Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Gays e Misoginia]


Sentiram falta do Kooriosidades? Aposto que sim!

Vocês perceberam que eu dei uma diminuída na quantidade de postagens da coluna, mas foi por uma boa causa: Eu estava recebendo uma quantidade absurda de e-mails de bee’s me perguntando apenas como arrumar um namorado. Mandavam Facebook, diziam suas qualidades e me indagavam o motivo pelo qual não conseguiam namorar.

E eu digo pra todas: Eu não sei! Aliás, essa é a grande pergunta da maioria das pessoas que estão realmente interessadas em relacionamento, mas infelizmente esse é um grupo muito pequeno diante da quantidade de pessoas que tiveram desilusões amorosas e hoje não querem mais nada sério.

Mas vamos ao tema de hoje. Dessa vez eu recebi um e-mail muito fofo de uma leitora heterossexual (leitora mulher mesmo, tsá?). Nesse e-mail ela conta o quão militante da causa gay ela é e não entende por que muitos gays a tratam mal só pelo fato de ter uma vagina.

Vamos ler?

Oi max, belezinha?

Primeiro queria dizer que sou fã do Babado Certo, daquelas que entra no site todo dia e fica chateada quando não tem nenhum post novo. Sua fã em especial.

Meu nome é Amanda (nome fictício), 32 anos, casada há 4, considerada muito gay pelos meus amigos.  Existem pencas de mulheres assim, expansivas, comunicativas, viadas, defensoras da causa, utilizadoras do pajubá, que naturalizam o mundo gay.

Enfim, eu sou mais uma dessas, só que legítima, de verdade, sem ser fake, sem forçar a barra, daquelas que só frequenta gays, que só tem amigos gays, que cresceu com gays, que tem uma linda irmã sapa pau de mel. Dessas que pode zoar os amigos gays a vontade, porque possui permissão e licença poética… e é recíproco.

Vamos a minha dúvida, quero muito saber sua perspectiva sobre esse assunto: por que nós mulheres somos TÃO maltratadas pelas gays? Até que você vire amiga da gay, a única coisa que você, mulher, merece é coió! Tá chato isso já!

Ainda mais essas bees ninfetinhas, que não são da minha geração, que estão tomando conta de vitória. até parei de sair! Deixa eu explicar melhor: Eu era frequentadora assídua da Move, antes de casar. Que época boa, como fui feliz naquele lugar! Peguei todas as pessoas de Vitória!

E como eu fui maltratada também! Alguns meninos não têm nenhum respeito pelas “rachas uó”, são grosseiros, esbarram na gente de propósito e tal.

Tô magoada desse jeito porque esses dias fui ao casamento da minha amiga, ela foi jogar o buquê, as viadas toooodas correram pra pegar, eu achei a cena muito engraçada e divertida, botei maior fé!

Bichinhas passando correndo excitadíssimas do meu lado, eu, que dou bom dia a cavalo, quis interagir, na maior naturalidade, disse: “calma gente!” mas rindo, me divertindo.

A beezinha virou pra mim e disse, como um demônio: “EU ESTOU FALANDO COM ELE”, e virou o pseudocabelo tipo a Beyoncé! Com desprezo! porra, precisa? A gente tá num casamento de uma pessoa em comum, que a gente ama, que só deve ter chamado gente que ela gosta, só isso já dá pra desarmar!

Tenho um amigo muitíssimo inteligente. Cabeçudíssima a passiva, produz pensamento igual a fazer café, tem uma linguagem técnica que muitas vezes não acompanho, “o mundo pós moderno isso, o neoliberalismo aquilo”. e de quê adianta? Misógino! Menos comigo, que sou “amiga”.

Muitas vezes ele já me ofendeu dizendo ter nojo de buceta, que buceta é extremamente nojento. porra, nojo? isso é pesado!

Fala sério! Buceta não é nojento! Pessoas são nojetas, outras pessoas não são! Algumas são asseadas, outras não. Esse argumento de que se a pessoa não gosta de mulher, por exemplo, a coisa torna-se asquerosa é vazio. Pra mim é exatamente isso que os gays sofrem, esse tipo de argumento. que gay é nojento, que beijo gay é nojento, não uma manifestação afetiva, de carinho.

