Sobre o porquê das coisas insignificantes


Estava na casa da minha namorada e começamos a assistir o filme “Lembranças” com o bonitão do Robert Pattinson, no meio do filme, Gandhi foi citado:

“Tudo o que você fizer será insignificante, mas é da maior importância que o faça”.

E o que isso interessa?

Vivemos numa sociedade desacreditada, sem fé na política, na justiça, na educação, sem fé em tudo. Para a maioria de nós, tanto faz mostrar a cara, votar, lutar pelos direitos, afinal, nada vai mudar. Numa pesquisa informal entre amigos e colegas de classe, muita gente ainda não sabe nem em quem votar, que candidatos existem ou decidiram votar nulo. Gandhi destaca a importância do fazer algo.Vejo muita gente comentando por aí, que não liga para a união homoafetiva, que visibilidade gay é perda de tempo, que não entende essa confusão toda pra conseguir direitos civis iguais, que tanto faz, tanto fez votar em um candidato que apoia a causa LGBT, outros até sabem da importância do fazer algo, mas não movem um dedo pra mudar a situação.  É esse tipo de pensamento que faz o mundo congelar.

Talvez não vá ser hoje ou amanhã que todos os direitos serão concedidos, que você poderá “casar” com seu parceiro(a) e ser respeitado, que você não será discriminado ao andar na rua de mão dada, mas é importante você lutar por isso agora. Mesmo pra quem não é assumido, o diálogo também é uma forma de lutar pela causa, a conscientização através de um bate papo informal, exposição de ideias por vezes é mais eficaz que outras alternativas, afinal é mostrado todos os lados que se pode ter um ponto de vista.

Alguns dos vários moradores de duplex do nosso Brasil, são tão auto críticos e preconceituosos, que além de não ajudar na causa, estigmatizam os homossexuais ainda mais, mergulhados numa auto proteção ridícula. Não estou dizendo aqui, que você precisa se assumir, pendurar uma bandeira gay no seu carro e gritar palavras de ordem na rua. A mensagem que tento passar, é a importância do fazer algo pra mudar nossa realidade, é um discurso repetitivo, mas que deve ser lembrado sempre que possível, pra não ser enterrado e esquecido.

47 comentários sobre “Sobre o porquê das coisas insignificantes

  1. Sim! Não precisa levantar bandeiras e se juntar a movimentos sociais para lutar por seus direitos….deixa isso para quem tem vocação militante.

    Mas todos podemos fazer uma luta cotidiana, sutil e que, a longo prazo, mude alguma coisa.

    Já ouvi gay dizer que o casamento gay, a adoção….tudo isso será dado aos gays somente porque o resto da população já tem e, assim, não é necessário lutas… ¬¬ PQP…

    Se temos os nosso direitos de trabalhadores não foi porque o sistema é bonzinho e concedeu isso de graça…..foi pelas lutas dos trabalhadores, as greves, os anarquistas, os socialistas, comunistas …devemos muito a eles nesse quisito…caso contrário estariamos trabalalhando 18 horas por dia!

    acha que operário é bagunça!???!

    o mesmo para os direitos civis dos gays.

    Mas achop que isso é muito do brasileiro……ele não se mobiliza para nada ( a longo prazo) , não dá uma continuidade….

    multirão ele sabe fazer…..agora planos a longo prazo, difícil…

    Enfim….sou de classe média, assumido para todos, minha família me aceita, sou mestiço de pele clara, não sou travesti e não me lembro de ter sofrido preconceito nos últimos tempos……………………………..teria todos os motivos para mandar os movimentos tomarem no cu e seguir minha vida de modo egoísta e egocêntrico ( já que não pretendo casar e teria coragem de ter um filho com uma mulher caso necessário fosse…), mas continuo aqui, falando e me assumindo para todos que conheço.
    masoquismo? talvez…
    Mas fazer o que né….nasci chato, morrerei chato. ( nem tanto assim…¬¬””””)

    ps: prolixo de novo…¬¬ é que eu tô feliz gente…coisas estranhas estão acontecendo por aqui….muahahaha. 🙂

  2. São pessoas vazias, de mentalidade estúpida e mesquinha ($ecrett Disse:
    22/09/2010 às 4:44 pm | Responder
    A Desculpe vc nao tem TV POR ASSINATURA! Foi Mals Honey!), como a gnt pode observar no caso acima, que faz com a gnt pare e pense como tudo hoje em dia está ficando insignificante mesmo.

