Está sozinho? A culpa pode não ser sua


Hold on, bitch! Se você é uma escrota, passional e ciumenta, esse artigo não justifica a sua solidão.

Vamos repensar o nosso comportamento antes de esbravejar com os outros.

Na década de 90 só dava ela!

Mas se você é uma fofa, educada e tranquilíssima beesha, a culpa da sua solidão pode residir no novo estereótipo dos gays.

Novo estereótipo, Max? Sim, novo! Observaram que aos poucos a bicha pintosa deixou de ser o exemplo de gay e agora os valores são outros? Vamos pensar um pouco…

Aqui no Brasil, no final do século passado, as beeshas se resumiam nas caricatas, leathers e Homens-que-comem-homens-mas-só-quando-falta-buceta. Observem que os exemplos de gays sexualmente atraentes eram Cazuza, Ney Matogrosso e os boyzinhos dessas bandinhas pop que estouraram na mesma época.

Onde estavam as Barbies? Não estavam, ainda! As Barbies e a geração saúde surgem nessa transição dos anos 90 pros 2000, e é disso que quero falar.

Os gays hoje, numa tentativa de fugir do estereótipo da beesha que só sabia ser cabeleireira e estilista, criaram um padrão no qual você deve atender a vários requisitos para ser considerado o gay ideal, o gay que mais foge do paradigma daquele gay que morreu de Aids quando esta estourou no país (o gay de porta de discoteca: degenerado, afetado e promíscuo).

Esse gay é rico, bonito, inteligente, bom de cama, bilíngue, másculo e musculoso. Sendo esse másculo e musculoso as principais características visuais que destoam do gay magro e feminino que era visto logo de cara como “aidético” nas décadas de 80 e 90.

Aliás, já observaram que basta uma bee ser muito magra que as pessoas logo fazem piada sobre ela estar beijada pela tia?

Pois é, esse novo padrão é inalcançável para a maioria absoluta das pessoas e, por mais que você tente fugir desse estereótipo, as possibilidades de encontrar um parceiro para esse gay que atende à maioria das características é bem maior em relação ao resto.

Não vamos ser hipócritas e julgar todos que atendam a esse padrão, estética privilegiada e riqueza também podem vir de berço.

E quando não vêm? Dentre os héteros também existem padrões de parceiro ideal, mas eles tendem a abdicar de uns em detrimento de outros: É a mulher Raimunda, é o pobretão gostoso ou o careca rico. Quem consegue o pacote completo é considerado sortudo, mas quem não é o pacote completo também não fica sozinho.

E por que você, beesha bonita e pobre só consegue foda de uma noite e você beesha rica e feia só arruma boy toy que te liga quando seu salário bate na conta?

Simples, como nossa cultura é ainda muito jovem e estamos nos adaptando aos novos padrões, todo mundo quer o ‘melhor’, e se não consegue prefere ficar sozinho SE transformando nesse melhor para atrair outros melhores como você: É a teoria do Clone Gay.

Observem uma boate no século passado:

E uma boate atualmente:

A homogeneidade chega a assustar, não é verdade? E cada boy musculoso ali sem camisa só está musculoso e sem camisa porque batalhou para se tornar aquele ‘melhor’ que citei lá em cima. Por isso ele anda sem a camisa, pra vender o produto assim como a racha malhadora usa vestido curto pra mostrar os pernões.

Isso gera um círculo vicioso, porque os gays que se tornaram esse melhor não querem perder o seu tempo com gays que não atendam a esse padrão, forçando os outros gays a também buscarem se encaixar no padrão para conseguir os clones que desejam.

Afinal, não é porque você não faz parte do padrão que você não vai ser seduzido por ele. Principalmente com a mídia reforçando sempre, com flyers de boate e propagandas de turismo GLS, que o gay que todo mundo quer é esse:

Defeito

Padrões de beleza são assim chamados exatamente pelo fato de serem um ideal de beleza de um grupo, mas isso não significa que todo esse grupo esteja encaixado nele, principalmente num utópico como esse.

Nosso grupo sempre foi conhecido pela diversidade, por aceitar a todos… mas é só conhecido mesmo, porque a realidade não é muito diferente da feminina quanto à manutenção do seu corpo para servir o desejo estabelecido pela maioria (vá pra porta da São Firmino e veja se não estou certa).

Pintosa quebrando louça com pintosa, urso com urso, discreta com discreta, drag com drag, bombada com bombada? Já passou da hora de misturar.

E aí? Qual a opinião de vocês sobre esse novo esterótipo de gays que domina o meio LGBT? Em que ponto ele deixa de ser saudável e se torna uma obsessão?

131 comentários sobre “Está sozinho? A culpa pode não ser sua

  1. Menina, e não é que eu tô querendo malhar pra pegar mais boys?
    Fui alienado.

    Muita gente gosta de mim magro e branco, me acham bonito, mas ás vezes vejo como se quisessem ‘cuidar de mim’, sabe? Eu tenho essa cara ‘cuide de mim’.
    EU curto os caras normais, sabe? De todos os jeito, todas as belezas…
    Mas quem eu realmente estava querendo, os machudos gostosos, não me dão bola alguma 😥

    Adorei o texto (como sempre), escreve um livro que eu compro, sua linda!

    • bee, ser malhado e bombado não necessariamente significa ser ALIENADO. Tá evndo como tem preconceito com quem é bombado? Eu sou bombado e sou muito culto. A opção de ser bombado foi minha, porque eu não me chava atraente e nao me sentia bem sendo quem eu era. Resumindo: eu quero estar de bem comigo, e pra isso eu decidi ficar com um corpo bonito. É claro que tem caras muito bonitos e estilosos e magros – então a questão é decidir o que combina mais com voce. No meu caso – ser musculoso. E não fiz isso por ninguém, fiz isso por mim e para mim. Ficaadica. PS: Não acho alienação nenhuma “dar um tapa no visual” e deixar o mundo mais belo. E pra isso não precisa de muito dinheiro, apenas bom gosto.

