociedade conservadora, de raíz judaico-cristã, tende a condenar práticas sexuais consideradas promíscuas. Só não é promíscuo o homem heterossexual, no mais todos são. As mulheres sabem bem o que é isso já tem um tempo.

    Tem sido muito difícil desconstruir a imagem de que todo homossexual é promíscuo e soropositivo, mas estamos avançando significativamente.

    Na verdade, poligamia ou monogamia são libertárias quando são escolhidas livremente pelos sujeitos.

    Posso entender que a relação com meu marido me traz liberdade, enquanto vc pode entender que se relacionar sexualmente com vários, ou com nenhum, é libertário para você.

    Este é o nosso entendimento.

    Em síntese,venho informar, respeitosamente, que sua crítica é despolitizada, equivocada e injusta.

    Para descontrair, como diria as trava: “respeite quem tem mais silicone” rsrsr

    Tô aberto ao debate.

    Abs.

    Juninho
    militante LGBT

    • você tem toda a liberdade de discordar de mim, mas não me censure, darling. É sim muito clara a influência da militância LGBT ser composta por uma maioria de gays monogâmicos e moralistas na concepção de “representante” dos gays que não fazem parte dessa militância, mas se espelham nela. Os comentários mostram isso. Você mesmo falou das mulheres sofrerem há muito com esse tipo de julgamento, e não percebeu que o discurso de todo mundo ali casa direitinho com o discurso dos militantes, que lutam contra a imagem de que todo gay é promíscuo, execrando do movimento, da representação, quem o é. A promiscuidade, palavrinha feia que só quer dizer liberdade sexual, é inerente à cultura gay.

      Só na sua frase “estamos tentando desconstruir a imagem de que todo gay é promiscuo” já é TOTALMENTE perceptível a sua exclusão, o asco que você tem de que o gay seja promíscuo, porque isso é um desserviço para a imagem utópica de gays carolas que vocês querem construir. E eu digo que NÃO, não me interessa ser representado por um grupo que supervaloriza um comportamento em detrimento de outro, e discursa sobre liberdade. Essa liberdade me soa muito com a liberdade dos cristãos, que te dão livre-arbítrio, mas fazem de tudo pra tentar te mudar ou te desvalorizar quando você não escolhe o que eles querem.

      Você não quer liberdade, você quer é ficar bem na foto. Mas deixa eu te contar um segredo, A MAIORIA é e sempre será promíscua, porque a sociedade inteira está caminhando para uma maior liberdade sexual, nós não vamos nos trancar em nossas casas com nossos maridinhos porque isso retiraria a imagem de que todo gay é promíscuo”. Aliás, NÃO me ofende em nada essa imagem.

      E é por isso que eu prefiro lutar com as feministas pelos meus direitos (Sim, elas também lutam contra a homofobia e contra o controle da sexualidade do outro), a militância LGBT cheia de seus discursos separatistas e cheios de slut shaming me dá nojo.

      É essa nuance mínima que você deveria ter percebido ANTES de desmerecer meu texto. Seu texto inteiro só dá aval para a minha opinião.

      No final das contas, tirando SÓ a imagem de que todo gay é soropositivo já tá mais que ótimo. Esse resto aí de tentar colocar a promiscuidade e a liberdade sexual como algo ruim para um grupo que é unido pela SEXualidade, eu dispenso porque é slut shaming. Vocês deveriam ser, aliás, os primeiros a lutar contra essa visão preconceituosa sobre quem faz sexo com muitas pessoas.

      Não me interessa em nada ser o gay de acordo com as normas vigentes da sociedade e nem essa normalização do comportamento para ser bem aceito. Isso não é aceitação, é dominação e adequação à maioria, é o que Bolsonaro e Malafaia querem.

  11. Xuxu, seu texto é ótimo e pertinente. Não sei como vc recebeu minha crítica, mas fica tranquilo,nao quero te censurar, acho que o confronto de idéias é importante mesmo, e por isso me manifestei.
    E a gente precisa discutir mesmo sabe. É educativo.
    Gostei da sua resposta, da sua argumentação, embora continue achando sua crítica uma baita injustiça. Bom, o debate virtual não favorece, não dá pra explorar tudo que vc pontua, então fica o convite para que vc conheça melhor o movimento e conheça pelo que a gente luta.
    aqui tem informações introdutórias.
    http://www.abglt.org.br/port/index.php

