Abuso e transfobia viram piada no Facebook


Vários são os casos de pessoas que são abusadas sexualmente quando submetidas a profissionais de algumas profissões que exigem contato físico.

Seja médico, instrutor de academia (principalmente esportes de luta), até mesmo aquelas que não têm contato nenhum, mas o abusador consegue arranjar um motivo para encoxar ou passar a mão no corpo do colega de trabalho.

Tô com tanto nojo desse vídeo que eu não vou nem fazer uma introdução, assistam primeiro:

erro

Eu:

N1uIdEa

E o cara ainda é taxado de “espertinho” por quem postou o vídeo! Estuprador mudou de nome e eu não tô sabendo?

Tem tanta coisa errada nesse lixo que eu vou comentar em tópicos:

  • Primeiro: A ideia de que abuso sexual tem graça. No começo ele acha que ela é uma mulher comum, e mesmo assim o claque racha o bico de rir com as situações absurdas nas quais o instrutor abusa sexualmente da aluna;
  • Segundo: As risadas aumentam quando ela simula ter um pênis com uma garrafa, mas ele ainda não sabe. Claro, se abuso sexual contra mulheres já é engraçado, imagine com uma travesti. Elas são todas safadas mesmo, né? -NOT
  • Terceiro: A mulher vira pro lado dele e o homem pára imediatamente o abuso. Para os transfóbicos, não há nada mais engraçado que ver um homem heterossexual “se dando mal” quando descobre que uma mulher tem tromba. Mas será que a mulher de tromba também ri?

Tem um ponto positivo, ao final ela se vinga dele e inverte a polaridade da piada. Agora ri-se do abusador e não do abusado. Apesar de terem usado a transfobia para fazer piada, essas formas de fazer rir, nas quais o grupo marginalizado responde às agressões, são as mais saudáveis.

Pra quê rir de quem já é motivo de piada todos os dias? Que graça tem em fazer piada com a violência moral que esses grupos sofrem?

De qualquer maneira, se você riu dessa porcaria, deve rever urgente os seus conceitos.

Milhares de mulheres e transexuais são abusadas sexualmente todos os dias, por gente que acha plausível a ideia de que o corpo da mulher (e mais ainda da transexual, que abdicou da sua masculinidade e se modificou para parecer uma mulher) é propriedade pública e pode ser tocado e assediado por quem quiser.

NÃO! Assédio sexual não tem graça!

56 comentários sobre “Abuso e transfobia viram piada no Facebook

  1. nossa max que forçação de barra! parece uma caça as bruxas, procurando demônios em todos os lados, é apenas un quadro humorístico, pô não me leve a mal mas os gays começaram com uma onda moralista do caralho nos últimos tempos.
    Na minha opinião o post fo um tanto quanto equivocado e exagerado, se formos começar a santa inquisição gay, prepara-se que vai ter muito churrasco de viado nos finais de semana;

    • “É SÓ UMA PIADA”, bicho, vai estudar o poder que uma piada tem sobre a banalização da violência depois a gente conversa.

    • Nem todas as piadas que levam em consideração a cor da pele e a etnia são consideradas racistas. Mas muitas são e hoje em dia, pra maioria das pessoas, elas soam desagradáveis aos ouvidos.

      Os LGBT e as mulheres não têm que fingir que algo não foi um ataque preconceituoso e intolerante só pq era pra ser uma piada. Se precisa ser politicamente correto pra não ser ofensivo e desrespeitoso, que assim seja.

      • Concordo com o azagnerallace e com o Lucas. Eu pensei que ainda tava no blog da Cleycianne, lendo esse post. Só que no da Cleycianne a gente sabe que a mania de perseguição dela (com os crentes) é ironia… =)

        Até entendo suas razões, Max, mas acho que não precisa querer sustentar sua posição até as últimas consequências quando o post é claramente exagerado. Apenas reconheça, não há mal nenhum nisso. Se você continuar achando que está certo, tudo bem, mas saiba que muita gente discorda.