      • Ele quis dizer que ELE se deixou alienar pelo padrão de beleza vigente, sendo que o tipo de homem que ele gosta é apenas aquele que acabou sendo acostumado a aceitar por osmose. Compreende?

        Gostar dos bombados não é sinônimo de alienação, muitos são lindíssimos mesmo, não tem como negar. O problema é quando seu padrão de beleza só gira em torno disso e qualquer pequena variação desse padrão já é motivo pra não querer mais a outra pessoa.

      • São várias as partes q poderíamos comentar, mas essa é uma das melhores:
        “E não fiz isso por ninguém, fiz isso por mim e para mim”

        Vc ñ estaria se enganando?
        Como n fez por ninguem? Fez por exigencia da sociedade atual. Duvido q vc se preocuparia tanto com essa estética musculosa em décadas/séculos passados.

        Não é problema as pessoas tentarem atender às especificações de suas respectivas sociedades e épocas. É uma questão de se encaixar em algum grupo. Aceitação! Todo mundo quer isso, pq ninguem vive isolado. A preocupação surge exatamente qdo visam esse objetivo, de forma obsessiva, como único caminho e permanência de felicidade.

        • Ai que gay chatã. Mon amour, tem pessoas que são magras e são lindas do jeito que são, no meu caso eu não me sentia bem do jeito que eu estava e quis mudar, inclusive por questão de saude, pois como sou alto, na época estava com hiperlordose e hipercifose e o médico indicou fazer bastante exerícios para as costas, e ganhar músculos nessa região para estabilizar a coluna. acabei gostando de fazer musculação e então uni o necessário ao agradável. Agora estou muito satisfeito com minha aparência. Algo mais? Quer que eu desenhe?

  2. Max, seu lindo! Primeira vez que escrevo aqui no BC. Arrasou no artigo pra variar! Não malho por preguiça mas sempre tive um corpo atlético e sou bem alto, mas sempre fui chegado num gordinho. Todos os meus ex sempre tinham aquela bordinha de catupiry boa de apertar e morder. heheeheh

    Não se deixem levar por essas convenções bobas, meu povo! Tem muita gente por aí procurando alguém do jeitinho que vc é!

    Beijos de Salvador-BA! 🙂

  3. Sei muito bem como e isso…quando vc chega na boate(tipo a move) percebi isso logo….o grupinho dos Boy Malhado sem camisa de um lado…eles formam uma espécie de seita…kkkk,só pode entrar ou participar do “grupo” se vc tiver os requisitos básicos, ser “másculo e musculoso”…as vezes lá no fundo alguns deles podem ate se interessar por alguém que não esteja nos padrões deles mais por orgulho,ou medo de ser zuado pelos outros, ai preferem pegar alguém que talvez não atraia tanto… eu estou nesse perfil ” tentando se encaixar nesse padrão”..sei que não deveria ser assim….tenho que ser eu mesmo…mais eu ainda não conseguir evoluir o suficiente para chegar a esse ponto..mas a maioria e assim infelizmente…A sociedade já e cruel quando impõe seus padrões na gente…e ai vem mais os padrões das gay….niguém aguenta…!!!!

  4. Eh verdade sou magro bonito e normal me relaciono com qulquer tipo de homen.. mais eu msm vejo em minha a necessidade de me sentir o melhor ….Tipo eu gosto de homen musculosos e sarados mis tipo nao me dao bola hj em dia recorro a alguns metodos p ser notado por eles

    • Sinceramente, acho que o melhor é muito subjetivo….. se vc me perguntar qual o homem que mais me atrai, vou falar que não éo musculoso nem sarados…. gosto de caras com uma pancinha, e não musculosos e tal….

      Não me atraem…então não acho que sejam os melhores para mim.

  5. Max, só tenho a te agradecer por expressar tudo o que eu pensava e não sabia como dizer, e o pior é que todo dia me sinto um lixo por não ser o ideal ( não que eu seja um lixo), me senti mais feliz e com a mente mais tranquila.

    Muito obrigado!

  6. Esses descamisados de boate são umas figuras folclóricas dignas de Câmara Cascudo. Depois dos trinta e poucos ficam umas coisas tristes de se ver, sobretudo se pobres.

  7. Eu ainda acho que a comunidade gay é a que melhor lida com a diversidade. E está tudo aí no teu post, Max. Bombados, ursos, novinhos, maduros, etc.. Onde que no mundo hetero um cara gordinho e peludo vai ser objeto de desejo sexual justamente por ser gordinho e peludo, e não apesar disso? Heteros também sofrem com padrões de beleza. E eu pelo menos nunca vi uma gordinha pegando o saradão da academia. Acontece que nós tendemos a nos cercar por pessoas que se assemelham com a gente. Não é o amor uma projeção perfeita de nós mesmos? Como somos homossexuais, homens com homens e mulheres com mulheres, essas semelhanças se acentuam. Aí que está esse “clone gay”, ou as frequentes acusações de narcisismo.


    • Os grupos se pegarem somente entre si e o gay ideal não ser nenhum desses, mas somente o que eu narrei no começo e o que todos pegariam, já é uma demonstração clara de que não há aceitação.

      Não adianta querer dizer o contrário, uma vez que para todos os subgrupos existe uma crítica, EXCETO para o primeiro, que sempre é criticado com “eu não curto”. Porque se você criticar de verdade ninguém vai te ouvir e ainda te chamarão de recalcado, não aceitam a possibilidade de alguém não gostar do padrão, mesmo aqueles que não estão dentro do padrão.

