Dilma derruba o “kit gay” do MEC


A presidente Dilma, acabou de derrubar o programa “Escola Sem Homofobia” do Ministério da Educação chamado de kit gay pela bancada evangélica e cristã e, principalmente, o deputado se é que pode-se chama-lo assim Jair Bolsonaro. Em reunião, com 20 deputados da Frente da Família, a presidente garantiu que o material não será distribuído pelo MEC às escolas públicas do país.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, já havia se pronunciado a respeito do kit gay semana passada, negando que o material em circulação seja oficial do MEC.

98 comentários sobre “Dilma derruba o “kit gay” do MEC

      • pelo q me lembro, o kit foi elaborado por mais de um ano, por psicólogos, pedagogos, membros de ONGs LGBT. é aprovado pelo Conselho Federal de Psicologia e pela UNESCO.

        mal-elaborados são os “argumentos” da bancada evangélica e do BOÇALnaro.

    • vcs quiseram a DILMA então aguentem …. Lula e Dilma fizeram acordos com deus e com o diabo para ganhar a eleição .. Agora eles tem qe cumprir o desejo dasss legendasss
      …. então aguentem vcs qe votaram nessa qadrilha chamada d PT …

    • vcs quiseram a DILMA então aguentem …. Lula e Dilma fizeram acordos com deus e com o diabo para ganhar a eleição .. Agora eles tem qe cumprir o desejo dasss legendasss
      …. então aguentem vcs qe votaram nessa qadrilha chamada d PT …

  1. Será um quê de “Dama de Ferro” da presidenta ou apenas dançar conforme a música, ou melhor, eleitorado?

    Um amigo acabou de me fazer esse pergunta. Quando fui me informar sobre o caso, me deparei com algo curioso: uma baita confusão! Os evangélicos falam uma coisa; o MEC desmente e fala outra; e por aí ninguém sabe ao certo a quantas anda do projeto anti-homofobia nas escolas.

    Tenho a esperança de que essa “derrubada” do projeto é para fins revisionistas. Afinal, reclamam de ser uma atitude unilateral do MEC. Acabo de ler na Folha que é vontade dela discutir com todos os setores interessados. Ter dado espaço para ouvir os evangélicos não significa o fim do projeto, mas sim um atitude política e republicana de Dilma.

    Porém, se o projeto for definitivamente engavetado, aí sim ela deverá explicações aos outros setores prejudicados pela “conversa” com os evangélicos (e católicos, porque nesse caso unem-se as bancadas).

    Ah, ares de retrocesso no ar! Evangélicos e ruralistas à frente do Parlamento Brasileiro.

  2. Passou na record, no domingo espetacular, uma reportagem sobre este kit gay. Fiquei revoltado, uma reportagem tendenciosa, mostrando “especialistas” dizendo como esse kit era prejuducial para as crianças. Em nenhum momento houve uma discussão. Apenas disseram que era prejuducial.

    Ainda relacionara o caos da educação brasileira com a proposta do MEC.

    Muito triste, me senti constrangido.

  3. absurdo, ABSURDO! trocar o resgate da dignidade de milhares de estudantes homossexuais e transgêneros pela proteção a um LADRÃO! to mtooo irritada com isso ò_Ó

    • vcs quiseram a DILMA então aguentem …. Lula e Dilma fizeram acordos com deus e com o diabo para ganhar a eleição .. Agora eles tem qe cumprir o desejo dasss legendasss
      …. então aguentem vcs qe votaram nessa qadrilha chamada d PT …. ISSO É PQ TEM APENAS ALGUNS DIAS NO PODER, AGUARDEM MAIS HISTORIAAS…

    • desnecessário pq, colega? pq talvez VOCÊ não tenha sofrido bullying homofóbico na escola? pq talvez VOCÊ não tenha sido agredido fisicamente por ser gay? pq os neonazistas q atacam homossexuais na avenida paulista parecem mto longe de atacar VOCÊ?

      como pode achar desnecessário um projeto q visa prevenir atos de violência moral e física contra uma minoria discriminada?

      esse kit não foi elaborado pra “estimular” homossexualidade em ninguém, nem pra nos colocar como superiores, e sim pra mostrar q não temos nada de monstruoso, q nós merecemos respeito. é pra ensinar a professores e jovens a RESPEITAR as diferenças. não é pra transformar escola em parada gay não.

      reveja seus conceitos, pesquise sobre o conteúdo do kit anti-homofobia, procure saber quantas pessoas já foram prejudicadas pelo preconceito galopante da nossa sociedade, preconceito esse q muitas vezes é aprendido na escola.

      • Acaboooo com a não identificada! kkkk
        Concordo totalmente com a Jordana; independente do gay ter sofrido ou não pela sua condição sexual é dever de todos nós trabalharmos para construir uma sociedade ampla, onde todos convivam com a diferença, goste ou não! Respeitar as pessoas mesmo sem entender o porquê daquilo que ela faz, é, deixa de fazer ou ser é ter o mínimo de educação para com o próximo.

    • desnecessário? combater o preconceito nas escolas é desnecessário? tentar evitar bullying homofóbico, tentar evitar q rapazes de 16 anos acertem lâmpadas na cara de um desconhecido só pq ele parece gay… é tudo desnecessário? ensinar professores a lidar com a diversidade sexual dos seus alunos é desnecessário?

