Por que boates gays duram tão pouco tempo em Vitorinha?


olpenNão sei se perceberam, mas já faz 3 aninhos que eu escrevo para vocês aqui no blog. É bastante tempo, né? Mas bastante mesmo foi a quantidade de boates e produtoras que eu vi abrir e fechar nesse ínterim.

Ink Lounge, Canal 505, Heaven Brazil, Bojangles, The Pub, Charger, Píer 27, Brûler Club, entre outras. Todas tiveram o mais tardar um ano de vida.

Por isso pergunto: Por que as boates gays e gay friendly da Grande Vitória fecham rápido assim?

Será porque as beeshas rivais batem tambor nos vários terreiros espalhados pelo estado, e contra exu Tranca-rua não tem quem bata de frente?

Tentando achar uma explicação para essa pergunta, indaguei os meus amigos do Facebook e obtive várias suposições interessantes. Vamos por em tópicos as respostas delas:

  • Porque todo fim de semana a gente vê as mesmas carinhas na noite: Não me convenceu, porque a Move já tem três séculos de vida e toda vez que eu vou lá encontro os mesmos ativos que eu pegava quando frequentava a boate em 2008, e nem por isso a boate fechou.
  • Falta estrutura e uma boa decoração: Pode até ser, para alguns casos, mas quem foi à Bojangles e à Brûler pôde ver que o que não faltava nelas era espaço e decoração de acordo com a temática da festa.
  • Com a modernidade da pegação virtual (Scruff, Grindr e Facebook), as gays não precisam mais sair para aglomerações de bee’s para arrumar pegação: Faz sentido, e as poucas que ainda saem já estão acostumadas a ir nas boates mais antigas, mantendo o oligopólio.
  • Picuinha entre concorrentes: Ô! Tenho até medo de comentar esse tópico, mas a gente sabe quantas já fecharam por causa de puxada de tapete, né?
  • Promessa de inovação sem cacife para cumprir: Pra mim até agora a mais sensata, vamos falar sobre esse tópico abaixo?

bate-estacaTodo ano pelo menos uma nova boate abre com a promessa de inovar o conceito de diversão gay capixaba, dizem que vão trazer Dj’s diferentes e atrações interessantes. As gays, logicamente, ficam todas em polvorosa e lotam a boate na inauguração, que sempre tem uma atração escândalo.

Passam-se duas semanas e o movimento começa a cair, a música é o mesmo bate-estaca de sempre e as drags batem o cabelo do mesmo jeito que batiam na década de 20.

encontraNum primeiro momento os poucos que ainda frequentam a casa noturna começam a exigir coisa nova, mas como os organizadores abriram a boate sem aqué o suficiente para se garantir diante de uma queda de movimento, o ciclo se inicia.

As pessoas param de frequentar, a boate lucra menos, os organizadores pagam a semana com o lucro da semana anterior, não conseguem guardar nada no caixa 2 e *BOOM*, morrem na praia.

Por isso sempre vou parabenizar a Space Pub pela coragem. Veio do nada, quietinha, caladinha, e enquanto todo mundo não dava dois meses de vida, estão aí há quase dois anos funcionando. Sem contar as várias festas que fazem por fora.

Outra que me parece prometer é a Rouge House, localização clássica, preços acessíveis e atrações do caralho. Não tem uma semana sequer que não tragam uma programação interessante. O nome disso é planejamento orçamentário bem feito, bêu abôr.

Chuáááá!

Chuáááá!

E vocês? Também têm algum palpite sobre a vida curta das boates gays em Vitorinha?

49 comentários sobre “Por que boates gays duram tão pouco tempo em Vitorinha?

  1. Acho simplesmente que tem boate gay de mais em Vila Velha pra um público tão pequeno. Mesmo que digam que VV tem gay pra caralho ou vem gente de outros municípios não é sempre que esse povo tem dinheiro pra sair e lotar as casas sempre que abrem.

    • As boates que abrem aqui tem lotação com no máximo 150 pessoas, raramente abre uma com estrutura grande (como a Rouge), tem muito mais viado que isso sim, mesmo alternando os que tem e não tem dinheiro. Tanto que as três abrem e as três dão um número razoável de pessoas todo fim de semana

  2. Eu acho que o argumento do mesmo público não vale. Até mesmo em cidades maiores não é dificil encontrar figurinha repetida em baladas diferentes;
    A falta de estrutura realmente é um ponto a ser trabalhado nas boates do ES;
    Sobre a pegação virtual. É impressão minha ou o carão virtual é ainda maior do que nas boates? Pq no Grindr todas são lindazzzZZzzzzz;

    Eu penso que falta cacife pra cumprir toda inovação e exclusividade que se propõe na inauguração. Agora outro ponto é crucial:

    AS BEEs DO ES QUEREM FREQUENTAR BOATES NO PADRÃO IBIZA/MÔNACO, MAS QUEREM PAGAR O MESMO QUE PAGAM NO BURACO DA LACRAIA!