      Muito diferente de chamar um urso de gordo, uma pintosa de feminina, um maduro de cacura, são “motivos” aceitos que só valem para os grupos considerados inferiores. Isso não representa aceitação da diversidade, não mesmo.

      Isso é um sistema de castas.

      • Como eu disse no meu comentário, eu acho que os grupos se pegam somente entre si não por uma imposição, e sim porque gostam de estar com seus semelhantes. Quando dois ursos estão se beijando eu acho muito difícil que na cabeça deles, eles estejam, na verdade, desejando o bombado dançando em cima do queijo, e que só tenham se contentado um com o outro porque pensam que isso é o melhor que podem conseguir. No meu entendimento, eles não trocariam uma barriga de chopp por um tanquinho. Eu achei esse negócio de “gay ideal”, assim como toda a crítica, um exagero de um fenômeno que não é particular aos homossexuais. Quem que hoje não tem como ideal ser rico, bonito e inteligente?

        E existe sim crítica para o grupo “ideal”, e também está no texto. Barbie! Quantas vezes esse grupo não foi rebaixado por serem justamente bombados, por serem plastificados, clones, copias um dos outros?

        • hahahaha você acha MESMO que eles se pegam porque gostam de semelhante? Você tá viajando, são pouquíssimos os que não prefeririam estar com o padrão, se pudessem escolher. Eles só pegam porque se adaptam às opções que restam, e eu tenho centenas de exemplos que posso trazer aqui pra comentar dizendo que preferiam estar com o padrão ideal de gay, mas estão se acostumando com o que conseguiram.

          É como querer comer caviar, mas não ter e comer ovo, para não passar fome. Nos próprios comentários DESSE post você vai ver gente dizendo isso, volta aí e leia:

          cigarricious Disse:
          16/10/2012 às 23:39 | Comentar editar
          Menina, e não é que eu tô querendo malhar pra pegar mais boys?
          Fui alienado.

          Muita gente gosta de mim magro e branco, me acham bonito, mas ás vezes vejo como se quisessem ‘cuidar de mim’, sabe? Eu tenho essa cara ‘cuide de mim’.
          EU curto os caras normais, sabe? De todos os jeito, todas as belezas…
          Mas quem eu realmente estava querendo, os machudos gostosos, não me dão bola alguma 😥

          Adorei o texto (como sempre), escreve um livro que eu compro, sua linda!

          —-

          Luan Disse:
          17/10/2012 às 0:12 | Comentar editar
          Eh verdade sou magro bonito e normal me relaciono com qulquer tipo de homen.. mais eu msm vejo em minha a necessidade de me sentir o melhor ….Tipo eu gosto de homen musculosos e sarados mis tipo nao me dao bola hj em dia recorro a alguns metodos p ser notado por eles

          —–

          Luck Disse:
          17/10/2012 às 1:28 | Comentar editar
          Max, só tenho a te agradecer por expressar tudo o que eu pensava e não sabia como dizer, e o pior é que todo dia me sinto um lixo por não ser o ideal ( não que eu seja um lixo), me senti mais feliz e com a mente mais tranquila.

          Muito obrigado!

          —–

          Não vai muito longe não, corre lá no vídeo do Babado TV sobre “o tipo de homem que te agrada” e observe que dos 10 entrevistados TODOS gostavam exatamente do padrão de gay ideal que eu citei aqui, mesmo estando todos eles totalmente fora desse padrão. A alienação é clara, só você não vê isso.

          Sua crítica sobre “barbie”, ahahahaha, não me faça rir, Noob, por favor, a crítica é baseada numa qualidade, num elogio. É um deboche que se faz com quem não é passível de crítica.

          É igual falar que as atrizes de hollywood só são gostosas porque são plastificadas… tá, é mas e daí? Elas são gostosas do mesmo jeito e quem “criticou” comeria do mesmo jeito, não há crítica nisso, só deboche.

          Não compare um “Você não é pegável porque é velho, gordo ou tem a cara feia” com “você não pegável porque tem o corpo de capa de revista, eca, olha esses músculos, olha essa bunda dura, olha esse peito gigante”… ME POU-PE!

    • Sobre “o amor ser uma projeção perfeita de nós mesmos”, querido, você está deturpando toda a ideia do post, e sendo sofista ainda por cima. Observe que essa projeção perfeita é idealizada pela adequação do seu corpo/vida social ao padrão existente e diferente de você, inicialmente. Uma vez que são pouquíssimas as pessoas que já nascem ricos e musculosíssimos ou com estrutura pra conseguir isso naturalmente.

      Se esse padrão é algo que você deseja alcançar PARA agradar uma maioria que anteriormente também teve de se enquadrar para agradar uma outra maioria (que você não alcançaria sem o uso de tecnologia estética, diga-se de passagem, corroborando ainda mais o tom de total falta de projeção baseada na realidade do seu biotipo), não há perfeição de si mesmo aí, não há si mesmo, há somente os outros e o que os outros dizem ser você mesmo. É a projeção dos outros sobre você.

      • Sim, eu concordo. O eu é formado socialmente, por isso não é incomum que ele não tenha um completo ~lastro~ na realidade do biotipo, e o amor acaba se tornando uma projeção do ideal de nós mesmos. Aí que as pessoas entram na academia, para se tornar aquilo que acham que são, ou o que deveriam ser. Só que como eu disse no meu outro comentário (não sei se ele foi enviado) isso não é um fenômeno particular aos homossexuais. Heteros também sofrem com padrões de beleza. Mas a comunidade gay, mesmo sob os mesmos padrões de beleza de toda sociedade, ainda assim lida melhor com a diversidade. Vide ursos, twinks, barbies, etc..

