Utilidade Pública – Bar da Rosa


Tenho recebido muitas críticas em relação ao Bar da Rosa, situado em Coqueiral de Itaparica, ao lado do supermercado Carone, em Vila Velha. 5 CASAIS vieram até mim reclamando da retaliação da dona do bar diante de demonstrações de homoafetividade.

O Bar da Rosa existe desde quando eu era criança, acho até que desde quando a Lúcifer era criança, e sempre foi famoso por ser um bar GLS, entretanto, também sempre foi famoso por não permitir demonstração de homoafetividade. Aí você pergunta: “Mas por que, Max?”.

Então, o Bar da Rosa fica na esquina, é bastante exposto e susceptível a qualquer ataque homofóbico. Impedir demonstrações de afeto entre pessoas do mesmo sexo é uma maneira de evitar possíveis “acidentes”, ainda mais agora que Vitorinha foi considerada a capital mais homofóbica do país.

Entretanto, as pessoas que vieram me procurar não reclamaram disso, mas sim do modo como ela aborda os clientes quando acontece, segundo eles, “de maneira rude e arrogante, como se ela fosse uma autoridade”.

Okay, não é defendendo a Rosa ou sendo parcial, mas TODO MUNDO que vai lá SABE que não pode e SABE o motivo, então por que insistem?

Já é senso comum: A Rosa é um bar que se tornou 100% GLS a partir do momento que ela pintou o orelhão de rosa. As pessoas relacionavam o orelhão rosa à feminilidade, as gays achavam um luxo e fizeram dali um point. Mas no fim das contas ela só pintou por causa do nome do bar. Até porque seria loucura criar um bar gay na CARA da sociedade.

Então, galerinha, não arrumem confusão por causa disso. Tá com seu namorado? Quer beijar? Vá pra outro bar mais afastado, mesmo hétero, eles não vão ligar. Se quiser permanecer, beleza, você não vai morrer se ficar 2 horas sem dar um beijo no seu boy, néam? E entendam, ela tem que avisar A MESMA coisa pra dezenas de pessoas que, diariamente, não compreendem o motivo da proibição e cometem o erro, daí a arrogância. Nem todo mundo é educado como você e tudo que é demais, cansa e estressa.

P.S.: Lembrando que não estou dizendo que o motivo desmerece os danos morais causados pelo comportamento arrogante, a repressão continua sendo crime. Apenas estou tentando mostrar uma alternativa para evitar a situação.

UPDATE: Diante do descontentamento de alguns sobre a minha opinião em relação ao assunto, e eu sabia que isso ia acontecer, explicarei melhor o motivo:

Eu sei que vocês esperavam que eu esbravejasse contra a Rosa, mas vocês têm que entender que o Max não pode falar pelo nome do blog.

A minha opinião todo mundo já sabe, adoro um bafão, sei meus direitos de cor e não estou esperando à toa meu processo na justiça. Mas, como disse em resposta ao Jeanzudo nos comentários, não é a minha função finalizar discussões, mas sim propô-las. Ainda mais com o poder de influência que o Babado Certo tem, temos que tomar muito cuidado.

A PRÓPRIA situação é um paradoxo, afinal, é um bar gay que não pode beijar, já é confuso e ilógico a partir daí. Imagine escolher um lado.

E NÃO, não é questão de coleguismo, é questão da responsabilidade que eu tenho caso promova “motins” contra alguém.

Então, espero que agora tenham entendido, e leiam post mais de uma vez pra observar que eu tanto critico a rispidez da proprietária quanto tento explicar o porquê. A gente tem que ser advogado do diabo de vez em quando e, mesmo a contragosto, propor maneiras de apaziguar brigas que estão isoladas ao fato, mas possuem uma longa história de luta contra a homofobia que na hora de discutir ninguém se lembra.

