Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Pegação no Banheirão]


Seria engraçado se não fosse trágico. A Bee Bombadãm é uma comentadora conhecida no Babado Certo, além de já ter aparecido por aqui contando sua parafilia por heterozinhos.

Pois então, dessa vez ela foi longe demais, vamos ler o que ela tem pra dizer? (O texto é um pouco longo e as frases em negrito são os comentários da Max)

Oi Max. Ai, tô aqui em casa desesperado, olha o que me aconteceu: Bem resumido. (Imagine se tivesse contado com detalhes)

Estava eu no banheiro do terminal da cidade em que eu faço faculdade. Aí um cafuçu deu umas olhadinhas e eu, que nunca tinha feito banheirón, resolvi fazer. Fui lá, entrei, e o cara entrou também.

Não deu 1 minuto e 3 guardas bateram na porta! Quase fui espancada por um deles! Aí eu falei pra um deles: deixe eu ir embora, cara, eu sou professor, não posso me expor (Claro, claro, banheirão de terminal é o local mais discreto do mundo). Enquanto isso, uma bixinha breguinha olhava tudo do espelho e o outro guarda gritava (Aposto que era uma leitora do Babado Certo doidinha pra saber de tudo e me mandar depois).

O mais bonzinho falou pra mim: “Cara, olha pra você e olha pra esse esculachado” (porque o cara era cafuçu e tava de chinelo e eu toda linda mas enfim, o que ele quis dizer é, como você desse jeito foi fazer isso com esse tipo de pessoa. (hahahaha, passam-se os posts, e ela não perde essa humildade deliciosa dela)

Aí o mais bravo disse: “Some daqui!”. Max, eu sai vazada e fui pegar um outro ônibus, porque eu tinha um encontro com um boy magia em outra cidade, enfim… (Enfim não, você já tinha neca preparada pra schupar e ainda foi parar no banheiro com outro? Que megalomania é essa, beesha?!)

…eu nunca passei tanta vergonha na minha vida. Nunca fiz isso num banheiro,  e olha o que deu. E o cara falava: “Eu subi no outro banheiro eu vi ele de pau duro e você chupando” (Você parou pra bater papo sobre o assunto?).

Ai, Max, que vergonhaaaaa (vergonha de quê, bee? 90% das gays daquele terminal dariam um braço pra estar no seu lugar). Saí vazada quase chorando. Ainda bem que não vi ninguém de conhecido, nenhum aluno, nada. Imagine! Bom, claro que NUNCA MAIS vou fazer isso, nunca mesmo (Falo isso toda vez que acordo de ressaca). 

Mas o que eu preciso da sua ajuda é o seguinte: o boquete foi rapidinho e o cara era meio alternativo, pra ser bonzinho, mas tava limpinho e tal (Se o policial hétero de gongou, querida, não adianta tentar contornar: barangou).

Aí, enquanto eu fazia o boquete (nos 1 minuto kkk), eu senti que ele ia gozar, eu senti uma coisinha estranha e nao era o liquido pré-semem, já praticamente era o sêmem. Mas ele não gozou, e eu cuspi tudo fora e nessa hora que os policiais chegaram…

Se ele não gozou, e não era o líquido pré-ejaculatório, o que saiu do pau dele? Mingau Mococa?

Max, você acha que tem algum procedimento que eu deveria fazer pra evitar possivelmente alguma doença? Esse negócio de 48 horas. Eu li na Internet e é pra caso de estupro, no meu caso como eu faço? Vou na unidade de saúde e converso com um médico? Eu sei que eu sou muito encanado. Porque ele NÃO CHEGOU A GOZAR, mas eu senti um gostinho e, nossa, eu nem durmo agora.

Ai Max o que vc acha que eu devo fazer? Ou como não foi estupro não há nada pra fazer?

E aí ele fala alguns detalhes do encontro dele com o o boy da outra cidade, mas aí já foge do tema.

Então, eu acho que o maior perigo de se fazer boquete no terminal é o PRÓPRIO banheiro do terminal. Já disse num post que banheiro de terminal pra mim é uma grande casa de adoção para vírus sem lar, basta você ajoelhar pra schupar o boy que aquelas bactérias comedoras de carne humana começam a devorar suas articulações.