    Mas em nome do contraditório, me sinto na obrigação de mostrar um outro lado, de alguém que em função da luta contra homofobia, foi expulso de casa, demitido do trabalho, sofreu 4 ameaças de morte, foi expulso de um bar por um beijo, e que fez do sofrimento luta por dignidade, levantou a bunda da cadeira, passou em concurso público e foi pro congresso nacional dar a cara pra bater para que os outros um dia, possam conhecer a dignidade e o respeito ainda no berço. Passado o momento “Páginas da Vida” rsrs preciso esclarecer, em síntese, que politicamente:

    Defendemos:
    -a liberdade afetivo-sexual, seja vc santa ou puta, seja feliz.
    -livre identidade de gênero: seja masculino, feminina, andrógena, seja feliz.
    -Demais elementos constitutivos da diversidade humana (raça, religiosidade, origem, etc.) seja feliz, sendo quem vc é.

    Combatemos:
    -Pedofilia
    -Exploração Sexual

    Não condenamos = Não defendemos nem combatemos:
    -Prostituição (e aqui há discordância com o movimento feminista, pois para nós exploração sexual e prostituição são coisas distintas)

    NÃO É VERDADE que lutamos pela restrição de sua expressão sexual. NÃO É VERDADE que queremos te ver dentro de casa pagando de bom moço. Essa restrição é muito real, mas vem de outras forças, e não é difícil perceber.

    Cá pra nós, sinto muita falta da inserção política dos “promíscuos” e dos bissexuais na luta pela cidadania. Quando fazemos uma festa na boate, com música e bebida, todas comparecem, liindasss. Se fizermos um ato público para denunciar uma episódio homofóbico numa universidade, três gatos pingados aparecem. Isso é uma auto-crítica.

    A participação de todos os segmentos no debate é fundamental, pois bem sabemos que o super-men não vai cair do céu e fazer justiça por nós.

    Boa noite 🙂
    Juninho.

  12. Eu não entendi o seu paralelo entre “Liberdade Sexual” e “Promiscuidade”,pra mim são duas coisas MUITO diferentes.

    Concordo com você quando diz que “a sociedade está caminhando para uma maior liberdade sexual”,isso é verdade,mas não confunda Liberdade Sexual com promiscuidade.

    O seu discurso busca desenterrar uma ideologia já há muito tempo esquecida e obsoleta para a militância gay.
    Ideologia essa bastante fracassada e que custou muito caro aos homossexuais.
    Pensavam que ser gay era “revolucionário” e blá blá blá…
    Confundiam Liberdade com Libertinagem.

    E sabe o que aconteceu com esses militantes promíscuos e libertinos do passado??
    TODOS morreram de AIDS nos anos 80,acabaram jogados as moscas,pagaram um preço muito alto por causa dessa suposta “Liberdade”.

    E sabe o que aconteceu com os gays que não concordavam com essa ideologia e resolveram viver uma relação monogâmica e não-promíscua??
    Continuaram vivinhos da silva e hoje são os militantes que lutam por igualdade e pelos direitos de se constituir uma família saudável e estável.

    Leia esse texto aqui se tiver coragem:
    http://gaysdedireita.blogspot.com.br/

    Leia esse outro aqui também:
    http://doisperdidosnanoite.blogspot.com.br/2011/06/nao-ha-nada-de-revolucionario-em-ser.html

    Depois do surgimento da AIDS,a sociedade no geral (tanto gays quanto heterossexuais) está mais conservadora sexualmente sim,isso é inegável e importante.
    Não é por uma questão meramente moralista,mas principalmente por uma questão de SAÚDE.

    Em um relacionamento monogâmico e com uma vida sexual não-promiscua as chances de se contrair AIDS ou outras DSTs é MUITO menor.

    O discurso da militância mudou e começou a se lutar por igualdade e pelo direito ao casamento e adotar filhos,no momento em que os gays perceberam que estando em relacionamentos monogâmicos e tendo uma vida sexual mais regrada,eles corriam um risco muito menor de contrair doenças e de acabar morrendo a míngua em uma maca de hospital.

    Os gays atuais e os que sobreviveram a epidemia de AIDS,não estão lutando para “agradar a sociedade”,auto lá…
    Estão lutando par serem reconhecidos como GENTE,pessoas humanas assim como qualquer outra.Somente isso!!
    Não querem mais ser reconhecidos como marginais promíscuos e que o seu único fim será morrer de AIDS.

    Espero sinceramente que você ponha isso na sua cabeça.Não vai querer acabar como aqueles militantes do passado,não é?!

    Eu sou gay e apoio essa mudança!