      é, tem razão. é desnecessário mesmo. q as coisas continuem como estão. tá tudo LYMDO, não tá? uhuul \o/

      • Ah sim, vc falou em um ponto importante, a instrução dos orientadores escolares e familiares, aqueles que já têm a capacidade de entender o propósito do projeto. Ensinar a eles formas de abordar a questão, formas de orientar as crianças que JÁ SÃO HOMOSSEXUAIS e as que não são. Só acho DESNECESSÁRIO expor esse conteúdo a qualquer criança, fazendo com que elas vejam todo o material mal produzido desse tal kit. Deve-se ensinar o respeito independente de qualquer coisa, e já que voce falou em bullying, não sao apenas os gays que sofrem com isto, gordos, altos, baixos e qualquer outro que, dentro de um determinado grupo, seja CONSIDERADO diferente. Sendo assim, terão que fazer kit pra todos esses grupos. Alem disso, como vc acha que as familias que sao absurdamente homofobicas vão lidar com esse assunto em casa? Acha que eles vao dizer que tá tudo bem? Eu acho que não e que isso só agravaria a situação. Quero reforçar que, a uma criança, deve-se ensinar o respeito a tudo. Respeito ao idoso, aos pais, aos deficientes, aos homossexuais, as opinioes diferentes, etc. E vale reforçar que educação vem de casa, e portanto, deve-se RESPEITAR o direito que cada pai tem de orientar os filhos e, antes que me joguem pedras, nao estou dizendo que temos que deixar de ensinar as crianças ou apoiar o pai que ensina como ser homofóbico.

        • Tiiii conta monah um babado forte q rolou aqui no bairro. Um gorduxo, um magricelo e um cara altão foram espancados só pq eles eram assim, diferentes. Acredita ? Pior foi o gorduxinho, coitado, ele só tinha 13 anos e sempre foi assim, desde criancinha.
          Sendo assim, concordo com vc gataaaa, que nao deveriam criar esse kit gay, pq a violência q esses “grupos diferentes” sofrem é exatamente a MESMA que os gays sofrem.
          Sem Kit gay +1

      • Nao disse que era desnecessario combater o preconceito(leia todo meu comentario antes de meter uma lampada na minha cara tb), e nao discordo do kit apenas pq eu nao sofri bullying! eu disse apenas que esse kit NAO ajudará!
        E pra vc que acha que gordo, alto, magro e narigudo nao sofrem da mesma forma, eu nao posso dizer nada, tenho que respeitar sua opiniao. Só acho que dessa forma, nós, gays, nao conseguiremos o tao sonhado respeito e tratamento igualitario de todos!

        • Honey, se nem mulheres e negros têm o tão sonhado comportamento igualitário, você acha que nós vamos ter?

          Acorda, Alice! Brasileiro ignorante é igual cachorro, tem que ensinar como se comportar, eles não têm a MENOR NOÇÃO do que é tratamento igualitário, a preconceituação e o julgamento da índole pela aparência, comportamento e vestimenta fazem parte da nossa cultura.

          O kit gay não é pra ninguém tratar gay com igualdade não, porque isso não vai acontecer tão cedo, pelos motivos que citei acima, é apenas pra ensinar que você não deve agredir, denegrir ou subjugar uma pessoa por esse fato, é o MÍNIMO que se pode fazer, e é o fazemos com os negros e o que os homens fazem com as mulheres.

          Simples, igualdade e respeito? hahaha, isso é utopia, só sua mãe te dá isso. Da sociedade, o máximo você vai ganhar é um pouquinho de tolerância (“já que eu não posso mudar, aceito…”)

  4. Eu vi alguns vídeos do suposto “kit gay” e não gostei do conteúdo…

    mas o que mais me choca são os argumentos das bancadas, evangélica e católica, que argumentam que o “kit” é “vulgar”, “imoral”…
    Não compactuo desses mesmos argumentos, pois esse argumento é péssimo, afinal educação sexual nas escolas existem a alguns anos e ninguém foi contra…leia-se educação sexual “heteroxista”.

  5. Estimados, perdoem tomar esse espaço para expressar a minha humilde contribuição: penso que “desnecessário” não seja a melhor palavra a ser posta em cena. Acredito sim, que essa forma de conscientização, pode ser feita de uma outra forma, ou seja, utilizando outros meios. O preconceito nas escolas sempre existiu, entretanto, não necessariamente focado tão somente nos gays; o “bullying” existe e também afeta a adolescentes heteros, portanto, não seria por esse lado a forma correta de questionamento. Orientar professores quanto ao respeito à diversidade sexual sim, impor o “kit” aos alunos, não. As coisas devem ser feitas de forma bem pensada. Sou da opinião que uma “overdose” de cultura gay, para cabeças ainda não tão preparadas psicologicamente para compreender as diferenças, poderia ser um tiro no escuro.