Mas falando sério agora, sobre o perigo de ter pegado alguma doença fazendo boquete, as chances do HIV são pequenas (como já disse no post sobre DST’s).

Um banho de Natura Ekos resolve o problema

Entretanto, todo cuidado é pouco! Ainda mais no seu caso, né, bill? Encontra um cara todo cagado no terminal, mal sabendo em quantos troncos de bananeira ele já enfiou a neca, e simplesmente chupa como se ele lavasse a pica com Dermacyd?

Errou feio, e por isso o SUS não vai te garantir o direito de tomar o medicamento preventivo de graça. Esses anti-retrovirais são caríssimos e, se mal tem coquetel pra quem é soropositivo, imagine se fossem distribuir remédio pra todo mundo que fez sexo desprotegido? Não dá certo, né?

Mas há um lado bom, o boquete foi por menos de um minuto, e como ele não gozou, não deu tempo de ter algum contato com sangue ou fluidos corporais… mas é claro, sempre há uma chance, vale fazer o exame daqui a três meses.

Isso eu estou falando do HIV, tem uma série de outras doenças que você poderia pegar schupando os outros, ainda mais um de aparência pouco higiênica, não se esqueça que o HPV tá aí, mona. E verruga, quando não é de pérolas como na montação da Lady Gaga, não é nada bonito.

Enfim, tenho uma dúvida: como assim ele já ia gozar com menos de 60 SEGUNDOS de boquete? Você esqueceu de passar o Corega e tirou a dentadura na hora de chupar?

Tá com um dilema de natureza sexual, social ou médica? Mande sua dúvida para max_babadocerto@hotmail.com, e a Max consultará os universitários para tentar resolver o seu problema.

38 comentários sobre “Kooriosidades – Na Cama com Max [Tema: Pegação no Banheirão]

  1. Caraleo, toda vez que entro no banheiro do TVV lá pras 23:00, tem sempre a mesma bixa de colete fingindo que está arrumando cabelo no espelho. Detalhe: não existe espelho.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tem gente muito esparrada nesses banheiros rsrs

  2. max, se o cara estiver há algum tempo sem gozar e ficar muito, muito excitado, junto com o líquido pré-sêmem pode sair um pouco de esperma, sim. pelo menos comigo já aconteceu algumas vezes.
    nesse caso aí pode ser que o dito estivesse já na punheta e o sêmem que estava ali na portinha, ‘vazou’.

    • Exatamente isso bee… o cara tava num tesão e eu mal comecei já senti um gostinho estranho… acho que é isso mesmo que vc disse.

    • Sem querer ofender, mas pode ser secreção uretral decorrente de infecção por clamidia, ureaplasma, gonococo…

      • hahahaha por isso que nas tags eu coloquei “caldinho de gonorreia”. Depois ainda me perguntam pq eu amo as minhas leitoras.

      • genteeee, vcs vao me deixar loucã, mais histérica do que eu já to. sério, eu nem to dormindo (de verdade) por causa disso… aí fui ler o outro post da max sobre infecções e dsts (nao que eu já nao soubesse néan) e comecei a sentir todos os sintomas kkk, já to paranoicã….
        De novo: quando eu senti que tava começando a sair um líquido parecido com o pré-seminal na hora eu parei e cuspi tudo (eu acho que já era um pouco (muito pouco messsssssmo )de semem). Max, linda, de novo, a senhora cha que dentro desses 1 minuto já dá pra pegar todas essas doenças? Isso eu já to supondo que o ‘alternativo’ esteja infectado com tudo quanto é coisa né porque eu nao sei. Ai Meu Deus.