Minha perereca é uma manifestação de carinho e beleza, não é nojenta!

Só não acho que ser mulher é, em nenhum momento, depreciativo, desqualificante, degradante. Óbvio que tenho várias teorias com relação a isso, como por exemplo não ser um ódio do nada, apenas um mecanismo de defesa.

Como héteros não têm uma placa na testa escrito “sou legal, relaxa”, na dúvida as bees ficam armadas, mas aí fodeu. Elimina um monte de possibilidades.

#Chatiada

Suprimi algumas partes do texto porque a amapoa é super falante e me enviou um rascunho da Bíblia. Delicioso, diga-se de passagem, mas eu sei que vocês são preguiçosas e não leriam tudo.

Então, eu estava conversando exatamente sobre isso com uns amigos enquanto estava lá no Rio. A misoginia entre os gays chegou num nível alarmante.

Pra quem não sabe o que é misoginia: Misos – ódio/Ginos – Mulher. É o ódio ou a aversão a mulheres. E não pense que héteros estão excluídos dessa categoria só porque fazem sexo com mulheres não, o machismo carrega consigo uma grande base misógina também.

in da box

E eu não vou me excluir dessa não, sei que muitas piadas que faço aqui com as sapas perpetuam esse tipo de aversão. Entretanto, existe uma diferença bem grande entre fazer piada e todo mundo saber que você está sendo sarcástico e fazer piada com a intenção de denegrir todo um grupo.

A minha teoria é que essa misoginia é um reflexo do machismo que nos afeta diretamente, afinal, o que os homofóbicos odeiam na gente não é a nossa sexualidade nem o que fazemos entre 4 paredes, mas sim a feminilidade que reside nessa sexualidade.

O gay abdica da sua “posição superior” de homem para se deixar prestar um papel social feminino, o ato de deitar com outro homem como se fosse uma mulher mesmo.

Nossa sociedade não admite que um homem se castre e tenha comportamentos de mulher, na cabeça dessas pessoas é um desrespeito com a “sorte” que você teve de ter nascido como o sexo dominante.

Ela também tem, e você ama!

Uma grande idiotice, é claro, mas infelizmente é assim que as coisas funcionam, e quando um gay é misógino ele está claramente se “vingando” daquela mulher que é a culpada do preconceito que ele sofre.

E para que ele mesmo não se sinta preconceituoso (afinal, o preconceituoso nunca admite o preconceito), faz o uso da sua sexualidade para focar seu ódio na vagina, não na mulher… como se a vagina não representasse exatamente isso, néam?

Uma outra abordagem interessante, sugerida por uma leitora nos comentários, é a de que o fato das mulheres terem vagina e, portanto, atraírem um número maior de homens, pode ser interpretado como uma ameaça por parte dos gays diante de uma possibilidade de pegação. Isso se refletiria também na aversão à mulher.

É muito comum esse tipo de preconceito reflexivo. Outro exemplo é a relação entre o Espiritismo e a Umbanda. Ambos são discriminados, mas ouse falar com um Espírita que a religião dele pode ser comparada à Umbanda pra você ver o diabo que ele vai virar.

E no final ainda terminará com uma frase do tipo: “É por causa deles que nós sofremos preconceito”.

Hummmm, Max, essa frase me é familiar!

E é mesmo! É a mesma frase utilizada por muitos gays que se consideram masculinos e que discriminam as bee’s afeminadas. O que faz com que ele discrimine a bee afeminada? A feminilidade dela, e de onde vem essa feminilidade? Das mulheres!

**BOOM**! Você tem aí sua resposta: O fato de um grupo sofrer preconceito não o exclui da possibilidade de ser preconceituoso quando essa aversão advém de um preconceito muito maior que o sofrido por ele.

P.s.: Mas por que os gays amam as divas? Muito simples, divas não são mulheres, são divas, e a categoria de diva as coloca numa posição superior dentre as outras mulheres.

É como se elas fossem uma mulher com pênis, basta observar que quando uma diva é muito poderosa ela é logo comparada a uma trava… opa! Então será por isso que gays respeitam muito mais travestis que transexuais?