    • Carlos eu penso que sim, o seu ponto de vista deve ser levado em consideração. Acredito que os profissionais que trabalham no desenvolvimento do projeto “Escola sem homofobia” vislumbram isto. E concordo também que trabalhar a tolerância sob o diferencial entre os adolescentes, não somente quanto a sexualidade, é necessário. Contudo, atualmente, adolescentes estão mais revoltados, desorientados e incompreendidos. Eu sei! Vejo que isto (infelizmente) não vai mudar “da noite para o dia”, muito a fazer é preciso. Mas penso que acrescentar informação de forma respeitosa e orientada nas escolas é um bom começo para tratar esta questão do “diferencial”. Talvez começando pelos gays futuramente, e mais apaziguado, tratemos portadores da síndrome de Down, altistas, deficientes fisicos, mentais, estrangeiros e outros que tenham a capacidade ou necessidade mínima de ir à uma escola pública ou estadual. Eu acredito que educando a criança de hoje teremos um bom integrante da sociedade no amanhã.

  6. Clarice…
    menos hipocrisia, por favor!

    Odeio Dilmão, mas não sou ingênuo ao ponto de achar que com Marina ou Serra poderia ser diferente.

    Bom senso, please!

  7. Ia nem responder não, masssss… com todos os defeitos, pelo menos a discussão andou neam?

    Clarisse ce acha que com os outros candidatos com a faixinha purpurinada lá em Brasilia iam fazer o que? Hum? Te garanto que, no mínimo, Ensino Religioso cristão Cleycianne feelings de volta nas escolas (ah é, isso já fizeram em um monte, sorry…)

  8. Pois bem, já que vcs pregam tanto a favor do kit gay, com argumento fundamentado sobre discriminação nas escolas e bulliyng, porque então não criar o kit gordinho, o kit magrinho, o kit estranho, o kit orelhudo, o kit narigudo, entre outros…

    porque todos que são classificados diferente por uma maioria são alvos de desrespeito e discriminação…

    Justamente pela causa da homofobia ser infundada e sem argumentos sólidos, foi barrada a princípio pela Dilma os filmetes e será revogada a lei PL122/2006 que criminaliza a homofobia e transforma os gays lésbicas transesx entre outros, numa condição privilegiada entre as outras pessoas…se houvesse uma honestidade e uma moralidade respeito pelas pessoas quem criaram o projeto, talvez tivesse um caminho diferente do que estão tendo…

    creio que todos nós , heteros, gays, lésbicas, transsexuais, travestis, deveriamos todos nos juntar por uma seguinte causa, um Brasil contra Intolerância.

    Essa sim seria uma causa de efeito, pois temos que lutar contra a intolerância com o próximo, seja ele, gordo, feio, magro, gay, baixo, alto demais…

    sem ter que privilegiar nenhum tipo de raça, condição sexual…

    • Honey, o que mais tem atualmente é política anti-bullying nas escolas, de todos os tipos. então não venha com esse clichê de privilégios não

    • Cara você acha que as mulheres são “privilegiadas” pela lei Maria da Penha?? Afinal o marido tem o direito de bater na mulher quando ela merece (Não foi isso que o Bolsonaro falou a respeito do filho gay?)!

      Quem apanha na escola e acaba sendo a vítima de todo o bullying são os gays que não tem como se defender e os gordos demais, magros demais, feios demais assim como vc falou… vc acha que esse papo todo de bullying diz respeito a quem?

      A “MINHA” vida a PLC 122 não vai mudar nada, vou continuar na mesma, não vou sair por ai com uma bandeira arco-íris atacando quem é contra! Mas tem gente apanhando e morrendo por ai pura e simplesmente pela condição sexual… você acha que o racismo acabou depois que foi considerado crime? Acha que os negros foram privilegiados?

    • Realmente, Max! Realmente, -G-!
      Heterossexual não é apenas uma questão de minoria ou maioria, mas da sociedade entender e aceitar (tolerar se vc preferir) que também é constituída de gays. E assim como os demais queremos respeito, segurança, justiça e direitos sociais.

    • eu to vendo muito esse argumento de q “ah, se tem kit anti-homofobia, tem q ter tbm pra ajudar o baixinho, o negro, o gordo, o orelhudo, blablabla”.
      bem, uma pergunta: já ouviram falar de corte metodológico?

      é maaaais ou menos isso q acontece numa campanha dessas. é dificílimo criar uma campanha q abranja TODAS as formas de preconceito, de todos os tempos, ad infinitum. então o elaborador da campanha escolhe, arbitrariamente, a conduta q será abordada por essa campanha. super normal.

      por isso q, no dia da mulher, vc pode ver cartazes contra a violência doméstica (q geralmente atinge mulheres), ou contra o machismo. mas não verá cartazes contra o racismo. estes, talvez vc veja no dia da consciência negra, digamos. e nem por isso estamos dizendo q os índios devem ser menos protegidos q os negros, pq olha só, tbm temos o dia do índio! ¬¬

      e é evidente q o MEC já elaborou trocentas mil campanhas contra bullying, contra racismo, contra drogas, contra a putaquepariu toda. só q nenhuma dessas campanhas ficou conhecida na mídia, nenhuma delas sofreu distorções, nenhuma delas foi alvo de barganhas políticas da mais vil espécie.