  3. Uma vez, eu tava dentro do onibus,era por volta das 22:00, sentei nas ultimas cadeiras, entrou um boy que parecia ter 18 anos, novinho bonitinho, sentou do meu lado, me olhava mt(tbm pudera neh!? eu linda e loira arrazando rs) derrepente ele começa a mexer na neca,e apertava a neca, e foi ficando dura, ele me olhava e mexia na neca, quando descemos no terminal ele fez sinal pra eu ir no banheiro, meu coração disparou(toda besha que faz pegação sabe a adrenalina que é rs), fui em direção ao banheiro, ele entrou no ultimo box, fui entrei, ele tava em pé com a necona na mao , ja fui logo caindo de boca. #quemnunca

  4. Sou médico (sem brincadeira) e queria fazer algumas observações:
    1) Se vc fez sexo oral, não importa mt se o parceiro ejacule ou não. Existe sempre o contato com o liquído pré-ejaculação, mesmo que vc não perceba claramente. Esse líquido pode sim transmitir alguma DST (incluindo, logicamente, o HIV).
    2) Nesse caso, pelas diretrizes do ministério da saúde, não é recomendado o uso da profilaxia; uma vez que vc não sabe o status sorológico do parceiro. Mas, conselho mt sincero, vc deveria procurar uma emergência médica que tenha a medicamento de profilaxia pós-exposição (geralmente nos Centros de Referência em AIDS ou em hospitais de referência em doenças infecciosas) e alegar que fez sexo com uma pessoa soropositiva e o preservativo rompeu, dessa forma, vc terá acesso a medicação.
    3) Apesar da recomendação oficial ser o início da profilaxia pós exposição em até 72 horas, o ideal é vc já tome as duas medicações dentro de 02 horas (a cada hora que passa, eleva de maneira mt rápida a chance da medicação falhar).
    4) Importante: mesmo que vc tome a medicação 5 minutos após exposição, não é garantia de que vc não vai contrair o HIV. ENTÃO USA CAMISINHA (Se não quer comprar, pega de graça no posto de saúde).
    Abraço

      • Se lembra disso?

        “Aquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.”

        Acho que lembra, né?

      • Max vamos ser realistas, o protocolo de profilaxia pos-exposição é direcionado pra acidentes com material cortante e violencia sexual, Nenhum serviço de emergencia vai dispensar essa medicação pra sexo consensual. Voce talvez nao tenha pratica médica, talvez nunca tenha trabalhado em um serviço de urgencia e talvez nunca tenha atendido um paciente, até porque voce nao é medica e nem é estudante de medicina.

        • Como você é previsível, e eterna saída pela tangente através do ad hominem.

          Eu não estou falando da minha formação, não mude o subject e me poupe da sua “sinceridade” hipócrita. Eu estou falando que se existe uma diretriz é para ser respeitada e não interessa a situação pela qual o médico passa num serviço de urgência. Quais os seus critérios para dar o remédio pra um e não pra outro? Ou você dará pra todos que forem te procurar na emergência? Você SABE que não pode dar pra todos e sabe que não tem pra todos, então pra quê instigar um comportamento desses numa grande mídia, se você não tem cacife pra arcar com as consequências?

          Acorda, meu querido, se existe uma lei é exatamente para fazer com que as pessoas em vez de se exporem sem medo ao vírus (sabendo da profilaxia) se protejam e não precisem dela, uma vez que NÃO TEM pra todo mundo, e não é necessário se colocar um pedestal de “estudante de medicina/médico” pra saber disso, basta se informar. Não seja inocente em achar que se todo mundo souber que existe uma forma de conseguir o remédio as pessoas vão se proteger como se protegeriam sem essa informação.

          Você só trabalha num hospital, não numa base da Klu klux Klan, não há nada de extraordinário, secreto ou complexo nisso ao ponto de um profissional que não seja da saúde ser incapaz de discutir. Menos prepotência e mais ARGUMENTOS da próxima vez… aliás, não existe argumento diante do que você fez, pode esfregar 114 diplomas da área médica, você sempre vai saber que o que sugeriu foi errado.