85 comentários sobre “Utilidade Pública – Bar da Rosa

  1. Qual a fonte que é a capital mais homofóbica do país? Vão falar “ONU”, mas já procurei pela pesquisa publicada e nada encontrei.

  2. Eu sou fã do Bar da Rosa.
    Lá tem a melhor batata frita do ES, FATO.
    O que as pessoas também tem que considerar é que lá é um bar. Muitos vão lá apenas para conversar, ocupando mesa, cadeiras e a paciência da Rosa e não consomem nem um água.
    Já ouvi muitos relatos da grosseria da dona do estabelecimento mas não posso falar nada porque sempre fui muito bem tratada, mesmo estando mondada.

  3. AI VINHADO ADORA ARRUMAR CONFUSÃO COM TUU-DOO…
    QUER SAIR BEIJANDO O BOFE PRA MATAR AS AMIGAS DE INVEJA? VAI PRA LAMA,LÁ É A REGIÃO MAIS GAY DE VITORINHA…FATO!!!

    BJO MUAH :*

  4. nossa , ja deixei de frequentar esse bar há anos, eu não do conta daquela mulher, super grossa, sem sal, não sabe atender e não faz questão de atender, enfim, horrível aquele bar.

  5. Passei por esta situação domingo passado. O fato é que o que ela faz é crime capitulado do art. 140 do código penal brasileiro in verbis:
    Injúria
    Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
    Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

    Art. 141 – As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:

    III – na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia,
    da difamação ou da injúria.

    Assim, a conduta da proprietária do bar é discriminatória e gera a devida reparação pelos danos morais causados pelo constrangimento. As pessoas que forem lesadas neste direito devem processar a proprietária para que ela não continue a praticar tal ato sob a desculpa de estar ” evitando problemas” o que revela somente o quanto o raciocínio dela está equivocado ao proibir demonstrações de afeto em seu bar. Este argumento esconde na verdade o critério de conveniência pessoal em detrimento do bem maior e fora do alcance dela que é o da livre manifestação de afeto que as pessoas possuem que é direito fundamental da República. Beijar o seu namorado ou namorada não é proibido nem nunca será. Sequer o Estado pode proibiur isto. Muito menos uma simples proprietária de bar.
    Aqueles que se sentirem lesados e passaram por este constrangimento podem, também, informar ao Ministério Público para que este tome as devidas providências. Ou , caso julgue conveniente podem acionar a polícia que conduzirá ela até a delegacia e ela assinará um termo circunstanciado se comprometendo a comparecer ao juizado assim tos as vezes que for chamada.

    Não abdiquem de seus direitos jamais. Não concordem com a intolerância e a estupidez porque é justamente assim que ela se alastra.

    grato pela atenção!

    • Esses comportamentos xiitas me irritam…

      Mamãe ja dizia ke não devemos levar tudo “a ferro e fogo”,
      se fosse assim, viveriamos entrando e saindo de tribunais e abarrotariamos os mesmos de mais e mais processos.
      Alem doque, processar a Rosa é o mesmo ke dar um tiro no pé.

      Mas deixa seu tel, se eu precisar de um advogado, eu ja sei pra kem ligar.

    • Engraçado. Se uma besha beija no Shops, na doceria Ofner, na universidade, na Puta q pariu e é reprimida, todo mundo faz alvoroço e logo se organiza um “beijaço”, além do processo judicial.
      Por que nao se pode fazer isso no bar da Rosa ??? Lá é um ambiente gay, deveria mais que apoiar e nao proibir.
      Tá bom gatas, o bar é no meio da cidade – deveria ser em gueto, né? – e isso choca a sociedade. Mas nao temos uma parada gay a cada semana e as beshas se beijam toda hora, sem falar nas Senas de Seksu durante a parada gay ??
      A maX_Xam mesmo disse q sexo é natural – e é ! Beijar, entao, nem se fala. Tem q beijar mesmo para cair na banalidade, naturalidade. Qdo mais a sociedade ver os gays se beijando menos chocada ficará e mais natural será.
      O ato dela da a entender o seguinte: ” porra, já tenho q aguentar esse viadeiro no meu bar, tenho q ficar vendo sacudo se beijando ? MinhaXana ein.”
      Um beijo pra quem tem coragi de beijar em público. Super apoio.