  9. Concordo totalmente com o “Heterossexual”. Nao só escreveu corretamente, como escreveu coisas que sao realistas!
    O “kit gay” é ridículo. Vergonhoso!
    Nao é porque sou gay que virarei uma travesti. Nao é porque sou gay que tenho que ser afeminado.
    Isso pode, inclusive, causar uma imagem nao realista de alguns integrantes do mundo gay, gerando um pré-conceito de amigos e familiares – o que pode ser pior ainda.

    • O medo do outro é ser confundido com uma passiva ou trava? Calma, você pode continuar sendo gay preservando sua “masculinidade” oK?!

      Relaxa viu…

      • Pois é, G, não tem coisa que me dê mais vergonha que gays que insistem em supervalorizar a sua masculinidade tal qual os boçais machistas da década de 60. Lamentável. E isso deixa bem claro uma misoginia clara, uma vez que é ofensivo para esses gays terem qualquer comportamento feminino, porque o feminino denigre.

        Terrível ver gays falando isso, mas a ignorância nunca foi privilégio dos héteros, néam? hahaha

    • Aaaaaaaaaaaaaaaaff, nada a veeeeeer. O vídeo não mostra todos os gays como travestis ou afeminados, apenas pegam os tipos que MAIS sofrem preconceito para usar como exemplo. Se os jovens respeitarem os “extremos”, é óbvio que respeitarão os comuns, por consequência.

      Será que é tão dificil entender a diferença?

    • Meu Bom Senhor!!! Tenebroso esse comentário.
      Zona não sei qual a sua posição quanto ao homossexualismo mas a minha é que ninguém “escolhe” ser gay ou hetero. Assim como não escolhemos ser negro, caucasiano, vermelho ou do balaco baco. Se A PESSOA quer ser transformista, travesti, pão com ovo, mariamole, médica, motorista, passeador de cães, aviador, empresário, advogado ou despachante de carga DEIXA ELA colega! Se a pessoa é feliz assim, respeite! A melhor imagem que uma família ou grupo de amigos vai ter sobre um gay será aquela apresentada pelo gay envolvido na família ou grupo. Essa imagem passará a ser amplificada quando as pessoas da família ou grupo tiverem ciência de outros gays. Assim como existem diferentes heteros, existem diferentes gays. Bons e ruins. De boas imagens e imagens nem tão boas assim. Diversidade!

  10. Sim, é difícil. Vc acha que isso vai ser dito em escola? Vc realmente acha que esse seu pensamento vai ser o mesmo dos outros 99,9% da sociedade?
    E é isso mesmo o que vc disse: o feminino denigre a imagem dos gays, na minha opiniao – (vc tem a sua e eu a minha, ok?).
    Nao é necessario sair gritando pelo mundo “eu sou pintosa; meu peito é duro, caralho!”. Suas intimidades ficam com vc e seu(s) parceiro(s).
    Ah..tenho uma pergunta: quando é dito que uma pessoa é gay, logo associa-se que ela é passiva..por quê? pode reparar!

    • Pois é, é isso que é lamentável, uma vez que os gays sempre lutaram junto com as mulheres pela mesma causa: Ser considerado igual num mundo que você é subjugado.

      Sobre não ser necessário sair gritando na rua, pode não ser pra você, e você não tem nenhum direito de dizer que não é para ninguém, simples, sua obrigação é respeitar a diversidade existente também dentro do mundo gay. Esqueça essa utopia de que um dia todos os gays serão da maneira que você deseja. Utopia essa que, eu, inclusive, dispenso, ainda mais como biólogo: quanto maior a diversidade, melhor a adaptação.

      E quando é dito que uma pessoa é gay logo associa-se com passividade? Acorda, bill, você acha que a mulher heterossexual de meia idade, criada na periferia, tem alguma noção do que é ser ativo ou passivo? homossexualidade pra ela se limita a homem que dá o cu, e que é pecador por isso. Todo o conhecimeto dela é baseado na Bíblia, que diz bem claramente lá que um homem se deita com outro COMO SE FOSSE UMA MULHER, ou seja, dá.

      Portanto, por mais que você seja o nirvana da masculinidade, tão macho que faz a barba com serra elétrica, a partir do momento que você abrir a boca e disser que é gay, a sociedade vai te colocar no mesmo saco da bichinha poc poc que usa salto-alto pra ir no shopping. Não se iluda achando que você está acima de alguém em alguma hierarquia.

      • Max, pasme…mas essa idéia que gay é aquele que dá o cu é pronto, ñ faz parte apenas da dona de meia idade de periferia. Em uma conversa com uma psicologa, ela ñ sabia a diferença entre ativo e passivo.

        Não sei onde a MULÈ se formou, mas ela se atrapalhou toda com os conceitos. E olha que eu nem falei nada sobre os flexs…kkkk.

    • Eu penso que com mais conhecimento veem o melhor entendimento. O que ajuda na compreensão. Quero dizer que com o projeto “Escola sem homofobia” os adolescentes vejam que há “vários tipos” de gay, e que ser gay não é exclusivamente ser passiva.