          • OI Max, desculpe não ter respondido antes, mas estava viajando.
            Bom, antes de mais nada, não sou esse “Sincero” que respondeu ai em cima. Bem como não concordo com o que ele disse.
            Quanto a sua resposta ao meu comentário anterior, bem, não pensei que alguém fosse reagir tão mal ao q escrevi.
            Eu de jeito nenhum quero provocar uma onda de mentiras no SUS, peço desculpas sinceras se foi assim q me expressei. Eu pensei que tinha deixado claro que a mensagem principal era o “tópico 4”: use camisinha sempre.
            Eu acho a medicina uma profissão triste no tocante a algumas doenças, como a AIDS por exemplo. É tão frustrante falar “Vc tem HIV” para alguém. É como se a alma da pessoa se partisse naquele momento. Não digo isso para ser dramático, apenas pq é a realidade. Trabalhei durante mts anos em um hospital referência em infectologia e cansei de tentar consolar os recém-diagnosticados com HIV e acompanhar pacientes definhando nas enfermarias com AIDS (e as doenças oportunistas). É triste, simples assim.
            Não entendi a referência ao juramento de Hipocrates, vc poderia esclarecer por favor?
            Vc respondeu ao “Sincero” como se fosse falando comigo, eu acho. Então vou comentar algumas coisas. Mas antes, peço calma, pois sua resposta foi agressiva e eu de jeito nenhum tenho a menor intenção de discutir com vc. Não sei sua idade, mas já vi q vc é inteligente e sabe conversar como adulto.
            As diretrizes são claras quanto ao uso das medicações e deve-se seguir os protocolos do ministério da saúde brasileiro (protocolo esse que é mt diferente do protocolo da Organização Mundial de Saúde, assim como mts outras diretrizes brasileiras são). Sem dúvidas quanto a isso. O que o paciente diz é o q é escrito no prontuário. Então as indicações não foram feitas para serem burladas e sim para serem respeitadas.
            Mas diga isso para um garoto de 15 anos se acabando de chorar “pela besteira que fez” algumas horas após fazer sexo sem preservativo com um homem desconhecido e sem apoio dos pais q simplesmente largaram ele na porta da emergência (após terem espancado-o, deixando ele com diversos cortes de garrafa pelo corpo e vários pedaços de vidro na pele). E durante o plantão, impedir ele de cometer suicídio com um lâmina de bisturi, pois ele achava q estava com AIDS (assim disse o pai dele diversas vezes, enquanto espancava-o).
            Meu caro, o google esta ai para quem quiser saber mais sobre qualquer coisa. A medicina não é exceção. Vc pode aprender tudo nos textos (ser graduado com honras na univerdade da internet). E ainda assim eu te direi, vc não sabe de nada! A realidade é extremamente diferente, não é uma receita de bolo.
            Vc diz que não a nada de extraordinário, secreto ou complexo em trabalhar num hospital… eu jamais diria isso de outra profissão. Não sou Boris Casoy para dizer que alguém fala do alto de sua vassoura. Não tenho conhecimento nenhum sobre mt áreas. Mesmo na medicina (após tantos anos de formado), considero que não sei mt coisa, pois são lançados milhares de artigos científicos diariamente e é impossível se manter atualizado em tudo.
            Max, parabéns pelo sucesso de seu blog com 5 mil visitantes diários. Se vc acha q meu comentário traz tanto malefício assim, vc como um dos responsáveis pelo que essas 5 mil pessoas veem aqui, deveria ter impedido rapidamente que mais pessoas o vissem e o deletado. Além de ter chamado minha atenção para o erro que cometi em um novo comentário.
            Peço humildemente desculpas mais uma vez. Não quis causar nenhum mal. De boas intenções o inferno esta cheio. Por favor, apague meu comentário original (pois eu não sei como fazer isso e nem sei se posso de fato). Obrigado.

          • Agora eu vi, gostei da sua resposta 🙂

            Quanto a complexidade, quis dizer sobre a falsa necessidade de se desrespeitar as diretrizes diante de situações atípicas, apoiada pelo outro comentador, que se perfez dessa suposta complexidade da profissão pra corroborar o erro… daí a minha negação.

            Compreendo, CLARO, o quão difícil é lidar com pessoas doentes e frágeis emocionalmente, mas isso nunca deve ser motivo pra justificar um crime, como ele usou pra justificar, entendeu?