        • Já estive no bar da rosa, não gostei. Concordo que ela é grossa, não sabe antender e têm mais:

          Lembrando sobre o post da PLC 122/2006 que uma das propostas da lei que esta para ser arquivada é justamente contra a proibição de demonstração homoafetiva em “bares” e afins.

          Outra independente de o bar ficar na cara do povo, de vitorinha se a cidade mais homofóbica, se o medo é motivo pra ficar se escondendo, amigas! Corra na loja de móveis mais próxima e comprem um armário em um dos saldões de natal e se esconde dentro.

          Veja se eu deixar de ser eu mesmo por medo eu não vou viver, vou virar uma enrustida. Acho justo que o certo é lutar pelos nosso direitos e ponto e concordo sim com o amigo que disse que se é em lugares como faculdades e afins organizam logo um protesto, um beijaço, agora na Rosa?

          Decepcionei. Tantas foram as vezes que o blog veio defender a liberdade de expressão.

          Enfim… Te adoro Max, mas, discordo.

    • KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      Lá é um cú, a cara dela é um ku e lá não se pode beijar por que as bixas velhas que vão, ficam só na chupação de dedo, meu ku pra aquela nojenta do kão….

  6. Gente, PELAMORDIDEUS, esqueçam a Rosa.
    O atendimento é horrível, mesmo sem nunca ter beijado na boca lá. Ah! Batata frita engorda, taí a Sra. Jackson como exemplo. Ehehe! Pegay pesado? Calúnia, difamação, injúria. Deixa a Rosa comigo…
    Até parece! Não vou naquele lugar mesmo.

  7. Sempre fui bem tratado lá mas nao concordo com o argumento e me admira muito a max falar isso, consisderando o fato de ter sido vitma de homofobia no triangulo.
    Quer dizer que quem quiser bjar tem que ir pra um lugar afastado e deserto. morri!
    Esperava esse texto de mim, nunca da senhora besha.

  8. fiquei indignado com esse post. foi mesmo a max que escreveu?
    eu li de novo agora à noite pra ver se não tinha entendido errado… mas é isso mesmo então
    já fui a esse bar, tanto faz retornar ou não. mas JAMAIS deixaria de “demonstrar afeto com alguém do mesmo sexo” estando lá
    que o bar está sujeito a ser alvo de ataque homofóbico todos sabem. assim como muitos outros lugares estão. se for pra comentar onde não deveríamos demonstrar homoafetividade, que venham os outros posts
    tipo… no final das contas eu entendi o que foi dito aqui. ficou menos pior quando foi dito que não é justificável o tratamento, mas achei que a abordagem deveria ter sido diferente

    p.s.: “indignado” não é a palavra certa, mas to meio bêbado e com preguiça de pensar. muah ;*

  9. Nossa, adoro a Rosa, e parabéns pelo post politicamente correto!
    Ps: Bar é para flertar! Entendo a preocupação da dona, e se ela não fosse marrenta as gays iam fuder no balcão… Tem ser mais abusado que bee?! Eu sou e sei, também sou mega abusada…

    • bar é pra flertar? é uma lei ou você mesmo criou?
      isso só pros gays ou pros héteros também?
      uma coisa é dizer que não devemos beijar lá porque a dona não gosta (não que seja uma medida certa, mas… ela é a proprietária). no entanto, não foi isso que eu entendi aqui na discussão
      mesmo assim acho essa linha de pensamento tão retrógrada
      particularmente não tenho a necessidade e nem curto muito ficar de beijação nos bares, sejam aqueles destinados ao público GLS ou não. mas não ligo e nem condeno quem o faça. todos sabemos os riscos que infelizmente corremos de sofrer agressão física ou verbal em diversos lugares. por isso não entendi o post tão focado aí.
      ah… não to querendo causar confusão ou polêmica, tá? apenas expor minha opinião, assim como vocês 🙂

      • Vc disse em outras palavras que as gays estão sendo inconvenientes por fazerem isso ou seja, ta defendendo a rosa sim. Se falassem pra vc se colocar no seu lugar quando te bateram no triangulo oq vc diria?