        • Cansei, Noob, vou discutir mais não, você repetiu o que eu acabei de desmistificar. E dizer ainda que nos héteros existe uma pressão comparável a que os gays sofrem, é absurdo.

          Vamos concordar em discordar. 🙂

          Mas lembre-se, existir diversidade NÃO é sinônimo de saber lidar com ela, e você insiste em colocar como sinônimo. Aliás, nisso os héteros são superiores, porque se eles não lidassem tão bem com a diversidade mulher gostosa não namoraria homem feio e homem bonito não namoraria velha.

          • Actually, vou fazer Medicina agora. hahahah

            Mas não vou ser psiquiatra não, quero ser cirurgiã de Trauma mesmo, pronto-socorro e cabeça pocada.

    • Isso não é “lidar melhor”, isso é segregação, devido ao preconceito que temos exatamente com essas diferenças, porque afinal, separa num grupo os gordos, coloca em outro os sarados, nomeamos a tribo e cada um fica na sua reclusão. Não se iluda!

  8. Enfim…só sei que um “colega” meu que é urso, disse pra mim que estava “namorando” um urso…e SE ACOSTUMANDO com a situação porque não era o tipo de cara que ele costumava pegar.

  9. Max sua linda vc merece o Nobel da sexualidade, eu estou vendo essas mudandças ocorrer muito aqui onde moro as pintosas vão desaparecer e mundo vai ficar mais triste pq a onda agora é gay se fingir de hetero feat Leando Suelen e Roni, ate as travas estão se convertendo, é não ta facil pra ninguem sera o proximo passo da evolução será o apocalypso !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  10. Não é só o fato de querer se encaixar no padrão, é o fato delas fazerem de tudo pra estarem melhor que uma que acabou de voltar de Londres, enquanto a outra ainda tá vendo o pacote mais econômico pra Recife. O desejo de se destacar num grupo às vezes acaba por criar esse novo estereótipo, que sempre é copiado por uma que visa que aquele caminho, é o caminho do “sucesso”, e assim se forma uma corrente de Latinas, que só copiam, copiam e copiam. Não existe mais bicha original.

  11. Concordo com quase tudo. Porém, faltou a bissexualidade. Frequento diariamente alguns do bate-papos mais badalados de Vix. E, percebo que a grande maioria dos participantes tendem a ser BISSEXUAIS. Ai, fico nervosa.
    Acho que isso acontece devido a “vergonha”, ou mesmo, pelo motivação dos próprios gays, gostarem de HÉTEROS. Efim, não estou gostando nada dessa nova geração de gays, e olha que so tenho 21 anos ainda.

    • Com os bissexuais eu acho que muda um pouco, eles tendem a aceitar um maior leque de opções quanto aos tipos de homens e mulheres que curtem, fogem um pouco mais do padrão ideal, já que gostam dos dois sexos e quanto mais as aparências de ambos se misturarem, melhor… eu acho…

      • Sei lá. Eu desconfio um pouco desses bissexuais. Eu acho que grande parte dos bissexuais não sentem tesão igualmente por ambos os sexos. Acho que o bissexual sempre tende mais ao homo. Minha experiência com bi`s me fez chegar a essa conclusão. mas há exceções néan….

  12. Normal curtir um tipo de cara, ter um padrão. O problema é quando vc encontra uma pessoa diferente dos seus padrões de beleza e essa pessoa te faz feliz, mas vc dá um jeito de cagar com tudo, só para sair em busca do parceiro ideal. Rejeitando alguém que gosta de você.
    Então, fica fazendo carão em boate, circulando por chat, grindr, scruff, até mandado recadinho do coração em radio am…rs.
    É aquela velha história: “fica esperando alguém que caiba nos seus sonhos”.
    Por isso, tenham um padrão, mas estejam “abertos” para aqueles que ,mesmos diferentes, possam descontruir seus conceitos.

  13. Max, vc como sempre arrasando, não só com as temáticas mas também na maneira como discorre os assuntos. Realmente, como muitos já disseram, tal comportamento já é observável há tempos, porém, vai do senso crítico de cada um aceitar essa realidade que nos assola. Euzinho mesmo sou a prova viva de que, se vc não tem tempo pra cuidar do seu corpo em uma academia e acaba perdendo medidas ou ganhando algumas que não se deseja, acaba-se ficando de lado e torna-se uma opção secundária de fim de balada. Lembro-me bem que quando eu malhava, o problema era ter tempo para os boy magia, entretanto, como tive um período de classe D na vida financeira e falta de tempo para passar as longas 3 horas e meia na academia, como eu fazia diariamente, as tantas opções que eu tinha disponíveis simplesmente EVAPORARAM. Lembro-me até de um fato de uma pessoa que eu não conversava a meses pelo msn ter dito a seguinte frase assim que me viu pela webcam: Nossa! O que aconteceu contigo? Vc está muito magro… e lógico, nesse comentário infeliz, estava subentendida a possibilidade de euzinha ter sido beijada pelos Dementadores huiahauihaiuha. A partir de então, hoje eu ajo da seguinte forma: Não mais penso em voltar a malhar e praticar outros exercícios que possam beneficiar não só a estética mas também a minha saúde por causa de terceiros. Lógico, eu adoro ser elogiado, admirado e etc… Mas como nosso querido Darwin descreve em sua teoria, infelizmente passamos por um processo de seleção “natural” (naturalmente imposta pelas pessoas) rs, e se vc não evolui com os demais, pode ser extinto rs. Hoje sou solteiro e muito bem resolvido com isso, sei que não sou o gatão do momento, porém estou longe de ter um perfil de algumas pessoas que (SJC) kkkk. Não acredito nesse lance de “beleza interior”, mas avalio não só aparência física e estética. Afinal, de que adianta ter músculos mas não ter encéfalo desenvolvido?!?! Inclusive estou voltando pra academia após quase 2 anos fora dela, porém, continuarei malhando o cérebro tb pois acho muito mais vital do que cultuar o corpo e ah, o senso crítico continuará o mesmo rs. Adorei a matéria e mais uma vez PARABÉNS! Grande beijo da Bee =D