  3. É a historinha do beija-flor no incêndio da floresta que eu sempre conto: Todo mundo sabe que não vai conseguir apagar o fogo, mas ele morre de exaustão pegando água com o bico e jogando no incêndio.

  4. Glee pode ser uma coisa insignificante pra vocês (que provavelmente nao conhecem a série) mas ajuda e muito na conquista dos nossos direitos…

    “Mas todos podemos fazer uma luta cotidiana, sutil e que, a longo prazo, mude alguma coisa.”

    Glee tá fazendo sua parte. Beijos

    • Olha apesar de eu não achar que contribua MUITO, mas vc não deixa de ter uma certa razão… Afinal, o personagem gay de Glee (o Kurt) tá sendo sucesso de aceitação e tem várias pesquisas apontando como ele ajudou adolescentes e jovens a se aceitarem e conseguirem discutir a questão com os pais, como o personagem fez…

      • A questão não é só o Kurt… todos os personagens passam por conflitos e os originais são todos “rejeitados” pela escola mesmo sendo hiper talentosos. Nunca tiveram a chance de mostrar quem eles são, de lutar por um ideal e mostrar pra todo mundo (inclusive os que fazem de tudo pra dar errado) que eles podem vencer!

        Isso é mto foda… parece ridículo mas não é!

        • Eh, falei do Kurt pq ele é o ápice disso né…
          Mas querendo ou não, o mundo todo está adorando os “loosers” do Glee Club e isso é um avanço tremendo…

    • Se uma pessoa precisa se referenciar num personagem de TV para ter uma base…..é porque a situação está TENSA demais.
      Mas não julgo….nós gays não temos muitas opções de referência, a não ser astros juvenis de televisão e divas do POP!

      • Não é referência que eu procuro em Glee! Meu caráter está em formação e meu referencial sempre foi minha família e as pessoas que convivi… estamos falando em entretenimento, meu mundo não se resume a isso e nem à Lady Gaga. Mas acredite isso pode influenciar sim a vida das pessoas… inclusive a sua (a menos que vc viva numa bolha) vc que nao quer enxergar! A coisa ta “TENSA” ha mto tempo.

        Glee só tem a acrescentar pra nós gays, o mínimo que vc podia ser é indiferente! E agora chegaaaa pq nem a Fox nem o Ryan Murphy tão me pagando pra isso huahuahuauha! E eu detesto tréplicas… parece mais um bate-papo

      • Nao temos referência ??? A loka !
        Leonardo da Vinci, Mario de Andrade, Salvador Dali, Santos Dumont, Shakespeare, Olavo Bilac, Alexandre O Grande (humm, delícia), MAURício de NassaUU ( ai adoro Maurícioo rsrsrs ).

        Na parte da musica temos >> Renato Russo, Cazuza Cassia Eller, TODAS as sapas da MPB rsrsrs. Esses pq são assumidos, se contar com os NAO assumidos ai Fudeu, nem caberia.

        No pop internacional temos Adam Lambert, Elton Jhon… Chica Chiclete e Angela Jackson

        Na Tv nemm se fala. Globo em peso marcando presença.

        Eu até esqueci o nome, mas tivemos governadores na história do E/S( no mínimo dois ) q foram gays, mas nao lembro mais quem sao, mas estudei isso em História do Espírito Santo. E tbm lembro q foram os q mais fizeram pelo Estado na época.

        Tá, sei q alguns são certeza absoluta, enquanto outros apenas se tem fortes indícios de sua homossexualidade. Mas pra mim é tudo Travestchy e pesquisadores, históriadores nao afirmam, nao publicam isso nos livros de ensino fundamental e médio – o que deveriam fazer, pra mostrar o valor dos gays na história – q eles sejam gays por serem considerados grandes ícones da história.

        Entao realmente nao entendo qdo vc diz q nao temos referências :S
        Pq isso foi apenas uma pequena parteee do q temos de famosos como referência.

        • Tá e quantos deles levantaram a bandeira e gritaram “Eu sou gay!”? Desculpa, mas vários desses mal tocam no assunto “sexualidade”…
          Então pra mim não são referência nenhuma!
          E dos que levantam a bandeira e têm coragem de enfrentar a tudo e a todos nessa lista, a maioria está morta… rs Quer dizer…

        • Ta James, sai do mundo dos autores, atores, diretores, holofotes… É tudo faz de conta, bobo!
          Negócio é a importância que essas pessoas tiveram, de fato, na realidade. Eles podem não ter,por muitas vezes, tocado no assunto “sexualidade” como vc diz, mas isso é pessoal e íntimo de cada um, independente se a pessoa tem uma vida pública ou não. O que vale é o caráter, a cabeça, a atitude, isso que conta como referência, a sexualidade é só um detalhe.