É um caso a se pensar…

Tá com um dilema de natureza sexual, social ou médica? Mande sua dúvida para max_babadocerto@hotmail.com, e a Max consultará os universitários para tentar resolver o seu problema.

52 comentários sobre “Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Gays e Misoginia]

  1. Excelente postagem, Max, zua lymda. misoginia é um problema grave, raiz de muitos preconceitos, conflitos e gente RIDÍCULA nessa porra de mundo.

  2. Nossa, estou filosofando aq… Amey seu post, viu a coisa de um ponto de vista que eu nunca olhei! Graças a Deus eu sempre achei machismo e homofobia ligas e sempre fui uma feminista o mais pós moderna possível (daquelas que chama uma mulher de machista quando algumas merecem).
    Adorei a nova perspectiva.

    • Você nota que tá tendo misoginia no seu comentário né? Esse prazer de chamar mulher de machista deixa evidente. Mulheres não matam mulheres, não matam população LGBT etc. e tal. Ou seja, machistas são os homens.
      Assim como homofobia internalizada, existe machismo internalizado, mas sua insistência em culpar a mulher pela opressão dela diz muita coisa.

  3. Muito bom o texto!!!!! Mas na minha teoria, acho que as gays afemininadas acham que boffe escandalo por quem ela tem uma quedinha vai acabar pegando uma rasha.. creio q isso é invejinha.. porque se você parar para observar os as bills do armário são os que mais tem amigas mulheres (querendo ser mais uma leoa da bando) quem tem preconceito mesmo com o sexo oposto são as bees assumidas que sentem-se ameaçadas pelo sexo feminino. É uma coisa de rivalidade para ver quem consegue catar o macho mais forte do bando.

  4. Deixando claro q essa ”rivalidade” é uma coisa inconsciente.. é como as mulheres fossem uma ameça.. ai vem toda essa misoginia por parte das gays.

  5. eu sinceramente tenho inveja de não ter nascido mulher,poder construir uma família,ter filhos,um marido que me amasse,poder andar de mãos dadas nas ruas sem medo.
    eu pessoalmente não tenho nojo, é sim inveja…
    adoraria ter uma miguXa como você ❤
    bjs da passiva

  6. Eu estava pensando hj dentro do buzu: ” por que os homens hts se enfurecem qdo algum gay seca eles ?”
    Nao é pelo fato de ser gay, mas sim pq de caçador ele passa, se sente, inconscientemente como caça. E quem é a caça na nossa sociedade ? Rachas rsrs

  7. cmg é meio curioso.. as experiências que tive com mulheres eu nunca quis fazer sexo oral nelas.. nem pretendo. acontece só de eu meter e ela me chupar. será q isso tem alguma coisa a ver? não consigo ser tão “pervertidinho” no sexo qto com outro kra. c/ a mulher sempre fico nun clima mais de respeito. mas xupar perereca não curto nao; kkkkkkkkk tô viajando aki………….. O.o

    • Curioso. Quando eu ficava com mulheres, eu fazia bastante sexo oral, pra ver se o negócio ia (rs). Depois metia, gozávamos e pronto; havia cumprido meu papel de macho. rs. Há dois anos não transo com mulheres (só fico, às vezes). ´Meu negócio, é um carinha baca, mesmo. Aí, to solteiro, hein.!! Parabéns, pelo post. E eu, também, já havia perbido essa discriminação desnecessária. Eu não sou assim.

  8. Um ótimo tema para ser discutido. Parabéns, Max. Como sempre arrasando nas postagens.
    Deixo minha opinião para uma próxima vez, até porque nunca parei para analisar essa situação.

