6 mil escolas públicas receberão kit anti-homofobia no 2º semestre


Uooow, depois de algumas semanas ”so far away”, finalmente estou terminando de acertar as coisas e voltarei a postar novamente. Agora nova moradora de Vila Velha, ainda estou me acostumando com a correria da cidade grande e as responsabilidades da vida solitária. Estava na faculdade quando fiquei por dentro deste assunto e trouxe pro BC, a fim de esclarecer para quem ainda está meio perdido…

O QUE É?

O programa do governo intitulado “Escola sem Homofobia”, pretende distribuir para os alunos do ensino médio, um kit escolar contendo vídeos e cartilhas sobre orientação sexual. O material tem por objetivo, ensinar a tolerância à diferenças e evitar futuras agressões a jovens homossexuais. O kit é composto por cinco vídeos, caderno com orientações para professores, uma carta para o diretor da escola, cartazes de divulgação nos murais do colégio e seis boletins para distribuição aos alunos em sala de aula. A ideia é que o material sirva como guia para discussões sobre as diferenças de sexo, a discriminação contra mulheres e gays e a descoberta da sexualidade na adolescência. Três dos vídeos já foram disponibilizados na internet, são histórias sobre um menino que percebe estar apaixonado por um colega, uma mãe que descobre que o filho gosta de brincar de bonecas e de uma jovem travesti na escola.

A POLÊMICA

O material, chamado pelos conservadores de “kit gay”, virou polêmica no Congresso Nacional, depois que alguns deputados argumentaram que ele estimularia a prática homossexual entre os adolescentes. O grupo liderado por (adivinha quem?) Jair Bolsonaro, busca apoio da sociedade contra a distribuição do material. Nesta semana, Bolsonaro (pois me recuso a chamar este ser de deputado) deve levar aos gabinetes 10 mil panfletos atacando o material anti-homofobia. “Ninguém aqui é contra o homossexual, cada um faz o que quer com seu corpo. O que não pode é levar isso para as escolas.” – diz o deputado.

A LINHA DE DEFESA

Jean Wyllys, um dos parlamentares a frente do movimento gay no Congresso, diz que “o material usa a educação para inibir as agressões a alunos perseguidos nas escolas. Para o kit ganhar apoio da sociedade, é preciso esclarecer as pessoas.  O projeto valoriza a vida humana, o respeito à dignidade do outro. Se a gente pudesse apresentar para a sociedade os danos causados pelo bullying, se pudesse ter acesso a todos os crimes praticados, lesões corporais, violência, ela [a sociedade] não iria ser contra, porque estaria protegendo os seus próprios filhos.” – afirma o deputado

CONCLUSÃO

Não, não é um kit gay! Trata-se de um conjunto de instrumentos didático-pedagógicos que visam à desconstrução de imagens estereotipadas sobre lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e para o convívio democrático com a diferença. Ou seja, o material serve para a desmistificação do universo gay. Muito do preconceito e intolerância é pura falta de conhecimento, os vídeos com pequenos recortes do dia-a-dia do jovem homossexual aproxima e facilita a convivência. É claro que esta ferramenta deve ser muito bem elaborada e revisada, para que não entregue a sociedade informações errôneas acerca do tema.

Na faculdade, tive que ouvir uma orgulhosa evangélica dissertar sobre a indecência de mostrar um vídeo com duas “sapatonas” se beijando para crianças. “Ela até respeita, mas não acha que o “kit gay” ajude na aceitação dos homossexuais.” Primeiro, se ela usa o termo sapatonas, pra mim o respeito já passou longe e segundo que ao contrário do que a gente pensa, os adolecentes tem uma cabeça muito mais aberta pra esse tipo de assunto, que muito adulto pelo Brasil a fora. Acredito sim, que seja útil a iniciativa e creio que se realmente acontecer, o país tem muito a ganhar.


15 comentários sobre “6 mil escolas públicas receberão kit anti-homofobia no 2º semestre

  1. Esse dePUTAdo(?) aí ainda não percebeu que o mote do programa “Escola sem Homofobia” é um esforço de todos para inibir a formação, na escola, de pequenos Bolsonaros.

    Considero esse material um passo muito importante para o desenvolvimento social do Brasil. É uma ação que, confesso, nunca tinha visto antes. Bastante pontual e que pretende atacar direto o problema. Só o que me preocupa é a aplicação de todo esse material. Temos professores preparados intectoculturalmente nas escolas públicas para um trabalho realmente eficaz? Temo nadar, nadar, nadar e morrer na praia.

    Izaaa, você sabe dizer se todas as escolas públicas receberão, até as federais?

    Ainda sobre esse assunto, tem um projeto bem legal também chamado “Tecendo Gênero e Diversidade Sexual nos Currículos da Educação Infantil”, coordenado pela professora da Ufla (Lavra), o site do projeto é http://www.abr.io/tecendo

    Com tantas ações interessantes para, a começar pela escola, promover a tolerância e o respeito, uso Lulu Santos para concretizar minha esperança: “Eu vejo um novo começo de era de gente fina, elegante e sincero. Com habilidade pra dizer mais ‘sim’ do que ‘não'”

    • Creio que sim. Lembrando que o material só será distribuído p/ alunos do EM e a maioria de escolas de Ensino Médio são responsabilidade do Governo Federal.