  3. A The Week é o mesmo ‘bate-estaca’ de sempre e continua enchendo todas as noites.
    Precisa ser feito uma pesquisa de marketing. HAHAHA.
    Vitorinha é uma cidadezinha pequena, pacata, não temos um público muito festeiro. A nossa cultura é mais fechada e blá blá.

          • A música eletrônica é diversificada, só quem curte MUITO sabe diferenciar. Talvez você não perceba, mas o SET de um deejay que toca Tribal é muito diferente daquele que toca House, Progressive e por ai vai.
            Eu mesmo não gosto muito dos djs bate-estaca, e olha que são muitos. Detesto música sem remix, e muito menos que toque outro tipo de música (axé, funk, pagode…).
            Sinceramente não sei o que faz essas boates bate-estaca sempre estarem cheias.

  4. Na minha humilde opinião, o que acontece é que cada lugar tem seu público fiel, pois cada balada tem suas particularidades, alguns preferem uma coisa mais alternativa, outros house music, outros preferem baladas mais acessíveis, ou seja, quando vc vai pra algum lugar aqui no estado, os públicos já estão definidos e vc já sabe oq vai encontrar. Eu sinceramente gosto de tudo um pouco, só ñ consigo sair todo final de semana seguido, é mt dinheiro e ficar perdendo mts noites ñ é legal. Sair duas vezes no mês pra mim tá bom, a nova boate de Vila Veiha me agradou muito e espero que tenha vida longa. Agora o que me deprime mesmo, é a necessidade de ser indiferente de alguns gays, ñ falo exclusivamente do famoso carão… Existe um esforço pra ser blasé, pra andar sem olhar pra ninguém, ñ que isso seja um problema,desde que seja natural do jeito da pessoa..mas é tão excessivo ( e obsessivo) que as pessoas parecem más, as vezes fico acoado, pq sem brincadeira, parece que todo mundo tá com mt raiva de todo mundo!

    • Uma vez saindo do banheiro uma bee tava na fila e abri a porta dei de cara com ela, ela era horrorosa por sinal, mas msm assim eu sai e dei um sorrisinho tipo :oi colega, pode ir! Cara ela me olhou e fez uma cara de quem tava fazendo coco. Pra que isso? Gente, quase eu perguntei o pq daquela cara de bruxa, oq eu fiz ? … MAX faça um texto falando de carão X recalque internalizado! Pq uma coisa tem relação com a outra é sério…rs

  5. Nah, esse lance di figurinha repetida, como a viada aí falou acontece em todo lugar. Seja em Vitorinha, seja aqui na terra da garoa.
    Acho que é esse lance da grana mesmo. Prometem céus e terras e vamos combinar que a gente fica louca por inovação, pois eu passei 2 anos aí e não aguentava mais comer franguinho na pracinha no Domingo ou ir pra balada e ver o povo sentar e ficar com cara de tédio. Quando alguém dizia que vinha abalando a catacumba todas as viadas (e sapatões, no meu caso) já se preparavam pra fazer point de fds, mas não era o que acontecia. Vai piorando, piorando… A música é como a Max disse, um bate estaca infinito que dá até vontade de colocar o pen drive de alguma viada aleatória, pois a possibilidade de ter coisa melhor é beeem maior que aqueles DJ’s chatos.
    Na minha opinião é falta de planejamento mesmo. A Move é um caso lateral, os ht’s (hum.. sei) vão lá fazer rai, ops! catar as meninas, esnobar as viadas e levar fora das sapatão que de tão seletivas entram e saem sozinha, pois a Angelina Jolie parou de frequentar esses lugares faz tempo. Mas rola grana lá, sempre, pq tem nome, e convenhamos que o que tem “nome” em Vitorinha vive muito.
    Enfim, falei muito. Vou beber água :*

  6. Olha eu adoro HOSE MUSIC como a serei disse, mas a verdadeira house music e nao esse bate-estaca dos anos 90 (que aliás eu amo com todas as forças mas nao cabe numa boate em 2013 né?). Como a sapa falou se botar um pendrive duma pao-com-ovo é capaz de abafar mais do que esses djs que so poem musica de bate-cabelo.

    Por isso continuo no chat do uol. Como a Max disse, pra que se produzir toda e ver bixa fazendo carão se posso escolher o boy do jeito que eu quero (casado e roludo) pelo site? Pelo menos aqui em São José do Rio Preto – SP – o chat ainda rende e moiiiiiinto.

    Já o disponivel como a bee ali de cima disse, é só gente linda. Só que não.

  7. Max, parabéns pelo post. Ficou muito coerente e com todo o humor (sua marca) utilizado, ficou extremamente profissional. Será que as boates estão acompanhando o site?
    Visto que isso não mais é do que o reflexo da visão do público.
    Parabéns !!!!!!