  5. Aliás, Glee é um assunto tão insignificante que o próximo post é exatamente sobre isso… rsrsrs

    Mããããs.. Acho que as pequenas militâncias diárias são sim fundamentais.
    Você pode não conseguir mudar sozinho a cabeça de toda a sociedade, mas pode, por exemplo, mostrar para aquele ht preconceituoso da sua turma na faculdade que ele deve te respeitar. E pronto! Um homofóbico a menos no mundo…

  6. Parabens pelo belo post Izaa!!!
    Até eu ke tenho uma pedra no lugar do coração (segundo um amigo meu) fikei sensibilizado.

    A galera dos coments ke viajou um pokinho, né???

  7. Vc continua fazendo sua parte querida Iza, postando e promovendo a discussão. Minha formação religiosa familiar é catolica e protestante, ou seja, achava o Kardecismo era do mau, contudo no meu primeiro estágio convivi c/ estes e eles me mostraram, a partir de suas ações, q existia algo mais além do q haviam me ensinado , ou seja uma das melhores formas de passar uma mensagem positiva é o exemplo. Realmente não precisa levantar bandeira. Sermos nós mesmos sem máscaras e sermos integros é uma forma, talvez tímida, de mostramos aos outros q alguma coisa está fora de ordem e precisa ser urgentemente revista. Um beijão Gata

  8. Quanto às referências das personalidades citadas. Imagine um deles falar q eram gays. Com certeza não teriam sobrevivido à censura da época e não teriam sobrevivido ao crivo da história oficial e chegado até nós. Como exemplo cito os artistas da época da ditadura q tinham q escamotear/ subliminar suas mensagens para terem suas obras sobrevivido até hoje. Cada um tem sua estória e seu tempo. Cada desafio é particular. Por qual motivo julgar?

  9. ADORO o povo desse blog que acha que a sua opinião é a única certa. Que tal pensar que TALVEZ cada um tenha a sua opinião e que a do outro não é melhor nem pior que a sua, hein?
    Essa semana uma bee aqui do blog virou pra mim e disse: “Sou do ‘Gosto é igual braço. Tem gente que não tem'”. Depois dessa frase, juro que tomei nojinho…
    Mas enfim… Só vim explicitar que tô me enfezando… rs

    • Ué…

      respeito a opinião de todos e acho que a minha é a mais correta…

      Por quê?

      vc fala as coisas achando que está errado????? auhauhauha

      • Não, eu falo as coisas sabendo que cada indivíduo tem a sua verdade! O que é verdade pra você pode não ser verdade pra mim e vice-versa.
        Ou seja, a minha opinião é sempre a certa… PRA MIM!
        Assim como a sua opinião é sempre mais certa que a minha PRA VOCÊ!
        Mas se você acha que o seu umbigo é o centro do universo, eu não vou dicutir com você…

        • Meu umbigo é o centro do MEU universo sim!

          e essa birra é coisa de gente que nao possui argumentos.

          Quer me desbancar? Argumente.

          Caso contrário nem venha com lero lero.

    • Foi eu quem disse e repito:

      “Gosto é igual a braço. Tem gente que SIMPLESMENTE não tem”.

      Tenho muita convicção das coisas que penso e não me envergonho delas. Essa noção de que cada um tem que fazer prevalecer sua própria vontade já que CADA UM tem a sua é a mesma dos skinheads que te matam na Augusta, chuchu! E a mesma que fazem certos alunos da UVV que são de família classe média alta e pagam faculdade dizerem que gostariam de ter auxílio do governo para usar o dinheiro da mensalidade NA MOVE!!! Ou seja, que se foda que alguém que realmente precisa (e provavelmente mereça) não possa ter a oportunidade de ter uma graduação e mude de vida desde que eu possa ficar esfregando meu piru nas beeshas na buatchy e chupar o máximo possível de pessoas. Nada pessoal, tá, honey J.? Hipoteticamente….

  10. gente….to vendo aqui um mini barraco com uma pluralidade de opiniões ( o que denota um blog não homogêneo) o que é ótimo…

  11. mandou bem IZA
    nen preciso comentar…aff

    mas claro q vou contar q disse isso tudo pro viado do meu amigo(BEL AMI) BELzinha..

    a desgraçada colocou a cabeça pr fora da janela do carro e disse pro primeiro bofe na rua: EU CHUPOOOOOOOO

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s