Travesti é assassinada a facadas no meio da rua no interior da Paraíba


O crime aconteceu na cidade de Campina Grande, interior da Paraíba. As imagens das câmeras de trânsito, são da madrugada de sexta-feira, dia 15, mas só foram divulgadas agora. Num crime bárbaro e covarde, a vítima, uma travesti de 24 anos, foi assassinada no meio da rua a facadas por um grupo de jovens.

Um grupo de pessoas conversava na calçada, quando um carro escuro se aproximou e parou,  três homens desceram e começaram a perseguição a Daniel de Oliveira. As imagens de outra câmera mostram o momento em que a vítima é derrubada. No chão, ele é agredido pelos três homens, leva chutes e socos. Um deles começa a esfaquear Daniel, que já está morto, mas continua recebendo facadas. São mais de 30 golpes, inclusive é possível ver o rastro de sangue na calçada.

Na hora do crime, algumas pessoas passam pela rua em carros e motos. Um quarto homem dá ré no carro, e os três rapazes entram no veículo e fogem. A Polícia Civil da Paraíba disse que já identificou os assassinos. Um deles já foi preso e um menor, apreendido.

Em coletiva na manhã de hoje, a Polícia Civil revelou que o menor apreendido afirmou que foi o mentor do crime, ele assumiu a autoria do assassinato, porém a polícia acredita que o comerciante Antônio Pereira da Silva (conhecido como Naldo) pode ter ajudado a esfaquear a travesti. O assassinato teria acontecido por que o menor queria se vingar de Daniel, já que a travesti teria roubado R$ 800 do menor cinco dias antes num agenciamento de um programa com uma prostituta, que estava acompanhada por Daniel.

“Não há nenhum vestígio de que o crime tenha sido planejado pelo fato da vítima ser homossexual”, informou a delegada que questionou o menor porque ele não procurou a Polícia e prestou queixa. “Ele disse que queria se vingar”, disse Cassandra. Ainda segundo a Polícia Civil, o menor e a vítima se conheciam e já teriam morado na mesma rua. O adolescente sabia onde o travesti trabalhava. De acordo com a família de Daniel, ele revelou que estava sendo perseguido nos últimos dias por um carro preto. O jovem se prostituía três vezes por semana, desde os 16 anos de idade na rua João Pessoa, no Centro.

O acusado foi encaminhado para um abrigo provisório em Campina Grande, já o comerciante, que negou ter participado do crime, teve mandado de prisão preventiva expedido, foi indiciado por homicídio e será transferido ainda hoje para o Presídio do Serrotão, onde aguardará a finalização das investigações. Outras duas pessoas que aparecem nas imagens do crime veiculadas pela TV Globo nesta segunda-feira em rede nacional, ainda são procuradas pela Polícia Civil. Eles foram identificados apenas pelos pré-nomes, que não foram revelados

9 comentários sobre “Travesti é assassinada a facadas no meio da rua no interior da Paraíba

  1. Vi essa reportagem no Bom Dia Brasil de hoje. Esses idiotas são, além de tudo, covardes, pois só atuam em bando. Nunca são corajosos quando estão sozinhos ou desarmados.

  2. A sociedade brasileira está caminhando para uma crise de intolerância à comunidade homossexual de todo gênero, e nós como desunidos que somos temos a capacidade de abaixar a cabeça e nos limitarmos a dizer que respeitamos a pessoa quando ofendida, nunca se vê ninguém apoiar, defender ou qualquer manifestação de descontentamento além de uma ausência cruel de força para lutar pela sua condição de humano.

    Se bem que a “manifestação gay” que temos é uma “parada gay” aonde as pessoas vão somente para “pegar” e beber, servido de bobos da corte para uma categoria heterossexual que acompanha falando que gay é engraçado, é divertido, Póraaaamm, que tipo de gay que somos nós?
    Aqueles que ainda levam porrada na cara e abaixam a cabeça, assim, logo a sociedade chegará a extremos e quando vamos fazer algo?
    Quando o extremo acontecer conosco? Porque com o outro pouco nos importa o que queremos mesmo é rir da cara da pintosa sendo zuada pelos “Hts”, VALHAM-NAS DE ORGULHO, POIS ELAS TÊM A CORAGEM DE ENFRENTAR AS PEDRADAS POR TODOS OS COVARDES.

    A comunidade gay não é uma comunidade de verdade, ainda não, é apenas a reunião de um monte de bicha, sapa e etc. (o que é muito diferente de gay) para tricotar e falar mal umas das outras.

    O que ocorreu nesse jogo é reflexo de nossa omissão em ter orgulho próprio, de enfrentar as circunstancias, de fazer acontecer à realidade do gay como igual, de REALIZAR o que idealizamos para nós mesmos e para o bem da comunidade gay em geral.

  3. Óbvio que o menor levaria a culpa. Aliás, já deve até estar solto.

    Independente de ser pelo calote ou pela sexualidade, é triste ver que tudo virou motivo pra você esfaquear uma pessoa assim, no meio da rua.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s