    • vc tá dizendo q ser/parecer mulher/feminino é errado, sr zona? então qualquer mulher pode usar calça e tênis, pq parecer homem é nobre e bonito, mas um homem não pode usar saia e salto alto pq parecer mulher é imoral, é sujo? um homem não pode ousar se rebaixar ao nível de uma mulher? não pode desdenhar da posição de superioridade masculina q a natureza lhe deu?

      pff. feminino denigre a imagem dos gays. hmpf. quem denigre a sua imagem é gente machista como vc! gente q, mesmo sendo hetero, não gosta de mulher, e sim de buraco pra enfiar o pinto.

  11. Acato sua ideia integralmente! E, sobre a tal utopia (nao idealizada por mim, como vc disse), realmente nao vai ocorrer. Até acho bom, senao cairia no “mesmismo”..sabe?
    Mas é isso aí. Curti seu comentário!
    E, infelizmente, a massa vai continuar generalizando todo e qualquer “grupo”.
    =*

  12. Sou contra o tal kit.
    Acredito que se o país investir de fato em EDUCAÇÃO DE QUALIDADE o efeito a medio e longo prazo podem ser mais eficazes.
    Precisamos de cidadãos que consumam cultura e arte ao invés de gordura e celulares. Estes sim podem fazer alguma diferença.
    Sei que existem pessoas cultas e preconceituosas mas acredito que são minoria.
    Gente inteligente, culta e de mente aberta pro universo é a solução.
    Beijos!

    • uai, mas investir numa educação de qualidade não impede a realização de ações pontuais para tentar aliviar, a curto prazo, o preconceito ._.

      as pessoas veem o kit anti-homofobia como algo q vai mudar muuuito o mundo, pra pior ou pra melhor. mas gente, é só um materialzinho pra tentar orientar alguns professores de algumas escolas, e talvez alguns alunos de ensino médio. uma coisa tão simples! q mal há em tentar diminuir desde já o preconceito homofóbico, aproveitando q é um assunto em evidência? isso não impede a tentativa de melhorar a qualidade da educação em geral, não impede q haja outras campanhas para combater outras formas de preconceito.

      mas criaram todo um circo em torno de uma campanha q era pra ser tão simples!

      • Não impede de forma alguma Cristal.
        Eu vi o video e acho que não vai resolver muita coisa passar aquilo em escola alguma. Em alguns casos pode até ter o efeito contrário.
        Me responda. Qualntos gays ou lesbicas naquela faixa etária pensam como aqueles personagens? Poucos, acredito.
        E se os próprios não tem o minimo de discernimento pra entender a mensagem que é passada ali, imagina o coleguinha homofóbico.
        É muito fácil da nossa parte gritar e se revoltar pela proibição, como se fossemos muito engajados nessa ou qualquer outra causa, quando o único conhecimento que temos do assunto se limita aos posts do deputado Jean no twitter e aos textos do BC ou qualquer outro blog.

        • bem, mas a questão é q o kit não é composto apenas desses vídeos.

          quanto a eles, até eu acho q poderiam ser melhores. mais enfáticos, mostrando de forma muuuuito mais incisiva os resultados nefastos do bullying homofóbico, quantas vidas são destruidas com isso, como as pessoas sofrem por algo q muita gente pensa q é inofensivo, normal. e com entrevistas, dados científicos, coisas q demonstrassem melhor q homossexualidade não é doença e q não é certo discriminar ninguém.

      • Muito pelo contrário….

        a realidade das escolas é MUITO diferente…

        ter um material desse como auxiliar em uma aula é símbolo de uma vitória…

        nas escolas a homosexualidade é tratada, ainda, como tabu.

        Não vemos isso na educação inclusiva, nao vemos nos cursos de licenciatura e tal…

        Há uma forte pressão para que os homosuais caiam no anonimato…é como se a escola nao quisesse admitir uma realidade que está aí.. Alguns professore spossuem o péssimo hábito de achar que a escola é um ap~endice de sua casa ou igreja, e esquecem que o estado é laico.

        Estamos na fase dos cursos voltados pra afrodescendentes, surdos, alunos especiais ( deficientes) ….

        mais cedo ou mais tarde teremos que tratar dos alun2s homosexuais….é uma realidade….

        As superintendencias de educação já oferecem cursos sobre diversidade e gênero na escola….. mas queria saberqual o foco deles…..mulher? negro? o homosexual???? todos???

        • Se os outros grupos sociais historicamente oprimidos podem ter cursos voltados para o esclarecimento docente e dicente, disciplinas, nos cursos de graduação, que tratem do grupo em questão e leis específicas para inibir preconceitos, por que os homossexuais nao podem?

          é menor o preconceito? será???

          será que sofremos menos????

          Aí vem um ser e diz: ahhh, mas os homosexuais tiveram direitos garantidos, nao sofreram perda de direitos e nem exclusao social…

          aí eu falo: como nao??? quer maior violência do que não poder ser como se é? ficar fingindo? ( isso até hpje) …isso é castrar a personalidade e o gênero que a pessoa quer assumir.

          não me informei do material didático, mas é óbvio que putaria não pode ter lá…são adolescentes, e o dever da escola é falar sobre sexo e gênero sim ( tema transversal) e tirar dúvidas…nao incentivar ninguém a nada, até porque pra isso não há incentivo….pelo menos ninguém me incentivou..e to aqui.