  10. E dai se ela é a proprietária e nao gosta que beijem no bar dela ? O fato de ser proprietária nao lhe permite retirar os direitos das pessoas.
    Uma solução para o problema é simples: Pinte o orelhão de AZUL gata.

    • Consordo!

      Mas eu fico pensando na situação dela tb….tipo….se der confusão lá???? Como ela vai se defender??? como que fica o ganha pão dela???

      Creio que ela deva falar assim: Olhem, é proibido beijos no meu bar…eu não quero…mas com todos….com todo mundo…

  11. SE O BAR NÃO É BOM, N TE ATENDEM COMO VC MERECE, (OU ACHA QUE MERECE), A UNICA SOLUÇÃO É N FREQUENTAR MAIS O LOCAL E FAZER BOA A BOCA (PROPAGANDA) CONTRA. QUANDO O PROPRIETARIO(A) DO LOCAL EM QUESTÃO PERCEBER QUE ESTA PERDENDO CLIENTES ELE MUDA DE POLITICA OU PASSA O PONTO PRA ALGUEM Q TENHA INTERESSE EM TRABALHAR REALMENTE! PQ CONHEÇO ESSA BAR A BASTANTE TEMPO E FRANCAMENTE, PRA MIN N PASSA DE UM BOTECO SEM NENHUM ATRATIVO!!

  12. como sempre falo é facil comentar sobre uma situação se vc não a vivencia. Tem gente q fala q tem q beijar, mas a pergunta é:será q se existisse um bar na fren d sua cas vc ia fica lambendo lingua linda vendo seus vizinhos e parentes passando? pimenta nos orkt dos outros é refresco. Quem dá a cara á tapa?

  13. Eu não vou discutir mais porque senão vou acabar ofendendo algumas pessoas. Já expliquei mais que o suficiente, quem teve capacidade de compreender já veio falar comigo em particular, quem não teve continua batendo na tecla do Maniqueísmo.
    Mas um dia vocês vão desenvolver a ideia e até me pedir desculpas por sofismar sobre minha opinião.

  14. Já li tudo, sei que não vai dar em nada mas quero manifestar minha opinião…

    Que situação ridícula hein… bar gay que não pode beijar? Não adianta tentar explicar que isso é meio que insustentável! Se eu for com uma mulher lá e dar um beijo nela (vomitadynha) o que acontece? Como a Inhaê já falou em outros locais não admitimos isso porque em um bar gay agente admite? Paradoxo ou nonsense? Reclamar nosso direito é motim agora??? Max vc errou manifestando essa sua opinião que não tem justificativa (todo mundo entendeu q vc gosta do lugar e engole essa situação), mas isso não te desmerece em nada, você só deu uma fora de muitas outras que acertou em cheio! Você como figura reconhecida públicamente podia mto bem conversar com ela a respeito, pelo menos pra ela ficar ciente e saber que está totalmente errada!

    Enfim… bola pra frente :*

    • Minha nossa, mas eu já falei que minha opinião é diferente, que eu só estou tentando mostrar os dois lados… ai, tá.. não vou mais explicar.

  15. Enfim, queria fazer uma pergunta pra vocês que estão dizendo que errei:

    A lei permite que vocês se beijem em qualquer lugar, não é mesmo? Okay, mas então por que vocês não se beijam dentro de uma igreja, por exemplo?