  14. Para mim, a maioria dos supostos ideais, vive uma ilusão e uma busca eterna por ser ideal. São frustrados, preconceituosos, intolerantes, CABEÇA PEQUENA. O real ideal, sarado, bonito, rico, INTELIGENTE, bilíngue, etc, como citado no post, este que realmente se preocupa, cuida da sua saúde, gosta de boa conversa, conhecer lugares e pessoas, não se mistura a esse “grupo ideal”. E quando se mistura, ou logo acaba de desiludindo ou participa, por falta de opção ao ser julgado “ideal” pelos que não são, e acaba não tendo escolha.

    Não vejo nada de ideal em vender uma imagem que não é real. Para eles o que importa é o que vc mostra, quanto aparenta ter, quanto aparenta saber, quanto aparenta fazer, e não se vc realmente o faz ou tem. Você pode almoçar miojo todo dia pra poder pagar os suplementos alimentares, mas se chega no aeroporto, com a passagem que vc conseguiu após passar a madrugada toda pesquisando preço, e tiver um Dolce e Gabanna da coleção retrasada na cara, vc é aceito.
    Também não vejo nada de ideal, em quem troca uma boa cerveja e um bom papo por toneladas de drogas dentro de uma boate.

    Existe, por parte destes ideais o julgamento de que, se vc bebe, vc não se cuida! “como vc faz isso? sua barriga vai ficar enorme? vc não se preocupa?”. E em compensação, se entopem de entorpecentes, estes que por sua vez fazem até secar (ficar magro), em nome dessa aparência “ideal”, quando na verdade por dentro, estão mais podres do que aquele que fica até o sol nascer tomando sua cerveja numa mesa de bar.

    Enfim, por mim, pode continuar a ser um padrão inatingível, pq eu gosto mesmo é dos príncipes de verdade, educados, bem vestidos, BONITOS NATURALMENTE e REALMENTE SAUDÁVEIS,

  15. Estava finalizando um comentário quando apertei o backspace indevidamente e tudo foi perdido. Em resumo, eu dizia que comigo aconteceu o efeito oposto. Eu fazia parte dos que tinham o corpo adequadamente encaixados no padrão de beleza vigente. Malhava, corria, fazia vários esportes, artes marciais e conseguia mantê-lo “impecável”, digamos assim. Só que uma mudança brusca de realidade me fez perder essa rotina, e eu acabei tendo que me “readaptar”. Não conseguia mais conciliar aquela série de exercícios físicos diários ao meu cotidiano de dissertações, resenhas, palestras, leitura, leitura e mais leitura (eu mal comia, rs). Foi então aí que eu emagreci, saí daqueles padrões, isto é, a barbie murchou. Ficou perceptível que eu não era mais um alvo de desejo e anseio como era antes, embora eu continuasse com o mesmo rosto, mesmo estilo – e mesmo pinto. A questão é que eu sempre fui bem preparado psicologicamente, e isso de modo algum fez com que eu me sentisse inferior, indesejável e etc. Muito pelo contrário, eu aprecio muito mais a postura que tenho hoje em dia, e aquele corpo musculoso ficou no passado. Não sinto falta e hoje em dia analiso tudo aquilo como uma perda de tempo (opinião pessoal, não dêem piti). Continuo com o corpo legal, só que sem todas aquelas curvas, gomos e afins, e mesmo quando o tinha, nunca me interessei por caras com o mesmo padrão que eu. Musculosos, ratos de academia… vish, eu passava longe. Achava algo muito bonito de se ver, apreciar de longe, mas nunca me instigou tesão. Sempre preferi os gordinhos, peludinhos, barbudos; os ursos. E continuo preferindo!

  16. Texto fantástico. Como tive uma fase de transição “hétero”/gay aos 20 anos, me assustei muito com a lógica da noite gay no Rio. Por isso mesmo sempre preferi a Lapa, os subúrbios, por serem lugares onde essa mistura acontece com mais naturalidade. Hoje eu malho, cuido da minha alimentação, mas é uma questão de cuidar de si mesmo, da própria saúde, e não de formatar um produto para o consumo dos outros. Sempre soube que não preciso de um abdômen tanquinho nem de um braço grande para conquistar alguém. Sedução é uma outra coisa. 😉

  17. qdo vc começou a escrever sobre padrão e tal.. o tozzi veio na minha mente e ñ saiu.. kkkkkkkkk sei lá.. quase que um role model

  18. “Se você é uma escrota, passional e ciumenta, esse artigo não justifica a sua solidão.” SÓ FALTOU NOME, SOBRENOME E CEP NAS TAGS.

    Maxinne, te amo lá fora.

  19. E é fato que, entre os gays, a preocupação com a opinião externa é MUITO maior. Tenho um monte de amigas sapatões que se dividem tranquilamente entre as que gostam de meninas delicadinhas/femininas e as que gostam das caminhoneiras/masculinas.

    Em compensação, não me recordo de ver algum gay dizendo que é chegado em um afeminado, uma bichinha de porta de boate, daquelas que vão à igreja de babylook e gloss. Mas já vi vários pegando essas lindas em saída da festa.

  20. Há alguns anos, eu mesma havia criado um padrão de beleza para as mulheres com quem eu pretendia me relacionar. E nem era o padrão de beleza de todo mundo, era um que eu inventei mesmo. Uns requisitos que eu pus na cabeça que a pessoa deveria cumprir pra que eu me interessasse por ela. Hoje posso dizer que a melhor coisa que fiz foi rever aqueles conceitos estupidamente idiotas, pois assim me permiti conhecer a minha atual namorada e há 3 anos que eu não poderia estar mais feliz.. Então, por favor, não sejam tão rígidos consigo mesmos, e muito menos com os outros.