        • O material deviater uma mensagem de diversidade, focando na laicidade do estado e que o homosexual existe e ele deve ser respeitado…

          não se deve mostrar o que fazer ou imagens que que mostrem sexo explicito ou coisas do tipo ( mesmo com desenhos).

          enfim gente, nem o video eu vi…..preguiça demais, mas as escolas deveriam ter um material, cuidadosamente elaborado, para enviar às redes escolares de ensino para auxiliar o corpo docente no TRABALHO em sala de aula.

          • Esse é o problema, 90% das pessoas que estão aqui criticando NEM VIRAM o conteúdo. Ficaram sabendo por telefone sem fio

    • Ai, cê jura?!

      E pra quando você quer isso? Daqui uns 40 anos tá bom pra você? Porque a situação está alarmante, e mais uma geração vai ser perdida pro preconceito e pra intolerância… mas você não está preocupado com isso, não tem filhos gays… mas poderá ter, e ele terá que estudar. Talvez quando, daqui uns 15 aos, algum parente mais jovem se assumir, e esses mesmos alunos de hoje, que deveriam receber o ensino anti-homofobia, mesmo que rápido, cometerem um ato de violência contra esse menino, você vai entender que esse papo de investir em educação de qualidade era falado desde a década de 70, mas nunca se fez nada a respeito.

      E aí? Qual o melhor? Estancar o sangue ou esperar o Samu chegar?

      • E um video vai mulagrosamente mudar a cabeça desses meninos como num passe de mágica?
        Todos irão se sensibilizar com as historinhas e dar as mãos numa corrente de paz e amor?
        Espera deitado.

        • Ninguémtá dizendo que vai, mas é melhor tentar alguma coisa que esperar que a educação faça alguma coisa… que aí sim vai ser esperar sentado

  13. aliás, acabo de descobrir uma informação no mínimo inusitada:

    a Dilmula (desculpem, mulas, eu sei q vcs não têm culpa…) vetou o kit anti-homofobia após ver um video q faz parte do kit, e considerá-lo inadequado para o ambiente escolar.

    agora, a surpresinha: o video q ela viu NÃO faz parte do kit anti-homofobia elaborado pelo MEC!!!

    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5150617-EI6578,00-ABGLT+Video+mostrado+a+Dilma+nao+e+do+kit+antihomofobia.html

    olha o nível da má-fé desses homofóbicos. mostraram (decerto, foi proposital) um vídeo muuuuito mais pesado, destinado a adultos, como se fosse do kit anti-homofobia, pra conseguir q a dilma o vetasse (e a isso somaram a chantagem política em troca da proteção ao palocci). e ela nem se deu ao trabalho de se informar melhor a respeito do kit, com o pessoal do MEC, pra saber se era aquilo mesmo! já foi vetando na maior cara limpa!

  14. e agora, a cereja do bolo mais indigesto dos últimos tempos:

    enquanto uma campanha contra o preconceito é atacada e vetada, Jair Bolsonaro imprime 50 mil panfletos anti-gays e os distribui em escolas.
    detalhe 1: com DINHEIRO PÚBLICO.
    detalhe 2: associando homossexualidade a pedofilia!

    >“Querem, na escola, transformar seu filho de 6 a 8 anos em homossexual. Com o falso discurso de combater a homofobia, o MEC, na verdade incentiva o homossexualismo (sic) nas escolas públicas do 1º grau e torna nossos filhos presas fáceis para pedófilos”, diz o panfleto do deputado.<

    http://www.atarde.com.br/cidadaoreporter/?p=7135

    e nessas horas o kit anti-homofobia que é o desnecessário e prejudicial…..

    • Ai eu volto a questão da educação de qualidade.
      Continue tendo um país em que a maioria é ignorante e continuaremos tendo Bolsonaros e Malafaias Brasil a fora.

      • O problema nao é só educacional.

        e educação de qualidade é relativo…

        capacidade crítica?

        apropriação de conceitos?

        capacidade de abstração?

        aí eu pergunto: Será que querem fazer cidadãos que sejam capazes de pensar???? realmente falando, isso seria bom???

        ou seria melhor fazer com que o cidadão simplesmente saiba ler e escrever ( relativamente bem), e nao tenha capacidade crítica?

      • sim, mas eu insisto: investir em educação de qualidade impede ações q visem uma redução do preconceito a curto prazo? o principal intuito do kit anti-homofobia é orientar os PROFESSORES sobre a sexualidade de seus alunos e como lidar com a diversidade deles. isso é justamente uma forma de melhorar a educação (lógico q não é a única, nem talvez a principal): ensinando certos professores com mentes atrasadas a respeitar seus alunos e coibir atos de discriminação entre eles.

        • E quem garante que isso vai reduzir o preconceito a curto prazo gata? Existe algum exemplo bem sucedido? Em que país? Estamos atirando no escuro amor, ninguém pode garantir nada a curto prazo.

          • e só pq ninguém garante q vai dar certo, não se pode TENTAR? aí sim, meu bem, eu GARANTO q as coisas continuarão do jeito q estão.

  15. Homofobia nada mais é que Bullying
    quer acabar com a homofobia acabe com o Bullying

    não tem nescessidade de fazer um curso completo de como ser homossexual ¬¬’

    se isso chegar na minha cidade vo pegar o endereço do filho da puta que elaboro isso e vo enviar de volta!!!