      • Izaaa, se eu não me engano, a Educação Básica é de responsabilidade do município; o Ensino Médio, do estado (que também pode, se for necessário, assumir o Ensino Básico) e à federação cabe o Ensino Técnico. Dá uma olhada.

        • Sabia q devia ter prestado mais a atenção nas aulas de fundamentos sócio-filosóficos da educação…

          * e a maioria de escolas de Ensino Médio são responsabilidade do Governo Estadual.

          Confundi as bolebas todas.. kkkk

          Agora sim entendi a pergunta, mas não achei nada a respeito! rs

  2. Cara eu sinto asco quando vejo esse cara na Tv, que ser repugnante e desprezível, ele pegou os panfletos e colocou uma mensagem em vermelho escrito :”Querem transformar seu filho em homosexual”.

    Outro dia fiquei sabendo qde um colega que discutiu com uma amiga minha pois ele acha que homosexualismo é “coisa de criação”, ele tem oq?17 18 anos… Fico pasmo como algumas pessoas ainda vivem no período paleolídico.

  3. Ninguém aqui é contra o homossexual, cada um faz o que quer com seu corpo. O que não pode é levar isso para as escolas.”

    GENTE…MAS OS GAYS JÁ ESTÃO NAS ESCOLAS……AFF…NÓS ESTAMOS ALI HÁ UM TEMPÃO, PORQUE NÃO DISTRTIBUIR INFORMAÇÕES SOBRE O TEMA?

    ESSE PESSOAL QUER SE ENGANAR.

    É MOLE?

  4. E JÁ ESTÁ MAIS QUE NA HORA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA ENTRAR NESSA LUTA TB.

    E MAIS…ISSO VAI DAR PANO PRA MANGA VIU……PQ ALGUNS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO AINDA ACHAM QUE AS INSTITUIÇÕES SÃO RELIGIOSAS E/OU UM APÊNDICE DE SUA PRÓPRIA CASA…..

    MUDANÇA NOS CURSOS DE LICENCIATURA ( PRINCIPALMENTE NOS DE PEDAGOGIA) JÁ!

    E, DE PREFERÊNCIA, COM DISCIPLINAS DE ANTROPOLOGIA, CURRICULO QUEER, EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE E LAICIDADE DO ESTADO….

    … PORQUE TÁ TENSO.

  5. eu acho que a dilma tem que tomar vergonha na cara e respeitar a populaçao que colocou ela lá nao foi pra ela ensentivar essa falta de respeito para com os brasileiro nós temos é que tirá essa pessa estragada que entrou para aruinar mais á educaçao de nossos filhos okkk

  6. Eu sou mãe e não concordo com esse kit.,mesmo sendo educadora. O conteudo está muito tendencioso , isso não acaba com preconceito, torna iguais, apesar de ser negra e haver sofrido e sofrer ATÉ HOJE DISCRIMINAÇÃO, EDUCAÇÃO SE APRENDE EM CASA. Ninguem consultou meus filhos pra saber se eles queriam assistir tal videos. Já os instrui como a outros pais ELES NÃO serão obrigados assistir isso. São MENINOS que em breve serão HOMENS, escolha é pra profição, moradia, transporte, escola, bairro etc IDENTIDADE SEXUAL JÁ SE NASCE COM ELA, o que muda são as influencias do caminho. NINGUEM nasce gay ESCOLHE SER gay. Assumir isso é um grande passo para se sentir bem consigo mesmo, ter RESPEITO proprio, e se fazer RESPEITADO

  7. Acho totalmente desnecessário esse kit, uma vez que nossas crianças necessitam de uma educação de qualidade e segurança. Existem providências mais urgentes para priorizar neste país, e acredito que o caminho para que essas crianças respeitem umas as outras com relação ao credo, raça e opção sexual, seja uma melhoria no ensino, maior autoridade ao professor, trabalhar a questão da estrutura familiar, valores e moral. Infelizmente essas questões estão sendo deixadas de lado, dando prioridade ao homosexualismo…. senhores, vocês acreditam realmente que isto será positivo????

  8. Acredito q esse material será mais um motivo de bulling ,devido a exposição do assunto pessoal ,em lhe é tratado de maneira em q reforça o diferente, como o preconceito racial que é sempre tão defendido e priorizado como se a raça negra fosse incapaz de intectualmente ser aprovado em uma faculdade federal ,acho isso um reforço do diferente.

    QUALQUER UM Q SE DIFERENCIA DEVE TER O MINIMO DE SABEDORIA E RESPEITO PARA NÃO DESTOAR DOS DEMAIS EM LUGARES PUBLICOS E DEIXAR O PESSOAL APARECER EM LUGARES PRIVADOS E FREGUENTADOS PELOS MESMOS .

    MARÍLIA MENDES

    PSICOPEDAGOGA

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s