    • Claro, só uma piada.
      Aquela propaganda de cerveja, na qual um cara invadia um vestiário feminino também era de um super bom gosto.

  2. além do mais, existem vários posts aqui no blog de videos de héteros, fazendo brincadeiras gays, e não me lembro de ninguém achando homofóbico, pelo contrario ou tavam zoando os karas ou querendo dar um trato neles.

  3. em nenhum momento me dirigi a vc de forma grosseira ou ofensiva. putz, vc foi grosseiro. de forma alguma lhe ofendi, o máximo que fiz foi dizer que forçou a barra, em momento algum denegri sua capacidade intelectual ou moral

    • você disse que o que eu escrevi foi equivocado e exagerado, e eu te mandei estudar semiótica, qual a grosseria tão absurda nisso?

  4. http://babadocerto.com/2013/03/06/quem-foi-que-disse-que-so-tem-macho/#comments
    http://babadocerto.com/2013/02/27/heteros-alcool/#comments

    e eu não disse que são que são posts homofóbicos, e sim videos cômicos tb, ninguém aqui se sentiu ofendido porque possíveis heteros se divertem imitando o modo como os gays se comportam em uma festa.
    Entendo seu ponto de vista, mas ele é “seu ponto de vista” só achei que vc foi intransigente demais ao analisar o meu,
    Se formos levar tudo a ferro e fogo e não respeitarmos a opinião dos outros qual vai ser a diferença entre nós e feliciano e os bolsanaros da vida?

    • Agora você se acalme e me ouça.

      O vídeo que eu postei ri de violência sexual, os vídeos que você postou riem de homens másculos quebrando paradigmas machistas e se permitindo dançar com características femininas, sem culpa. Eles não estão ridicularizando os gays em momento algum, você percebe facilmente quando homens homofóbicos fazem isso porque eles forçam essa ideia a fim de deixar BEM claro que ele não é bicha, mas está imitando uma bicha.

      Observe a diferença GIGANTE que existe entre as duas formas de humor.

  5. Gente,convenhamos,uma trava ou uma transexual,por mais belas e femininas que sejam,não são mulheres de fato.Se eu fosse um homem hetero,e estivesse interessado numa suposta mulher,e descubro que na verdade ela é trans(travesti e transexual),eu perco meu interesse na hora.Se isso é transfobia…..então eu sou um puta de um transfóbico.

  6. Bom, tbm acho q foi uma tempestade em copo d’agua por parte da max. Essa questão de piadas sempre vai cair no tudo no mesmo buraco: “quais são os limites éticos e morais do humor?” (lembrando de uma fatídica redação da Ufes q teve esse tema há alguns anos #mefudi). Bom, em na grande maioria dos casos as piadas só mexem com temas sociais controversos, como sexualidade, politica, racismo, crenças, deficiências e etc. Mas existem as piadas aceitáveis e as ridiculamente preconceituosas, e quem deve decidir o limite entre essas duas é quem sofre o preconceito. Por exemplo, não sou eu que vou decidir pelo minha colega transsex o que ela tolera ou não de gracinhas. Ela que vai estabelecer esse limite. Mas do jeito que você falou no post, parecia que o mundo tava acabando, e que todos deveriam sair as ruas caçando todo mundo que ri daquela piada. Na minha opinião não é bem assim que funciona, afinal, pelo minimo que eu sei, você não é mulher, nem transsexual u_u

    • Primeiro, que história é esse de eu não ser mulher e transexual e por isso a minha luta ser menos legítima? Se fosse preciso ser de um grupo para compreender a luta dele, parada gay não daria nem 20% da quantidade de gente que dá.

      Sobre estabelecer limite, eu tenho a absoluta certeza que você jamais faria uma piada sobre “mulher de tromba” na frente de qualquer transexual sem antes pensar duas vezes sobre a receptividade dela. Se você pensou duas vezes, é porque você sabe que pode não ser tão engraçada assim pra todo mundo e que pode ofender. Então, você publicitário que vai lidar com milhares de espectadores da sua obra, pra quê vai fazer uma piada que banaliza preconceitos, se você pode ser genial e fazer uma piada que supere esses preconceitos?