    • na verdade, se isso chegar na sua cidade, vc vai ver q não é nada do q está pensando 🙂

      curso completo de como ser homossexual. puf. como se fosse possível.

    • Não é curso completo de como ser gay, é curso completo de como alguns gays são, de como alguns se descobrem, pois em meio aos alunos, algum pode ter sentido aquela sensação e ter reprimido por vergonha ou por não saber o que é, mas vendo os vídeos, descobre que é normal.

      Eles não te ensinam, te explanam a situação.

  16. e outra por que ao invés de ficar investindo nesse tipo de “coisa” não investe em educação?

    temos tudo, materia prima e pessoas com interesse.
    oque falta é conhecimento pra evoluir esse pais subdesenvolvido!!!

    se não mudar isto, nosso pais será um pais subdesenvolvido até os filhos dos nossos filhos dos nossos filhos….ou para mais!

  17. Boa noite, quero me expliquem o que é homofobia. Existe homofobia em um país cheio de boates gays, revistas gays, saunas, sites gays, novelas com gays, com milhares de gays bem empregados e com alto nível de escolaridade?, gays nas escolas, meninos e meninas assumidos cada vez mais cedo, gays no carnaval, nos esportes? Éxiste homofobia de fato em um país cheio de professores, jornalistas, artistas, politicos (em menor quantidade, mas bem representativos) gays assumidos e militantes? Na minha cidade morreram em dois anos 8 homossexuais assassinados. Sabem como? Pelas mãos de heteros marginais com quem eles tinham relaçoes sexuais ou afetivas. Foram mortos por homofobia? Assim como esses 8, centenas de gays morrem do mesmo modo, ou seja, víitimas de babdidos mercenários e nao por ódio a gay. O movimento gay deveria estar preocupado em esclarecer aos gays que heteros que topam namorar gays nao estão bem intencionados. Do mesmo modo deveria fazer campanhas para diminuir a promiscuidade entre os gays, porque é impressionante como é doentia essa obsessão do gay pelo sexo, que está resultando em novas e grandes levas de soropositivos gays jovens. Com isso o movimento gay não se preocupa.Na minha cidade, Florianópolis, há praias nas quais existem trilhas para sexo grupal ao ar livre, muitas vezes sem proteçao e com o aval da própria comunidade gay. As boates sempre com garotos de programas e gogo boys, as pessoas transando nos banheiros…
    Para finalizar, que homofobia é essa que de um total de cerca de 20 milhões de gays apenas 300 sao supostamente assassinados por motivações homofóbicas? Queria poder entender tudo isso!

    • heteros com quem eles tinham relações sexuais? naonde q vc tirou esses dados?
      homofobia não é só matar ou bater em gays.

      só lembrar da segregação de negros nos EUA: havia bares para negros, lojas para negros, escolas para negros, tudo separadinho e bonitinho. era o certo? era tolerância? não era muuuito parecido com um negocinho sul-africano chamado apartheid?

      e sobre obsessão por sexo… bem. vc já ouviu falar de MICARETA? de baile funk? de swing, de troca de casais (heteros)? é, hetero tbm faz sexo, hetero tbm sabe ser promíscuo.

    • Aham Michel, dizer que não existe homofobia e usar uma justificativa ridícula dessa, pra mim, é a mesma coisa que dizer que não existe Xenofobia ou Racismo, num país onde nordestinos conquistam seu espaço nas grandes metrópoles ou negros entram em faculdades de renome.

      Me poupe, mas pergunta lá pro rapaz que levou uma lâmpada fluorescente na cara se ele tava se pegando com o babaca que fez aquilo, pergunta PRA MIM que levei uma surra em praça pública se eu tava me pegando com o otário que fez aquilo, pergunta pra travesti assassina na Augusta durante seuhorário de trabalho se ela tinha alguma relação com o grupo de marginais que mal tinham dinheiro pra comprar um cigarro, quem dirá pagar um programa pra ter a tal “relação sexual-afetiva” que você quer usar como justificativa. Você diz que o número de gays assassinados é muito menor que o número de gays total, e eu digo, QUE BOM! Mas isso jamais pode ser usado como justificativa pra dizer que não existe homofobia. São 300, mas mesmo se fosse UM GAY morto por crime de ódio, isso já caracterizaria a existência do sentimento. O problema é que no Brasil, um país que desde colônia tendeu a copiar comportamentos vanguardistas dos outros países, enquanto todo mundo evolui, a gente tenta fazer o mesmo, não consegue, e torna o preconceito algo velado, mas que às vezes se mostra mais do que deveria.

      Dizer que não existe preconceito poque existe boate gay é a maior contradição do mundo, as boates gays AINDA existem exatamente por causa da homofobia, por causa DELA houve a necessidade de segregar, de se proteger, de se esconder num ambiente só nosso pra viver nossa sexualidade.

      Sobre obsessão do GAY pelo sexo, eu não vou nem te dar confiança porque isso não procede, você quer padronizar o comportamento de um grupo diversificado, o que é um absurdo. Gays podem ter maior tendência ao sexo casual sim, mas não porque são gays, sim porque são HOMENS. E como o homem, na nossa sociedade machista, é criado com o intuito de copular mais e cada vez mais cedo, o sexo se coloca como prioridade na cabeça dos HOMENS, a diferença entre os héteros é que na relação tem uma mulher, que foi castrada socialmente e ensinada que sexo não é uma fonte de prazer, mas sim uma moeda de troca.

