“Ai, quero assumir, como faço?”


"Mãe, tenho uma coisa pra te contar."

Muito interessante a entrevista que a especialsta Edith Modesto concedeu a revista Junior. Nela ela dá dicas pra aqueles que querem sair do armário e querem fazer da forma mais tranquila possível. Em especial, coisas que a mãe deve saber para aceitar melhor a situação, cata:

a) Garanta a ela, em primeiro lugar, que ser homossexual (LGBT) não é uma escolha, é uma condição natural do ser humano, como ser heterossexual.
b) Como as mães adoram se sentir amadas, diga que a ama e jamais escolheria causar-lhe qualquer desgosto.
c) Como as mães gostam de se sentirem necessárias, diga que precisa muito do apoio dela, o que não é mentira.
d) Você também pode garantir que ela não teve culpa de nada, já que é uma condição natural e espontânea.

Legal, né? Lembrando sempre que não há receita de bolo e cada caso é um caso. De qualquer forma, o que ela diz pode ajudar a cada um a pensar em sua própria situação, não é mesmo?

Leia a entrevista completa bem aqui que tem muitas outras dicas importantes.

19 comentários sobre ““Ai, quero assumir, como faço?”

  1. AI VOU CONTAR COMO FOI COMIGO…
    CHEGUEI EM CASA DOIDO E DISSE: MÃO PRECISO TE CONTAR UMA COISA,MAS NÃO SEI COMO.

    ELA RESPONDEU: VOCÊ QUER ME CONTAR QUE É VIADO? ISSO EU JÁ SABIA!

    EU: BOM NÃO IA DIZER VIADO,MAS ERA ISSO MESMO.

    ELA: OK! AQUI O QUE VOCÊ QUER QUE EU FAÇA PRO ALMOÇO?

    SUPER TRAUMATICO…KKKK

  2. Me assumi com quatorze anos ( até porque nao dava pra disfarçar), mas como, desde aquela época, eu já sabia que as pessoas adoram se enganar, resolvi falar mesmo e pronto.

    Como eu era um adolescente rebelde, foi fácil….só mandava todo mundo tomar no cu e pronto. 🙂

    aí eles foram achando que eu era o gay natural, ou seja, aquele ser que nasceu para ser mulher…..acreditam nisso????

    até hoje eles dizem que eu sempre dei pinta de vinhado e que eu nasci assim…atribuem uma visão essencialista em mim….saca…e, dessa forma, eu não sou culpado….

    …eles me aceitam agora….e mesmo se nao me aceitassem, to nem aí pois meu corpo “[…] custou 8 mil reais na Itália” (PENOSA, 2010).

    HAHAha.

    Mas tem um parente meu ( gay), que eles olham meio torto, pois segundo meus parentes, ele nao seria gay desde o nascimento, o que é errado pois eu sempre soube e ele nunca escondeu isso de mim ( nem poderia).

  3. Na verdade eu não escondo de ninguém, se me perguntarem eu falo numa boa…. o problema é que nunca me perguntam, eu até gostaria que me perguntassem, acho que seria “mais natural”…
    Eu contei pra alguns amigos e amigas, mas não vejo necessidade disso…
    todo mundo sempre fala dessa “tal conversa” com os pais e eu não consigo encarar dessa maneira, p/ mim parece que ter essa “conversa”(que mais parece uma confissão) seria como “assinar” uma termo de culpa, como se a homossexualidade fosse errado…
    mas aí vem o problema, o fato de eu não assumir pode causar certas surpresas desagradáveis, de acordo com o ponto de vista da família…

    Já pensou eu não falar nada, e chegar no Natal na hora do Peru, eu apresentar o “Paulão” pra todo mundo?? hahahahahahahaha

    obs: não tenho nenhum Paulão na minha vida, que fique bem claro….KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  4. Essa questão de “se assumir” (oi?) é mto complexa… cmgo só não foi traumático pq eu já superei, mas foi aquele velho clichê “Ai meu Deus você precisa de tratamento psicológico, veio pra Vitória tá andando com gays e acha normal” e etc etc!

    Quando cairam na real que desde criança já tinha “atitudes suspeitas” como não jogar futebol, fazer arranjo de flores, fazer curso de pintura com minha mãe e ser o aluno mais elogiado, belíssimas esculturas em biscuit… uhauahuahu

    Exceto meus avós e meu pai, todos já sabem, e aceitam numa boa, finalmente passei num concurso esse ano com um salário maior que o de todos lá em casa (bixa má) vou conseguir minha independência financeira pra morar com meu namorado (futuro marido)… e já é visível como a “aceitação” melhorou bastante! Todo mundo entendeu que não mudei porra nenhuma e se ficarem de palhaçada eu simplesmente me afasto…

    Quem sabe que não vai ter apoio dos pais/irmãos/amigos a melhor opção é aguardar um pouco, ninguém vai mudar e ficar com peninha de você, sua vida vai virar um inferno… mas se vc sabe que a família é de boa, vá em frente, viver livre e sem mentiras é perfeito… enfim, minha experiência!

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s