    Assim que vocês descobrirem a resposta vão se tocar que não é apenas uma questão de direitos, mas uma questão de bom senso.

    • Vocês simplesmente não estão se tocando que o bar da mulher é numa ESQUINA, onde passa ônibus, carro, gente voltando da praia e cacete a 4.

      Pra um homofóbico passar e acertar a cabeça de um casal com uma pedra ao ver tal cena, pouco custa.

      Enquanto vocês dizem que sou submisso e pensam em fazer barraco, não se tocam que estão sendo extremamente egoístas e eu estou pensando somente na harmonia de todos, por mais que pra isso tenhamos que nos privar de algumas coisas.

  16. Foi SÓ isso que quis dizer. Não justifica o comportamento, é crime, é repressão, seria um retardado se não percebesse isso. Mas existem códigos de comportamento em cada local que você vai e eu não consigo entender como vocês não são capazes de perceber o perigo que seria se, naquela área super frequentada por todo tipo de pessoa e exposta, fossem permitidas demonstrações explícitas de afeto homossexual.

    Se o gay já sofre só por dar pinta, imagine um grupo de 30 gays se beijando numa esquina. Só daria certo se deixassem uma viatura lá 24horas por dia vigiando (por isso que na Parada Gay é bem diferente).

    p.s.: A rosa não bloqueia TODO TIPO de manifestação, apenas as mais lascivas. Estive lá com casais de amigos, eles davam selinho, ficavam de mãos dadas, abraçados e ela não fez nada. O problema é beijar loucamente como fazem no Quiosque do Lui ou no Bar do Lucas. SIMPLES@!

  17. O que você não entendeu é que a razão que é fundamento da proibição não é uma solução ética.O que está em questão é justamente o fato de o bar ser conhecido pública e notóriamente como um bar gay e o significado que tem esta proibição especifica ao argumento de “proteger da homofobia” não é uma solução que ataca o âmago da questão. A solução verdadeira , esta sim, deve ser a de punir as pessosas que atacam e agridem os homossesuais. O juízo de conveniência imediata ” proibir para não gerar inconvenientes” é mediocre, insensato, inferiorisa os homossexuais porque os faz esconder-se. Agora a pergunta que surge é : Esconder-se justamente em um ambiente em que se deveria sentir-se mais à vontade em se expor? Bom , me avoco e advogo em defesa da livre manifestação sem obstáculos. Se as pessoas agredirem ou atacarem alguém isto é uma outra questão. É um problema de politica de segurança unida a uma política de combate à homofobia. O perigo de se defender a proibição para se evitar agressões é de que desta justificativa se sirvam aqueles estabelecimentos em que realmente os gays não são bem vindos. Os gays não são bem vindos somente pelo fato de serem gays mas pelo simples fato de mostrarem isso. Uns mostrarão somente dando as mãos. Outros mostrarão-se beijando seu namorado ou namorada. Porém, mostrar-se ou não é uma decisão de cada um individualmente. Quem se mostra está ciente dos riscos que disto advém. Quando a proprietária em questão tenta impor um comportamento determinado ela cerceia a liberdade de cada um de se mostrar sob a pífia justificativa de que o exercício desta liberdade lhe trará transtornos ela simplesmente está decidindo em nome alheio algo que, cada um, individualmente, deve decidir por sí só. Max , sabemos que aqui é um espaço para a discussão livre. Entretanto, peço que Você mude de opinião. Que reflita bem amigo. Você tem representatividade e isso é um ônus que Você mesmo assumiu e vem demostrando ultimamente. ISto lhe coloca em uma situação de Maior defesa dos direitos dos gays. Entre estes, o maior deles que é a liberdade ampla geral e irrestrita. Raras foram as revoluções que não geraram dor e sangue na história das sociedade. Mas acredito que vergar-se a este simbolo paradoxal que é a “proibição de quem deveria incentivar” sob qualquer argumento que seja não satisfaz a representatividade que Você adquiriu.
    Um forte abraço !