    • De onde você tirou que se sentiria melhor consigo mesmo sendo bombado? Como ser bombado te faz se sentir melhor esteticamente? Pense, e quando achar a resposta você vai ver que o seu conceito de melhor não tem nada de seu.

  21. Nunca fui pra academia, e nunca irei. O máximo que faço é natação, mas por recomendação médica(problema de coluna).

    E eu normalmente costumo reparar mais no rosto de uma pessoa do que no corpo, honestamente. Principalmente nos olhos. Se tiver olho claro, já pode me embrulhar e levar pra casa. kkkkkk

  22. Max, bota um PS.: aí pras sapatão que tão ficando bombada pra pegar as gatinha na balada ❤
    Fui obrigada(aff aff) a entrar na academia e chegando lá em deparo com uma cachoeira de sapatão agarrada no voador. Aí eu lembro que quando nas épocas do cu queimando quando eu saio pro auê essas mesmas rachas são aquelas que fazem esse mesmo papel dos boys (ht ou não) criando suas "seitas" no canto da baladjhinha e onde só outros bofes bombados ou rachas gostosas podem chegar. Passo longe pra não pegar oxiúros…

  23. Adorei o post.
    PARABÉNS MAX.

    Eu, Gosto muito do bombadao, mlk, cara de homem se sao em ideia de clone?claro que nao, sou magro definido, mas um dia fico como quero.

    E ABRO EXCESSOS PARA OUTROS GRUPOS, POIS NAO VOU PELOS OUTROS, NEM PARA DA UMA CHANCE OU TENTAR FLETAR COM ALGUEM.

    Adoro o perigo de nao saber se é reciproco. kkkkk

  24. Ótimo assunto. Esse tipo de “padrão” vem mesmo dominando o mundo gay cada vez mais. Eu não me importo com meu físico, muito menos com o da pessoa com quem me relaciono, acho que o externo por melhor que seja, acaba sumindo um dia. Estou satisfeito com meu corpo & muitos me acham atraente mesmo sem “esse corpo escultural”. É óbvio que alguém nesses padrões atrai mais gente, mas ninguém deve mudar só pra “pegar mais bofes”… nunca fiquei sozinho e sempre consegui as pessoas que queria, só precisam aprender a atrair com o que tem (: Fazer parte desse estereótipo as vezes pode te privar de um grande amor devido ao fato de todos só te olharem com desejos carnais.

  25. Adorei o post, estou justamente passando por consequências desse padrão ideal estabelecido.

    sempre gostei de homens altos e largos, nunca me preocupei com músculos,e assim construí um relacionamento com o meu tipo ideal.

    Entretanto, há um certo tempo tenho notado que o meu parceiro vislumbra que eu me enquadre neste tipo ideal.

    Por vezes o flagrei, via pornô on line, alimentando seus desejos por este espectro do homem gay perfeito (sarado, discreto, culto, etc)
    Por fim, busquei me enquadrar para o agradar, porém retornei a minha essência e não me mato mais para atender esses padrões do quê é eleito como o belo.

    Entretanto, como era de se esperar coloquei o relacionamento no inferno astral, porém agora, mais do que eu há havia o avisado, não vou forçar para me enquadrar num padrão ridículo que nunca busquei, sempre fui muito feliz com o meu corpo, perfeito para mim em todas as suas imperfeições sob a ótica do ideal.

    Gata, acho que mais desabafei do que contribuí com o post, rsrsrsr

  26. Acredito que o fator autoestima conte muito. Uma pessoa feliz consigo mesma, independente de ser gordo, magro, feito, efeminado, etc. Quando a pessoa está satisfeita e se aceita, ela acaba tendo mais confiança em si mesmo e se tornando uma pessoa melhor e mais agradável. Bem diferente daquela que nunca está satisfeita com o corpo que tem, mas também não faz nada pra mudar. Não faz dieta, não pratica esportes, não se veste de forma mais “normal”. Tudo isso conta na escolha do parceiro.

    Eu, por exemplo, não sinto atração por “fashionistas”, “descoladas”, “antenadas”, que enche a boca pra dizer que usa o que está na moda em paris ou sei lá aonde. Prefiro caras normais que se vestem apenas para ficarem bonitos e não pra chamar a atenção como se fosse desfilar numa passarela de moda.

    Mas eu sei que muita gente gosta de caras assim. O problema é que geralmente que se veste assim, sente atração por caras másculos e “discretos”. O que raramente acontece.

    E não estou dizendo que você deve deixar de ser efeminado, porque tem coisas que são naturais. A pessoa simplesmente é efeminada e pronto. A questão é que além disso a pessoa acaba exagerando no modo de se vestir, na maquiagem, nas corres, nos tecidos, acessórios e etc.

    Se quer ser assim, precisa aceitar que a maioria dos “másculos” também gostam dos “másculos”. Então você decide se quer chamar a atenção das suas amigas usando aquela “echarpe escândalo” ou chamar a atenção dos boys.

    • “Mas também não faz nada para mudar […] não se veste de forma mais normal”

      Boooooriiiiing, depois ainda quer dizer que não acha que a pessoa deve deixar de ser afeminada, só fez denegrir quem é feminina pra no final soltar essa conclusão diplomática.

      Por que será que ninguém reclama quando o másculo é másculo demais? Por que será, né?

      • Eu disse que isso é um problema apenas quando a pessoa “nunca está satisfeita com o corpo que tem”. Ou você se aceita, ou faz algo pra mudar. #apenas.