    • Promiscuidade é uma forma de liberdade sexual sim, aliás, é o nirvana da liberdade sexual propriamente dita. Como a monogamia também é uma forma de liberdade sexual… é disso que ela trata, LIBERDADE, seja fazendo sexo com 1 ou 100, a escolha é sua. Só rindo mesmo, gente querendo estabelecer número de parceiros pra ser considerado liberdade sexual… hahahahaha.

      E não jogue o HIv como justificativa para o seu ponto de vista não, hoje existe prevenção, que não existia na época, logo, é de se esperar que voltemos a aceitar a liberdade e também a libertinagem sexual. Porque isso é uma escolha pessoal e não deve ser motivo para se julgar o caráter de outrem. Aliás, não vejo o “homem, branco e hétero” sendo mais puritano com a sua sexualidade não, com a dos outros sim, mas entre eles é super aceitável ser libertino. Engraçado, pensando assim a sua visão quase que ecologicamente mágica de auto-preservação da espécie não faz muito sentido.

      Se hoje os gays estão lutando para limpar uma imagem da década de 80, foi o que eu disse, que limpe a imagem do ‘soropositivismo’ mostrando que é possível ser livre sexualmente e se prevenir, muito diferente de criar esse padrão RIDÍCULO (porque pra mim isso é ridículo) e inverossímil de que o gay agora é casalzinho de pote de margarina.

      E digo mais, você fala como se eu execrasse o conceito de família, e é muito pelo contrário, eu estou execrando gente que, como você, supervaloriza a formação da família e desvaloriza o gay libertino, como se ele te causasse vergonha. Isso é nojento, inconstitucional e eugenista… sem contar o falso-puritanismo gritando entre as suas palavras.

    • Outra coisinha, nunca abra sua boca para falar dos gays revolucionários da década de 60 a 80, porque foram eles com o seu comportamento e revolução que levaram as primeiras porradas para que a homossexualidade deixasse de ser considerada crime. Se não fosse essa revolução, esses libertários, estaríamos HOJE ainda lutando pela descriminalização dela.

      Fracassados somos nós que permitimos o retrocesso!

  13. “Promiscuidade é uma forma de liberdade sexual sim, aliás, é o nirvana da liberdade sexual propriamente dita.”

    NÃO,Promiscuidade é um COMPORTAMENTO SEXUAL.
    Percebe a diferença??
    Procura no Google ou na Wikipedia.

    ” Como a monogamia também é uma forma de liberdade sexual… é disso que ela trata, LIBERDADE, seja fazendo sexo com 1 ou 100, a escolha é sua. Só rindo mesmo, gente querendo estabelecer número de parceiros pra ser considerado liberdade sexual… hahahahaha.”

    Você está mais uma vez confundindo Liberdade com Libertinagem.
    Eu nunca falei que era contra a Liberdade Sexual,eu disse que era contra a Promiscuidade,são coisas muito diferentes.

    A monogamia também é um comportamento sexual,mas a grande diferença para a promiscuidade,é que a monogamia fornece MUITO maior estabilidade emocional e oferece um risco MUITO menor a saúde física das pessoas.
    Parece que você não leu o primeiro link que eu mostrei,lá está tudo bem explicado essas diferenças.

    Eu não vou ficar discutindo as vantagens e desvantagens entre monogamia e promiscuidade,procure na internet os dados epidemiológicos de contaminação por DSTs fornecidos pelo Ministério da Saúde pela OMS(Organização Mundial da Saúde).
    Fica tudo muito óbvio!!

    “E não jogue o HIv como justificativa para o seu ponto de vista não, hoje existe prevenção, que não existia na época, logo, é de se esperar que voltemos a aceitar a liberdade e também a libertinagem sexual”

    Pois é,assim nós descobrimos quem é realmente inteligente de quem é descaradamente burro.
    Isso prova que as pessoas não sabem ou não querem aprender com os erros do passado.

    Do que adianta todas aquelas pessoas terem sofrido e morrido em virtude do HIV,consequência de uma vida sexual desregrada,e que ainda morrem aos milhões no mundo inteiro??
    Do que adiantou o exemplo dessas pessoas,se nós agora no presente,não aprendemos NADA com esses sacrifícios e preferimos passar uma borracha em tudo isso,por uma questão de comodismo ou não querer assumir os fatos e suas consequências??

    “Aliás, não vejo o “homem, branco e hétero” sendo mais puritano com a sua sexualidade não, com a dos outros sim, mas entre eles é super aceitável ser libertino. Engraçado, pensando assim a sua visão quase que ecologicamente mágica de auto-preservação da espécie não faz muito sentido.”

