Sobre a Parada Gay de Viana


Como todas que foram viram, Max estava lá cagadíssima de bêbada e de calor.

Cheguei em Viana por volta das 4 da tarde, pois peguei o vôo no aeroporto às 13 horas. Demorei um pouco para me acostumar com o fuso horário e clima diferenciados dessa região do continente.

Inclusive, estou chocado com a potência dos celulares dos funkeiros no ônibus, tão alto, mas tão alto que barrava competição de pick-ups sonoras.

Comprei uma Brahma e segui o primeiro trio que vi pela frente, muito axé, muita Dalila e logo fiquei bêbada… Catei uma mulher, peguei um carinha pelo caminho e no fim do dia já estava com o rímel todo borrado. Anoiteceu.

Entrei no primeiro banheirón que vi e já retoquei a make para um visual mais noturno e misterioso. A Parada Gay começou… ao som de Born This Way. Muita pinta, muita gente bonita e muito respeito.

Mas não é dessa parte típica que quero falar, afinal, as Prefeituras estão arrasando ultimamente na produção de eventos para a causa LGBT, policiamento excepcional e pouquíssimos casos de violência.

Problemas sempre acontecem e acidentes de percurso são comuns, mas a falta de um discurso digno não é fatalidade, é problema na produção. Foi o seguinte: Colocaram uma drag queen para discursar, até imagino porque, eu sei que as senhoras gostam mesmo de uma putaria, mas Parada Gay não é só isso, ou pelo menos não deveria ser.

O ruim foi que a tal drag mal sabia o que dizer, não a vi falar sobre a criminalização da homofobia e não a vi falando sobre a atual situação da União Homossexual no Congresso. Limitou-se a falar sobre as estatísticas de violência contra gays em Viana, brincar com o público, gongar as bills mais espalhafatosas e ser caricata.

Não estou reclamando disso, longe de mim, quem me conhece sabe o quanto A-DO-RO show de drag e que meu sonho dourado é ter nascido com esse dom do entretenimento. Entretanto, se você determina que o evento é uma Parada Gay, você deve SIM garantir um discurso sobre a violência contra homossexuais, cidadania, direitos civis, casamento gay e tudo que envolve esse público… é chato de ouvir? É! Mas é essa a essência da Parada Gay, afinal, engana-se quem acha que a parada serve somente para “mostrar ao mundo que os gays existem”, todo mundo sabe que os gays existem, elas são BEM visíveis (se é que vocês me entendem). A parada serve mesmo pra mostrar pra quem não é gay (a maioria) que todos devem ser tratados igualmente, sem limitação de direitos. Se você não respeita isso, transforma o evento numa micareta de bate-cabelo.

Por fim, parabenizo a Prefeitura de Viana, e todos os envolvidos, pela iniciativa. E, ah! Ângela Jackson, a senhora QUEBROU O CARALHO TODO, arrasou mais uma vez!

11 comentários sobre “Sobre a Parada Gay de Viana

  1. Olá, Max. Concordo plenamento com tudo o que você diz. Infelizmente, quase sempre a presença nas Paradas Gays significa tão somente dar pinta, fechação, dar close. O sentido real do evento fica perdido. Há que se ter um planejamento e preparo para levar a verdadeira mensagem a quem assiste ao desfile. São assuntos super importantes para todos nós. Forte abraço!

  2. Faltou Coisa pra ser Dita msm!
    e Faltou tbm Lembrar dos outros.
    Na hora de pedir apoio todo mundo pede, mas na hora de lembrar e agradeçer, kd??
    Tirando a menção ao site da Ângela Jackson dizendo que o site dela É A MAIOR referência do estado sobre a causa LGBT!
    que porra de site é esse?!

  3. Beesha adorei esse post… gargalhei horrores aqui… vc precisa tirar foto dessas coisas, fazer uma edição bem loka e postar junto! Ia ficar um ahazzo

  4. Max Sapatão! Não quero pegar vc de novo com raiva, quase peguei a cerveja e joguei na sua cara pra vc se acalmar!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Bjs
    Temia um post mais ácido!
    Masssssssss..

  5. Sobre o evento de Viana,
    Gostaria de lembrar que não se tratava de Parada Gay ou Manifesto LGBT.
    O que aconteceu foi o desfile do Bloco Eletrônico Arco-Íris, como parte da programação do carnaval de Viana, não tendo nenhum carater de militância LGBT.
    Tanto a Miss Linda, como Eu (Angela Jackson) fomos contratadas para animar o evento, por isso o ton caricato que usamos.

    Para quem não se lembra, bem antes da frebe de blogs que vivemos hoje, eu mantinha um site (www.angelajackson.net) que foi a maior referência gay do ES. O site deve duração de 4 anos e infelizmente eu tive que encerrar sua atividade devido a minha falta de tempo para enviar as atualizações.

    Obrigada pelo elogio em relação a minha apresentação. Infelizmente o som e a iluminação não colaboraram muito e achei que o show ficou bem abaixo do meu padrão (até mesmo a Loalwa Brás fez uma apresentação fraca devido a falta de estrutura).

    Um beijo para todos que curtem o meu trabalho e um abraço para aqueles que não curtem.

    Espero vocês nos próximos eventos.

  6. Realmente ñ sei da onde surgiu q era parada gay…Mas a Max ta certa em relaçao a uma parada gay..fato!!
    Era so mais um bloco de rua no carnaval..e como a titia Angela disse…a organização pecou infelizmente…mas até foi legal.. a Angela arraza mesmo…

    ps: “SENA” mas babadeira pr mim foi aqle povo todo saindo da igreja matriz, e se deparando com as raxas e os gogoboys( la em baixo do trio so se ouvia..so tem saco) em cima de um trio e um bando de viado…se axa q eles foram embora

    e tenho q comentar qen é q escolhe os “policia” de viana sede…so gato e gostoso…fiqei toda umida

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s