    No meu caso, não tenho medo algum de ‘rachas’, muito pelo contrário, admiro demais. Talvez eu seja um caso isolado, talvez…
    Enfim, é um assunto muito complexo para escrever em 2 parágrafos. #tocompreguiça HAHAHA

  9. Acho, também, que muitos gays rivalizam com mulheres por achar que elas não representam um perigo. Ele pode esbarrar, xingar. Diferente de um cara que parece hétero.
    Acho que é a velha ideia da cadeia alimentar.
    Agora, a minha relação com as mulhres, não passam pelo ódio. Me identifico com o feminino, como elas lidam com os sentimentos, fragilidade.
    Mas, pensando na mulher de uma forma sexual, elas para mim, representam meu fracasso. Pois, não me sinto capaz de encarar uma buceta.
    Não se se é por esse medo, mas acho a vagina, como orgão sexual, algo feio. Não entendo o poder que ela exerce nos héteros, pq é uma coisa poderosa…rs…Porém, um mistério para mim.
    Até gostaria de encarar um dia…

    • O mesmo poder que o pau exerce nos gays, ué… não é a vagina quem exerce, é a sexualidade de quem é afetado. O contrário (do pau exercer nas mulheres) não acontece só por causa da castração do machismo e do slut shaming que as mulheres sofrem toda vez que demonstram ter sexualidade.

      • Talvez por se algo que não me desperta tesão, acho estranho essa relação homem hétero e buça.
        Trabalho só com homens e fico impressionado como eles falam, desejam. Como garotos de 12 anos diante da primeira playboy.

        • Até pelo fato de ser algo desconhecido, eles não têm uma buceta pra olhar todo dia entre as pernas. Nós já temos o próprio pênis, deve ser por isso não damos tanta ênfase assim como eles dão ao órgão sexual do sexo atraente.

    • É importante pensar porque você associa mulheres com fragilidade? Mulheres não são frágeis, são seres humanos comuns. Algumas pessoas são frágeis, outras não. Outras se tornam frágeis por que sofrem muita violência dentro e fora de casa. Não existem características compartilhadas por todas as mulheres. O que existe é um status social dado a todas elas.

      Obviamente ninguém tem que gostar de vagina sexualmente, mas todos nós nascemos de uma também. Mas como uma pessoa que tem uma, eu posso lhe dizer que nossa sociedade nos educa a achar a vagina uma coisa feia. Isso é fruto da misoginia e vem de milênios e milênios de demonização do corpo feminino.

  10. O BC tinha uma festival de comentários misóginos há pouco tempo atrás, agora parece que deu uma diminuída…

    * Me refiro aos leitores e não aos autores 😉

  11. Bom, vou falar de mim… eu adoro as mulheres (nao no sentido sexual kkk) e não me sinto ameaçado por elas. Não faço carão pra nenhuma e nem jogo cabelo, mesmo se não as conheço. Eu não tenho nojo de mulher – mas devo confessar – tenho nojo de buceta! Mas tem mulher que tem nojo de pinto – nao chupa de jeito nenhum – então não vejo como ofensa dizer que tem nojo de buceta ou pinto.

  12. “Minha perereca é uma manifestação de carinho e beleza, não é nojenta!” AMEEEI *—–*

    rha!
    As vezes confesso, numa brincadeira digo q tenho nojo de buceta, mas sei com quem falar p não magoar quem não tem nada a ver com a história. Tenho várias amigas (faculdade, academia e trabalho) e me dou super bem com elas. Me tiram gargalhadas até quando me perguntam “dar o cu dói?” e outras coisas mais neah?!
    Mas para aquelas beeshas que não reconhecem o lado DIVA de uma mulher e a única coisa que sabem fazer é xoxá tem nome certo, RECALQUE.

    Obs.: Adorei o post! Adoro o blog bjs

    • De repente você já pensou que tá ofendendo e ela não tem coragem de reclamar? Acontece comigo direto, porque a gente mulheres aprende desde criança a ser ofendida e ficar calada, tristemente.

  13. Acompanho o Babado Certo tem mto tempo, e tenho que concordar com o colega acima: um dos melhores posts que já li por aqui!

    Parabéns Max!

  14. MAX, NEM TENHO MAIS O QUE FALAR. VC É MARAVILHOSO. SUPERSENSATO. POST MAIS QUE BOM.

    SÓ NÃO CONCORDEI COM ESSA PARTE QUE FALA QUE OS GAYS SÃO MISÓGINOS POR ACHAREM AS MULHERES UMA CONCORRÊNCIA, ALGO ASSIM.