      O problema é que a gente está tão acostumado com esse humor medíocre, que acaba considerando este só mais uma forma de fazer rir, e não é, isso é uma forma de fazer quem está no poder (homem, cisgênero, heterossexual e branco) rir de nós, bobos da corte. Esse tipo de humor deveria ser abominado, não somente porque contribui com os dogmas da sociedade, mas porque é péssimo mesmo, não tem graça nenhuma chutar cachorro morto.

      Segundo, não estou impondo limites ao humor, estou estabelecendo uma nova perspectiva sobre o que é saudável no humor e o que é prejudicial, aquilo que pode banalizar a violência ou retroalimentar preconceitos.

      Enfim, assista isso:

    • O humor não é tão inocente como a gente acha não, ele é arma de muita gente preconceituosa com a intenção de subjugar outros grupos. Não vamos muito longe não, Bolsonaro escreveu “queimar a rosca todo dia” num papel e mostrou para os manifestantes na Comissão de Direitos Humanos ontem, e quando foi indagado sobre a atitude, disse que era só uma piada.

      E aí? Essa piada não ofende, denigre, subjuga e diminui o grupo para o qual ele mostrou? Duvido que você tenha achado isso engraçado, porque dessa vez te afetou. Mas é certo que ele e sua corja de homofóbicos morreu de rir, sem contar as milhares de publicações no Facebook, compartilhamentos e likes de gente APOIANDO a atitude. E você quer falar pra mim que o humor passa incólume pelos valores e preconceitos? Que eu exagero quando eu falo que ele é atualmente a maior arma de dispersão de preconceitos sem que se sofra as penalidades da lei?

      Sua amiga transexual pode impor limites quanto às piadas que ela quer ouvir, mas isso só engloba você e o círculo de amigos de vocês. 99% das piadas que ela ouve são de pessoas que nem mesmo se preocuparam em perguntar se é ofensivo ou não. E é esse humor que machuca, porque ele vem DE CIMA.

      Pense… darling, pense!

    • Nós não devemos rir desse tipo de piada porque algo só se torna engraçado quando é banalizado. E o preconceito e o machismo não devem ser banais.

      Quando teve a tragédia da Boate Kiss o Facebook inteiro se comoveu e rechaçou quem fez piadas sobre a tragédia . Por que? Porque aquilo afetou as pessoas, e por mais que a piada fosse boa (como vi várias), ninguém achava graça.

      Dias depois as pessoas começaram a se permitir rir daquilo, como rimos da violência, rimos da política brasileira… se tornou BANAL, mas NÃO deveria.

  7. É nítido a influência dessas piadas no cotidiano quando acontece alguma tragédia envolvendo homossexuais, estupro de mulheres, etc…

    Por exemplo, quando um gay sofre alguma violência física sempre vai ter um imbecil pra abrir a boca e falar que “a bicha” provavelmente provocou o homem, se baseando naqueles típicos esteriótipos de piadas. O “macho” precisa então “honrar” sua masculinidade…

    Quando uma mulher é estuprada, sempre vai ter um p/ falar que a mulher é vagabunda que deu por que quis…
    Inclusive um padre disse em 2011 que mulheres mentem sobre estupro com a intenção de praticar o aborto, inclusive usa um exemplo tosco, com uma caneta, afirmando que a mulher tem total controle sobre o canal vaginal, ou seja…. liberou porque quis…

    Tá aqui pra quem quiser ver: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=8&id_noticia=156903

    Nesses casos acima citados, ocorre uma completa inversão na dinâmica vítima/agressor…

    Enfim, humor é ótimo, eu adoro, é divertido… mas temos que nos atentar para os diferentes tipo de humor, pois infelizmente o humor tem uma interferência sim no cotidiano, e na maioria das vezes essa interferência é negativa 😦

    • que bom que tem gente que entende o que eu quis dizer, já estava achando que eu era louco por ser o único que via influência negativa nesse tipo de humor, e que não existe essa história de “é só uma piada” nesses casos.