        • Eu sei que você quis dizer nesse sentido, mas eu quero saber de que maneira se vestir mais “normal” vai fazer uma pessoa ficar mais satisfeita com o PRÓPRIO corpo, individualmente.

          Nessa solução eu só vejo uma pessoa tentando se sentir mais satisfeita com a opinião dos OUTROS sobre ela.

          • Não foi no sentido de ficar mais satisfeita consigo mesmo por causa do corpo ou da roupa e sim de ficar mais satisfeito por atrair mais a atenção daquele tipo de pessoa que você também gosta. Assim como pessoas deram o depoimento que por serem magras os malhados e másculos não olham pra ela. Não adianta senta e chorar, se seu objetivo é chamar a atenção deles, vc vai ter que largar a “echarpe” e entrar na academia.

          • Aí que entra o padrão que eu tô falando no post, não tem como fugir disso. Não existe mais opinião própria porque ela pouco importa diante do padrão de ideal que foi criado e é seguido por todo mundo.

            E a crueldade disso é desumana, sinto muita pena de quem vive como um robô controlando a pinta, ou enchendo o cu de anabolizante, ou usando aquelas golas em V HORROROSAS, tudo pra poder se encaixar e atrair o tipo de pessoa que ele quer, mas não porque ele GOSTA, sim porque ele foi induzido a gostar.

            Não tem auto-estima nem opinião própria mais no meio GLS quando o assunto é pegação, é tudo uma grande fogueira das vaidades e uma briga constante por esse padrão inalcançável.

          • Pior, você diz que a pintosa da echarpe vai ter que largar a echarpe para pegar o boy másculo que ela quer… POR QUÊ? Por causa da teoria do clone gay que eu falo no post, mais uma vez. A nossa cabecinha preconceituosa e alienada não espera que um másculo, malhado e ideal, NO ALTO do seu pedestal, desça o seu nível e pegue uma pintosa fashionista.

            Você não percebe o quão homofóbico é esse meio? Não tem nada de inocente, nada de “questão de gosto pessoal” não, é preconceito, hierarquia, sistema de castas mesmo.

          • Eu entendo perfeitamente isso tudo e até concordo. Mas não acho que devemos ser ingênuos e achar que isso deve simplesmente mudar. Muito menos que vá mudar “na marra”. Ou seja, a solução é: ou você que usa “echarpe” (echarpe aqui no sentido geral de uma gay fashionista) abre mão de usar e vá tentar agradar o bombadão. Ou fica com a echarpe e vá sentir relacionar com pessoas que gostem de pessoas com seu estilo de vida. Não se trata de descer ou subir pedestal, se trada de escolher o que você quer e saber se está disposto a fazer algo pra conseguir.

          • “se trata de escolher o que você quer e saber se está disposto a fazer algo pra conseguir.”

            Ou seja, abdicar da sua individualidade para se enquadrar no padrão que estipularam para você. Ou se enquadra, ou não participa do clube do bolinha de clones que só se pegam entre si. Pior é que a bicha gosta do padrão não é nem por culpa dela, foi lavagem cerebral mesmo, aí que fode tudo porque nem o direito de mudar de gosto ela tem.

            Eu sei que não vai mudar de uma hora pra outra, mas com esse pensamento não vai mudar é NUNCA. Enquanto ninguém perceber que esse gosto pessoal está disfarçado de hierarquia, isso só tende a piorar. Minha parte, avisando as senhoras, eu fiz 🙂

          • E aonde fica o direito de cada um de sentir tesão por um tipo específico? Pela forma que você fala parece que as pessoas deveriam se sentir culpadas por não sentir tesão por gordos, magros, feios, efeminados, etc. Eu por exemplo não sinto tesão por caras MUITO musculosos. Acho nojento. E se um bombadão por exemplo quiser MUITO ter uma chance comigo, ele vai ter que mudar o corpo dele para que eu possa sentir tesão por ele. Simples assim. É cruel? É! Mas a vida é cruel.

          • Não é se sentir culpada, é observar que um padrão tão restrito desses NÃO é natural e é fruto de algo muito maior que não depende só de você e do seu gosto pessoal.

          • O natural é que todos buscam o belo. E belo é: “tudo aquilo que te agrada”. Ou seja, as pessoas só buscam o que as agradam e que para elas é belo… por isso é tão subjetivo.

          • Oh god, mas é o que eu cansei de falar aqui, o conceito atual de belo é padronizado, artificial, se fosse assim tão individual como você diz não existiria um padrão só de homem perfeito no topo da cadeia alimentar e um monte de tijolos com pretensão à casa em volta dele.

          • Esse tal padrão a que você se refere não é tão padrão assim. Talvez seja o padrão das BOATES GAYS, do Brasil e do mundo. Mas não dá pra considerar isso o padrão maior. Tem muito mais gays fora das boates do que dentro delas. A maioria vai uma vez na vida outra na morte e não segue esse padrão.

          • Veja as fotos das boates, botei exatamente pra você observar a homogeneidade. A boate representa uma parcela enorme de gays em percentagem, pois é onde todos se encontram, da pintosa à encubada, da cacura que vai embora cedo à novinha fervida que usa bala. Todos.

        • Mas não podemos generalizar todas as gays do mundo apenas se baseando nas que frequentam as boates. São gays mais específicas. Costumam ser as mesmas todas as vezes.

          • Genten, quantos comments. Preguiça de ler as argumentações da Max com essas bee’s, pq ele é sagitariano e sempre estará em constante busca por respostas.

          • Não é só na boate, leia os comentários desse post que você vai ver padronização, vá num chat de pegação que você vai ver também, até em entrevistas que nós do BC fizemos com pessoas aleatórias também;

            Não é padronização da aparência do grupo, o post diz isso muito claramente, mas a padronização do que a maioria ALMEJA.