    CREIO QUE ISSO NÃO EXISTA. CONSIDERANDO A FACILIDADE QUE AS GAYS TEM HJ EM CONSEGUIR SEXO E TUDO MAIS. PELO MENOS NUNCA VI UMA SITUAÇÃO DESSAS.

    PARABENS MAX.

    • Pois é, mas foi uma leitora aqui nos comentários que sugeriu e eu achei plausível pautar isso também, porque, por incrível que pareça, tem beesha sim que sente raiva de quando mulher aparece no rock pra “pegar os boys delas”

  15. Pelo menos no meu caso, nunca tive nenhuma concorrência (nem sentimento) com mulher e, aliás, nem com homem.

    Ou o cara quer ficar comigo ou não, Nunca tive paciência pra ficar disputando mixaria…

      • A verdade é a seguinte, Max… Eu ainda tento me enganar aqui em Vitorinha… Mas a verdade é que as passivas só querem boy magia </3 E os bofes não se amam UHASUHSAUHSA Nunca vi tanto ódio como tem entre essa bofaiada…

  16. Eu procuro respeitar muito as mulheres, tenho várias amigas, mas me sinto superior às mulheres na questão de não precisar depender delas para o meu prazer… No mundo hetero tem muito doce das rachas e com isso me sinto confortável no meu mundo gay, entendem? Rs

  17. concordo quanto ao machismo, a cultura machista reflete nos homens ht e gays e nas mulheres também.
    mas quanto a misoginia que essa garota fala… olha acho que tem muito gay querendo dar o troco na homofobia e destratando heteros- homens e mulheres. há também uma relação difícil com as lésbicas que volta e meia nos chamam de mulherzinhas… eu mesmo já tive conflito com várias.
    e há ainda o que parece que essa garota passa: a mulher que se diz mulher-bicha e adora causar na buatchi. e como todo mundo sabe há uma parcela de homens nas baladas gays, que são camaleônicos, uns são dealers, outros michês e outros ainda tem uma certa vergonha de estar lá… e assim como tem hetero que quando bebe fica com gay, tem gay que quando bebe fica pegando mulher. logo, mulher em lugar gay é mal vista e considerada uma tomadora de bofe. você fala nos amigos do rio, a the week de lá é um bom exemplo. as mulheres pagam mais e volta e meia pegam aquele cara lindo que você sabe se ela não estivesse ali pegaria uma bee.

    • O movimento LGBT surgiu juntinho do movimento feminista, são aliados históricos. Não sei porque as pessoas hoje em dia insistem em separar as coisas, sendo que a origem é a mesma: o machismo né?

  18. Nossa…Li e me senti no lugar da sua amiga que mandou o email. E digo isto porque vivenciei coisas muito parecidas. Sou lésbica e tinha um grupo muito grande de amigos gays. Com o passar dos anos, não suportei mais os comentários abomináveis sempre spber mulher, chamando mulher de buceta, vagabunda, bacalhau, todas as vezes que nos encontrávamos. A coisa tomou proporção tão enorme que certo dia dois deles, os quais eu admirava tamanha sensibilidade, inteligência, etc… despejaram toda sua misoginia em uma conversa que me traumatizou. Iniciaram a conversa com intuito de saber algumas curiosidades sobre a sexualidade feminina, porém foi desastroso. Ouvi de tudo que é terrível. Que o corpo da mulher é feio, sujo, que a vagina é muito mais suja que cú e pênis, que ser homem é muito melhor, criticaram minhas práticas sexuais, dizendo não ter graça nenhuma, quando citei o prazer sentido nos seios, fizeram piadas chulas, me perguntaram e continuaram insistindo se eu tinha vontade de ser homem ou se queria ter filhos porque então não me casava com homem e que eu era lésbica porque era traumatizada e não tive sorte com homens.
    Fiquei péssima até hoje, lembro disto e me traz depressão. Ainda quando reclamei, escrevendo um texto parecido com este, e conversando pessoalmente, disseram que o problema estava em mim que absorvia tudo isto para o lado pessoal e devia ir num psicólogo. Isso tudo me deprime de tal forma que é realmente triste, pois sempre respeitei as práticas sexuais dos mesmos, nunca interferi de forma ofensiva nem critiquei o corpo masculino.
    Me espantei com a forma que eles veem o corpo feminino, jamais esperava ouvir aquilo tudo, de forma pejorativa. Com imenso nojo e raiva. Porém nós mulheres ainda somos vítimas de tudo isto na própria sociedade, haja visto o furdunço gerado em torno de qualquer mulher bonita que pose nua sem ter se depilado totalmente ou quase totalmente (na mulher pelos é relacionado a sujeira, feiura, e no homem viril, formal), alguém já viu versão masculina de certos tipos de piada, como “bacalhau”? Não é porque a falta de higiene de um homem não possa vir a ser igual a de uma mulher, porém o sexo feminino é relacionado ao feio e sujo para que a menina desde criança pense assim e não se toque, achei feio e nojento.Eu mesma quando namorei com homem, tiro minhas próprias conclusões, falta de higiene masculina é tão terrível quanto uma mulher menstruada que não toma banho.
    Enfim, sem entrar nos detalhes para não traumatizar vocês, infelizmente as pessoas citadas não tomarão consciência do mal que fizeram e não mudarão.