    • Bem, eu só queria ver se estivesse permitida a pegação lá e um dia um homofóbico jogasse uma pedra em você de lá de dentro do transcol ou de um carro, que passam logo ao lado.

      Aí você vem e fala, “ah, mas aí é só eu não ir mais no bar”, e BINGO! Você acaba de achar o X da questão comercial da proibição.

      • Seu pensamento além de incoerente com o que vc sempre demosntrou ser expressa um raciocínio totalmente as avessas. Se VC, Max Vanila, se importasse com os ataques homofóbicos que em tese aconteceriam numa situação assim vc simplesmente diria pras viadas denunciarem como vc fez quando foi agredido no triângulo e não insinuar que estamos sendo inconvenientes e mandarmos procurar outro lugar. Se VC se importasse diria que o bar do Lucas é tão mais perigoso e o Luí então nem se fala.
        Enfim…
        Incoerência define.

        • Aí que tá, filho, vale denunciar depois que acontece ou é melhor evitar as situações com maiores chances de sofrer preconceito?

          Não é sempre que temos a sorte de sair vivo pra poder fazê-lo.

  18. Não li todos os comentários. Se houver repetições, abafa, cats. É o seguinte… não costumo comentar, mas vi a necessidade de ajudar minha amiga de longa data MAX pras guei entenderem melhor o que se passa.
    Há uma década mais ou menos, quando a Max e eu ainda éramos ocas, sempre passávamos por ali no bar da rosa. Até mesmo pra ir estudar.
    Conhecemos isso tudo há tempos. NA CARUDA DO POVÃO, o bar tem uma visbilidade do caralho. A Dona Rosa tá ali há mais de FINCTHY anos. E como será que ela conseguiu se estabelecer naquele local há tanto tempo? Simples demais: postura firme com TODO e QUALQUER chamariz de basfonds no bar. Imagine ter que advertir pessoas (clientes conhecidos ou não) todo santo dia… é um pé no saco, não? Já trabalhei em bar também, colegas, e digo que é difícil mesmo controlar todas as situações.
    Se ela foi meio grosseira com algumas de vocês, OK!… é ruim mesmo ser tratado desse modo. Entretanto, a saber: pra manter a ordem e continuar tendo o direito de funcionar ali ela tem que inibir comportamentos que prejudicam a imagem que construiu para o seu empreendimento. Casos típicos: galera se drogando, arrumando confusão, pegação explícita TANTO DE HÉTEROS QUANTO DE HOMOSSEXUAIS, violência, depredação… enfim, coisas que acabam mal tipo nas delegacias da vida e que, COM CERTEZA, vocês todas não gostariam de presenciar num local onde você frequenta para se divertir.
    Agora, outra coisa importante é o tal do bom senso. Ora, se você já sabe da política de funcionamento do lugar que você escolhe pra frenquentar, é ridículo e injusto reclamar sobre o que você pode ou não fazer lá. Se quer botar fogo no puteiro, vá para um lugar onde isso é permitido. Não sejam babacas e digam que não há lugar para isso porque todas vocês sabem que existe sim, tsá?!
    E mais (essa é pra quem bate ponto na rua da lama sempre): alguém conhece a Dona Conceição lá do Cochicho da Penha? Acredito que sim, né, gatas? Quem não tá acostumado, acha que ela é um poço de ignorância e grosseria. Mas vem cá comunicateiras, vocês já prosearam um tiquinho com ela? Parece outra pessoa, não?

    A dica que fica aqui pra vocês: sejam mais sagazes e interpretem direito os textos, PUFAVÔ!

    Pensem antes de jogarem os tomates podres na Max ACHANDO que ele TEM A OBRIGAÇÃO de gongar coisa ou outra só porque ficou famosa na cena LGBTudo do estado.

    Lembre-se: A guei sabida nunca passa carão…em lugar nenhum! Especialmente em vitorinha, néam?!