    • Detesto gogo’s.. Acho nojento… a dancinha deles todas iguais me irritam… aquela rodadinha que eles dão então é broxante. Pode até ser lindo e maravilhoso, mas dançando igual uma louca em cima do queijo não rola.

          • Você tem um problema sério com a feminilidade masculina, passou por algum trauma na sua infância?

          • E por acaso agora sentir tesão por homem com jeito de homem é resultado de trauma de infância? Devo me sentir um doente e fazer terapia para poder sentir tesão pelos efeminados? Sei…

          • Não não, você está deturpando meu discurso. Sentir atração não é defeito, a sua aversão absurda à feminilidade sim é preocupante

          • Então vc também deturpou meu discurso, porque o tempo inteiro eu falei em relação à atração sexual e busca de parceiro, que é o tema do seu post. Adoro os efeminados, tenho vários amigos completamente femininos, daqueles que você olha e fica em dúvida se é homem ou mulher. São as mais divertidas e as que mais confio. Apenas não sinto e nunca senti atração por nenhum deles.

          • Cada cabeça uma sentença, você não acha que tem que ver isso, quem sou eu pra dizer que deve. Só fiz uma suposição devido ao alto teor misógino dos seus comentários.

  27. Max, to apavorado com o post…Juro pra você que hoje mesmo, dia 19/10/2012 estava pensando sobre isso!! O que me preocupa é: o que essa geração vai ser aos 60 anos? Serão Maduro Saradões HxH procurando Maduros Saradões? Tô chocado com a genialidade do post… Virei fã. Parabéns!

    • 3 anos depois, aqui estou eu me fazendo a mesma pergunta. Estes que estão tentando sempre e sempre se enquadrar nos padrões de beleza e buscando seus respectivos “clones” se comportam como se não fôssem envelhecer. Como se as pelancas não fôssem chegar. Como se a pele não fôsse enrugar e cair. Não lembram do “memento mori”. “Tudo o que é bonito tem que morrer”.
      Eu vi o futuro, e o futuro é de uma multidão de solitários desiludidos.

  28. Creio que tanto na heteresexualidade e na homosexualidade as vezes se tornam reféns dos padrãos de beleza hoje estereotipados na sociedade através de uma aceitação física e deixando em segundo plano os princípios relevantes, idependente da variedade de esteriotipos, muitos vão passar pela situação de optar pelo coração ou pelo prazer carnal fato? Mas somos diferentes justamente para adaptação conforme nos indentificamos, e por fim a fase de buscar interesses encomuns e principalmente optar por anos e não dias virá a tona e talvez o prazer da estética talvez será um complemento do tesouro do ser humano!

  29. Nossa, vc acertou na mosca Max! Eu reflito muito sobre isso, e sempre chego a conclusão de que infelizmente eu vou ficar sozinho pra sempre porque eu sou uma beesha gordinha afeminada, que não se encaixa nos padrões de beleza atuais. Nossa, vc não faz ideia como isso me deixa arrasado!
    Ai eu sempre penso que talvez eu devesse procurar uma academia, mudar meus hábitos, sei lá, pra me tornar mais atraente, mas depois eu fico pensando que isso ta errado né? Quem tem que gostar de mim, vai gostar do jeito que eu sou, ou não?
    E você sabe o que é o pior? Já tive algumas tentativas de um relacionamento, mas nunca deu certo, porque eu, como muitos, também estou com o gosto padronizado. Eu acabo achando os caras com quem eu fico mto femininos, ou algo do tipo, e vou vendo isso como defeito, e acabo me distanciando.
    Vivo eternamente a espera daquele homem maravilhoso, um desses q vc descreveu ai em cima, e me olho no espelho, pro meu corpo, e sei que um desses nunca vai me achar atraente e que vou ficar sempre só, tudo por causa dessa padronização maldita!

    P.S. Cacete, fui MTO dramático!! Foi mal!! 😛 hahahahhaha

  30. Max, darling, acompanho o blog há meses, e este é meu primeiro comentário. E já comento logo no mais polêmico dos últimos tempos! ❤

    Parabéns pelo texto, como sempre muito eloquente e bem articulado. E abriu várias feridas, não foi?! Adorei as anônimas mostrando a multiplicidade de interpretações do discurso. Saudades análise do discurso…

    Continuem com o ótimo trabalho! =*

  31. Corpo inchado(cheio) e mente vazia. Sem contar que o fígado é podre, tem pedra nos rins além de não ser másculo( masculinidade é um agrupamento de responsabilidades e atitudes, não é tomar bomba, por favor gente!), são apenas musculosos. Não que eu seja preconceituoso, mas essa nova geração é bem brega. A autenticidade ficou para trás. Fora as doenças que passam de uma pra outra. Já que as magras na cachola das bárbaras são doentes. Simplesmente amei o texto.
    Magra, gorda ou musculosa, use camisinha e mais amor, por favor.

    Ah, e menos drogas também.

  32. A vontade que eu tenho é de passar por todo o processo, me tornar aquele modelo padrão de gay em forma, blá-blá-blá… E pegar um magrinho inteligente e tímido, como eu era, antes do processo.
    Ah, mas eu estaria ignorando a problemática de ser pobre e apenas razoavelmente atraente.

  33. Eu vejo muito isso de padrão no “mundo Gay” eu mesmo fico longe dele, sou magrelo, sem nenhuma definição, peludo, tenho minhas espinhas e manchas no corpo, fazer o que? mmm poderia até mudar, mas não vejo motivos para isso, se um dia alguém quiser ficar comigo vai ficar do jeito que eu sou.
    Os caras que estão longe desse padrão, também tem preconceito com caras que assim como eles não estão no padrão, já fiquei com um gordinho que tinha vergonha de sair comigo.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s