  19. Li o email da sua amiga e me senti no lugar dela. Recentemente passei por uma situação muito parecida, na verdade um acúmulo de situações, tinha um grupo grande de “amigos” gays, e eu a única mulher e lésbica do grupo. Com o tempo passei a me incomodar com o fato deles sempre denegrirem o sexo feminino com dizeres do tipo buceta, vagabunda, e bacalhaus, ao se referirem as mulheres. O caso tomou proporção absurda e resolvi me afastar, depois de uma conversa com dois deles, que eram meus melhores amigos e eu admirava imensa sensibilidade e inteligência que eu achava que eles tinham, onde me fizeram algumas perguntas com relação a curiosidades sobre a sexualidade feminina. Ouvi críticas de todos os tipos. Qua vagina era algo sujo, feio, muito mais suja que pênis, pior que “cú”. Isso vindo de pessoas que não conhecem o corpo feminino. Discordei totalmente, até porque já namorei homens também e isso não tem nada a ver, um homem que falta com a higiene é a mesmíssima coisa que uma mulher que falta com ela. Continuaram insistindo nestas afirmações absurdas, criticando também minhas práticas sexuais, dizendo que não tinha graça nenhuma, quando citei sobre o prazer sentido nos seios, porque eles perguntaram se existis, ridicularizaram, dizendo que duvidavam que seios fossem cheirosos ou limpos. Algo totalmente absurdo que nunca vi na vida. Também falaram que o fato de eu ser lésbica era porque era traumatizada e não tive sorte com homens afirmação machista. Disseram que se eu queria ter filhos porque não casava com homem, e ainda que ser homem é melhor que ser mulher. O modo como tudo isso foi falado, por dois gays, que são em parte afeminados ou se relacionam com gays afeminados, me chocou. O que eu pensava, que eles admiração pelo feminino, morreu totalmente. Nunca me senti tão invadida, criticada e mal, porque isso veio de pessoas que eu gostava. Escrevi um texto parecido com este para eles e conversei pessoalmente, porém ouvi como resposta que eu que tenho que mudar a forma como absorvo este tipo de informação e até ir num psicólogo me tratar, ou seja, não reconhecem a culpa e a misoginia.
    Bom, não quero entrar em detalhes para não traumatizar vocês, porém digo que atualmente sinto medo de me aproximar de algum gay quando percebo gays no trabalho.Não por preconceito, mas medo de me ofender novamente.

  20. Sim, pode publicar sim…. obrigada, espero que seu trabalho de divulgação ajude a sensibilizar mais as pessoas e que elas/eles realmente façam essa reflexão….comparando a misoginia com preconceito de raça, imagine alguém falando que não gosta de pele negra, mas que não é raiva da pessoa negra em si…. óbvio que é preconceito…mesma coisa denegrir alguma parte do corpo feminino… isso inferioriza e denigre a mulher, e quando vem de pessoas que gostamos e respeitamos realmente choca… me afastei mesmo, e hoje em dia mais madura, com 28 anos, me aproximo de quem percebo sensibilidade e se identifica comigo me respeitando! 🙂

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s