  8. AS BEEs DO ES QUEREM FREQUENTAR BOATES NO PADRÃO IBIZA/MÔNACO, MAS QUEREM PAGAR O MESMO QUE PAGAM NO BURACO DA LACRAIA!
    Dildo Show!

  9. AS BEEs DO ES QUEREM FREQUENTAR BOATES NO PADRÃO IBIZA/MÔNACO, MAS QUEREM PAGAR O MESMO QUE PAGAM NO BURACO DA LACRAIA!

  10. Onde ficam esses vários terreiros que se falam por aqu?!. To caçando um a séculos em VV pra começar a frequentar (por motivos religiosos apenas, juro!), mas nunca achei… =/

  11. Nada funciona sem planejamento. E sem contar que viado gosta de dar close etc..etc..etc…
    Então vem um povo de onde nunca se viu, para abrir a boate, coloca promoter’s que não são conheçidos para poder agitar o povo a frequentar e não tem dinheiro na reserva para sustentar a barra quando o negócio ficar ruim das pernas…Pq os viado vai para a boate e toma água a noite toda quando perguntam o pq..kkk fala q ta tomando remédio imporado para imagrecer etc..e não pode ingerir bebida alcólica, na verdade não tem é dinheiro, mas o carão ele não deixa de fazer.

    Então sempre vai ser dessa maneira. No inicio do mês, vai na move ou na House…os outros fds, como ja gastou tudo vai na Chica na Black na space etc…por que boa parte do publico gay só vive de carão e a minoria é tem aqué de verdade…Por isso aquele que abrir um negócio voltado ao publico glbt tem que fazer algo acessivel a todas as classes….pq viado nenhum gosta de ser pobre todas querem glamour…por mais que seja poc poc pão com ovo…

  12. 90% de quem frequenta as baladas de vv/vix trabalha na embratel. Então logo não ganham o suficiente para curtir balada todos os fds. Por isso tem aguela lenda de ir em boate gay perto de dia de pagamento bomba, mais e quem vai manter a balada o resto do mes? Tem bicha que vai só com o dinheiro da entrada, ou ainda chega cedo pra entrar vip (todas temos amigas assim). Espirito Santo não tem muita bixa com dinheiro… e oq segura a onda de boate é dinheiro. E as que estão anos aberta é pq como é unica opção acaba sendo a que o povo vai. E a rouge só vai continuar maravilhosa por anos, se continuar trazendo as coisas de outros estados. Tem finais de semana que a programação da uma caidinha. A chica tem o publico fiel, e nenhuma outra segue o mesmo estilo. A move é pra quem diz que tem grana, ou seja, se conta nos dedos (de uma mão). Tem mais alguma? Nem lembro!

    Max adoro seus textos!
    Meu portugues é uó mais da pra entender.
    Bjos!

  13. É impressionante como todo o assunto roda e roda e acaba em dinheiro… depois alguns comentadores vem me criticar só porque sou rica, linda e esbanjadora!
    Eu AMO Vitória, gente, sério!! Mas a noite aqui é realmente limitada. Minha opinião é que é um misto de falta de planejamento por parte dos que abrem as boates e falta de dinheiro (de ambos os lados).
    Quem quer ir pra Ibiza? Vamos! Bjos!

  14. Parada gay todo ano é a mesma coisa e sempre tem mais de 3 mil pessoas. Detalhe é que não paga… Mas quando a boate é de entrada livre nem sempre lota. vai entender…

  15. O pior de tudo é a bebida ruim e cara. Completamente fora do preço de mercado. O pessoal da Houge house mete a faca mas não entende que isso é umtiro no pé a longo prazo.

  16. Depois de um longo e tenebroso inverno,resolvi escrever aqui novamente.Infelizmente vejo a mesma coisa de sempre,os gays reclamando daquilo que tem na terra e louvando as coisas de fora do Estado.Aí vc vai em outros Estados e percebe que lá os gays reclamam tbm e ainda acham que aqui em Vitória é uma maravilha…Ou seja,todo mundo reclama,seja onde ou o que for.Será que não podem simplesmente se divertir com o que tem?Povinho bobo,esse…E metido à besta,pois querem sempre mostrar que podem ($),que vão ser novinhos eternamente (rsrsrs) e que são lindos a ponto de fazer carão até para o Capitão América pelado…rsrsrsrsrs.E a realidade é toda inversa…

  17. Howdy I am so excited I found your blog, I really found you by mistake, while I was browsing on Aol for something else, Anyhow I am
    here now and would just like to say cheers for a remarkable
    post and a all round exciting blog (I also love the theme/design), I don’t have
    time to read it all at the minute but I have book-marked it and also included
    your RSS feeds, so when I have time I will be back to read more, Please do keep up the superb work.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s