      Então não me venha com essas falsas-obviedades, porque eu não tenho cabeça pra falácia às 9 da manhã. Obrigado.

        • agora vc já tá querendo partir pro PLC 122? xeu dar uma explicação: o PLC 122 não trata de agressão física e assassinato. pra isso, já existem os agravantes previstos nesses casos.

          o q se pretende é evitar todas as outras formas de discriminação. coisas q acontecem com MUITA frequencia, como pessoas q são demitidas pq se assumem gays, ou não são contratadas, ou são prejudicadas na escola, ou são expulsas de bares, restaurantes, boates, shoppings, ou são vítimas de assédio moral de diversas formas.

          é isso q se tenta evitar, é isso q a lei já pune no caso do racismo, e, salvo engano, também no caso da intolerância religiosa.

          • Então gatas, please!
            Parem de usar apenas agressão e assassinatos como exemplo.
            Pra esses crimes existem punições previstas em lei.

          • Se você fosse pensar assim, não seriam necessárias leis específicas para agressão à mulher, aos negros, aos idosos. É tudo uma questão de facilitar o processo de julgamento, uma vez que já existe um padrão pré-estabelecido: Crime de ódio, e lê-se como crime de ódios quaisquer formas de agressão moral e/ou física, incluindo assassinato, mas não somente ele.

            Diferentemente de um crime de agressão moral baseada numa situação atípica, na qual haveria a necessidade de um estudo muito maior do caso, pra saber se uma das pessoas provocou, se existe falso-depoimento, se aquilo é realmente ofensivo, perguntas desnecessárias no caso do entendimento de uma agressão preconceituosa.

  18. Parabéns Izaaa,

    Ao falar em “kit gay” você está utilizando uma linguagem muito correta para informar seus leitores! Parabéns!
    Só deslizou um pouquinho quando se referiu a essa propaganda homossexual como “Escola sem homofobia”, nos bem sabemos que esse material visa transformar nossos filhos em viadinhos e bolachonas… Coisa que com certeza você não vai querer para os seus filhos quando os tiver.
    Continue assim e quem sabe não virá trabalhar comigo em Brasília.

    • Jura que existe a possibilidade de transformar alguém em viadinho? Me ensina, tô doida pra catar um bofe heterossexual lá da faculdade, vou mostrar os vídeos pra ele pra ver se tenho chance;

      Aff, ignorância + sofista = troll

  19. gay e aquele q gosta de dar o cu.e sentir fedor de bosta !pobres das camareiras de motel em dia de orgia gay!!e catinga insuportavel de bosta!chega arder o nariz de tanto fedor de bosta!camisinhas suja de sangue e bosta!

  20. O pior é que o povo está realmente pensando como o ogro acima.
    Semana passada estava no hospital aguardando me chamarem pra consulta e uma mulher soltou a seguinte pérola atraz de mim: “eu sou contra, quem quer ser gay que seja mas querer fazer os outros virar também não dá neh”
    Minha única reação foi virar lentamente a cabeça e olha-la bem nos olhos. Acho que ela entendeu.

  21. Pessoal, o kit-gay terá efeito contrário ao desejado, como os senhores e senhoras estão vendo… Outra coisa.. não há a necessidade de criar leis para proteger grupo A, B ou C, tais leis já existem, no Brasil têm lei para tudo, o problema é que não são cumpridas, exemplo disto é a Lei Maria da Penha, totalmente inócua devido o poder ineficiente da punição, se analisarem friamente, isento de paixões, no Brasil morre mais mulheres vitimas de seus companheiros do que homossexuais vitima de preconceito. Sou hétero, tenho amigos e amigas gays e eles coadunam com o meu argumento. em nosso País deve-se existir a mão pesada da punição contra àqueles que cometam qualquer ato de violência contra qualquer cidadão brasileiro ou estrangeiro, onde o culpado não terá redução de pena, terá que trabalhar e indenizar a vitima ou seus familiares devido a violência sofrida.

    • Não, seu argumento é inválido. Se a sociedade trata um grupo de maneira diferente, esse grupo deve ser tratado também pela lei diferentemente.

      Os motivos que desencadeiam uma agressão a um heterossexual na maioria absoluta das vezes não são os mesmos quando se trata de um homossexual. E são nessas exceções que a lei deve se pautar, como se pautou quando foi criada a Lei do Racismo: inspirada no problema alarmante da agressão contra negros, mas que desde o seu início sempre protegeu também os brancos e orientais, do mesmo modo a lei anti-homofobia criminaliza QUALQUER manifestação de preconceito contra QUALQUER sexualidade, ou seja, apesar da lei ser voltada para os gays, protegerá também as outras sexualidades, por mais que 99% dos crimes de ódio sejam cometidos contra homossexuais.

      Então, não existe essa de lei que proteja grupo A ou B, porque não se está protegendo um grupo, se está protegendo toda a sociedade do preconceito, seja ele contra qual sexualidade for.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s