      O único não, um dos únicos, porque todos os blogs feministas que eu leio concordam comigo.

      • Uma vez tive que estudar para um seminário sobre prostituição na idade média, e consequentemente sobre a questão da mulher também nesse período…
        Max, é impressionante como algumas coisas não mudam.
        A mulher já vivia subjugada, e muitas vezes o “problema” da prostituição servia de combustível p/ respaldar e alimentar ainda mais a misoginia que já existia contra as mulheres.

        Porque eu citei isso?

        Porque hoje em dia algumas coisas são utilizadas constantemente p/ alimentar pré conceitos já existentes.

        Em nenhum momento eu falo que as “piadas” ou o humor são causas dos problemas citados, mas em uma sociedade Machista, Misógina e Patriarcal como é a brasileira, esse humor nefasto só serve pra alimentar o ódio ou visão negativa já existentes à determinados grupos.

        *** Quando eu cito a questão das prostitutas como exemplo de visão negativa sobre as mulheres, não estou colocando as profissionais do sexo como algo pejorativo, só cito como exemplo do que aconteceu e ainda acontece, pois essa analogia “mulher – puta” ainda é feita nos dias de hoje. Respeito as profissionais do sexo, só usei o termo puta p/
        deixar bem claro, pois é dessa forma que ocorre. ;D

  8. Max seu ponto de visto foi sublime! raro ver a madame dar um tapa de luva como esses ( a final, Max já parte pro esculacho) gostei msm, joinha pra ti!

  9. Isso me lembra Rafinha Bastos e a galerinha do humor politicamente incorreto descarado.
    Esses humoristas falam qualquer coisa que “pareça mais inteligente que o normal”, em um nível que as pessoas entendam, e todo mundo começa a pagar pau pra eles.
    E o pior é que tem bicha comprada por esses discursos, inclusive comentando aqui que “ah… deixa disso”

  10. Gente, faz tempo q ñ vejo um post tão comentado!! Assim q é bom! Vídeo extremamente sem graça em todos os sentidos =] E pra galera que diz, credo esses viados (GLBT’s) e feministas vêem preconceito em tudo, é porque eles enxergam claramente isso EM TUDO!!! Rir da própria desgraça é desespero de quem ñ se esforça pra levar a vida a sério…

  11. Posso chamar isso de “papafobia”, afinal, também estão ridicularizando a imagem do papa, não?
    Acho que devo dar uma pontinha de razão a esses cristãos fundamentalistas que são contra a PL122, já que, viado é um bicho que se dói com tudo, incrível!
    Dizer que o vídeo é transfobico?
    ME POUPEM, bando de bixa sem neca!
    Se fosse o caso, deveria se proibir os filmes violentos, os jogos violentos… Ah, e o BBB também, por induzir à ignorância e à futilidade!
    Vão pro uol, que o mal de vocês é falta de neca!

  12. Tudo tem que se analisar a intenção da piada, no caso do vídeo foi de frustrar o cara hétero que estava praticando assédio. Acredito que em nenhum momento os autores do vídeo teve intenção de ofender. Todos sabemos o que é criação, eles pensam tanto em como criar uma peça e tem tantas coisas a se observar e depois que foi produzido e vai pro ar e alguém vem e não gosta de tal coisa. É muito fácil analisar a posterior.

    Palavras, gestos, todo depende da intenção. Quando se chama alguém de “neguinho”, pode se colocar vários sentidos nessa palavras de acordo com a intenção, de carinho a menosprezo.

    De qualquer forma, numa piada sempre alguém é alvo, se você riu de alguma piada de português/loira, vc perde o direito de questionar, porque não foi com vc.

    Felizes e desencanados quando rirmos de nossos próprios defeitos, nada vai adiante se vc não dar atenção/alimentar.

    O tempo mostra isso. Vamos aguardar…

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s