    “Bicha burra devia nascer hétero!” huauhauhahuahuahuahua

    Brincadeiras à parte, vamos respeitar essas coisinhas, gente. Não custa nada ser fina, beu abôr! Muita classe sempre.

    bjs

    • Gata vc foi simplesmente maravilhosa no seu comentario.
      Vc acabou defendendo o bom senso, coisa rara hj em dia.

      Eu e um amigo discutiamos sobre os comentarios deixados aki e chegamos a conclusão ke a Net da uma voz mas nao da uma cara
      “pra bater”.
      Entao é muito facil instigar as pessoas a processarem a dona do bar etals.
      Eu recomento um outro metodo: Vamos abrir uma bar gay liberadíssimo na rua da casa das bees ke se sentiram cerceados dos seus direitos, e ai a gente vai saber ser elas se comportam da mesma maneia ke se comportariam no Bar da Rosa, com vizinhos e familiares pasando por la.
      E ai?? Como ficaria as outras bees ke nao moram la por perto? Deveriam processar o dono do bar por impedir os outros de mostrar homoafetivade??

      Essa atitude da Rosa tambem pode servir como segurança para os frequentadores, ja ke uma agressão poderia vir de qualquer lugar, dada a localização do bar.
      Kem nao kizer ir la,tudo bem, afinal tem milhares de outros bares na cidade, fikem a vontade.

      • Noossa Lú, arrasou! Tiro minha cueca pra vc!
        Vamos fazer melhor, vamos abrir um “bar gay liberadíssimo” na frente da casa da mãe de cada um que se sente cerceado dos seus direitos.
        Tem muita gente que esquece que o direito dele termina onde começa o do outro.

      • Brevis esse laboro, obscurus fio (esforço-me por ser breve fico obscuro).

        Porém, tentando ser mais sintético explico a quem “viajou” e esqueceu de levar na bagagem o bom senso e um conhecimento mínimo do que seja uma estrutura social e os grandes temas éticos da atualidade: Triste a nossa sina de tentar explicar determinadas coisas. Entretanto, cito um trecho de hamlet que conhecí quando estudava teatro lá pelos 17 anos in verbis:
        “O exagero ou o descuido, no ato de representar, podem provocar riso aos ignorantes, mas causam enfado às pessoas judiciosas, cuja censura deve pesar mais em tua apreciação do que os aplausos de quantos enchem o teatro. Oh! já vi serem calorosamente elogiados atores que, para falar com certa irreverência, nem na voz, nem no porte mostravam nada de cristãos, ou de pagãos, ou de homens sequer, e que de tal forma rugiam e se pavoneavam, que eu ficava a imaginar terem sido eles criados por algum aprendiz da natureza, e pessimamente criados, tão abominável era a maneira por que imitavam a humanidade”. ( hamlet ,ato III cena II).

    • Concordo gataaa
      “inibir comportamentos que prejudicam a imagem que construiu para o seu empreendimento” …
      Realmente o beijo, as demonstrações homoafetivas em público é DeGradante, nojento, intragável e PREJUDICAM a imagem de qualquer ambiente. Isso é nojento. Gay é nojento. Deveriam expressar seu “amor” com um simples beijo apenas no esgoto onde é o lugar correto.

      ” pegação explícita “… Hétero se beijando é normal e natural, gay se beijando é fornicação, é pegação explícita segundo a “Ana”

      “é ridículo e injusto reclamar sobre o que você pode ou não fazer lá.”

      É Ridiculo e injusto reclamar, QUESTIONAR. Nao sei porque saimos da idade das Trevas gentyyyy… Éramos pra estar ainda sob os domínios da inquisição e venda de indulgenciasss. Nao sei porque Lutero foi QUESTIONAR ou RECLAMAR. Eita homem injusto, RidíiííCulo

      Devemos SEMPRE aceitar oq nos impõe. FATO ! ! !

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s