    Ora,certas pessoas ainda não perderam o costume de por a culpa nos outros por seus próprios atos.Não conseguem e não querem ser responsabilizados pelas consequências de seus próprios atos,daí fazem o que?
    Põem a culpa nos outros,claro!!

    O que o “homem, branco e hétero”,faz ou deixa de fazer com sua própria vida NADA ME INTERESSA!
    Agora,se o “homem, branco e hétero” resolver se atirar de um penhasco,quer dizer que você vai fazer o mesmo?!
    Se o “homem, branco e hétero” resolver que matar bichas é bom,o que você vai fazer? Vai se matar? Vai se juntar a multidão e matar as bichas?

    Hipocrisia existe em qualquer lugar meu querido,isso não é privilégio do “homem, branco e hétero”.

    Bom,e quanto a você achar engraçado a minha “visão ecologicamente mágica de auto preservação da espécie”,EU acho ainda mais engraçado,porque eu não sei de onde você tirou isso!!

    “E digo mais, você fala como se eu execrasse o conceito de família, e é muito pelo contrário, eu estou execrando gente que, como você, supervaloriza a formação da família e desvaloriza o gay libertino, como se ele te causasse vergonha. Isso é nojento, inconstitucional e eugenista… sem contar o falso-puritanismo gritando entre as suas palavras.”

    Nossa,quantas acusações em um único parágrafo,hein?!
    Calma aí….

    1-Aqui vai mais um texto,embora eu saiba que você não irá ler:

    http://arthur.bio.br/2010/05/12/relacionamentos/viva-a-familia-de-comercial-de-margarina#.UWh7rqI041M

    Eu não te acusei de nada,apenas sustentei meus argumentos.
    Não tenho “nojo” de gay libertino,não!
    Como falei antes,sou a favor da liberdade sexual e da monogamia.
    Sou contra libertinagem e a promiscuidade,e isso meu querido vale pra qualquer um,até mesmo o “homem, branco e hétero”.

    O fato de você me acusar de “falso-puritanismo”,não me ofende,porque eu NÃO SOU puritano e muito menos falso.

    2-Por que eu não posso abrir a minha boca pra falar dos militantes “revolucionários” do passado?

    Você provavelmente também não leu o meu segundo link,que pena!!

    Eu não vou nem entrar no mérito da “revolução” que eles causaram.A militância foi quem tratou de coletivizar os homossexuais e criar uma série de ideologias e demagogias em cima disso,e todos sabem como essas “velhas ideologias” terminaram,não é?!
    Terminaram em uma maca de corredor de hospital e com jornais falando sobre o “câncer gay”.

    Fracassados somos nós sim,porque não conseguimos aprender NADA com o passado.
    A própria História não se tornou uma boa professora pra você e outros frequentadores das saunas da vida.

    Se quer transar com 20 caras numa noite só,vai fundo!!
    Mas depois não venha chorar pelas consequências e nem por a culpa em mim ou nos outros.

    EU AVISEI!!

      • Ah Max, pesquisei o que é “slut shaming”…e desculpe, vc tem argumentos, mas apareceram contra argumentos mais convincentes e mais coerentes. Sem contar que não vi nada de slut shaming (dominação do sexo da mulher algo assim) não… dá a impressão no seu texto, Max, que se um gay fizer sexo em qualquer lugar deve ser ovacionado…até cachorro trepando no meio da rua é feio…enfim…

        • Slut shaming não é só contra a mulher, slut (que significa vadia) é um termo usado só para mulher, mas o slut shaming também serve para o controle da sexualidade do gay, por extensão.

          vocês estão distorcendo meu discurso, mas que porra, já disse que não é questão de um comportamento ser melhor que o outro, eu estou justamente defendendo a igualdade, enquanto ele defende que os gays promíscuos não são tão respeitáveis ou benéficos para a luta gay quanto os monogâmicos.

          Enfim, não vou discutir mais isso, só um cego não vê como ele denigre a imagem dos promíscuos com o seu discursinho moralista. Pense o que quiser, é mais fácil quebrar uma rocha que um preconceito nesse país.

          Mas lembre-se sempre, você pode ser certinho o que for, amanhã ou depois vai ser chamado de vadia, porque não importa o quanto você faz sexo, a sociedade com o gay, assim como com a mulher, simplesmente NÃO QUER que façamos sexo.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s