          • O negócio do juramento foi porque aquilo era um segredo que você não deveria ter revelado

          • Mas sobre a história do menino lá de 15 anos, honey, você acha que os que pegam hiv são sempre os vilões? Você vai encontrar centenas de meninos de 15 anos querendo se matar e mães de família casadas há 30 anos descobrindo que estão com o vírus. Centenas de pessoas que não merecem nem uma gripe morrendo por bobagem, enquanto assassinos passam por cirurgias complicadíssimas e sobrevivem.

            Quem dera que só os maus desenvolvessem doenças como essa. Mas o mundo é injusto, você não pode, não tem o poder e nem deve intervir se baseando na sua sensibilidade emocional, senão você vai enlouquecer.

  5. Mas o cidadão teve algum sintoma? Ou só tá com medo de ter contraído qualquer coisa, sem nenhum sintoma? Ficou confuso essa parte aí…

    E como assim, sentiu líquido na boca, mas não era porra e nem ”pré-porra”? Bicha, acho que tu levou foi uma bela duma mijada na boca! o_o’

    • Ai gente… eu tava desesperada na hora em que mandei o e-mail pra Max, como uma bill disse aí em cima acho que foi liquido pré-seminal com pouco de sêmem porque o cara já deveria estar pra gozar, mas eu cuspi na hora em que percebi isso e parei o boketes até porque né (fui parada). Ge, lynda, o babado aconteceu quinta-feira passada, eu nao to com nenhum sintoma, é cedo ainda pra ter alguma coisa, é que eu sou encanadérrima com isso. Eu JAMAIS deixei alguém ejacular ana minha boca e até o momento só tinha saído com caras conhecidos/casados/pms/com namorada.

  6. Agora não há nada mais que eu possa fazer. O jeito é esperar e fazer o exame. Mas como a Max disse eu acho improvável ter pego alguma coisa, foi muiiiiiiiiiiiiiito rápido e não teve ejaculação na boca, eu senti que a neca dele tava começando a sair uma gosminha. Acho que caso o cara tenha alguma coisa (eu que já sou louca e acho que todo mundo tem hIV, hepatite etc…) deveria ter havido um contato maior e uma quantidade maior de sêmem pra poder pensar numa possível infecção (estou certa MAx?). Isso que eu percebi deve ter uma carga viral baixíssima. Mas fica aí a dica: NUNCA MAIS BANHEIRÓN. FORA A VERGONHA COM OS GUARDA TUDO GRITANDO. E o ‘peor’ foi aguentar zuação de um dos guardas que falou exatamente aquilo: olha pra vc e olha pra ele. Corági. O Max, linda, os guardas depois de terem me arrancado do box ficaram de interrogatório sim e um deles gritava sem parar pra fazer passar vergonha mesmo todo mundo olhando. Mas a senhora tem razão: eu já tinha um boy buraqueiro kazado lindo magya necudo (esse se encaixa perfeitamente na definição de buraqueiro) kkkkk e fui fazer banheirón?. Vacilo total. Brigadã Max vc sempre ajudando azamigas.

  7. CARAMBA, EU ACHO QUE VI UM “BRASILEIRO”.
    Ele é médico. E está ensinando os outros a burlar uma regra.

    CARAMBA, EU ACHO QUE VI UM MÉDICO MESMO.
    Ele é esnobe. Pensa que é superior aos outros…

  8. A porta da verdade estava aberta,
    mas só deixava passar
    meia pessoa de cada vez.

    Assim não era possível atingir toda a verdade,
    porque a meia pessoa que entrava
    só trazia o perfil de meia verdade.
    E sua segunda metade
    voltava igualmente com meio perfil.
    E os meios perfis não coincidiam.

    Arrebentaram a porta. Derrubaram a porta.
    Chegaram ao lugar luminoso
    onde a verdade esplendia seus fogos.
    Era dividida em metades
    diferentes uma da outra.

    Chegou-se a discutir qual a metade mais bela.
    Nenhuma das duas era totalmente bela.
    E carecia optar. Cada um optou conforme
    seu capricho, sua ilusão, sua miopia.

    Carlos Drummond de Andrade

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s