A arte do bate-cabelo


Conforme prometido, segue meu texto publicado na revista Nós, a respeito da trabalho das drag queens capixabas. Vocês poderão conferir no texto que fiz um levantamento da história da prática da montagem no Espírito Santo e falo de algumas (poucas) drags da atualidade. Volto a agradecer a Chica Chiclete pelas informações importantíssimas. Reparem que falo de forma bem sucinta por uma questão de limitação espacial mesmo (o texto original teve que ser bastante reduzido). Para ler é só clicar para ver ampliado:

E, claro, comentem.

8 comentários sobre “A arte do bate-cabelo

  1. GENTEMM ADOREI O POST.
    QUEM AINDA TEM ALGUMA DÚVIDA TEVE LER E LER DENOVO SE NECESSARIO NÉAH…
    AHAZZO DÉ!!!

    BJOAMADENHAS

  2. Arrazou mesmo! Eu não sabia da origem do bate cabelo, muito bom o texto, bem informativo.

    Agora deixo um questionamento: porque todas a jovens drags que começam a se montar investem nessa linha top drag de bate cabelo?

    Pq não vejo surgirem caricatas? Será que elas (as caricatas) são um gênero fadado a desaparecer no ES? Tomara que não.

  3. Arrazou no texto e eu tbm n sabia dessa origem do bate-cabelo, sou fã das drags nao importa o gênero, sou loca da rachada(oO aloka) pra aprender a bater cabelo, mas minha condiçao de sedentaria nao me permite, haha. Enfim, tomara q apareçam novas drags a fim de continuar o legado na noite capixaba.

    1bjopraquemsemonta

  4. No texto foi mencionado aquela Loka Fake uóóó rsrsrs
    Morri ! ! !

    Adoro show de drag !
    Agora, se esta é a carreira profi q querem seguir, nao entendo pq essas lokas nao pagam um cursinho de inglês. Afinal, a dublagem é quase inerente de uma apresentação de drag.Como o texto afirma, as apresentações ultimamente só seguem o estilo bate kbelo, q é feito sempre com musica norte-americana. Só acho q deveriam investir mais nesse ponto ao invés de ficarem balangando beiço igual uma cacura banguelano show.
    No mais, as q investirem no estilo karikatas tem sucesso garantido.
    O problema é q pra ser karikata meu bem, tem q ser mto inteligente, ter raciocínio rápido. Nao é a toa que a Dona Karão( Karikata), provavelmente, já é Mestre na sua profissão.

    Por isso acho dificil surgir novas karicatas. Bater kblo qq um q tem um pouco de força no pescoçan bate. Ter conhecimento, estar atualizado, ter raciocíno rapido e logico, fazer analogias engraçadas, piadas, enfim, fazer alguem rir, nao é pra qq um. TEM q ser inteligente !

    Baisers ! ! !

  5. O texto do Dé ficou muito legal, mesmo. Tá sendo super elogiado.

    Quem quiser uma cópia impressa é só procurar em pontos de cultura ou procurar o pessoal do Portal Yah que eles informam o lugar mais próximo para pegar uma cópia.

    =]

  6. Gostei do artigo, sou fã do seu estilo de escrever, mas faço algumas retificações:
    1ª. O nome da boate era Stargate e ficava em Vila Velha, na subida do Farol de Sta. Luzia, ao lado da residência oficilal do Governador do Estado;
    2º A boate Queen se chamava Pink e foi inaugurada em 1997.
    3º A a falecida Top Drag Verônika “trouxe” o bate-cabelo para o estado ainda na década de 90 na boate Pink.

    Fonte: Eu, que vivi todas essas fases da noite GLS do estado.

    Creio que faltou mais pesquisa para que seu texto ficasse perfeito.

Comenta, beesha!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s