29 comentários sobre “Novas problamáticas de relacionamento gay nerd!

  1. Que situação nada haver.
    Isso não faz sentido, a não ser que os dois morem juntos.
    Se um foi na casa do outro não tem por que um ficar jogando videogame enquanto o outro assiste.

  2. Olha, isso náo é desculpa pra infidelidade, não. Náo está satisfeito com o parceiro? Parte pra outra. A não ser que ambos não se importem em ter um relacionamento aberto. Em suma: tem solução pra ambos os casos.

        • O menino fez uma piadinha para enciumar o namorado e chamar atenção, não estava tentando trair ele mesmo.
          Deu pra entender a graça da piada agora?
          Ninguém está fazendo apologia à traição, calma aew!

          • Eu não estava me referindo só a isso. Essa tirinha é toda estereotipada. O cara machão e musculoso joga o videogame enquanto o magrinho passivo faz o papel da mulher reclamona. Tô querendo criar caso, não, bonito, tô levantando a bandeira dos nerds incompreendidos.

    • (continuando a conversa, pq daquele ponto não aparece mais a opção para responder)
      Mas não tem como saber quem é passivo ou ativo.
      Concordo que houve um esquema de esterótipos, isso também me soou idiota, mas eu já vi alguns casais em que o passivo é mais másculo que o ativo.Mas eu tenho plena consciência de que pra todo mundo é assim que é, por isso esse erro da tira em generalizar.

      Mas ei! Você estava se referindo só ao tema infidelidade da tira sim. Agora que você tá falando isso aê!! rs

      • Mas ninguém tá falando sobre ser passivo, ele está falando só da aparência deles reforçar o preconceito de que todo casal gay segue a linha heterossexista dos relacionamentos (o qual precisa de um lado masculino e um feminino, sendo esse feminino histérico e reclamão), independente do que eles fazem na cama.

        • Sim, foi a quase o que eu quis dizer, só que eu me restringi a apenas um ponto.
          O físico mais magro, a atitude estereotipada considerada como feminina, até os trejeitos representados de um – em contraste com o outro personagem – apontam uma estigmatização de que, em todos os casos, um casal gay tem que ter “a mulher e o homem”: a passiva e o ativo, necessariamente assim vistos.

          Só que aí é que tá: pode ser o contrário, um ativo e outro passivo, o que descaracteriza essa ideia um pouco. Claro que nós nunca saberemos…
          E outra, pode até existir casal assim (como realmente existe), do mesmo modo que existem casais com as mais variadas diferenças. O foda é que até parece que essa é a regra de lei: nas novelas, por exemplo, quando tem a gay das comédias (Crô, por exemplo), ela tem que ter envolvimento com um machão-coça-saco-cospe-no-chão, como se a vida funcionasse desse jeito rsrs

          • Você não entendeu ainda que passivo e ativo é mais ideológico que uma expressão sobre “quem fode quem”? Por isso que o leitor lá em cima se incomodou com a ideia do papel passivo, que representa a feminilidade do casal (independente do que eles fazem na cama, a dicotomia está super marcada ideologicamente na tirinha), faz o papel da ideia machista de mulher que não deixa os seus namorados se divertirem sozinhos com suas “coisas de menino”.

            “Ah, mas eu conheço fulano e beltrano que é machão, mas dá o cu”, tipo, e daí? Não é isso que se discute. O que incomoda não é um ser passivo ou outro ativo, é “coincidentemente” o mais feminino fazer o papel atribuído às mulheres na maioria das piadas sobre homem vendo futebol ou jogando videogame.

            Piadas rápidas de tirinhas trabalham com primeiras impressões, são piadas para se rir com o piloto automático ligado, não deveria ser necessária uma análise antropológica da vida do casal. O casal É o que o desenhista representou, é a única informação que se tem, e por isso é a única verdade (que não foi desenhada inocentemente, pode ter CERTEZA disso).

            A pergunta que fica é: Por que não representaram o contrário? Por que quem reclama é o mais feminino? Será que não seria melhor quebrar paradigmas desconstruindo essa ideia heteronormativa em vez de alimentar o machismo do meio LGBT?

        • Entendi…
          O problema vai além de representar um como másculo e outro como feminino, uma vez que isso, sinceramente, acontece. O erro da tira chega a ser não um esteriótipo dos casais gays, mas sim um estereótipo das mulheres.
          Acho que saquei…
          Nem tinha reparado nisso.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s